Funções do aparelho móvel no tratamento ortodôntico

Share on facebook
Compartilhe
Share on twitter
Tweet Isso
Share on linkedin
Compartilhe

Saiba tudo sobre o aparelho móvel: funções, limpeza e importância no tratamento ortodôntico

O tratamento ortodôntico é realizado em diferentes etapas e podem ser usados diferentes tipos aparelho. Um deles é conhecido como aparelho móvel.

Diferente do aparelho fixo, o aparelho móvel pode ser facilmente retirado em qualquer situação. Por isso, é uma alternativa menos invasiva para corrigir e alinhas os dentes.

O aparelho móvel é uma ferramenta da ortodontia. Ele se encaixa na boca do paciente e pode ser usado durante algumas horas por dia, dependendo da indicação do dentista e do diagnóstico prévio.

Apesar de ser mais comum que as crianças o utilizem, nada impede que esse tipo de aparelho ortodôntico seja usado também por jovens e adultos.

Acompanhe o nosso artigo para ficar sabendo mais sobre o aparelho dentário móvel, quando ele é indicado e qual é o tempo de duração média do tratamento.

  1. Qual a Função do Aparelho Móvel?
  2. Preciso Usar Aparelho
  3. Quanto Tempo Tem Usar o Aparelho Móvel?
  4. Detalhes do Tratamento Ortodôntico
  5. Como Fazer a Limpeza do Aparelho Móvel?

Qual a Função do Aparelho Móvel?

Muitos se perguntam: qual é a função do aparelho móvel? E para responder a isso, podemos fazer uma lista com os principais objetivos que tal ferramenta da ortodontia possui. Confira:

  • Corrigir a oclusão dentária;
  • Evitar mordida cruzada e problemas mais graves causados pela má oclusão;
  • Reposicionar dentes tortos;
  • Melhorar a mastigação;
  • Ajudar no desenvolvimento ósseo da arcada dentária;
  • Fazer movimentações na arcada dentária;
  • Correção e alinhamento da arcada dentária;
  • Reorganizar funções como respiração, mastigação e fonética;
  • Complementar o tratamento feito com o aparelho fixo e garantir o resultado obtido após feito o tratamento.

Sendo assim, é de suma importância que o paciente faça o uso do aparelho corretamente para evitar maiores complicações e até mesmo uma intervenção cirúrgica.

O Que Acontece se Não For Usado o Aparelho Móvel?

Existem casos nos quais o paciente recusa fazer o uso do aparelho de contenção móvel, e isso oferece risco ao tratamento que foi realizado, já que a contenção serve para controlar e manter os resultados obtidos.

Sendo assim, nessas situações é comum que alguns dias após a retirada do aparelho fixo os dentes já comecem a se movimentar novamente, entrando em posições nas quais não eram para estar.

De tal forma, caso o dentista indique a necessidade de utilizar o aparelho móvel, o recomendado é que o paciente siga todas as orientações para não correr risco de refazer o tratamento.

Entretanto, existem casos também em que o uso do aparelho não é necessário.

De toda maneira, não é recomendado que a decisão de utilizar ou não, bem como tirar antes do tempo falado pelo dentista, seja feita pelo paciente.

Consequentemente, é apenas o profissional qualificado quem pode dizer se o quadro requer o uso da contenção móvel antes de ser devidamente concluído o tratamento ou não.

Todavia, existem alguns problemas que podem surgir, e dentre eles estão:

  • Abertura de espaços interdentais;
  • Desalinhamento dos dentes;
  • Giros dos dentes;
  • Problemas periodontais;
  • Perda estética;
  • Retração gengival.

Preciso Usar Aparelho?

Preciso usar aparelho móvel?

Como citado anteriormente, os aparelhos móveis têm diversas funções e podem ser usados em diferentes etapas do tratamento ortodôntico.

Normalmente é recomendado o uso do aparelho logo na infância, entre os 6 e 12 anos. Essa é a idade na qual as crianças estão em fase de crescimento, o que faz com que os dentes ainda não estejam totalmente fixados.

Sendo assim, os dentistas indicam o uso do aparelho ortodôntico móvel para promover alterações ósseas na cavidade bucal.

Mas mesmo depois do longo período com o aparelho fixo, em alguns casos o aparelho removível é necessário para manter os resultados até então alcançados, como o alinhamento dos dentes.

De tal maneira, adolescentes e adultos podem utilizar a contenção igualmente às crianças.

E mesmo que no começo seja difícil e até chato ou incômodo fazer o uso regular do aparelho, é de suma importância que o paciente mantenha ele na rotina!

E existe um lado positivo: o aparelho pode ser retirado facilmente em algumas situações, fazendo com que o paciente se sinta à vontade para tirá-lo caso esteja incomodando muito.

Todavia, todo cuidado é pouco! É somente um dentista de confiança quem pode indicar qual é o melhor tratamento ortodôntico.

Quanto Tempo Tem Que Usar o Aparelho Móvel?

Quanto tempo tem que usar o aparelho móvel?

Aqui é o momento no qual surge a dúvida: quanto tempo demora para tirar o aparelho?

É difícil determinar o período específico porque existem diversos fatores que contribuem e podem aumentar ou diminuir o tempo de tratamento.

Mas para ajudar nisso, podemos elencar a ortodontia digital. Uma técnica que realiza a análise digital do quadro do  paciente e consegue determinar uma previsão de tempo para alcançar o resultado desejado.

Se o dentista não utilizar esse recurso digital, pergunte-o a respeito e veja se existe a possibilidade de aplicar tal estratégia para melhorar o tratamento.

Outra dúvida bastante comum entre os pacientes é sobre quando utilizar o aparelho dentário removível. E na verdade a resposta dessa pergunta é simples: o tempo todo, exceto quando for realizar alguma refeição.

Muitos pacientes reclamam de incômodos ou não se acostumam com essa ferramenta, e uma dica para esses casos é usar aparelho móvel para dormir.

Esse é um passo recomendado por muitos dentistas tendo em vista que, normalmente, o paciente passa cerca de 8 horas dormindo.

Sendo assim, caso sinta muito desconforto durante o dia com a contenção móvel, é aconselhado que pelo menos que o uso do aparelho seja feito durante a noite.

E Qual é o Preço Desse Tipo de Aparelho?

O valor do aparelho móvel varia entre clínicas, e ele será calculado tendo como base o quadro que o paciente apresenta.

Sendo assim, depende se o paciente necessita ainda de alguma outra correção na arcada dentária, e isso será avaliado pelo próprio ortodontista responsável pelo caso.

Portanto, não existe uma estimativa de valor mínimo ou máximo que o paciente pode pagar para o aparelho móvel, uma vez que o custo é consequência do estado único de cada um.

Consequentemente, isso faz com que o diagnóstico feito sobre o quadro dental do paciente seja de extrema importância.

Detalhes do Tratamento Ortodôntico

Detalhes do tratamento ortodôntico

Antes de continuarmos, você sabe quais são as etapas do tratamento ortodôntico? Como citado anteriormente, o tempo de duração depende diretamente do paciente.

Sendo assim, pontos como a dedicação no tratamento, bem como cuidados e a resposta que o corpo dá ao uso do aparelho, influenciam diretamente sobre o tempo, aumentando-o ou diminuindo.

De toda forma, o tratamento é praticamente ausente de dor. Nos casos em que a dor aparece, é quando o dentista precisa apertar a estrutura do aparelho.

Entretanto, podemos dividir o tratamento em duas partes:

  1. Ativa: quando é utilizado o aparelho fixo, que possui uma duração média de um a três anos;
  2. Passiva: quando o aparelho móvel, também conhecido como alinhador transparente, é colocado.

Contudo, essas duas fases são apenas quando consideramos o uso dos aparelhos. Além disso, não existe uma forma de determinar precisamente quanto tempo dura a segunda fase do tratamento.

Tudo depende de quanto tempo o paciente passou com o aparelho fixo, independente se era o aparelho estético ou então o aparelho autoligado.

Mas pode ser feita a seguinte comparação: se o uso do aparelho fixo foi entre 24 ou 36 meses (2 ou 3 anos, respectivamente), é aconselhado que o uso da contenção seja por pelo menos mais 4 ou 6 anos.

Alguns especialistas dizem que o ideal é não fazer mais a remoção e consequentemente usar constantemente, por tempo indeterminado.

Mas para colocar de uma forma mais palpável, iremos destacar agora as principais etapas do tratamento desde o diagnóstico. Vamos lá?

  1. Diagnóstico;
  2. Colocação do aparelho;
  3. Alinhamento dos dentes;
  4. Correção;
  5. Finalização;
  6. Contenção.

Diagnóstico

Esse pode ser considerado um dos passos fundamentais ou mais importantes, tendo em vista que um bom diagnóstico influencia sobre todo o tratamento.

Geralmente ele é feito logo na primeira consulta odontológica. É válido lembrar que a identificação do problema vai além do exame clínico que é feito a primeiro momento.

Para obter a melhor análise do quadro, é comum que sejam feitos os seguintes procedimentos:

Todavia, todas essas medidas são justamente para obter o melhor diagnóstico possível e conseguir entender o que causa as deformidades e problemas, e então planejar como corrigi-las.

Logo em seguida, o profissional irá elencar quais são os possíveis tratamentos e qual é o melhor de todos para o quadro do paciente.

Colocação do Aparelho

O segundo passo na verdade é quando podemos considerar que o tratamento realmente começou tendo em vista que é aqui que o aparelho é colocado nos dentes do paciente.

Contudo, para que isso seja feito é necessário existir um acordo entre o paciente e o dentista, além de novos exames e fotos que irão registrar como era o estado dentário do paciente inicialmente.

É necessário lembrar que não existe uma única forma de colocar o aparelho já que não existe apenas um tipo de aparelho.

Mas assim que ele é colocado, passa a exercer pressão sobre os dentes de forma a movimentá-los e começar a corrigir o problema inicial.

Outro fator importantíssimo para o bom andamento do tratamento: manter de uma boa higiene bucal, de forma a evitar principalmente a formação de cáries e o acúmulo de placa bacteriana.

Isso se deve ao fato de que além de prejudicar a saúde bucal, elas também são contratempos para o tratamento.

Alinhamento dos dentes

O alinhamento entre os dentes também entra como etapa fundamental do tratamento. Afinal, quando os dentes estão na mesma linha e no mesmo nível, a movimentação entre eles se torna mais efetiva.

Via de regra, o primeiro fio para alinhar e nivelar os dentes é mais leve e fino, de forma a girar os dentes para que eles fiquem na posição correta.

Todavia, existem algumas situações nas quais é necessário extrair um dente para que os demais se nivelem, mas esse é um quadro mais difícil de acontecer.

Conforme o tratamento vai avançando, fios mais grossos serão colocados.

Correção

Uma vez que os dentes se encontram em perfeito nivelamento, o problema apontado no diagnóstico começa de fato a ser corrigido.

É aqui que começam a ser utilizados fios do aparelho feitos de aço, que são mais grossos, juntamente com os elásticos.

Dessa maneira, os dentes serão movimentados de forma a fechar espaços, ajustar eventuais desvios, fechar mordidas abertas, ou então promover a correção necessária para o quadro.

Essa é uma das fases que mais demora do tratamento.

Por outro lado, apesar do tempo e da eventual dor que pode vir nessa etapa, ela começa a gerar resultados que podem ser notados pelo paciente.

Finalização

Uma vez que os dentes começam a ficar na posição certa, o tratamento entra na fase de finalização.

Aqui passam a ser utilizados principalmente elásticos em posição vertical, dobras nos arcos, ou então a colocação de mais braquetes e outros acessórios.

É comum que o paciente já esteja contente com o resultado e com o sorriso que ele tem, mas essa fase é tão importante quanto as anteriores.

Sendo assim, acelerá-la, ou fazer ainda pior e pular, pode colocar em risco tudo o que já foi adquirido com o tratamento.

Agora, nesse momento, o trabalho é mais intenso para o dentista, e depende ainda mais da ajuda e da paciência do paciente para manter os cuidados e as visitas ao dentista em dia.

Contenção

E quem acha que uma vez retirado o aparelho fixo o tratamento acabou, se engana completamente!

Logo após a remoção, é necessário que por pelo menos alguns meses o paciente faça o uso do aparelho de contenção.

Ele, por sua vez, pode ser fixo ou removível, e servem não apenas para habituar os dentes a sua nova posição como também fazer com que a posição dos dentes na arcada seja estável.

Em alguns casos são aplicadas as duas técnicas de contenção, mas isso depende do que o profissional falar a respeito.

É válido lembrar que as medidas aconselhadas pelo dentista devem ser seguidas à risca, e caso sinta qualquer eventual incômodo ou dores, o profissional deve ser procurado.

Contudo, as consultas podem possuir um intervalo maior entre uma e outra, mas ainda assim é necessário que seja feito um acompanhamento da evolução do quadro para analisar se não há retrocessos.

E como citado anteriormente, não é possível indicar com precisão qual é o tempo do tratamento feito por meio do aparelho móvel, mas em alguns casos é comum que o paciente permaneça usando pelo resto da vida.

Como Fazer a Limpeza do Aparelho Móvel?

Como fazer a limpeza do aparelho móvel?

Fazer a limpeza do aparelho móvel, por sua vez, não é algo difícil. Entretanto, é necessário que o paciente preste muita atenção e tome todo o cuidado possível com o aparelho.

Higienizar o aparelho é algo que requer disciplina, mas possui uma forte influência no resultado.

Tendo em vista que o aparelho pode ser retirado a qualquer momento, a limpeza pode ser feita mais facilmente uma vez que estará fora da boca e o paciente pode cuidar de todos os detalhes.

E essa facilidade propicia uma limpeza mais efetiva e por mais tempo.

Nas horas das refeições, por exemplo, o paciente pode impedir que restos de alimentos fiquem presos no aparelho, algo que incomoda e até machuca.

Um outro cuidado que deve ser tomado é com o local onde o aparelho é deixado, pois ele não pode ser esquecido pelo paciente.

Mas para isso existe a caixinha para aparelho móvel, que também deve ser higienizada e limpa periodicamente.

Manter a rotina de guardar o aparelho na caixinha e limpar o recipiente impedirá o contato direto com bactérias e impurezas que possam contaminar ou então sujá-lo.

E nunca se esqueça que é preciso fazer a limpeza completa e de maneira adequada todos os dias!

Para fazer a higienização completa o paciente pode utilizar todos os instrumentos bucais os quais já são utilizados normalmente.

De tal forma, é aconselhado o uso de escovas de dente com cerdas macias e pasta de dente são recomendados pelos dentistas para fazer a limpeza do aparelho.

Dicas Para Manter o Aparelho Limpo e o Tratamento Bem Encaminhado?

Existem também algumas outras indicações que são dadas por profissionais e que servem para ajudar o paciente a cuidar do aparelho e do tratamento também.

Todavia, iremos elencar agora quais são todas as dicas, para que você não as esqueça! Confira abaixo:

  • Fazer o uso da contenção conforme a indicação que o profissional passar, principalmente nos primeiros meses para criar o costume para usar constantemente;
  • Tirar o aparelho sempre antes de alimentar, evitando que pedaços de comida fiquem grudados ou então que o aparelho quebre;
  • Uma vez retirado o aparelho, colocá-lo na caixinha, ou então em algum lugar onde ele não corra risco de quebrar ou ser perdido;
  • Antes de recolocar, sempre fazer a escovação dos dentes e do aparelho, de forma a evitar que bactérias e restos de alimentos fiquem ali ou então na boca e mantendo uma boa higiene bucal;
  • Evitar ao máximo ingerir bebidas utilizando o aparelho, principalmente líquidos quentes. Mas existe uma exceção, que é para tomar água.

Somadas a isso, é aconselhado que consultas com o dentista sejam feitas pelo menos uma vez por mês para fazer eventuais ajustes na contenção e analisar se está tudo correndo bem.

Mas se algum tipo de dano acometer o aparelho, é aconselhado que o dentista seja procurado o mais rapidamente possível para analisar o que pode ser feito e o que será de fato feito a respeito.

Sendo assim, cabe ao paciente não somente fazer o tratamento corretamente, como também cuidar bem do aparelho móvel para evitar que maiores complicações surjam!

Ramiro Murad Saad Neto

Ramiro Murad Saad Neto

Cirurgião-dentista graduado em Odontologia pela UNIC. Gestor de clínicas odontológicas e franquias. Residente em Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial Facial no Sindicato dos Odontologistas de São Paulo (SOESP - SP). Habilitação em Harmonização Orofacial e integrante da equipe Bucomaxilofacial Dr. Carlos Eduardo Xavier na Clínica da Villa, em São Paulo. CRO - 118151

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sobre a Simpatio

Somos dedicados em criar conteúdo de qualidade e informativo. Nossa missão é informar pacientes, dentistas e clínicas provendo conteúdos altamente relevantes sobre odontologia e saúde bucal gratuitamente.

Agende uma consulta

Precisando de algum tipo de ajuda ou apoio relacionado a sua saúde ou estética bucal? Clique no botão abaixo!

Postagens Recentes

Receba Nossos Conteúdos

Preencha seu e-mail acima e receba conteúdos exclusivos gratuitamente!

© All rights reserved

Simpatio 2018

As informações contidas neste site têm como objetivo único informar. A Simpatio tem o compromisso de estimular, e nunca substituir, as relações entre dentistas e pacientes. Sempre deixamos isso muito claro nos textos e na comunicação com nossos leitores. É fundamental que o paciente, ao notar qualquer alteração em sua saúde bucal, consulte seu dentista de confiança. Cada indivíduo requer um tratamento personalizado.