Placa Bacteriana indica problemas na saúde bucal

Share on facebook
Compartilhe
Share on twitter
Tweet Isso
Share on linkedin
Compartilhe

Ao se deparar com uma condição de desconforto estético, é comum que as pessoas pensem logo em realizar um clareamento dental. No entanto, este incômodo pode ser causado pela formação de placa bacteriana.

É comum possuir uma fina camada de placa bacteriana entre os dentes. Contudo, ela mostra que a saúde bucal está comprometida, e não tratá-la pode trazer graves consequências.

Placa bacteriana é o nome dado a uma película incolor formada por bactérias que possui uma característica pegajosa ou grudenta.

E como citado anteriormente, ela se localiza entre os dentes e é uma porta aberta para outros problemas que podem acometer a cavidade oral e a saúde bucal.

Todavia, para poder explicar melhor este tema e todos os assuntos que giram em torno dele, separamos este artigo onde reunimos informações para que você fique por dentro e evite este e demais problemas que podem surgir.

Sendo assim, acompanhe este artigo conosco e tire todas as suas dúvidas! Vamos lá?

O que é placa bacteriana?


Também conhecida como placa dental, este problema nada mais é do que uma estrutura que não possui coloração, é pegajosa e se firma normalmente sobre os dentes.

Ela é constituída principalmente por uma série de bactérias da flora ou da microbiota bucal e restos de alimentos que ficam alojados entre os dentes e em toda a superfície dental.

Dentre eles, o destaque se dá no Streptococcus mutans, um grupo de bactérias capaz de resistir mesmo em um ambiente ácido e que é analisado comumente na boca em pacientes que consomem açúcar com grande frequência.

No entanto, este grupo de micróbios realiza uma metabolização no açúcar consumindo, produzindo ácidos que agem sobre a estrutura mineral dental, causando sua destruição e causando a cárie.

Tanto a gengivite quanto a cárie são as principais consequências deste quadro, mas existem ainda outras, ponto que abordaremos mais para frente neste artigo.

Contudo, caso este problema não seja tratado pelo paciente, ela irá endurecer e formar o tártaro, problema que explicaremos mais para frente também.

De toda maneira, não existem diferentes tipos de tipos de placa bacteriana, mas sim uma junção de diversos microrganismos que, juntos, compõem essa película.

Esta, por sua vez, pode se encontrar presente nas seguintes estruturas:

  • Dentes;
  • Próteses dentárias;
  • Aparelhos ortodônticos;
  • Na face exterior de implantes;
  • Cálculo salivar;
  • Restaurações dentárias;
  • Garganta em casos mais graves.

Contudo, na grande maioria dos casos é comum que a estrutura se desenvolva sobre a placa que já possuímos normalmente.

Por isso, a maior indicação é que o paciente tome cuidado justamente para evitar que este problema seja gerado.

Afinal, como citado anteriormente, esta é apenas uma porta de entrada para outros distúrbios que podem acometer a saúde bucal do paciente.

É possível saber se eu estou com placa bacteriana?

Normalmente todos nós possuímos a placa dental na boca devido ao fato de que a nossa boca está constantemente sobre exposição à bactérias.

No entanto, estes microrganismos se alimentam e aproveitam dos nutrientes dos alimentos que ingerimos e também nos que a saliva usa para se desenvolver.

Contudo, é necessário prestar atenção se os dentes estão com uma sensação rugosa pois este é o primeiro sinal da presença de placa bacteriana.

Porém, durante este momento inicial não existem outros sintomas que o paciente pode notar para saber se está com uma alta concentração de placa ou não.

Como é formada a placa bacteriana?

Como é formada a placa bacteriana?

Após explicado o que é este problema, existe um ponto o qual precisamos explicar que é: como é formada a placa bacteriana.

E a formação da placa dental é devido principalmente ao acúmulo de diferentes bactérias na cavidade bucal.

Além disso, elas se juntam a restos de alimentos e outros microrganismos que se unem ao dente quando o paciente não realiza uma boa higienização da boca.

De tal forma, os germes presentes na placa dental se aproveitam dos nutrientes dos alimentos que ingerimos e dos que estão presentes na saliva para se desenvolver.

Por outro lado, os micróbios alteram o pH dos dentes, facilitando a entrada de mais bactérias na boca e agravando o caso, ocorrendo assim a formação da placa bacteriana.

Sendo assim, é possível entender que não escovar os dentes direito e não fazer uso do fio dental acaba possibilitando que este quadro se desenvolva, podendo gerar diversos problemas.

Por isso, a recomendação é escovar os dentes ao acordar, após cada refeição e antes de dormir, fazendo uso do fio dental ao menos uma vez por dia.

O que a placa bacteriana causa?

O que a placa bacteriana causa?

É necessário tomar muito cuidado com o acúmulo de placa bacteriana pois isso pode trazer diversos malefícios e problemas para a cavidade bucal.

Isso se dá devido ao fato de que a placa dental permite a entrada e acúmulo de outras bactérias nas estruturas dentais, favorecendo a evolução e formação de problemas bucais.

E como consequências da placa bacteriana, temos:

  1. Cárie dentária;
  2. Dor de dente;
  3. Formação de tártaro;
  4. Doença periodontal como gengivite, periodontite ou então periodontite crônica;
  5. Perda do esmalte dentário;
  6. Mau hálito;
  7. Perda dentária.

Por outro lado, é necessário também tomar cuidado com essa condição pois as mesmas bactérias que causam a placa podem entrar na corrente sanguínea.

E quando isso acontece, é possível que elas alcancem o tecido cardíaco, causando uma condição chamada de endocardite bacteriana, uma condição muito grave e que pode ser fatal.

De toda maneira, iremos agora explicar separadamente cada uma das possíveis consequências que este problema traz para o paciente. Confira:

Cárie dentária

A cárie é uma lesão na estrutura do dente devido a uma infecção causada por bactérias que tem um aspecto de buraco no dente.

A forma como o acúmulo de placa bacteriana influencia na formação destas cavidades é justamente devido ao fato de que a placa acaba se tornando um local de acúmulo para outros micróbios por ser pegajosa.

Sendo assim, conforme mais germes se acumulam na estrutura dental, mais profundo se torna a perfuração no esmalte.

É válido ressaltar que existem três tipos de cárie: a coronária, a radicular e a recorrente.

Agora, a diferença entre elas se dá no local do dente onde ela se encontra, na idade a qual ela aparece e também na frequência.

De toda maneira, todas as formas em que esse problema aparece causam sintomas que variam conforme a cárie é desenvolvida.

Por outro lado, cada paciente possui sinais diferentes, o que faz com que cada caso seja distinto do outro.

Contudo, é comum analisar os seguintes problemas:

  • Sensibilidade dentária para comer ou beber;
  • Dor ao morder;
  • Coloração mais escura nos dentes;
  • Aparição de pequenos buracos nos dentes.

E conforme o quadro vai passando e o dente sofre mais dano, pior os sintomas se tornam.

Sendo assim, se torna necessário realizar um tratamento, e a melhor forma de fazê-lo é através de uma obturação do dente que está com cárie.

No entanto, a melhor forma de tratar é justamente evitar que este quadro apareça.

Para isso, a recomendação é realizar um acompanhamento odontológico, possuir uma alimentação balanceada diminuindo principalmente o consumo de carboidratos, escovar os dentes e utilizar o fio dental.

Durante a escovação, deve-se optar por produtos que contenham flúor. Vale lembrar que a água também possui esta substância, então hidratar-se é algo recomendado!

Dor de dente

É comum que o paciente sinta dores na gengiva e em toda região dos dentes quando se encontra com acúmulo de placa bacteriana.

Sendo assim, é possível entender que ele acompanha todas as consequências originárias da placa dental não tratada.

No entanto, ninguém gosta de estar nessa condição tendo em vista que a dor de dente é algo que gera um grande incômodo.

Por isso, separamos algumas dicas de como aliviar o problema. Veja:

  • A primeira indicação é visitar o dentista, afinal, ele poderá entender o que está causando este problema e como resolvê-lo da forma correta;
  • Realizar bochecho de água morna com sal: ajuda a conter infecções e drenar os fluidos, além de tranquilizar irritações locais;
  • Gelo: seja em caso de trauma ou não, o gelo serve como um anti-inflamatório e dá um alívio parecido com o efeito de uma anestesia no local de dor;
  • Própolis: ele possui ações anti-inflamatórias, analgésicas e antissépticas, e por isso pode ser aplicada sobre o dente dolorido;
  • Alho: funciona como um antibiótico, ajudando na contenção de bactérias. Dissolver alho moído com sal pode controlar a dor até o dia da consulta;;
  • Cravo: possui em sua composição um agente que é antisséptico e anestésico, fazendo com que ele mate germes causadores de infecção e alivie a dor do paciente.

Para este último caso, a recomendação é colocar cerca de três cravos no local que apresenta a dor.

De toda maneira, não se esqueça de passar com o dentista, e caso surja alguma dúvida sobre os métodos para combater o desconforto, pergunte para o profissional!

Formação do tártaro

Caso a placa bacteriana não seja removida e tratada corretamente através da escovação e do uso de fio dental, ela sofrerá um processo de mineralização.

Uma vez que isso ocorre, ela se torna tártaro, que nada mais é do que um local onde mais bactérias podem se alojar, além de possuir um aspecto amarelado ou marrom e ser duro.

Ele, por sua vez, gruda mais no dente do que a placa, e apenas pode ser removido por um profissional de odontologia.

Agora, caso não seja feita a remoção do tártaro, o paciente pode acabar desenvolvendo doenças na gengiva, causando muita dor e incômodo ao paciente.

Por outro lado, ele promove um incômodo estético também uma vez que é parecido com uma sujeira que não sai através da escovação e nem do uso de fio dental.

De toda maneira, a melhor forma de tratar é evitando que o quadro evolua a tal ponto.

Para isso, a recomendação é realizar uma boa escovação dos dentes, fazer uso de fio dental e ir ao dentista para realizar limpezas com uma frequência de pelo menos uma vez ao ano.

Afinal, o profissional consegue retirar o acúmulo de placa em locais mais difíceis de se alcançar com auxílio da escova, o que garante uma maior probabilidade de não desenvolver este problema.

Doença periodontal

Ao falarmos sobre doença periodontal, é necessário entender que ela é uma patologia que ataca desde a gengiva até o osso alveolar.

É possível dividi-la em três fases que vai da mais leve até a mais grave, sendo cada uma delas um estágio de intensidade.

E para explicar melhor cada uma delas, separamos em três tópicos abaixo.

Gengivite

Um dos problemas mais comuns, e também o mais leve dentre as três possibilidades.

Aqui o paciente sofre uma inflamação na gengiva causada por bactérias.

Ela é caracterizada principalmente por uma má higienização bucal, conta com sangramento na gengiva e a fase inicial da periodontite.

No entanto, ela é um efeito do acúmulo de placa bacteriana a longo prazo.

E para esta patologia existem alguns grupos considerados fatores de risco, que são:

  • Má higienização bucal;
  • Tabagismo;
  • Problemas de oclusão dentária;
  • Cárie;
  • Quando o paciente não possui restaurações nos dentes;
  • Idade avançada;
  • Exposição excessiva a metais pesados como o chumbo, por exemplo;
  • Imunidade baixa;
  • Efeito colateral de alguns medicamentos;
  • Reações alérgicas;
  • Infecções causadas por vírus e fungos;
  • Baixa produção de saliva;
  • Fatores genéticos;
  • Mudanças no hormônios principalmente relacionadas à gravidez, puberdade, ciclo menstrual, menopausa e uso de pílulas anticoncepcionais;
  • Doenças como diabetes, herpes labial, Aids, leucemia e epilepsia;
  • Deficiências nutricionais e vitamínicas, como falta de vitamina C;
  • Uso em excesso de algumas substâncias;
  • Uso de aparelhos bucais mal encaixados ou higienizados incorretamente.

E o tratamento deste problema é feito pela reversão dos sintomas da inflamação e o impedimento de que o quadro avance.

Sendo assim, especialistas apontam que o tratamento ideal é feito por meio de uma boa higiene bucal e também do auxílio do profissional por meio de limpezas mais profundas para retirar placa e tártaro dos dentes.

Periodontite

A periodontite é a evolução direta da gengivite.

Sendo assim, aqui o paciente possui um quadro de inflamação ainda mais grave nos tecidos que dão suporte para o dente.

De tal maneira, os ossos e ligamentos periodontais são afetados, colocando em risco a permanência do dente na boca.

Contudo, é válido pontuar que a doença em si é incurável, mas que pode ser feito um tratamento para casos que não forem extremos.

No entanto, o tratamento deve ser feito de forma mais rápida possível, podendo ser tanto através de uma cirurgia como sem intervenção cirúrgica dependendo do caso.

Mas para decidir qual é a melhor forma de cuidar do paciente, devem ser feitas consultas de rotina para que o profissional analise a situação e então conduza para o melhor tipo de tratamento.

Periodontite crônica ou avançada

O tipo de periodontite crônica varia de acordo com a quantidade de dentes que foram afetados, mas em geral é possível analisar:

  • Sangramento;
  • Formação de pus;
  • Aumento da mobilidade dos dentes da arcada dentária;
  • Retração gengival.

Sendo assim, apesar de ser uma doença sem cura, é possível que o paciente realize um tratamento para conter a inflamação e impedir que a doença avance.

Para isso, pode ser feita uma raspagem, limpeza ou então um alisamento radicular dos dentes.

Em todos os casos é removido o excesso de placa bacteriana acumulada, fator que originou a infecção inicialmente.

De toda forma, a melhor indicação para se evitar este quadro é mantendo a higiene bucal com uma boa escovação, uso de fio dental e de enxaguantes bucais também.

Perda de esmalte dentário

Um dente sem esmalte dentário causa o aumento da sensibilidade do paciente.

Sendo assim, se torna comum que a pessoa tenha dificuldade para ingerir alimentos e bebidas quentes ou frias dependendo do grau em que este problema se encontra.

Por outro lado, o risco de desenvolvimento de infecções por bactérias aumenta, favorecendo então a formação principalmente de cárie dentária.

No entanto, as consequências não param por aí. Além disso, temos:

  1. Dentes ficam amarelados devido à exposição da parte interna do dente chamada de dentina;
  2. Em casos mais graves, os dentes começam a apresentar rachaduras em suas estruturas
  3. O aspecto do dente se torna mais áspero (um sintoma de que o esmalte está sendo perdido é que os elementos da arcada dentária começam a ficar mais ásperos).

Neste último caso, no entanto, é necessário que o paciente fique atento ao aspecto do dente.

E caso sinta alguma diferença, o recomendado é ir ao dentista assim que possível para que ele possa tratar este problema.

Contudo, é válido ressaltar que isso deve ser feito rápido tendo em vista que é impossível recuperar o esmalte dentário que foi perdido.

De tal forma, o tratamento é feito por meio da reposição da camada pelo uso de materiais como cerâmica ou resina.

Mau hálito

Também conhecido como halitose, o mau hálito é um problema que acomete cerca de quatro a cada dez pessoas no Brasil, fazendo com que seja um problema recorrente.

Existem diversos problemas que podem causar este quadro, desde doenças na gengiva até a falta de cuidados com a higiene bucal.

Sendo assim, o acúmulo de placa bacteriana e de tártaro acaba causando este problema que causa um forte incômodo.

Por outro lado, não escovar a língua também é uma possibilidade de gerar esse problema pois pode gerar um problema chamada saburra lingual no qual se forma uma camada branca e amarela na superfície da língua.

De tal maneira, manter uma boa higiene bucal é uma forma maneira de tratar este problema. E além desta, temos outras dicas. Veja:

  • Comer de três em três horas;
  • Beber água;
  • Comer alguns alimentos que ajudam na higiene bucal como frutas cítricas, vegetais, ervas e alimentos que podem ser ingeridos com casca;
  • Limpar a língua.

Entretanto, lembre-se de consultar o dentista em caso de analisar este problema ou possuir eventuais dúvidas.

Perda dentária

Perder um dente é o sinal máximo de que existe algum problema na saúde bucal que merece atenção, e pode ser causado por diversos problemas.

E as possíveis causas são:

  • Doenças periodontais;
  • Falta de cuidado com a saúde bucal;
  • Traumas dentários;
  • Diabetes;
  • Perda óssea;
  • Cárie dental.

Afinal, todas elas propiciam o enfraquecimento dos ossos de sustentação dos dentes, fazendo então com que eles acabem caindo.

Uma vez que alguns destes problemas são causados primeiramente pelo acúmulo de placa dental, o aconselhado é realizar a higiene oral de forma minuciosa.

Para isso, escove os dentes pelo menos três vezes ao dia com movimentos suaves e circulares, escove a língua, use fio dental e enxaguante bucal.

E não se esqueça de passar com o dentista regularmente para que ele analise a condição.

Agora, se mesmo realizando isso o seu dente caiu, você não ficará com aquele espaço para sempre pois existem formas de suprir este problema.

Isso se dá principalmente através dos implantes dentários e próteses.

Caso queira realizar algum destes procedimentos, nossa recomendação é conversar com o seu dentista e perguntar qual é o melhor de acordo com o quadro apresentado.

Como eliminar a placa bacteriana?

Como eliminar a placa bacteriana?

Após entender o que é e como se forma este problema, iremos explicar agora como remover a placa bacteriana de forma eficiente para evitar maiores problemas.

E uma vez que uma pessoa começa a sentir a presença da placa bacteriana no dente, é preciso tomar uma série de cuidados específicos com a saúde bucal.

Em sua grande maioria, eles podem ser feitos em casa. No entanto, existem casos onde apenas o profissional de odontologia será capaz de realizar algo.

De toda maneira, quanto mais cedo a placa for removida, melhor se torna o resultado.

Por isso é necessário que a higiene esteja sempre em dia, fazendo uso da escova e fio dental para remover a camada fina de bactérias presente na boca.

Para auxiliar neste processo podem ser utilizados os evidenciadores de placa, um produto que destaca onde a placa está presente, fazendo-a visível para o paciente no local onde estiver.

Dessa forma se torna mais fácil entender onde é preciso tomar mais cuidado e realizar uma limpeza melhor em toda a cavidade bucal, seja dentes, bochechas ou língua.

Por outro lado, o uso de enxaguante bucal também é altamente recomendado e oferece uma grande ajuda, principalmente se este possuir gluconato de clorexidina em sua composição.

Contudo, apesar de possuir uma forte atuação na remoção de placa, é necessário possuir uma indicação para fazer uso desta substância.

Afinal, ela pode causar eventuais consequências negativas aos dentes do paciente. Por isso, consulte um profissional antes de realizar o uso de enxaguantes bucais que contenham clorexidina.

Agindo dessa forma diariamente é possível realizar uma boa limpeza na boca, protegendo-a de bactérias.

Entretanto, nos casos onde o profissional precisa ser acionado, normalmente ele irá realizar uma raspagem para retirar o excesso de placa em locais onde o paciente não consegue limpar por meio da escovação.

Sendo assim, a principal recomendação é passar com um profissional assim que eventuais alterações estruturais no dente forem notadas, pois assim é possível corrigir o problema o mais cedo possível, evitando maiores problemas.

O que é tártaro?

O que é tártaro?

Após entender como eliminar a placa bacteriana, é necessário explicarmos o que é e como acontece a formação do tártaro, também conhecido como cálculo dental.

E para entender a este ponto, no entanto, é um processo um tanto quanto mais simples, afinal, o tártaro é uma consequência de quando um paciente não trata a placa bacteriana.

Sendo assim, é possível entender que este problema que acomete os espaços interdentais é, basicamente, um acúmulo de placa calcificada devido ao contato com a saliva.

Contudo, apesar de algumas pessoas confundirem ambos os problemas, um é a evolução do outro.

No entanto, o acúmulo de cálculo dental, resultado direto da mineralização da placa com a ação da saliva, pode causar uma forte inflamação gengival e muito incômodo.

E para evitar esta condição, é aconselhado realizar uma limpeza profissional chamada de tartarectomia.

Afinal, é válido lembrar que o tártaro é mais duro do que a placa bacteriana, sendo então impossível retirá-la através da escovação, mesmo quando feita regularmente e corretamente.

Agora, diferentemente da placa bacteriana, o tártaro possui uma coloração mais amarelada ou marrom, fator que acaba trazendo também um incômodo estético além de todos os problemas subsequentes à saúde bucal.

O que se deve fazer para evitar a placa bacteriana?

O que se deve fazer para evitar a placa bacteriana?

A dúvida que fica então é: afinal, o que se deve fazer para evitar a placa bacteriana?

E para isso, infelizmente é preciso entender que é impossível remover todas as bactérias que acometem a boca uma vez que elas se procriam constantemente.

Sendo assim, o que está ao alcance de todas as pessoas é impedir que elas se acumulem mantendo uma boa saúde bucal.

Para tal, é preciso realizar uma boa escovação após cada refeição, antes de acordar e antes de dormir, bem como fazer uso do fio dental diariamente.

Além disso, o uso de enxaguantes bucais completam a higienização da cavidade oral, se tornando então um produto indispensável.

Por outro lado, é ideal trocar as escovas de dente a cada 2 ou 3 meses para impedir que sejam usadas escovas desgastadas ou com cerdas tortas.

Alterar a dieta oferece forte auxílio, por isso é recomendado diminuir o consumo de açúcar e alimentos com amido, principalmente quando estes grudam nos dentes.

Por fim, realizar consultas regulares com o dentista é um passo crucial para evitar a formação da placa.

Afinal, ele realizará procedimentos como a limpeza interdental para remover o acúmulo deste problema.

Qual a diferença entre biofilme e placa bacteriana?

Qual a diferença entre biofilme e placa bacteriana?

Por fim, você sabe qual a diferença entre biofilme e placa bacteriana? Este é um ponto que gera muita dúvida no meio odontológico.

Além de este ser um dos problemas mais comuns, o acúmulo de biofilme dental é também um dos problemas que os pacientes possuem maior medo devido às suas consequências quando falamos sobre os problemas bucais.

No entanto, biofilme é apenas uma outra nomenclatura para a placa bacteriana, ponto o qual exploramos neste artigo.

Agora, apesar de a presença deste problema se notado em todas as pessoas, o recomendado é evitar que ele se desenvolva.

Por isso, a indicação é visitar o dentista com regularidade e ter muito cuidado com a saúde bucal para impedir que ocorra o acúmulo de placa bacteriana e a formação de maiores problemas bucais.

Ramiro Murad
Ramiro Murad
Ramiro Murad Saad Neto, cirurgião-dentista com registro no Conselho Regional de Odontologia de São Paulo (CRO-SP) nº 118151, é graduado pela UNIC e residente em Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial Facial no Sindicato dos Odontologistas de São Paulo (SOESP - SP). Possui habilitação em Harmonização Orofacial e também é gestor de clínicas e franquias odontológicas. Além disso, é integrante da equipe Bucomaxilofacial da Clínica da Villa, que está na Rua Eça de Queiroz, 467 - Vila Mariana, São Paulo - SP.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sobre a Simpatio
Somos dedicados em criar conteúdo de qualidade e informativo. Nossa missão é informar pacientes, dentistas e clínicas provendo conteúdos altamente relevantes sobre odontologia e saúde bucal gratuitamente.
Agende uma consulta
Precisando de algum tipo de ajuda ou apoio relacionado a sua saúde ou estética bucal? Clique no botão abaixo!

Postagens Recentes

Receba Nossos Conteúdos

Preencha seu e-mail acima e receba conteúdos exclusivos gratuitamente!

Simpatio 2021 © - Todos os Direitos Reservados

As informações contidas neste site têm como objetivo único informar. A Simpatio tem o compromisso de estimular, e nunca substituir, as relações entre dentistas e pacientes. Sempre deixamos isso muito claro nos textos e na comunicação com nossos leitores. É fundamental que o paciente, ao notar qualquer alteração em sua saúde bucal, consulte seu dentista de confiança. Cada indivíduo requer um tratamento personalizado.

Os conteúdos da Simpatio são escritos por jornalistas e possuem a supervisão e a aprovação de dentistas e de profissionais de saúde parceiros.