Tratamento ortodôntico: todas as etapas desse importante procedimento

Share on facebook
Compartilhe
Share on twitter
Tweet Isso
Share on linkedin
Compartilhe

Na odontologia existem diversas áreas que um aluno pode se especializar, como a ortodontia, responsável por estudos como a odontogênese. Neste ramo, um dos procedimentos mais conhecidos é o tratamento ortodôntico.

Através de um tratamento ortodôntico é possível corrigir problemas como má oclusão dental, oferecendo uma melhora estética, no sorriso e no formato do rosto.

O tratamento ortodôntico possui como função primária restabelecer a oclusão dentária do paciente para evitar que outros problemas sejam gerados para a saúde e bem estar.

Em outras palavras, a finalidade deste procedimento é ajustar o posicionamento dos dentes superiores com os inferiores.

De tal maneira o paciente pode ter uma correção em sua mordida, fazendo com que a mastigação seja feita corretamente e, consequentemente, ele não sofra problemas nutricionais e em sua saúde bucal.

Por outro lado, corrigindo a oclusão o paciente pode evitar problemas de:

  • Respiração;
  • Deglutição;
  • Fala.

Sendo assim, realizar um tratamento em casos onde existem problemas na oclusão são altamente necessários.

Estes, por sua vez, são normalmente feitos através de um aparelho ortodôntico, seja o fixo ou então o móvel.

Eles possuem papel fundamental para corrigir as falhas e anormalidades da mordida, ponto o qual iremos explicar neste artigo.

Por isso, caso você queira entender melhor sobre este tipo de tratamento e tudo o que o envolve, te convidamos a acompanhar conosco!

Como funciona o tratamento ortodôntico?

A primeira dúvida a qual tiraremos através deste artigo é sobre como funciona o tratamento ortodôntico.

De tal forma, explicaremos então qual é a ação do aparelho dentário enquanto o paciente está sendo submetido ao tratamento.

Contudo, primeiro é necessário explicar sobre o aparelho fixo, que normalmente é o tipo de equipamento utilizado para os tratamentos.

Geralmente formado por braquetes, fio ortodôntico e, por vezes, o elástico ortodôntico, todos agindo de maneira complementar.

Sendo assim, a atuação do aparelho nos dentes se dá através dos ligamentos periodontais e do osso alveolar, áreas que envolvem o dente.

Este tecido, por sua vez, tem como finalidade inserir o dente no osso alveolar, sendo responsável pela ligação entre ambos e realizando funções como mastigação, deglutição e a sensibilidade ao tato.

Por outro lado, este tecido é responsável para que ocorra a movimentação para alinhar os dentes durante o tratamento, de forma a corrigir a disfunção na mordida.

É válido pontuar, no entanto, que tanto dentes que perderam os ligamentos periodontais, normalmente por doenças como a periodontite, e implantes dentários não podem ser movimentados durante o tratamento.

E para este segundo caso, a osseointegração acaba fazendo com que este ligamento seja rompido, tornando o implante fixo naquele local e sem possibilidade de movimentação.

Em contrapartida, quando é aplicada uma força sobre o dente através dos dispositivos aderentes ao aparelho, ele é estendido de um lado e comprimido do outro.

De tal forma, essa pressão promove a ativação de osteoclastos e osteoblastos, que nada mais são do que a reabsorção do osso na região comprimida, causando uma nova formação óssea no local que foi estendido.

Este, por sua vez, é o fenômeno responsável pela movimentação dentária ocasionada pelo uso do aparelho no tratamento e que precisa ser feito em todos os dentes posicionados incorretamente.

Quais as etapas do tratamento com aparelho?

Quais as etapas do tratamento com aparelho?

Por sequência, iremos agora explicar sobre as etapas do tratamento com aparelho, que podemos entender também como as fases do tratamento ortodôntico.

E, ao todo, elas podem ser divididas em 6, que iremos explicar separadamente em nosso artigo.

  1. Diagnóstico e planejamento para o tratamento ortodôntico;
  2. Instalação do aparelho dentário;
  3. Alinhamento e nivelamento dental;
  4. Correção dos dentes;
  5. Finalização do tratamento;
  6. Contenção dos dentes.

De tal forma, confira agora a explicação de cada uma das etapas logo abaixo.

Diagnóstico e planejamento para o tratamento

Esta é a primeira fase do tratamento, é quando ocorre o contato inicial entre o ortodontista e o paciente.

Aqui, é feito um exame a fim de obter o diagnóstico do caso apresentado pelo paciente para que seja então traçado o planejamento.

No entanto, após a avaliação inicial, podem ser pedidos outros exames complementares.

Porém, tudo isso é para que o profissional consiga observar todas as alterações presentes na cavidade oral do paciente e explique então qual é a melhor forma de seguir e como será feito o tratamento.

Aqui normalmente é feita uma radiografia panorâmica das arcadas dentárias e também um molde dos dentes.

Contudo, geralmente essa primeira consulta não é cobrada tendo em vista que ela apresenta apenas qual é o diagnóstico.

Após analisado qual é a situação, tendo o mapeamento completo, as diretrizes do tratamento em mente e a confirmação do paciente, o profissional realizará a montagem do aparelho.

Aqui, no entanto, os dispositivos responsáveis pela movimentação dos dentes serão preparados, podendo ser feito o uso de um aparelho móvel ou fixo.

Instalação do aparelho ortodôntico

Uma vez confeccionado o aparelho, resta apenas instalá-lo na boca do paciente para que o tratamento seja iniciado.

É válido pontuar, no entanto, que apesar de o mais conhecido ser o aparelho fixo, existem aparelhos específicos para cada caso.

Além disso, cada um dos equipamentos é colocado de maneira diferente.

De toda forma, assim que colocado sobre os dentes, ele começa a movimentar os dentes e músculos, iniciando então a correção dos problemas.

Contudo, antes de instalar o aparelho sobre os dentes alguns profissionais realizam novos exames e tiram fotos a fim de registrar a situação inicial.

Isso serve para que seja feita uma comparação e um acompanhamento se as medidas adotadas estão sendo efetivas.

E, feito isso, o aparelho é então de fato colocado, dando início ao tratamento.

Sendo assim, se torna de suma importância que o paciente realize uma boa higiene bucal, tomando cuidado para não desenvolver eventuais doenças ou problemas que impedem o bom andamento do procedimento.

Todavia, é válido ressaltar que o preço entre os aparelhos pode variar, ficando normalmente na faixa entre R$500 até R$2.500 dependendo de qual for o equipamento necessário.

Além disso, em alguns casos é necessário o uso de aparelhos móveis complementares que que servem, por exemplo, para abrir a arcada dentária para que seja colocado o fixo.

Alinhamento e nivelamento

Esta é considerada como uma das partes mais importantes durante o tratamento, afinal, os dentes precisam estar alinhados e nivelados para que ocorra uma movimentação natural..

Aqui, no entanto, são utilizados diversos fios ortodônticos diferentes, cada um com uma finalidade.

No começo são utilizados os mais leves e finos, que giram para que os dentes se alinhem na posição correta.

Porém, conforme o tratamento segue, normalmente podem ser aplicados fios mais grossos e pesados.

De toda maneira, aqui são melhorados os apinhamentos, espaços interdentais, giros e inclinações dos dentes, corrigindo a estética e a função dental.

Aqui ocorre um acompanhamento por parte do dentista para analisar se, nos primeiros dias, existe uma reação boa ao aparelho.

Sendo assim, ele confere se a movimentação está ocorrendo de maneira boa ou então se precisa de algum ajuste.

E, dependendo do caso, é possível realizar um tratamento ortodôntico com extração dental para garantir um melhor alinhamento e nivelamento dos dentes.

Contudo, na grande maioria dos casos o alinhamento ocorre naturalmente e sem problemas.

Correção dental

Uma vez que os dentes estão todos alinhados e nivelados, entra a parte do tratamento na qual o problema será de fato corrigido.

Aqui, os fios utilizados são mais grossos e normalmente combinados com elásticos que, em conjunto, possuem a função de fechar espaços na arcada, mordida aberta, corrigir desvios e outros problemas identificados.

Além disso, os fios passam a ser quadrados ou retangulares ao invés de circulares, como no passo anterior.

Esta, no entanto, é uma das fases que mais demoram do tratamento. Porém, os resultados podem ser observados após passado um tempo.

Finalização do tratamento

Uma das etapas mais aguardadas por diversos pacientes é justamente essa: a de finalização do tratamento.

Ela começa assim que a correção termina, ou seja, todos os espaços foram fechados, bem como a mordida e todos os desvios e problemas foram corrigidos.

Aqui então os braquetes e elásticos verticais são aplicados a fim de dar o acabamento necessário para o tratamento.

Por outro lado, o ortodontista pode optar por dobrar os arcos para realizar ajustes em posições individuais ou então recolar braquetes para realizar o mesmo efeito.

Esta, por sua vez, é uma fase muito trabalhosa na qual é necessário muita paciência pelo paciente e pelo profissional para que o tratamento não tenha sido feito até aqui em vão.

Afinal, aqui serão feitos os ajustes finos para alcançar uma mordida perfeita, processo que pode demorar um pouco uma vez que os dentes estão chegando a posição correta.

De tal forma, esta é uma das etapas mais complicadas para o profissional e que o paciente precisa ter calma.

Isso se dá uma vez que, se o aparelho for retirado antes da hora necessária, todo o processo pode ser prejudicado, gerando outros problemas.

Por isso, apesar da ansiedade para fazer a retirada do instrumento, é necessários seguir todas as indicações profissionais e ter um pouco mais de paciência.

Contenção

Engana-se quem pensa que, uma vez retirado o aparelho, o tratamento ortodôntico acabou.

Afinal, os dentes ficam em situação de adaptação e baixa estabilidade durante os primeiros meses.

Sendo assim, o paciente entra na fase de adaptação dental e é necessário realizar a instalação da contenção ortodôntica.

Ela, por sua vez, possui duas formas: removível e fixa, e são colocadas na arcada superior e inferior.

Normalmente são utilizadas as removíveis na superior e as fixas na inferior.

Porém, o uso correto é de grande necessidade tendo em vista que não existe uma maneira de garantir que os dentes ficarão para sempre em uma mesma posição.

De tal forma, usar as contenções oferece uma maior estabilidade para a arcada dentária, aumentando a possibilidade de que os dentes permaneçam imóveis.

Por outro lado, as consultas passam a se tornar menos frequentes, mas não quer dizer que o paciente deve deixar de ir ao dentista!

Afinal, é necessário realizar um acompanhamento profissional para analisar se os dentes estão retornando a posição anterior.

Contudo, em alguns casos o profissional opta pelo uso do alinhador transparente, um equipamento que funciona de maneira parecida como o aparelho tradicional e que possui objetivo de alinhar os dentes.

Além de serem invisíveis, a principal diferença deste produto é ser removível, oferecendo ao paciente a possibilidade de retirá-lo quando quiser.

Agora, para saber qual é a melhor forma de agir após retirado o aparelho, a nossa recomendação é conversar com o seu ortodontista e seguir as indicações dadas por ele.

Qual o momento certo para colocar aparelho?

Qual o momento certo para colocar aparelho?

Apesar de ser algo necessário para a grande maioria das pessoas, não existe uma idade padrão de quando deve ser iniciado este tipo de tratamento.

Contudo, pode ser necessário começar ainda durante a fase da infância da criança de maneira preventiva, para acabar com o hábito de chupar o dedo, ou então quando se deseja melhorar o crescimento dos ossos faciais.

Neste último ponto, pode se desejar ganhar espaço na arcada ou então proporcionar um equilíbrio entre a posição da mandíbula e da maxila.

Dessa forma evita-se a assimetria facial ou outros problemas causados pelo posicionamento diferente entre ambas, como a formação de dentes tortos ou de dentes apinhados.

Antigamente era normalmente utilizado o aparelho freio de burro, também conhecido como aparelho extrabucal, em crianças.

No entanto, hoje em dia tem sido optado pelo móvel ou o fixo, quando o paciente já possui os dentes definitivos.

De toda maneira, o tratamento ortodôntico durante a infância é de grande importância pois ele pode dar auxilio para que o desenvolvimento facial e dentário da criança seja perfeito.

Assim é possível evitar a formação de problemas quando a dentição permanente substituir os dentes decíduos.

Por outro lado, essa é a fase mais fácil para que o dentista realize eventuais correções devido ao fato de que os ossos da face da criança ainda estão em desenvolvimento.

Além disso, os dentes de leite ainda estão sendo desenvolvidos, favorecendo então na obtenção de resultados mais rápidos do que quando o tratamento é feito já durante a época em que os ossos faciais estão consolidados.

Este é, no entanto, o maior problema: caso não seja feito o uso do aparelho durante a infância, existe uma grande probabilidade de que a pessoa necessite de uma intervenção durante a adolescência ou vida adulta.

Porém, tudo vai depender da formação óssea facial e o desenvolvimento da arcada dentária, que pode resultar em algum dos diferentes tipos de mordida possíveis.

Qual é o momento correto para levar meu filho ao dentista pela primeira vez?

Sabe-se que entre os 5 e 6 anos de idade da criança é possível levá-lo para realizar uma consulta com um ortodontista.

Ele será responsável por realizar uma intervenção, caso necessário, que evitará a formação de algum problema no futuro.

Por outro lado, este profissional fará o acompanhamento do crescimento dos ossos maxilares e da dentição, podendo intervir a qualquer momento.

De tal maneira, podemos entender que a idade mínima para a colocação do aparelho é nesta faixa etária.

Contudo, nesta fase é feito apenas o uso do aparelho móvel pois não se pode colocar o fixo sobre dentes de leite.

Todavia, o momento correto de iniciar o tratamento ortodôntico é assim que for notado por parte do profissional alguma alteração ou disfunção na arcada dentária do paciente.

Sendo assim, quanto antes esse problema for tratado, menores são os riscos e chances de desenvolvimento de problemas para a pessoa.

Agora, um outro benefício para os tratamentos feitos em crianças é que, em média, eles possuem duração entre 6 e 18 meses.

Porém, é válido ressaltar que existe uma variação entre os casos de acordo com a necessidade e complexidade apresentada.

E ainda assim, existem casos onde é necessário fazer o uso do aparelho fixo quando ocorre a troca para a dentição permanente.

Quanto tempo dura o tratamento ortodôntico?

Quanto tempo dura o tratamento ortodôntico?

Entender quanto tempo dura o tratamento não é algo tão simples, afinal, é algo que depende de diversos fatores.

De tal forma, alguns profissionais apontam que a duração média se encontra entre 12 e 24 meses.

Contudo, os seguintes pontos são cruciais para que esse tempo não aumente:

  • Gravidade do problema de oclusão dentária apresentada pelo paciente;
  • Necessidade de extrações dentárias;
  • Idade do paciente, tendo em vista que dependendo de quanto mais velho ele for, mais difícil pode se tornar o tratamento;
  • Problemas hormonais apresentados pela pessoa;
  • Medicações que estão sendo utilizadas para outros tratamentos;
  • Forma mecânica utilizada pelo ortodontista para corrigir a disfunção da mordida.

Por outro lado, é de grande importância que o paciente mantenha uma boa saúde bucal através de uma boa higiene dos dentes mesmo com o uso do aparelho.

Este ponto será explorado melhor mais para frente em nosso artigo, no entanto, adiantamos desde que é necessário escovar os dentes pelo menos três vezes ao dia e fazer o uso do fio dental diariamente.

De toda maneira, atualmente estão sendo estudados novos métodos para acelerar o procedimento, como é o caso dos fios de alta tecnologia e do aparelho autoligado.

Eles funcionam da mesma forma como os convencionais. Porém, a diferença é que eles possuem o intuito de diminuir o tempo de uso do aparelho.

Contudo, é de grande necessidade que o aparelho seja utilizado durante todo o período estipulado pelo dentista durante o planejamento.

Isso se dá uma vez que o diagnóstico e um bom planejamento são considerados por muitos especialistas como chave crucial para uma boa aplicação da ortodontia.

Afinal, é necessário que este procedimento seja feito em todos os dentes que estão em posição errada da arcada dentária a fim de reorganizá-los, promovendo o alinhamento dental correto.

Quanto tempo demora para tirar o aparelho fixo?

Quanto tempo demora para tirar o aparelho fixo?

Uma das grandes dúvidas que os pacientes possuem quando estão fazendo o tratamento ortodôntico é: quanto tempo demora para tirar o aparelho fixo?

E assim como citado no tópico anterior, isso não é algo fácil de dizer com exatidão porque cada caso varia conforme a necessidade de correção na arcada dentária apresentada no quadro.

Sendo assim, a principal recomendação é que seja consultado o dentista especializado em ortodontia responsável pelo tratamento. Afinal, ele é a pessoa capaz de dizer isso com maior exatidão.

De toda maneira, é altamente necessário que todas as indicações dadas pelo dentista sejam seguidas.

Isso se dá devido ao fato de que a duração do tratamento irá variar, necessariamente, dos cuidados com a saúde bucal que o paciente possui.

Contudo, é necessário dizer que não existe um tempo mínimo de uso de aparelho odontológico, mas, em compensação, existe um tempo máximo que varia de alguns meses a 2 ou 3 anos, dependendo do tratamento utilizado.

Porém, é necessário lembrar que esse período varia também conforme cada caso uma vez que cada organismo terá uma movimentação dentária diferente do outro.

Por isso, é impossível determinar de maneira precisa quanto tempo irá demorar para tirar o aparelho e finalizar o tratamento ortodôntico.

Como manter a higiene da boca com aparelho?

Como manter a higiene da boca com aparelho?

Independentemente de estar fazendo uso de um aparelho ortodôntico ou não, manter a higiene bucal é algo de extrema importância.

Afinal, dessa maneira é possível evitar que diversos problemas se instaurem em nossa boca, como a cárie e o tártaro, por exemplo.

Contudo, pacientes que estão realizando tratamento devem ter atenção redobrada tendo em vista que a formação e desenvolvimento de qualquer adversidade se torna de fato um contratempo.

Sendo assim, podemos entender que manter a saúde bucal em dia é um passo fundamental para que o tempo de uso do aparelho não se estenda mais do que o necessário.

Mas como é possível possuir uma boa saúde bucal mesmo fazendo uso de aparelho? Confira abaixo todas as nossas indicações para que isso seja feito:

  1. É necessário, antes de mais nada, escolher a escova certa para a higiene bucal, optando sempre por cerdas macias, cabeça pequena e, preferencialmente, com as cerdas do meio menores do que as das extremidades;
  2. Não se esqueça de fazer uso do fio dental ao menos uma vez por dia, mesmo que seja complicado devido ao fio do aparelho ortodôntico;
  3. Evite comer alimentos grudentos, muito duros e bebidas que possuem gás para evitar a formação de cárie dental;
  4. Para pacientes com aparelho móvel, procure limpar o aparelho de maneira adequada diariamente e guardá-lo em um local apropriado;
  5. Já quem faz uso do aparelho fixo, a recomendação é passar um tempo realizando a limpeza do aparelho e depois seguir para a higiene da boca normal;
  6. Após enxaguar, sempre confira se ainda existem restos de alimentos presos no aparelho ou dos dentes;
  7. Realize a troca da escova de 3 em 3 meses para evitar que as cerdas fiquem danificadas e não limpem corretamente a boca;
  8. Não deixe de escovar a língua sempre que for feita a limpeza dos dentes;
  9. Evite aplicar muita força durante a escovação. Para isso, não realize movimentos bruscos e faça tudo com calma.

Por fim, lembre-se de consultar o dentista com regularidade conforme as datas marcadas pelo profissional, e, caso possua algum problema durante o tratamento, procure pelo dentista o mais rápido possível.

Quais produtos podem ser utilizados para ajudar a limpar os dentes corretamente?

Por outro lado, existe uma série de equipamentos e instrumentos que podem auxiliar a limpeza diária da boca durante o tratamento, que são:

  • Escova de dentes convencional: opte preferencialmente por produtos com cerdas macias e cabeça pequena;
  • Fio dental e passa fio: instrumento que auxilia no posicionamento do fio dental entre os dentes e o aparelho;
  • Escova ortodôntica: oferece ajuda para limpar os braquetes tanto em cima como na parte de baixo;
  • Cera ortodôntica: utilizado para que os braquetes não fiquem em constante contato com bochechas e lábios, evitando então machucados e dores;
  • Escova interdental: um tipo de escova que ajuda a realizar a limpeza entre os braquetes.

Para este último produto, no entanto, a recomendação é buscar por modelos com cerdas finas e tamanho de cabeça pequena.

Afinal, desta forma é possível alcançar locais da cavidade oral sem gerar machucados, fazendo com que o tratamento ortodôntico não possua algum eventual obstáculo e demore mais.

Ramiro Murad
Ramiro Murad
Ramiro Murad Saad Neto, cirurgião-dentista com registro no Conselho Regional de Odontologia de São Paulo (CRO-SP) nº 118151, é graduado pela UNIC e residente em Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial Facial no Sindicato dos Odontologistas de São Paulo (SOESP - SP). Possui habilitação em Harmonização Orofacial e também é gestor de clínicas e franquias odontológicas. Além disso, é integrante da equipe Bucomaxilofacial da Clínica da Villa, que está na Rua Eça de Queiroz, 467 - Vila Mariana, São Paulo - SP.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sobre a Simpatio
Somos dedicados em criar conteúdo de qualidade e informativo. Nossa missão é informar pacientes, dentistas e clínicas provendo conteúdos altamente relevantes sobre odontologia e saúde bucal gratuitamente.
Agende uma consulta
Precisando de algum tipo de ajuda ou apoio relacionado a sua saúde ou estética bucal? Clique no botão abaixo!

Postagens Recentes

Receba Nossos Conteúdos

Preencha seu e-mail acima e receba conteúdos exclusivos gratuitamente!

Simpatio 2021 © - Todos os Direitos Reservados

As informações contidas neste site têm como objetivo único informar. A Simpatio tem o compromisso de estimular, e nunca substituir, as relações entre dentistas e pacientes. Sempre deixamos isso muito claro nos textos e na comunicação com nossos leitores. É fundamental que o paciente, ao notar qualquer alteração em sua saúde bucal, consulte seu dentista de confiança. Cada indivíduo requer um tratamento personalizado.

Os conteúdos da Simpatio são escritos por jornalistas e possuem a supervisão e a aprovação de dentistas e de profissionais de saúde parceiros.