Freio de burro é um tratamento ortodôntico temido

Share on facebook
Compartilhe
Share on twitter
Tweet Isso
Share on linkedin
Compartilhe

Apesar de sua importância, o freio de burro pode trazer eventuais complicações estéticas

O aparelho freio de burro ou extra bucal é um dos tratamentos mais temidos e detestados pelos jovens. Afinal, essa técnica exige mudanças na estética durante o uso do aparelho.

Contudo, conforme os anos foram passando, outros tipos de aparelho vieram a tomar o lugar desse procedimento odontológico. Entretanto, existem profissionais que ainda optam pelo uso do aparelho freio de burro.

Freio de burro é um aparelho que tem sua estrutura composta por uma parte interna e uma externa à boca. A parte externa do dispositivo muda conforme o objetivo do tratamento.

E apesar de não ser mais utilizado com frequência pelos ortodontistas, ainda é um tema que causa calafrios, principalmente entre crianças e adolescentes.

Ele recebe esse nome por conta de suas estruturas, que seguram a região maxilar do rosto, assim como o usado em animais. No entanto, essa nomenclatura não é a usada pelos profissionais e pode ser considerada ofensiva.

Sendo assim, que tal falarmos mais sobre esse tipo de tratamento ortodôntico para perder o medo e entender melhor o objetivo do aparelho? Acompanhe conosco!

  1. Características do Aparelho Freio de Burro
  2. Quando é Indicado o Uso do Aparelho Freio de Burro?
  3. Como o Freio de Burro Deve Ser Utilizado?
  4. Aparelho Freio de Burro, Estética e Bullying
  5. E se o Aparelho Não For Utilizado?
  6. Há Alternativas para o Aparelho Freio de Burro?
  7. Quais São os Principais Tipos de Aparelhos Ortodônticos?

Características do Aparelho Freio de Burro

Esse tipo de aparelho ortodôntico pode ser utilizado para diferentes fins. Mas seus principais objetivos são:

  • Abrir espaços na arcada dentária, gerando uma melhor acomodação dos dentes;
  • Corrigir o crescimento da maxila quando este for além do normal, tendo potencial para afetar a oclusão dentária;
  • Fazer com que a arcada inferior não cresça de forma exagerada, e cause problemas como prognatismo ou interfira na projeção do queixo;
  • Gerar uma extensão apropriada entre a maxila e a mandíbula.

Entretanto, esse aparelho pode ser dividido em duas partes, a interna e a externa. Curiosamente, a parte interna pode ser fixa ou móvel. Por outro lado, a externa é sempre móvel.

Ele contém um arco ortodôntico, também chamado arco extra bucal, que fica preso à boca. Ele se une por um elástico e uma faixa que se fica atrás da cabeça.

Essa faixa serve como suporte para o aparelho, sendo um fator que ajuda a corrigir os problemas de desenvolvimento dos ossos da boca e dos dentes também.

O paciente não precisa usar a parte externa o dia inteiro, principalmente pela dificuldade estética do aparelho. Sendo assim, o profissional normalmente recomenda que seja utilizado entre 10 e 12 horas ao dia.

Dessa maneira o paciente pode evitar a exposição fazendo o seu uso em casa. Mas lembre-se, quem vai determinar o uso e a quantidade de tempo é o ortodontista.

Quando é Indicado o Uso do Aparelho Freio de Burro?

Quando É Indicado o Uso do Aparelho Freio de Burro?

Hoje em dia a técnica já não é mais tão utilizada por existirem outros procedimentos mais modernos que o aparelho extrabucal.

Somado a isso se encontra o forte preconceito que existia em torno desse tipo específico de aparelho, o que o fez ser menos procurado.

Juntamente estão presentes a possibilidade de sentir dor durante o tratamento e o alto gasto com a manutenção. Mas de toda forma ainda existem exceções que devem ser consideradas.

Crianças e adolescentes com crescimento da mandíbula fora do comum, maior ou menor, são propensas a utilizar o também chamado de aparelho de Kloehn.

aparelho freio de burro é a melhor opção quando falamos em ancoragem, por acelerar o processo e facilitar o alcance do objetivo final desse procedimento.

A ancoragem nada mais é do que uma técnica aplicada para chegar a um índice maior de sucesso nos tratamentos ortodônticos.

Ela consiste em utilizar um ponto fixo, normalmente em um aparelho odontológico, para aplicar força sobre outro ponto.

E dessa forma, nenhum outro dente sofre reflexos que podem tirá-lo do lugar, causar problemas de posicionamento ou traumas.

Também pode ser utilizado como apoio a um grupo de dentes para movimentar um dente ou outro grupo menor. Nesse caso é necessário tomar cuidado para que as reações à força sejam as menores possíveis.

Existe Alguma situação em Que Seu Uso é Contraindicado?

O uso do freio de burro não é aconselhado para adultos uma vez que nesse caso ele não será efetivo. Afinal, os ossos da face já estão desenvolvidos e formados.

Já para adolescentes não é aconselhado o uso, sendo substituído por outros que se encontram dentro da boca. Fora esses casos, não existem eventuais contraindicações ou situações em que não deve ser utilizado o aparelho.

Mas deve ser respeitada a presença de problemas no paciente que o aparelho irá tratar.

Existem Cuidados Que Precisam Ser Tomados Com o Aparelho Extrabucal?

Com certeza sim! Confira abaixo as principais dicas e indicações:

  • O aparelho deve ser utilizado conforme indicações do dentista e pelo tempo devido;
  • O aparelho deve ser bem higienizado segundo orientações do dentista;
  • É preciso também tomar cuidado com o local onde será guardado;
  • Trocar os elásticos em um período entre 5 e 7 dias, segundo orientações do profissional que está acompanhando o caso;
  • Levar o aparelho em consultas e manter a periodicidade de consultas;
  • Procurar o dentista caso perceba que o arco se encontra torto;
  • Não utilizar o aparelho caso vá praticar esportes;
  • Não mexer na estrutura do aparelho;
  • Caso constate dor ou alguma peça quebrada, ir ao dentista.

Seguindo esses passos o seu tratamento será realizado da melhor forma possível. Mas lembre-se, nunca deixe de consultar o seu dentista em caso de dúvidas ou de problemas!

Quanto Tempo Dura o Tratamento Com o Aparelho Freio de Burro?

Não existe uma resposta exata de quanto tempo será necessário o uso do aparelho, uma vez que depende do grau de complexidade de cada caso.

Entretanto, como normalmente o aparelho é colocado ainda durante a fase de crescimento e desenvolvimento da criança, estima-se que dure em média um ano para que seja concluído.

De toda forma, é apenas o dentista que poderá determinar com precisão o tempo de utilização do aparelho.

Como o Freio de Burro Deve Ser Utilizado?

Mas Como Deve Ser Feito o Uso do Aparelho Freio de Burro?

Como citado anteriormente, o ponto de maior importância sobre o tratamento é a parte interna do aparelho.

Sendo assim, não é necessário que o paciente utilize durante o dia inteiro a parte externa do aparelho, tendo em vista o quanto ele atrapalha para comer, por exemplo.

Por ser um dispositivo que pode causar desconfortos e dores, o aconselhado é que seu uso seja feito em um período entre 10 e 12 horas.

Por isso, muitos pacientes que usam o freio de burro optam por dormir com o aparelho e passar mais algumas horas com ele ainda dentro de casa.

Entre outros motivos, o que colabora com essa decisão é, principalmente, o incômodo estético que o aparelho causa.

O uso diário durante esse período ajuda no bom andamento do tratamento, o que faz com que o paciente possa retirá-lo logo.

Junto do aparelho dentário também pode ser utilizado um aparelho fixo, fazendo os dois tratamentos ao mesmo tempo. O que não descarta o uso separada de ambos após um determinado período.

Nessas situações, essa medida é tomada para corrigir problemas que ainda estão presentes nos dentes.

Aparelho Freio de Burro, Estética e Bullying

Qual a Relação Entre o Aparelho Freio de Burro, Estética e Bullying?

Um motivo que fez a técnica ser deixada de lado é a estética, uma vez que esse aparelho ganhou uma fama negativa por uma parte dele ficar fora da boca.

O próprio nome freio de burro ou freio de cavalo, é utilizado pejorativamente, apesar de ser a forma mais conhecida.

Esses nomes surgiram devido à semelhança que o aparelho possui com a peça que era utilizada para montar no cavalo ou burro.

De toda forma, o modelo é mais indicado para crianças e adolescentes por estarem em desenvolvimento, o que possibilita ao dispositivo alterar o que for preciso com mais facilidade.

De tal forma, o bullying acaba por tornar-se uma questão recorrente, principalmente nos dias de hoje. Ao longo dos anos, o aparelho ganhou apelidos ofensivos, o que desencoraja pacientes a utilizá-lo fora de casa.

Sendo assim, recomenda-se que seja mantida toda atenção a possíveis mudança no comportamento da criança.

O ideal é conversar com eles sobre a importância do aparelho, explicando que o tratamento irá beneficiá-lo no futuro.

Em alguns casos, um psicólogo pode ser acionado, tendo em vista que bullying é uma questão social séria. Mas apesar destes pontos negativos, o aparelho freio de burro traz muitos benefícios ao paciente.

E apesar dos problemas com bullying, mesmo que sejam intensos, o seu uso não deve ser descartado apenas por questões estéticas.

E se o Aparelho Não For Utilizado?

E Se O Aparelho Freio de Burro Não For Utilizado?

Esse tipo de aparelho serve como direcionador do maxilar e da mandíbula, prevenindo a aparição de futuros problemas.

Consequentemente, optar por não usar o aparelho extra oral pode acarretar diversos problemas. Sendo assim, que tal sabermos quais são eles?

  • Desalinhamento total ou parcial dos dentes;
  • Dentes apinhados;
  • Cruzamento da mordida;
  • Possível necessidade de extrações e outras cirurgias bucais para corrigir o posicionamento dos dentes;
  • Crescimento exagerado da maxila ou da mandíbula, podendo gerar outros problemas como prognatismo;
  • Assimetria no rosto;
  • Complicações na estética facial;
  • Problemas na base óssea do rosto que geram uma necessidade de correção cirúrgica.

Portanto, para não correr o risco de sofrer qualquer consequência e precisar de outras intervenções, que tal deixar de lado qualquer medo para fazer o tratamento correto?

Agende uma consulta agora mesmo e analise o seu caso para poder tomar os devidos cuidados que ele precisa!

Há Alternativas Para o Aparelho Freio de Burro?

Existem Alternativas Ao Uso do Aparelho Freio de Burro?

Mas a pergunta que fica é: existem alternativas estéticas para o também chamado freio de cavalo?

Antes de mais nada é válido lembrar que, com o passar do tempo, houve uma evolução dos aparelhos ortodônticos, chegando ao patamar onde o aparelho fixo pode ser transparente, por exemplo.

Sendo assim, com o uso dessa nova tecnologia, todo o desconforto, principalmente estético que um aparelho dentário fixo causa, deixa de existir.

Entre outras coisas, essa evolução fez com que novas técnicas e dispositivos para ajudar na mecânica ortodôntica surgissem e o freio de burro deixasse de ser usado como principal opção.

Um exemplo disso são os aparelhos internos posicionados no céu da boca. Esses tipos de aparelhos internos possuem maior efeito quando o quadro avançou ao nível de cruzar a mordida.

De tal forma, o expansor palatino serve para aumentar a largura do céu da boca, gerando também um maior espaço em casos de dentes anteriores apinhados.

Também podem ser utilizadas hastes laterais internas, que usufruem da força da mandíbula para posicioná-la para frente, trazendo a maxila para trás.

Algum Tipo de Implante Pode Ajudar?

Além destas possíveis formas de correções, mini-implantes e até o próprio aparelho fixo com elásticos intermaxilares também podem auxiliar nestes problemas.

Esses implantes nada mais são do que parafusos colocados sobre os ossos que servem como apoios para molas e elásticos, que por sua vez, puxarão a mandíbula ou o maxilar, colocando-os em seu devido lugar.

É válido ressaltar que esses parafusos não causam nenhum tipo de dor ou incômodos ao paciente e nem se integram ao osso.

Outro lado positivo, além de agilizar o processo, é que eles podem ser facilmente removidos ou substituídos caso seja necessário.

Todavia, não é um procedimento com um índice de aceite muito alto devido à alta confusão que alguns pacientes fazem com o implante dentário normal, que é muito mais complicado.

Existe Alguma Outra Forma de Tratar?

Sim! E apesar de falarmos por último, ela é uma das soluções mais certeiras.

Esse procedimento é a cirurgia ortognática, indicado para pessoas com que possuem desarmonia na face. Sendo assim, existem também outros casos que podem ser corrigidos por esse procedimento cirúrgico.

Essa anomalia pode ser causada principalmente pelo crescimento anormal de alguns ossos da face.

Como é Feita Essa Cirurgia?

A cirurgia é, basicamente, colocar o maxilar na melhor posição para que não surjam outros problemas como:

  • Defeitos na articulação temporomandibular;
  • Problema nos tecidos bucais;
  • Dificuldade de respiração;
  • Disfunção na fala ou na mastigação;
  • Má oclusão dental;
  • Comprometimento da estética do rosto.

O primeiro passo da cirurgia é um planejamento digital de como ela será realizada.

Esse passo é feito em um computador, onde a cirurgia é feita virtualmente para coletar todas as informações possíveis do caso e passá-las ao centro cirúrgico.

Essa tecnologia ajuda na hora de adquirir a melhor precisão na hora de executada a cirurgia.

O software utilizado neste tipo de tecnologia também pode apontar qual é o tipo de cirurgia que deve ser aplicado em cada caso.

Sendo assim, o procedimento é realizado totalmente na parte interna da boca, moldando a forma da maxila e da mandíbula.

Antes de começar o processo cirúrgico, é aplicada uma anestesia geral para que o paciente não sinta dores na operação.

Por meio de cortes, o cirurgião abre espaço suficiente para reposicionar os ossos, que são fixados com o auxílio de placas e parafusos feitos de titânio.

Essa alteração é feita em décimos de milímetros, mas traz um ótimo resultado para o paciente.

E além dos benefícios e da rapidez da cirurgia, outro lado positivo é que ela não deixa nenhuma cicatriz.

Em Quais Casos Ela é Indicada?

Por se tratar de uma cirurgia que corrige principalmente os problemas que vão além de meros incômodos estéticos, existem alguns casos específicos nos quais ela é indicada.

Normalmente, esses casos são causados por um crescimento fora do comum ou do padrão, de alguns dos ossos do rosto, como mencionado anteriormente.

Dentre esses ossos se encontram principalmente a mandíbula, o maxilar, o mento (queixo), o nariz e o malar (maçã do rosto).

Em todos esses casos, a deformação dos ossos se inicia ainda durante a fase de crescimento e só chega a se solidificar durante a fase adulta.

Mesmo assim é um fator que implica na possível desarmonia e beleza facial, podendo comprometer também a autoestima do paciente além da saúde e do bem-estar.

Entretanto, existem alguns outros casos que a cirurgia ortognática pode prevenir de aparecer futuramente. Dentre eles se encontram:

  • Desgaste da articulação temporomandibular;
  • Artrose na articulação temporomandibular.

Além destes casos, essa cirurgia também é uma escolha para tratamentos de apneia do sono, quando esse problema está relacionado à uma deformidade dento facial.

Esse procedimento tem altos índices de sucesso para corrigir problemas relacionados aos ossos da face.

Quais São os Principais Tipos de Aparelhos Ortodônticos?

Quais são os tipos de aparelhos ortodônticos?

Além do aparelho ortodôntico freio de cavalo, existem ainda outras opções que o para fazer um tratamento odontológico.

Confira abaixo quais são os mais utilizados nos procedimentos, que podem cuidar principalmente de problemas de má oclusão:

  1. Aparelho fixo metálico;
  2. Aparelhos fixos estéticos (podendo ser de policarbonato, porcelana e safira);
  3. Aparelho autoligado (feito de metal, mas sem as borrachinhas coloridas uma vez que o fio ortodôntico é ligado direto ao braquete que é menor que os convencionais, sendo mais confortável e discreto);
  4. Aparelhos linguais;
  5. Aparelho invisível, ou alinhadores transparentes;
  6. Expansor palatino.

Além destes, existe também o aparelho ortopédico que corrige principalmente problemas de desenvolvimento dos dentes e dos ossos.

De toda forma, é recomendado que seja feito um diagnóstico com um dentista para analisar o caso, e usar sem medo o aparelho freio de burro, se for preciso.

Silmara Alves Rozo Ducatti

Silmara Alves Rozo Ducatti

Cirurgiã-dentista graduada pela Universidade do Oeste Paulista (UNOESTE) e especialista em Ortodontia pelo Sindicato dos Odontologistas de Mato Grosso do Sul (SIOMS).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sobre a Simpatio

Somos dedicados em criar conteúdo de qualidade e informativo. Nossa missão é informar pacientes, dentistas e clínicas provendo conteúdos altamente relevantes sobre odontologia e saúde bucal gratuitamente.

Agende uma consulta

Precisando de algum tipo de ajuda ou apoio relacionado a sua saúde ou estética bucal? Clique no botão abaixo!

Postagens Recentes

Receba Nossos Conteúdos

Preencha seu e-mail acima e receba conteúdos exclusivos gratuitamente!

© All rights reserved

Simpatio 2018

As informações contidas neste site têm como objetivo único informar. A Simpatio tem o compromisso de estimular, e nunca substituir, as relações entre dentistas e pacientes. Sempre deixamos isso muito claro nos textos e na comunicação com nossos leitores. É fundamental que o paciente, ao notar qualquer alteração em sua saúde bucal, consulte seu dentista de confiança. Cada indivíduo requer um tratamento personalizado.