Importância do expansor palatino no tratamento ortodôntico

Share on facebook
Compartilhe
Share on twitter
Tweet Isso
Share on linkedin
Compartilhe

Saiba como o dispositivo funciona na sua boca

Palato é o nome técnico dado ao céu da boca. Muitas pessoas apresentam estreitamento dessa área da cavidade bucal, o que pode ocasionar uma série de complicações, como dores de cabeça e dificuldades na mastigação e respiração. Assim, é recomendado que estas utilizem um expansor palatino.

O expansor palatino também é utilizado para fins estéticos. Mas é claro que o tipo de tratamento e o aparelho a ser utilizado são determinados pelo seu dentista, de acordo com as exigências de cada caso.

A função do expansor palatino é aumentar o espaço do palato para a obtenção de uma arcada dental alinhada. Esse processo aumenta o arco dentário do maxilar superior.

Assim, o aparelho expansor também é recomendado para a correção da mordida cruzada e de dentes tortos – principalmente em jovens.

Em adultos, normalmente, precisam de intervenções cirúrgicas para corrigir esses problemas.

Existe o expansor palatino fixo e o móvel, com acrílico ou sem acrílico, com parafusos ou com molas. A mecânica de expansão pode ser lenta ou rápida.

Depois de instalado, em média, leva-se entre 3 e 5 dias para o paciente se acostumar com o expansor. Mastigar, engolir e falar pode parecer estranho e os dentes podem ficar sensíveis, mas tudo isso é normal.

Para aliviar o desconforto dos dentes, é possível tomar um analgésico comum.

  1. Tipos de Expansor Palatino
  2. Quais os Benefícios do Expansor Palatino?
  3. Importância da Higienização e Cuidados com o Expansor Palatino
  4. Sobre o Palato
  5. Manutenção do Expansor Palatino
  6. Como é o Ajuste do Expansor?
  7. Cuidados e Mais Informações Sobre o Expansor
  8. Outros Tipos de Aparelho Ortodôntico

Tipos de Expansor Palatino

É importante saber que não existe apenas um tipo de aparelho palatino para a correção de dentes apinhados.

Dependendo de cada paciente, pode ser necessário que o profissional adote outro método de instalação ou até mesmo utilize outra estrutura.

As principais indicações para a utilização do aparelho ocorrem quando o paciente possui o palato muito estreito, o que pode acarretar e uma série de complicações, como:

  • Dor de cabeça;
  • Má oclusão (que gera dificuldades de mastigar);
  • Apneia do sono;
  • Ronco;
  • Inclinação dentária;
  • Retração gengival.

Dentre as estruturas disponíveis, é possível destacar três que possuem o papel de realizar a expansão, sendo o Hyrax, o Mcnamara e o Hass. Vamos conhecer um pouquinho mais sobre cada uma delas:

Hyrax

Trata-se da variação mais comum de expansor utilizada nos dias de hoje. Sua atuação ocorre principalmente em crianças durante o período de puberdade.

No ser humano, até determinada idade, a região compreendida pelo palato ainda não está completamente calcificada.

Assim, é possível utilizar esse tipo de aparelho para moldar e permitir que a arcada dentária se solidifique de forma adequada, evitando problemas dentários futuros.

Seu formato é bastante básico. Ele possui um eixo central localizado no céu da boca do paciente, que é acompanhado por quatro suportes presos a diferentes dentes da boca.

O objetivo é que a peça central exerça pressão nos dentes envolvidos, promovendo uma rápida expansão da arcada. Uma das grande vantagens do Hyrax é que o próprio paciente pode ajustar a expansão e pressão do dispositivo.

Mcnamara

O Mcnamara costuma ser utilizado em situações consideradas mais complexas, onde a utilização do Hyrax não conseguirá solucionar o problema em questão.

Trata-se de uma cobertura de acrílico que fica sobre os órgãos dentais. Aqui, ao invés de se prender através de um conjunto de anéis, a própria moldura é utilizada como um suporte ao aparelho.

Ele é considerado ideal em casos onde a própria estrutura dentária do paciente não forneça o suporte necessário para a utilização de um aparelho tradicional.

Hass

Diversos especialistas consideram o Hass como um meio termo entre os dois dispositivos citados acima. Isso porque, além de utilizar anéis metálicos presos aos dentes, o expansor ainda possui uma placa de acrílico em sua estrutura.

Assim, é possível que ele adquira um maior suporte, proporcionando que as forças aplicadas sobre a arcada dentária sejam maiores.

Entretanto, nem tudo é perfeito, não é mesmo? Esse tipo de expansor possui uma confecção e higienização bem mais complicadas. Logo, o paciente fica  sujeito a contrair infecções e inflamações.

Quais os Benefícios do Expansor Palatino?

Limpeza do expansor palatino requer cuidado e atenção

O expansor palatino traz diversos benefícios ao paciente, e até mesmo por isso, é largamente utilizado. Assim, entre suas principais vantagens, podemos citar:

  1. Melhora na fala – inicialmente, o aparelho expansor traz uma dificuldade de adaptação e obstáculos para a pessoa falar corretamente. Mas com o passar do tempo e a adaptação com o dispositivo, a arcada dentária e os dentes passam a ter um tamanho adequado, o que promove uma melhoria na fala;
  2. Inibir procedimentos cirúrgicos – em casos onde os dentes estão muito unidos na arcada dentária, as vezes é necessário realizar uma extração dental. Mas o expansor palatino possibilita que o espaço necessário seja liberado sem a necessidade de um processo cirúrgico. Desse modo, é importante frisar que quem decide qual procedimento será realizado é o ortodontista;
  3. Melhora na mastigação – ao corrigir a mordida cruzada, o expansor dentário possibilita a realização de uma mastigação correta. Isso interfere diretamente no processo digestivo, uma vez que os alimentos são engolidos em tamanhos menores, facilitando a absorção energética;
  4. Um sorriso bonito – é claro que a questão estética não poderia ser deixada de lado. O alinhamento dos dentes e da mordida possibilita com que o paciente obtenha um sorriso mais bonito.

Entretanto, o expansor também conta com uma desvantagem bastante notável. Como já dissemos, ele é majoritariamente utilizado em crianças e adolescentes.

Assim, quando ocorrem casos onde é necessária a expansão do céu da boca em adultos, geralmente é realizada uma intervenção cirúrgica. Ou seja, um procedimento muito mais invasivo e agressivo.

Importância da Higienização e Cuidados com o Expansor Palatino

Limpeza do expansor palatino requer cuidado e atenção

A limpeza do aparelho é um processo delicado e precisa ser realizado constantemente. Isso porque o aparelho tende a acumular maior quantidade de bactérias e placa bacteriana.

Assim, é preciso realizar a limpeza das engrenagens centrais, parafusos e bordas do expansor palatino além de, claro, higienizar toda a extensão bucal.

Apesar do Hyrax oferecer a possibilidade de ajuste pelo próprio usuário, a maioria dos expansores palatinos é ativado pelo ortodontista e apenas por ele. Isso ocorre durante as consultas de manutenção do dispositivo.

Dessa forma, é de fundamental importância realizar as consultas de manutenção, pois o aparelho só é funcional quando ocorre uma ativação periódica constante.

Além de realizar a higienização adequada, é recomendado retirar da dieta alimentos muito sólidos ou duros. Ao serem mastigados, alimentos dessa natureza podem amassar ou alterar a morfologia do expansor dentário.

Quando o expansor palatino é retirado, muitas vezes é necessário que o paciente utilize o aparelho ortodôntico móvel para complementar o tratamento e fixar a arcada dentária na sua nova posição.

Sobre o Palato

Limpeza do expansor palatino requer cuidado e atenção

O palato é o teto da nossa boca que separa a cavidade oral e a cavidade nasal. Possui uma cor levemente rosada. Ele é formado pelo palato duro e mole. Além disso, é conhecido popularmente como céu da boca.

O teto da boca é um conjunto só, mas ele difere em:

  1. Palato duro: é a parte anterior do palato. É formado pelo osso, ou seja, corresponde a parte esquelética. Por isso é “duro”.
  2. Palato mole: é a parte posterior do palato. É formado por músculos. Por isso é “mole”. Além disso, é aqui que a úvula palatina fica.

Esses elementos se tensionam e ajudam na mastigação, respiração e na fonética.

Na mastigação dão suporte, na respiração ajudam na passagem do ar e tensão dos músculos, e na fonética auxiliam nas vibrações da voz, assim é possível observar a importância da estrutura.

Manutenção do Expansor Palatino

Limpeza do expansor palatino requer cuidado e atenção

Assim como a maioria dos aparelhos ortodônticos, o expansor do palato demanda uma manutenção constante. Esses cuidados são extremamente necessários para que ele consiga cumprir com excelência as funções esperadas.

O tempo de consulta pode variar de acordo com a disponibilidade do paciente. Entretanto, o recomendado é não ultrapassar o período de um mês entre uma manutenção e outra.

Além disso, dependendo do quadro do paciente, pode ser que o dentista recomende consultas mais frequentes. Isso acontece devido à preocupação em manter tudo certinho e alinhado.

Geralmente, ao menos que haja alguma anormalidade muito peculiar, as consultas são bastante rápidas. É realizada uma checagem geral e, em seguida, o dentista efetua a ativação periódica, para garantir a saúde bucal do paciente.

Como é o Ajuste do Expansor?

Limpeza do expansor palatino requer cuidado e atenção

Um dos maiores problemas da utilização do expansor ocorre por conta da dificuldade de adaptação dos pacientes, que costumam sentir muitas dores e desconforto durante esse período.

O processo de ajuste, ou ativação, como também é conhecido, em si é bastante simples e rápido. A complicação costuma ocorrer a partir das pressões exercidas nos dentes após o procedimento.

Assim, algumas boas dicas para o tratamento são:

  • Ajustar o aparelho logo após terminar a refeição, para lidar melhor com a dor;
  • Se preciso, o paciente pode tomar um analgésico em gotas aproximadamente 30 minutos antes de ajustar o aparelho, para aliviar o desconforto;
  • Compressa e alimentos gelados também ajudam a aliviar a dor.

Cuidados e Mais Informações Sobre o Expansor

Importância do expansor palatino no tratamento ortodôntico

Agora iremos apresentar alguns cuidados que sempre devem ser tomados com o seu dispositivo para que você possa obter todos os benefícios do expansor palatino. Vamos a eles:

Como devo beber e comer com ele?

Quando falamos sobre a alimentação, o indicado é uma dieta a base de alimentos macios e líquidos no início do tratamento, durante o processo de adaptação.

Assim, qualquer tipo de líquido é altamente recomendado, principalmente os mais gelados, que podem auxiliar na inibição das dores e do desconforto causados pelo expansor durante o período inicial da terapia.

Com o passar do tempo, à medida que o paciente for inserindo os alimentos sólidos em sua dieta, o ideal é mastigar bem devagar e dar pequenas mordidas.

O recomendado é que aproveite os momentos de menor desconforto para ingerir estes alimentos mais duros. Ainda no início do tratamento, provavelmente seja necessário o uso de canudos para melhor ingestão de líquidos.

Entretanto, esses duram por pouco tempo. Eles devem ser realizados apenas até a fase de adaptação passar.

Em seguida, é possível voltar a sua rotina e dieta normais. Mas é sempre importante ficar bastante atento a qualquer irregularidade apresentada no aparelho.

Limpeza do expansor

A limpeza do expansor é delicada e precisa ser constante, pois o aparelho é extremamente suscetível a produzir maior acúmulo de bactérias e placa bacteriana.

Assim, é necessário que você realize a limpeza de todas as partes do dispositivo, como por exemplo:

  1. As engrenagens centrais;
  2. Parafusos;
  3. Bordas do expansor palatino.

O ideal é que você utilize uma escova de dentes e um creme dental adequado, massageando todas as extremidades do expansor palatino.

Em algumas ocasiões ainda é necessário deixar o aparelho de molho. Ele pode ficar imerso na água ou até mesmo em algum enxaguante bucal, por exemplo. O legal é conversar com o seu dentista previamente.

Não esqueça os cuidados bucais

Além disso, os cuidados bucais não podem ser deixados de lado, não é mesmo? Assim, é de fundamental importância que você higienize a sua cavidade oral de forma correta, seguindo os seguintes passos:

  1. Escovar os dentes, no mínimo, três vezes ao dia, principalmente antes de dormir e após as refeições. Utilizar uma escova com cerdas macias e realizar movimentos leves. É essencial que o paciente também escove a sua língua, visando potencializar a escovação, uma vez que essa região é um paraíso para as bactérias;
  2. Utilizar cremes dentais que contenham flúor, o que pode melhorar a limpeza dentária e fortificar os dentes;
  3. Sempre passar o fio dental. Lembre-se, ele e a escovação se complementam. Logo, você não deve negligenciar nenhum dos dois hábitos. Realize movimentos delicados, evitando lesões nos tecidos gengivais;
  4. Utilize um enxaguante bucal como um adicional a escovação e ao fio dental. A substância atua no controle químico das bactérias, além de proporcionar um hálito agradável.

Riscos da má higienização do expansor e da boca

Quando a limpeza do dispositivo e da boca não ocorrem da maneira adequada, bactérias e resíduos que ficaram presos no aparelho e entre os dentes se acumulam.

Desse modo, infecções, inflamações e irritações bucais podem acabar se desenvolvendo. Entre as principais doenças ou complicações orais causadas por deficiências na higiene oral, estão:

  • Cáries dentárias;
  • Doenças periodontais, como a gengivite e a periodontite;
  • O endurecimento da placa bacteriana acumulada, provocando a formação do tártaro;
  • O desenvolvimento de úlceras bucais;
  • A retração gengival;
  • Halitose;
  • Aftas;
  • O acúmulo de pus no dente ou na gengiva, que recebe o nome de abscesso dentário;
  • Desenvolvimento da alguma anomalia mais grave devido a presença de diversas bactérias em um ambiente úmido, fechado e bastante estreito ou por conta do atrito do dispositivo infectado com as paredes do tecido mole.

É importante ressaltar que, além dos cuidados com o expansor e com a higiene bucal, é fundamental realizar visitas periódicas ao dentista.

Assim, o profissional poderá avaliar a qualidade da saúde bucal do paciente dar alguns conselhos e realizar os tratamentos necessários para melhorá-la.

Como superar o desconforto provocado pelo expansor?

Como já dissemos, o expansor palatino é instalado na maxila com o intuito de modificar o perímetro do arco dentário do paciente. Porém, o período de adaptação desse mecanismo pode causar forte desconforto no paciente.

Assim, a dúvida que fica na cabeça de diversas pessoas é: o que posso fazer para me livrar dessa irritação insuportável? É esse problema que iremos tentar solucionar aqui.

É bacana que o paciente realize compressas frias na região irritada. Fora isso, consumir líquidos bem gelados também pode ser uma alternativa.

O ideal é se manter longe de alimentos muito quentes durante os primeiros dias. Assim, o paciente deve dar preferência para alimentos frios e com consistência pastosa ou líquida, como um sorvete por exemplo.

Além disso, o paciente pode tomar analgésico em gotas para controlar a dor. Entretanto, você nunca deve se automedicar. A automedicação tende unicamente a te prejudicar. Logo, o ideal é que antes de consumir qualquer medicamento você converse com seu profissional de confiança.

Caso existam desconfortos mais extremos, não hesite em voltar ao dentista. É sempre bom obter auxílio médico o quanto antes para evitar problemas mais sérios e, no caso do expansor palatino, uma disfunção no céu da boca.

Por quanto tempo devo utilizar o aparelho?

Quando falamos em procedimentos ortodônticos, geralmente a maior preocupação se dá em cima do tempo de duração do tratamento. Portanto, a verdade é que isso varia bastante, de caso a caso.

Entretanto, pode ficar tranquilo. O tratamento com expansor palatino é bastante curto quando comparado com os demais. Ele costuma durar de dois a cinco meses apenas.

Não cutuque o aparelho!

Mesmo depois do processo de higienização, você pode notar que ficou algum resto de comida no expansor. Contudo, não caia na tentação de “cutucar” o aparelho com objetos estranhos.

Além de ser perigoso para você, pois você pode magoar o interior da sua boca ou as gengivas, poderá também danificar ou até deslocar o expansor. Portanto, o melhor mesmo é repetir o processo de higienização até esses restos teimosos saírem dali.

O expansor deve ser utilizado em jovens

Especialistas apontam que o aparelho expansor deve ser utilizado apenas em pessoas até 16 anos de idade, sendo seu uso não recomendada durante a fase adulta.

Entretanto, existem alguns casos onde o tratamento é extremamente necessário. Assim, pode ser preciso a realização de uma intervenção cirúrgica no paciente.

Ainda assim, pode ser que essas pessoas tenham sensações bastante dolorosas durante a utilização desse aparelho ortodôntico para o céu da boca.

Principal indicação para o uso do dispositivo

Já foi dito que o disjuntor palatino possui como principal objetivo aumentar o perímetro do arco dentário. Em outras palavras, ele serve para espaçar o céu da boca que se apresente de forma muito estreita.

Porém, você sabe qual é o principal benefício adquirido no processo? Na maioria dos casos, o tratamento conserta a mordida cruzada do paciente e, dessa forma, é possível garantir espaço para os outros dentes se alinharem.

A mordida cruzada é uma desarmonia da oclusão. Então, quando vamos morder algum alimento, nossos dentes não se encontram como deveriam. Portanto, isso faz com que a arcada superior fique desalinhada com a inferior.

Existem vários fatores que ajudam a causar a mordida torta, tais como:

  • Crescimento anômalo dos dentes;
  • Origem genética;
  • Falta de espaço na arcada dentária;
  • Respiração pela boca;
  • Perda precoce dos dentes de leite;
  • Desenvolvimento irregular da mandíbula ou maxilar;
  • Hábitos como chupar chupeta, dedo ou mamadeira por muito tempo.

Outros Tipos de Aparelho Ortodôntico

Importância do expansor palatino no tratamento ortodôntico

Os aparelhos são divididos em dois grupos: os removíveis e os fixos.

Os móveis, ao contrário dos fixos, podem ser retirados pelo paciente quando quiserem. Mas é importante seguir a risca as orientações do profissional para que o tratamento seja efetivo.

Eles ainda se separam em dois grupos, os ortodônticos e os ortopédicos. O primeiro serve para fazer ligeiras movimentações no dente. O segundo corrige as alterações no osso.

O aparelho dentário removível ortopédico geralmente é colocado em crianças e adolescentes na fase de crescimento.

O objetivo é inibir, estimular o desenvolvimento dos ossos, ou ainda, redirecionar uma tendência de crescimento desfavorável. Para serem efetivos devem ser usados pelo maior número de horas por dia.

Os aparelhos fixos são usados quando o objetivo é movimentar dentes no osso. São compostos por braquetes que podem ser metálicos, plásticos ou de porcelana, que suportam o arco metálico.

Com o uso de aparelhos fixos é possível estabelecer um sorriso equilibrado.

Cada aparelho possui uma indicação diferente. E o que define o tipo e qual a duração do tratamento é a arcada do paciente.

Eles são projetados e planejados para correção da arcada da melhor maneira e em menor tempo possível. É complicado prever quanto tempo irá durar um tratamento. Isso depende de vários fatores como:

  • Resposta biológica do organismo;
  • Tipo de má oclusão;
  • Tipo de aparelho indicado e colaboração do paciente.

O importante é procurar um profissional especializado para realizar o tratamento. Seja um expansor palatino ou qualquer outro aparelho, o paciente deve utilizá-lo da melhor maneira possível e comparecer às consultas de manutenção mensais para ativação e controle.

Rodrigo Venticinque

Rodrigo Venticinque

Graduado pela Universidade de Santo Amaro (UNISA) e especialista em Prótese e Reabilitação Oral Integrativa, Biofísica Quântica, Biorressonância Aplicada e Ortomolecular. Pós-graduado em Estética Dental e Reabilitação Oral, com certificação em Remoção Segura da Amálgama e Odontologia Biológica pela Academia Internacional de Medicina Oral e Toxicologia. Professor da pós-graduação em Biofísica e Ortobiomolecular da QuantumBio. Também atua nas áreas de Ozonioterapia, Odontologia Sistêmica, Sedação Consciente com Óxido Nitroso e Hipnose. Diretor da clínica Venticinque Odontologia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sobre a Simpatio

Somos dedicados em criar conteúdo de qualidade e informativo. Nossa missão é informar pacientes, dentistas e clínicas provendo conteúdos altamente relevantes sobre odontologia e saúde bucal gratuitamente.

Agende uma consulta

Precisando de algum tipo de ajuda ou apoio relacionado a sua saúde ou estética bucal? Clique no botão abaixo!

Postagens Recentes

Receba Nossos Conteúdos

Preencha seu e-mail acima e receba conteúdos exclusivos gratuitamente!

© All rights reserved

Simpatio 2020

As informações contidas neste site têm como objetivo único informar. A Simpatio tem o compromisso de estimular, e nunca substituir, as relações entre dentistas e pacientes. Sempre deixamos isso muito claro nos textos e na comunicação com nossos leitores. É fundamental que o paciente, ao notar qualquer alteração em sua saúde bucal, consulte seu dentista de confiança. Cada indivíduo requer um tratamento personalizado.