Prognatismo: principais tratamentos, sintomas e causas

Share on facebook
Compartilhe
Share on twitter
Tweet Isso
Share on linkedin
Compartilhe

Disfunção causa mudança físicas no rosto dos pacientes

O prognatismo é um dos temas mais complexos da odontologia. Apesar disso, não é incomum cruzar com pessoas que sofrem com essa disfunção, já que as características físicas dos pacientes são alteradas nesses casos.

Uma curiosidade interessante é que o prognatismo muitas vezes é chamado de mandíbula de Habsburgo ou mandíbula de Áustria devido à prevalência desta manifestação nessa família real europeia.

Prognatismo mandibular é uma desarmonia facial envolvendo ossos, dentes e músculos. É caracterizado pelo excesso de crescimento da parte inferior da boca, em relação à maxila, localizada na arcada superior.

Essa disfunção causa uma mordida cruzada anterior e um perfil facial côncavo.

Neste artigo vamos destacar todos os detalhes sobre esse tipo de disfunção. Suas causas, tratamentos e possíveis consequências.

  1. Sintomas do Prognatismo
  2. Causas do Prognatismo
  3. Tratamentos Para Prognatismo
  4. Exercícios Mandibulares
  5. Prevenindo o Problema!
  6. E Quanto ao Retrognatismo?

Sintomas do Prognatismo

Os sintomas do prognatismo mandibular podem passar despercebidos, como se fossem uma reação involuntária do corpo. Mas é importante ficar atento a qualquer alteração para evitar problemas maiores.

Além disso, o crescimento mandibular pode alterar de maneira notável a harmonização facial do paciente, fazendo com que ele se incomode com a questão estética de seu rosto.

Sendo assim, é fundamental ficar atento aos sintomas da doença, dentre os quais podemos citar:

  • Dor de cabeça crônica, enxaqueca;
  • Dor de ouvido e zumbidos;
  • Dificuldades na hora de abrir completamente a boca;
  • Inchaço na face;
  • Pressão atrás dos olhos;
  • Maxilar travado ao abrir ou fechar a boca;
  • Deslocamento da mandíbula;
  • Dificuldade na hora de mastigar;
  • Sensação de que os dentes superiores e inferiores não encaixam.

Sobre a Mandíbula Humana e a Articulação Temporomandibular

A mandíbula é uma estrutura móvel localizado na parte inferior da cabeça. Nela, estão acoplados os dentes da arcada inferior. O componente se articula com o osso temporal de cada lado do crânio, onde fica inserido.

Alguns pacientes a chamam de maxilar inferior. Entretanto, não devemos confundir ela com a maxila, que é a estrutura que suporta os dentes superiores.

Já ATM ou articulação temporomandibular é uma articulação que faz a ligação maxilar ao osso temporal do crânio, que fica à frente das orelhas, nas laterais da cabeça.

Essa articulação é uma das mais complexas do corpo humano, e por ser extremamente flexível, é responsável por todos os movimentos da mandíbula: para frente, para trás e para os lados.

Portanto, problemas ou falhas nessa região podem trazer graves complicações ao paciente. Fora a questão estética, é comum que a pessoa encontre sérias dificuldades para abrir e fechar a sua boca.

Assim, ela pode encontrar obstáculos para exercer atividades comuns do dia a dia, como se alimentar, se hidratar, falar e até mesmo respirar.

Uma deformidade dento-esquelética pode ainda trazer complicações na hora da realização da higiene oral e um desgaste maior dos dentes da pessoa.

Em casos mais graves, uma má oclusão dentária pode proporcionar inclusive a perda precoce dos dentes definitivos.

Por isso, ao identificar qualquer um dos sintomas citados acima, o ideal é que você consulte um dentista.

Causas do Prognatismo

Quais são as principais causas do problema

A principal causa da anomalia provém de fatores genéticos e hereditário. Porém, o prognatismo da mandíbula também pode estar associado à disfunções funcionais, como por exemplo:

  • Alterações respiratórias, como a respiração bucal;
  • Nas causas hereditárias podemos citar a síndrome do nevo basocelular ou a síndrome de Crouzon.
  • Hábitos como sucção de dedos, chupeta ou outros objetos;
  • Respiração bucal, ocorrendo a postura baixa da língua na arcada inferior;
  • Desvio da funcionalidade do rosto;
  • Gigantismo;
  • Acromegalia;
  • Interposição lingual.

Outros problemas na saúde também podem ajudar no desenvolvimento dessa desarmonia facial, como a artrite na ATM, efeitos da idade na articulação e até traumas.

Além disso, a anomalia pode estar relacionada inclusive à fatores hormonais e malformações congênitas. Portanto, como já dissemos anteriormente, o diagnóstico para prognatismo acaba sendo bastante complicado.

Ranger os dentes (bruxismo), deformações faciais desde o nascimento, estresse e tensão muscular também são causas frequentes do problema.

Ocorrendo casos de prognatismo mandibular na família, é importante ficar alerta ao desenvolvimento irregular dos maxilares nas crianças.

Isso porque essa alteração possui grande influência genética e pode acontecer em qualquer etapa durante o crescimento.

Quando Devo Buscar Ajuda de um Profissional?

O ideal é procurar ajuda médica quando é observado que a criança está projetando o queixo para frente ou os dentes anteriores inferiores se fechando à frente dos superiores.

Assim, os pais ou responsáveis devem procurar um profissional especialista o mais rápido possível para que se possa tratar o prognatismo em seu estágio inicial.

Por isso, a consulta ao dentista é muito importante quando acontece o nascimento dos primeiros dentes de leite. Ela serve para que possa ser feita uma avaliação o mais cedo possível e então, uma orientação aos pais.

Como é o Diagnóstico do Problema?

Para a realização de um diagnóstico preciso, deve-se consultar um profissional especialista em Ortopedia Funcional dos Maxilares ou em Ortodontia (ou ambos).

Estes possuem um vasto conhecimento para fazer um diagnóstico do prognatismo por meio de uma avaliação clínica e funcional. Podendo fazer a solicitação de algum tipo de exame adicional ao paciente.

É importante destacar que os exames mais comuns usados no diagnóstico da anomalia e durante o tratamento para acompanhamento do desenvolvimento dos casos são os exames clínicos, funcionais e radiográficos.

Além dessas, outras ferramentas que também podem ser utilizadas são tomografia computadorizada, ressonância magnética e avaliações eletromiográficas.

O exame clínico, por exemplo, pode ser realizado visualmente ou através de fotografias, avaliando a postura da mandíbula, oclusão dentária e padrão facial do indivíduo.

Já o exame funcional do prognatismo é feito no próprio consultório, onde o paciente realiza determinados movimentos da mandíbula em relação à maxila, como os de lateralidade, abertura e fechamento.

Dessa maneira, é possível que o profissional encarregado analise a funcionalidade mandibular e os contatos dentários que ocorrem em cada movimento.

Ainda, através de exames radiográficos, o profissional tem a possibilidade de avaliar uma série de medidas dos ossos do crânio e tipo de crescimento facial, avaliando se existe alguma anormalidade.

Tratamentos Para Prognatismo

tratamentos para a disfunção no maxilar

A dor orofacial é um dos principais sintomas, mas pode ser tratada de forma simples. O profissional de confiança, junto com o paciente, irá adotar o melhor caminho para amenizá-la.

Uma das indicações é a aplicação de bolsas de água quente onde o paciente sente dores.

O uso de relaxante muscular, aspirina, anti-inflamatório e analgésicos também podem ser recomendados após diagnósticos médicos.

Como vimos, o bruxismo pode ser uma das causas do prognatismo. Assim, aparelhos de mordida podem reduzir os efeitos prejudiciais do ato de ranger os dentes.

Ainda é interessante que o paciente aprenda alguns exercícios de relaxamento e controle da tensão muscular na mandíbula. O profissional pode pedir que o paciente procure aconselhamento para evitar o estresse.

Mas existem outras maneiras de tratar o prognatismo, que são:

  1. Tratamento Preventivo: é o tratamento realizado quando o dentista observa na dentição decídua uma tendência de crescimento mandibular. A partir daí já tem início a uma investigação radiográfica e familiar, buscando o fator causador do prognatismo mandibular e possível tratamento.
  2. Tratamento Interceptativo: ocorre quando o prognatismo mandibular já está se instalando e ainda não ocorreu o surto de crescimento puberal. Este pico de crescimento ocorre em fases diferentes nos meninos e nas meninas. O ortodontista nesta fase solicita uma radiografia de mão e punho para determinar a idade fisiológica da criança.
  3. Tratamento Corretivo: tratamento realizado após o pico de crescimento puberal. Porém, vale ressaltar que isso não determina o fim do crescimento da mandíbula e sim o fim do pico do crescimento.

O dentista pode definir qual a melhor forma de tratar o prognatismo, sendo através de pistas diretas planas, aparelhos ortopédicos funcionais, aparelhos ortodônticos fixos, cirurgia ortognáticas ou a combinação destes.

Quando a Cirurgia Ortognática é Necessária?

A cirurgia ortognática é um tipo de tratamento mais agressivo ao paciente.

Assim, ela não deve ser realizada em qualquer ocasião. Antes de considerá-la como opção, é interessante que o profissional tente todas as outras modalidades possíveis.

Entretanto, existem casos onde ela é necessária, sendo a única ou a melhor saída para o problema. Isso acontece principalmente quando a causa do problema é genética.

Assim, muitas vezes, nem o aparelho ortopédico e nem o ortodôntico conseguem compensar a existência desse fator genético. Com isso, a intervenção cirúrgica aparece como única escapatória.

Infelizmente, isso é bastante comum e pode desanimar o paciente, os pais e até mesmo o profissional da saúde. Com isso, podemos observar a importância de um planejamento aprofundado de cada caso de prognatismo.

Exercícios Mandibulares

Exercícios Para Mandíbula ajudam a tratar disfunção temporomandibular

Seja para aliviar os sintomas do prognatismo ou meramente para definir a sua mandíbula, é importantíssimo que você saiba como realizar os exercícios mandibulares.

Assim, nós aqui da Simpatio elaboramos uma lista dos mais relevantes entre eles. Você pode aprendê-los e exercitar a sua mandíbula. Entres os principais exercícios mandibulares, podemos citar:

Exercício Para Mandíbula 1 – O Abre e Fecha

Para pacientes que sofrem com problemas na ATM, às vezes, fica complicado realizar os movimentos de abrir e fechar a boca. Entretanto, com um pouco de paciência, você consegue relaxar e alongar a mandíbula.

O ideal é seguir os seguintes passos:

  1.  Sente-se confortavelmente em uma cadeira com encosto. O ideal é manter a postura ereta;
  2. Coloque a língua no céu da boca;
  3. Em seguida, tente abrir a boca com a língua ainda na mesma posição;
  4. Enquanto isso respire lentamente por alguns segundos e expire aos poucos;
  5. Feche a boca e, se não sentir dor, repita o exercício umas 10 vezes, no mínimo.

Exercício Para Mandíbula 2 – A Massagem

Qualquer um gosta de ganhar uma massagem, não é mesmo? E aqui ensinaremos que você pode aplicar esta terapia em você mesmo, fazendo os seguintes movimentos:

  1. Comece massageando toda a área do maxilar onde há incômodo e dor com as pontas dos dedos em movimentos circulares;
  2. Belisque suavemente a região com o dedo indicador e o polegar para soltar a pele do músculo por diversas vezes;
  3. Novamente, com a ajuda das mãos, alongue sua mandíbula para baixo, abrindo lentamente a boca para ambos os lados, de forma bem suave

Exercício Para Mandíbula 3 – Bochechas Trabalhando

As bochechas contém musculaturas essenciais para a nossa fala, respiração e deglutição. Além disso, elas podem auxiliar no relaxamento de musculaturas de outras partes da face.

Assim, um exercício muito bom para se praticar é encher as bochechas e movimentar o ar interno da boca de um lado para o outro.

O ideal é que você realize isso, pelo menos, umas 10 vezes. Com isso, você irá sentir o maxilar mais solto e leve, sem dizer que ainda promoverá um alongamento natural da pele presente na região.

Exercício Para Mandíbula 4 – Boceje

Além de ajudar a oxigenar o cérebro e melhorar a atenção, bocejar também é um bom alongamento. Por isso, quando surgir a vontade faça com vontade e sem medo.

Esse é um dos exercícios para mandíbula mais simples que existem. Além disso, o paciente não faz nada forçado, visto que muitas vezes o bocejo é natural.

Prevenindo o Problema!

Prognatismo é uma forma bastante comum de DTM

Uma maneira bastante comum de prevenir o prognatismo e as outras diversas alterações de crescimento das estruturas faciais é, primeiramente, através da amamentação natural dos bebês.

Dessa forma, são evitados hábitos de sucção de dedos, chupetas e uso prolongado de mamadeiras.

Isso é importantíssimo, uma vez que estes hábitos podem influenciar bastante na formação óssea das crianças, que ainda se encontram em fase de desenvolvimento.

Além disso, os corretos movimentos mastigatórios de alimentos secos, duros e fibrosos também contribuem para um bom desenvolvimento das arcadas dentárias, o que ajuda a evitar o surgimento do prognatismo.

Também é muito importante que os pais observem o comportamento das crianças. É interessante analisar se as crianças ficam projetando a mandíbula para frente como se fosse uma mania ou um tique.

Isso é fundamental, pois o hábito pode causar alterações no desenvolvimento da maxila e da mandíbula.

É importante que, caso existam casos de prognatismo na família, o paciente consulte o dentista o mais cedo possível.

E Quanto ao Retrognatismo?

Prognatismo é uma forma bastante comum de DTM

Assim como o prognatismo, o retrognatismo também se apresenta como uma desarmonia facial envolvendo ossos, dentes e músculos.

Entretanto, nesse caso, os ossos maxilares ficam recuados em relação ao perfil maciço facial. Ou seja, o retrognatismo pode ser definido com o inverso do retrognatismo.

A mandíbula do paciente fica para trás. Logo, ao invés de aparentar ter um queixo muito grande, a impressão é que a pessoa possui um queixo extremamente pequeno.

Consequências do Retrognatismo

Apesar dos problemas serem parecidos, as consequências não são as mesmas para prognatismo e retrognatismo. Assim, a mandíbula para trás pode implicar em problemas como:

  • Acúmulo dos tecidos moles (papada);
  • Problema na articulação temporomandibular;
  • Ronco;
  • Apneia;
  • Problemas respiratórios;
  • Problemas na mastigação;
  • Problemas na fonética;
  • Perdas dentárias precoces;
  • Mordida cruzada;
  • Desgaste excessivo e anormal dos dentes;
  • Deformidades em outras regiões da face.

Tratamentos Para o Retrognatismo

O principal tratamento para a anomalia ocorre por meio de uma cirurgia ortognática, que como já observamos é utilizada para reposicionar os maxilares do paciente (maxila e mandíbula).

Mas é importante dizer que o procedimento, muitas veze, não é realizado de maneira isolada. Assim, ele faz parte de um processo de tratamento ortodôntico para a otimização da posição dos ossos maxilares.

Também é interessante saber que o profissional indicado para realizar a cirurgia maxilar precisa ser especializado em traumatologia bucomaxilofacial.

É fundamental escolher um cirurgião-dentista de confiança antes de fazer o procedimento, visando evitar complicações.

Esse procedimento dura cerca de 2 a 4 horas, dependendo do quadro clínico do paciente. Ele pode ser realizado tanto com anestesia geral como local.

Recuperação e Cuidados Pós-Cirúrgicos

A recuperação da cirurgia ortognática costuma ser demorada.

Geralmente, o paciente deve esperar cerca de 1 ano para voltar a realizar as suas atividade regulares. Apesar de longo, o pós-operatório é quase totalmente sem dor e complicações.

Normalmente, atividades mais simples podem ser retomadas depois de 15 a 21 dias depois da cirurgia. Entretanto, isso varia bastante de pessoa para pessoa.

O recomendado é que o indivíduo limite a suas atividades durante 10 dias após a operação, visando não movimentar a região operada. Também é indicado que ele evite assoar o nariz.

Além disso, cuidados com a alimentação são de extrema importância. Durante a primeira semana, é recomendado apenas a ingestão de líquidos, como sopas frias, sucos e sorvetes.

Depois desse período, ou seja, a partir da segunda semana, o paciente pode começar a ingestão de alimentos pastosos, como mingau, purê e iogurte.

É interessante que estes alimentos sejam consumidos frios ou à temperatura ambiente. Temperaturas muito altas podem ser danosas, prejudicando a cicatrização da cirurgia.

Somente após os 3 meses de pós-operação, é que o paciente pode voltar com as carnes e alimentos mais firmes e duros na dieta. É nesse período que a cicatrização já está quase completa.

As atividades físicas poderão ser retomadas após liberação odontológica, normalmente cerca de 6 a 9 meses depois da cirurgia ortognática.

Cuide de Sua Saúde Bucal

É importante lembrar que o cuidado com a saúde bucal é essencial. Escova de dentes macias devem ser utilizadas, assim como enxaguantes bucais.

O ideal é realizar movimentos circulares de maneira bem suave, para não irritar a região operada. Além disso, com aconselhamento do dentista, você pode passar o fio dental.

Visitas regulares ao profissional para o acompanhamento depois da cirurgia também devem ser feitas, para que ele possa observar o progresso de seu paciente.

Agora você já conhece um pouquinho mais sobre as deformidades ósseo faciais. Lembre-se, tanto o prognatismo quando o retrognatismo possuem cura e devem ser tratados o mais cedo possível.

Rodrigo Venticinque

Rodrigo Venticinque

Graduado pela Universidade de Santo Amaro (UNISA) e especialista em Prótese e Reabilitação Oral Integrativa, Biofísica Quântica, Biorressonância Aplicada e Ortomolecular. Pós-graduado em Estética Dental e Reabilitação Oral, com certificação em Remoção Segura da Amálgama e Odontologia Biológica pela Academia Internacional de Medicina Oral e Toxicologia. Professor da pós-graduação em Biofísica e Ortobiomolecular da QuantumBio. Também atua nas áreas de Ozonioterapia, Odontologia Sistêmica, Sedação Consciente com Óxido Nitroso e Hipnose. Diretor da clínica Venticinque Odontologia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sobre a Simpatio

Somos dedicados em criar conteúdo de qualidade e informativo. Nossa missão é informar pacientes, dentistas e clínicas provendo conteúdos altamente relevantes sobre odontologia e saúde bucal gratuitamente.

Agende uma consulta

Precisando de algum tipo de ajuda ou apoio relacionado a sua saúde ou estética bucal? Clique no botão abaixo!

Postagens Recentes

Receba Nossos Conteúdos

Preencha seu e-mail acima e receba conteúdos exclusivos gratuitamente!

© All rights reserved

Simpatio 2018

As informações contidas neste site têm como objetivo único informar. A Simpatio tem o compromisso de estimular, e nunca substituir, as relações entre dentistas e pacientes. Sempre deixamos isso muito claro nos textos e na comunicação com nossos leitores. É fundamental que o paciente, ao notar qualquer alteração em sua saúde bucal, consulte seu dentista de confiança. Cada indivíduo requer um tratamento personalizado.