Causas da ferida na boca e suas principais características

Share on facebook
Compartilhe
Share on twitter
Tweet Isso
Share on linkedin
Compartilhe

Machucados na boca podem surgir e desaparecer rapidamente. Contudo, uma ferida na boca pode ser sinal de um problema maior na cavidade oral.

Desse modo, é preciso prestar atenção no aparecimento de qualquer ferida na boca.

A ferida na boca é uma lesão que surge no ambiente oral, que pode apresentar diversos formatos e colorações diferentes, também proveniente das mais diversas causas.

Confira nesse arquivo quais sãos os tipos e as possíveis causas das lesões bucais.

Quais são os tipos de ferida na boca?

As feridas que surgem no ambiente oral podem ter os seus mais diversos tipos e causas. Por exemplo, lesões na região bucal podem ser ocasionadas por pancadas e traumas, irritações, infecções virais, bacterianas ou fúngicas etc.

Entre os tipos mais comuns de lesões bucais podemos citar:

  1. Traumas
  2. Estomatite aftosa
  3. Herpes labial
  4. Xerostomia
  5. Leucoplasia
  6. Uso de medicamentos
  7. Doença de Behçet
  8. Candidíase oral
  9. Pênfigo
  10. Eritema multiforme
  11. Lúpus eritematoso
  12. Abcesso dentário
  13. Doença celíaca
  14. Doença de Crohn
  15. Câncer na boca
  16. Queilite angular
  17. Líquen plano
  18. Mononucleose
  19. Sífilis
  20. Papilite
  21. Sialodenite

Traumas

Pancadas ou cortes na região da boca podem provocar feridas que sangram e são dolorosas.

Desse modo, o hábito de morder as bochechas ou os lábios também é uma potencial ameaça, uma vez que pode gerar lesões na mucosa bucal.

Além disso, também existem aquelas feridas que são provocadas por má adaptações de aparelhos ortodônticos ou próteses dentárias.

Nesses casos, a atitude a se tomar é buscar o auxílio de seu médico dentista para solucionar o problema.

Estomatite aftosa

Essa doença é uma inflamação na boca que provocam o aparecimento de feridas. A estomatite aftosa causa úlceras, aftas, feridas, vermelhidão, dor na boca e na gengiva.

Em geral, ela surge quando o sistema imunológico está fraco.

Assim, a pessoa que sofre com a infecção costuma apresentar feridas e aftas recorrentes, que se desenvolvem de 15 em 15 dias, ou mensalmente, durante um ano.

Dessa maneira, a afta pode ser identificada por sua forma arredondada, com centro amarelado ou esbranquiçado e vermelhidão ao redor.

Ela tende a desaparecer de forma espontânea. Essas lesões são dolorosas e causam dificuldade na ingestão de alimentos, por exemplo.

Herpes labial

A herpes labial, ou herpes simples, é considerada uma infecção na boca causada pelo vírus chamado de HSV-1.

Essa doença contagiosa tem como principal característica o surgimento de bolhas dolorosas feridas nos lábios, na boca e na gengiva.

Xerostomia

Xerostomia é popularmente conhecida como boca seca. Ela pode ser provocada pela falta de saliva na boca decorrente da desidratação ou alguma deficiência nas glândulas salivares.

A saliva atua protegendo a cavidade bucal. Desse modo, sua ausência facilita o desenvolvimento de infecções e feridas na boca.

Leucoplasia

Essa lesão pré-maligna que está frequentemente associada ao uso de cigarro pode se transformar em um câncer.

Além disso, a principal característica da leucoplasia é o aparecimento de uma placa branca na boca, podendo estar na língua, na gengiva ou na parte interna das bochechas.

Uso de medicamentos

A ardência na boca bem como o surgimento de feridas, também pode ser efeito colateral de alguns medicamentos, assim como do uso excessivo de bebidas alcoólicas ou drogas.

Doença de Behçet

O aparecimento de feridas na boca também pode ser ocasionado pela Doença de Behçet. Trata-se de uma condição rara que caracteriza-se pela inflamação de vasos sanguíneos em pessoas com predisposição genética.

A inflamação desses vasos é responsável pelo aparecimento de aftas na boca bem como lesões na pele e problemas de visão.

Assim, as úlceras orais podem isoladas ou múltiplas e geralmente são dolorosas, dificultando a alimentação. Elas podem aparecer em qualquer região da boca, como na língua, mucosa da boca e garganta, por exemplo.

Candidíase oral

A candidíase oral, conhecida popularmente como sapinho, é uma infecção da orofaringe de caráter fúngico provocada pelo fungo Candida Albacans.

O que conhecemos por sapinho é uma forma mais branda da candidíase, que costuma afetar a mucosa da língua e a parte interna da bochecha. Em alguns casos podem haver também feridas no céu da boca, gengivas e até mesmo a amígdala.

O surgimento da candidíase oral normalmente está associado à fraquezas no sistema imunológico.

A infecção causada pelo fungo provoca lesões na boca que possuem a aparência de placas brancas com aspecto cremoso.

Em alguns casos, como quando atinge os mais idosos, a candidíase oral não se manifesta por meio da placa branca, mas por intensa vermelhidão na gengiva, geralmente abaixo da prótese dentária.

Pênfigo

O pênfigo vulgar, também conhecido como fogo selvagem, é uma doença autoimune que caracteriza-se pelo aparecimento de bolhas cheias de líquido nas membranas mucosas da boca e também nos órgãos genitais, tórax, rosto e couro cabeludo em suas primeiras manifestações clínicas.

Contudo, ao longo de seus estágios, as bolhas podem se espalhar por todo o corpo. Tais bolhas podem se romper, dando lugar à feridas que são porta de entrada para infecções.

As causas que envolvem o parecimento dessa doença vão desde fatores genéticos e imunológicos à infecções virais, uso de medicamentos e ação de outros agentes externos.

Eritema multiforme

O eritema multiforme é uma inflamação na pele que caracteriza-se pela formação de manchas vermelhas e bolhas pelo corpo.

O mais comum é que o eritema multiforme seja causado por uma infecção do vírus da Herpes, o que leva ao aparecimento de feridas na boca.

Além de infecções virais, o eritema também pode ser causado por infecção bacteriana ou ser resultado de uma reação do sistema imunológico que ocorre devido à alergia a medicamentos ou alimentos.

Também é comum que, além da boca, a inflamação atinja braços, pernas, mãos ou pés.

Lúpus eritematoso

Assim como a anterior, Lúpus é uma doença inflamatória de caráter autoimune que ocorre devido a um desequilíbrio do sistema imunológico. Ela pode se manifestar apenas de forma cutânea ou ser generalizada.

As causas que podem estar relacionados ao seu surgimento incluem exposição ao sol, uso de medicamentos e infecção por vírus ou bactéria.

A doença pode acarretar diversos sintomas, como febre, fadiga, lesões na pele, dificuldades para respirar, queda de cabelo e, também, feridas na boca.

Abcesso dentário

O abcesso dentário caracteriza-se pelo acúmulo de pus nos dentes ou nas gengivas. Ele se desenvolve em decorrência de uma infecção bacterina, podendo haver dois tipos, o periodontal e o periapical.

O abcesso periodontal ocorre entre o dente e a gengiva. Normalmente a infecção ocorre devido ao acúmulo de comida entre a gengiva e o dente.

Já o abcesso periapical é uma infecção que se instala na raiz dentária em decorrência de uma cárie profunda, podendo se espalhar para o osso adjacente.

Apesar dos vários sintomas sentidos, como dor, inchaço gengival, febre e até mesmo mau hálito, um dos sinais característicos do abcesso dentário é a ferida na boca.

Doença celíaca

A doença celíaca é um distúrbio gastrointestinal, uma doença autoimune que geralmente é hereditária.

Pessoas com a doença celíaca são intolerantes ao glúten. Tal intolerância faz com que o sistema imunológico ataque o intestino delgado na presenta da proteína. Quando isso ocorre, outros áreas do corpo são atingidas, como a boca.

Dessa forma, um dos sintomas mais característicos da doença celíaca é o aparecimento de aftas pela região oral. Além disso, é possível observar outros sintomas, como defeitos visíveis no esmalte do dente, erupções cutâneas, dores de cabeça, fadiga e diarreia.

Doença de Crohn

A doença de Crohn é uma doença inflamatória intestinal que afeta o aparelho digestivo, isto é, desde a boca até o ânus.

Suas causas estão relacionadas a combinações de fatores ambientais, imunitários e bacterianos em indivíduos já predispostos.

Na doença de Crohn, o sistema imunológico ataca o aparelho digestivo. Seus sintomas orais incluem inchaço nas gengivas e nos lábios e úlceras na boca.

Câncer na boca

O câncer na boca é um tumor maligno que se desenvolve nas estruturas da boca, ou seja, que tanto na parte interna, como gengivas, bochechas e céu da boca, por exemplo,  quanto nos lábios.

Esse câncer é caracterizado pelo aparecimento de lesões por toda a cavidade oral ou ferida nos lábios, que não cicatrizam por mais de 15 dias. Também observa-se manchas vermelhas ou esbranquiçadas na boca.

Tais lesões provocam dificuldade na fala e na alimentação, chegando a sangrar.

Queilite angular

A queilite angular, conhecida mais popularmente como boqueira, é o aparecimento de uma ferida no canto da boca, provocada pelo desenvolvimento de fungos ou bactérias.

A queilite se dá pelo contato excessivo dos lábios com a saliva, mais especificamente pelo hábito constante de lamber os lábios com o intuito de deixá-los “hidratados”.

No entanto, o pH da saliva pode ser prejudicial aos lábios, especialmente em casos de baixa imunidade.

Casos de boqueira são comuns em bebês, em caso de prótese dentária ou uso de aparelho ortodôntico.

Líquen plano

O líquen plano é uma doença de caráter inflamatório que atinge a pele, mucosas, cabelos e unhas.

Trata-se de uma erupção inflamatória recorrente que pode vir acompanhada de lesão orais e também genitais. Pode se apresentar por meio de bolhas, placas hipertróficas, de forma papulosa ou erosiva.

As causas relacionadas à condição não é exata, mas podem ser imunológicas, neurológicas ou infecciosas.

Mononucleose

A mononucleose, também chamada de “doença do beijo”, é uma doença transmissível pela saliva, causada pelo vírus Epstein-Barr (VEB).

Apesar de, por si só, não causar feridas na boca – apesar dos outros sintomas, como dor de garganta e febre – a presença de feridas na boca intensifica as chances de transmissão da doença.

Sífilis

A sífilis é uma doença bacteriana sexualmente transmissível que atinge principalmente os órgãos genitais, mas pode ter manifestação oral, ou ser transmitida também via oral.

Em seu estágio inicial, pode apresentar uma úlcera, chamada de cancro, na região onde houve contato – geralmente língua e céu da boca.

Quando a sífilis está em seu estágio secundário, é comum o aparecimento de manchas esbranquiçadas no ambiente oral. Também podem ser comuns lesões de aparência verrucosa, nesse estágio.

No terceiro estágio, podem aparecer áreas inchadas e até mesmo endurecidas, capazes de destruir os tecidos e causar perfurações.

Papilite

A papilite é uma inflamação que atinge a papila gustativa. Ela pode se manifestar por diversas razões, como uso do aparelho ortodôntico, estresse e má higienização oral.

Como as outras mencionadas, a papilite pode causar lesões na cavidade bucal, como bolhas e protuberâncias. Também é comum o aparecimento de placas vermelhas na língua e dor.

Sialodenite

A sialodenite é uma inflamação da glândula salivar causada por bactérias que se alojam no duto salivar, o que pode ser resultado de uma má higienização da cavidade bucal.

A deficiência na glândula pode provocar a baixa produção salivar que, por sua vez, pode tornar a boca mais suscetível à infecções.

As consequências incluem a formação de edemas dolorosos, dentre outros sintomas que podem atingir o corpo, como febre e mal estar.

Características da ferida na boca

Características da ferida na boca

É possível que a causa que envolve o aparecimento da ferida bucal não seja reconhecida logo no início.

Dessa forma, quando a causa da lesão bucal não é reconhecida pelo paciente, é necessário que este consulte um especialista o quanto antes. Afinal, como já vimos, ao passo que uma lesão pode ser comum e passageira, outros tipos podem significar verdadeiros problemas à saúde bucal e do próprio corpo no geral.

Entretanto, será mais fácil para o paciente identificar a causa da ferida por meio da análise das características da lesão. Essa análise, contudo, não deve substituir um consulta com um odontologista ou um clínico geral, ressaltamos.

Assim, confira a seguir algumas das características das lesões que podem atingir o ambiente oral:

Uma lesão ou ferida na boca pode abranger desde um simples corte, uma pequena mancha ou até uma bolha cheia de líquido. O formato e o tamanho da ferida vão depender do motivador e da gravidade da situação.

Em geral, as podem haver feridas avermelhadas e sangramento. Porém, a formação de áreas esbranquiçadas ou amareladas também pode ser um indicativo de feridas na boca.

As feridas ou inflamações na boca podem afetar qualquer área da cavidade oral, sejam os lábios, a língua, o interior das bochechas e até mesmo a garganta.

É normal que essas feridas sejam dolorosas, dificultando hábitos comuns como mastigar ou falar até que elas estejam curadas.

No entanto, em casos como o câncer de boca, as feridas podem aparentar pequenas aftas, mas, quando em seus primeiros estágios, normalmente não causam dor.  Nesse caso, o aparecimento de lesões semelhantes à aftas e indolores pode ser um indicativo de condições mais graves.

Principais causas de ferida na boca

Principais causas de ferida na boca

Como você já sabe, as feridas na boca podem surgir por diversas razões. Para que você fique atento quanto os fatores de risco, listamos as principais causas de ferida na boca. Confira a seguir:

  • Deficiências nutricionais;
  • Anemia;
  • Baixa produção salivar;
  • Dentadura mal encaixadas ou mal adaptadas;
  • Ponta de um dente quebrado ou restauração não polida que fere a mucosa;
  • Diabetes;
  • Alcoolismo;
  • Alterações hormonais;
  • Uso de determinados medicamentos;
  • Bulimia;
  • Baixa imunidade;
  • Excesso de acidez na boca;
  • Infecção fúngica;
  • Doenças autoimunes;
  • Infecções virais e bacterianas;
  • Quimioterapia e radioterapia para tratamento de câncer;
  • Antibióticos;
  • Lesões traumáticas;
  • Sensibilidade a alimentos picantes, salgados ou ácidos;
  • Tabagismo;
  • Deficiência de vitamina B;
  • Estresse;
  • Doença sistêmica, como a leucemia ou o HIV;

Ao vivenciar qualquer das condições citadas acima, aliado ao aparecimento de lesões na cavidade oral, é indicado a procura de um odontologista para a realização de uma análise mais aprofundada e assertiva.

Riscos da ferida na boca

Riscos da ferida na boca

As lesões e feridas na boca representam uma ameaça para a saúde da cavidade oral.

Isso porque o acúmulo de bactérias ao redor da ferida pode, posteriormente, aumentar os riscos de infecções na boca.

Não apenas isso, mas, a depender da causa que provoque o aparecimento da ferida, não apenas a saúde bucal, mas também a saúde do corpo de forma geral também pode correr sérios riscos.

Isso porque, como vimos, o surgimento de lesões no ambiente oral nem sempre pode ser considerado algo inofensivo, já que muitas doenças graves, especialmente as autoimunes, possuem como sintoma o aparecimentos de feridas ou inflamações bucais.

Dessa forma, ressaltamos que o aparecimento dessas lesões deve ser levado à sério, uma vez que, ao se negligenciar as lesões, ou não se dar a devida importância à elas, muitos acabam por descobrir graves enfermidades já em seu estágio avançado.

É o caso, por exemplo, do câncer de boca, doença em que o diagnóstico precoce um fator preponderante para as chances de cura. Por outro lado, o diagnóstico tardio é a principal causa de mortes.

Prova disso é que se o câncer de boca for diagnosticado em seus estágios inicias a retirada cirúrgica do câncer pode ser realizada. Em contrapartida, quando em seus estágios avançados, o tratamento é considerado mais agressivo, sendo necessário a realização de sessões de radio ou quimioterapia.

Nesse caso em especial, é preciso atenção redobrada, já que esse tipo de câncer é comumente confundido com aftas, devido a aparência similar. No entanto, como já dito anteriormente, uma vez que a dor causada por aftas é bastante conhecida, em casos do câncer bucal, as feridas costumam ser indolores.

Quando devo procurar um médico?

Quando devo procurar um médico?

Qualquer sinal anormal dado pelo corpo já é um motivo bom o suficiente para procurar a ajuda especializada de um médico. Afinal, nosso corpo trabalha como uma perfeita máquina. Não é preciso dar ordens, por exemplo, para que nosso coração bata ou para que nosso pulmão filtre o ar que adentra pelas narinas.

Contudo, quando algo deixa de funcionar bem, ou quando o corpo se sente ameaçado por algum agente externo, sinais são proferidos por ele, a fim de manifestar as falhas em seu desempenho.

Dessa forma, quando feridas surgem na cavidade oral, nosso corpo deixa claro que há algo de errado acontecendo. Seja acúmulo de estresse, baixa imunidade, infecções e até mesmo doenças mais graves.

Por isso, ainda que as lesões sejam simples aftas, trata-se de uma manifestação do organismo que indica má alimentação ou baixa imunidade ou desidratação entre outras condições.

Assim, a ida ao médico mostra-se necessária mesmo quando a situação parece simples e de fácil resolução, como é o caso das próprias aftas. Pois, o médico não apenas o ajudará a tratar o problema, mas investigará suas verdadeiras causas, a fim de restabelecer o bom funcionamento do organismo.

O que fazer quando uma ferida na boca não cicatriza?

O que fazer quando uma ferida na boca não cicatriza?

Contudo, alguns casos merecem atenção redobrada e a procura imediata de um odontologista.

São os casos onde as lesões bucais não cicatrizam espontaneamente em até 10 dias. Esse tipo de condição normalmente caracteriza-se como câncer de boca.

Se observado esse tipo de lesão, o paciente deverá procurar imediatamente por um odontologista, já que o diagnóstico precoce do câncer de boca é essencial e aumentam significativamente as chances de cura.

Desse modo, o médico dentista poderá analisar a ferida na boca, examinar suas possíveis causas e indicar os tratamentos mais adequados.

Tire suas dúvidas

Tire suas dúvidas

Como prevenir o aparecimento de lesões bucais?

O modo mais eficaz de prevenção é a diminuição dos fatores de risco, ou seja, manter o corpo hidratado, alimentação saudável, equilíbrio de vitaminas no organismo, abandonar o hábito de fumar etc.

Exames regulares ao dentista também aumentam a probabilidade de identificar mais rapidamente feridas e infecções na boca.

Quais medicamento são utilizados para tratar ferida na boca?

A indicação de um remédio para ferida na boca dependerá diretamente de sua causa. A medicação utilizada para o tratamento pode ser o anti-inflamatório, o antibiótico, um antiviral e até mesmo antifúngicos.

Nos casos mais graves poderão ser usados corticoides, imunossupressores, realizados procedimentos cirúrgicos e sessões de radio e quimioterapia.

Feridas aparecem frequentemente na minha boca e demoram para cicatrizar. Pode ser câncer?

Tumores na cavidade oral que não cicatrizam caracterizam a possibilidade de ser câncer. Do contrário, podem constituir outros tipos de lesões. Recomenda-se a procura de um profissional.

Fumantes correm mais riscos de ter câncer de boca?

Os fumantes são, especialmente, os que correm riscos mais altos para esse câncer. A incidência de casos é muito grande na parte inferior da boca, onde fica a nicotina.

Fiz uma extração dentária há muito tempo e, até o momento, não cicatrizou. Pode ser alguma doença?

É possível, mas nem sempre. O ideal é buscar ajuda odontológica o mais rápido possível para uma reavaliação.

Aftas constantes podem indicar câncer?

Não. O câncer é uma lesão que não cicatriza. No entanto, aftas constantes podem significar outros problemas, como baixa imunidade.

O sapinho é contagioso?

O sapinho, ou a candidíase, pode ser transmitido apenas em casos de baixa imunidade.

Sapinho é comum em adultos?

O sapinho é muito mais comum em bebês. Quando aparece em adultos pode ser um sinal de alerta. É recomendado a procura de um odontologista rapidamente.

Tenho uma ferida na boca que não sara, o que pode ser?

Uma ferida na boca que não sara é associada ao câncer de boca. Procure imediatamente um odontologista.

Ramiro Murad
Ramiro Murad
Ramiro Murad Saad Neto, cirurgião-dentista com registro no Conselho Regional de Odontologia de São Paulo (CRO-SP) nº 118151, é graduado pela UNIC e residente em Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial Facial no Sindicato dos Odontologistas de São Paulo (SOESP - SP). Possui habilitação em Harmonização Orofacial e também é gestor de clínicas e franquias odontológicas. Além disso, é integrante da equipe Bucomaxilofacial da Clínica da Villa, que está na Rua Eça de Queiroz, 467 - Vila Mariana, São Paulo - SP.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sobre a Simpatio
Somos dedicados em criar conteúdo de qualidade e informativo. Nossa missão é informar pacientes, dentistas e clínicas provendo conteúdos altamente relevantes sobre odontologia e saúde bucal gratuitamente.
Agende uma consulta
Precisando de algum tipo de ajuda ou apoio relacionado a sua saúde ou estética bucal? Clique no botão abaixo!

Postagens Recentes

Receba Nossos Conteúdos

Preencha seu e-mail acima e receba conteúdos exclusivos gratuitamente!

Simpatio 2021 © - Todos os Direitos Reservados

As informações contidas neste site têm como objetivo único informar. A Simpatio tem o compromisso de estimular, e nunca substituir, as relações entre dentistas e pacientes. Sempre deixamos isso muito claro nos textos e na comunicação com nossos leitores. É fundamental que o paciente, ao notar qualquer alteração em sua saúde bucal, consulte seu dentista de confiança. Cada indivíduo requer um tratamento personalizado.

Os conteúdos da Simpatio são escritos por jornalistas e possuem a supervisão e a aprovação de dentistas e de profissionais de saúde parceiros.