Lúpus causa diversos problemas à saúde bucal

Share on facebook
Compartilhe
Share on twitter
Tweet Isso
Share on linkedin
Compartilhe

O lúpus é uma doença autoimune que atinge várias partes do corpo, desde órgãos a tecidos

Doenças autoimunes são doenças ligadas diretamente ao nosso sistema imunológico. Elas ocorrem quando o sistema passa a atacar as células saudáveis do corpo como se fossem inimigos, como é o caso do lúpus.

E o dentista precisa fazer um acompanhamento de perto do lúpus e saúde bucal, pois ele afeta a cavidade bucal.

O lúpus é uma doença inflamatória que atinge diversos órgãos e tecidos, como pele, articulações, rins e cérebro.

Causa do lúpus

Não se sabe ainda a causa do lúpus. Especialistas acreditam que ele provém de uma combinação de fatores, como hormonais, infecciosos, genéticos e ambientais.

Embora seja crônico, o lúpus eritematoso sistêmico pode ser controlado com tratamentos. Assim, é comum que seu aparecimento passe a ser intermitente, ou seja, que manifeste-se de tempos em tempos.

Sintomas do Lúpus

Os sintomas do lúpus podem se desenvolver de modo repentino ou lento. Há ainda a condição de serem moderados ou graves e temporários ou permanentes.

Os sinais da doença variam conforme a parte do corpo que foi afetada.

  • Fadiga;
  • Febre;
  • Dor nas articulações;
  • Rigidez nos músculos;
  • Inchaço em partes do corpo;
  • Vermelhidão no rosto, principalmente nas bochechas e no nariz;
  • Sensibilidade ao sol;
  • Dificuldade em respirar;
  • Dor no peito;
  • Dor de cabeça;
  • Perda de memória;
  • Linfonodos inchados;
  • Queda de cabelo;
  • Feridas na boca;
  • Sensação de mal estar.

Diagnóstico de Lúpus

Como existem vários sintomas, é muito difícil realizar o diagnóstico do problema.

Para saber de fato se trata-se dessa doença autoimune, o médico deverá chegar à conclusão por meio de exames, como os de urina e sangue, em conjunto com as manifestações apresentadas pelo paciente.

Além desses dois exames citados, há a possibilidade do profissional requerer outros exames para dar mais propriedade ao diagnóstico. Dessa forma, será efetuado exames físicos, exames de anticorpos, hemograma, radiografia do tórax e biópsia renal.

Tratamento da Doença Autoimune

Como dissemos, não existe uma cura definitiva, mas há maneiras de reduzir o distúrbio, melhorando a qualidade de vida da pessoa.

Normalmente, os pacientes com LES mais moderada fazem uma abordagem terapêutica com:

  • Anti-inflamatórios para artrite e pleurisia;
  • Protetor solar;
  • Corticoide tópico em cima das lesões de pele;
  • Hidroxicloroquina.

Em situações mais graves, é necessário intervir de outro modo:

  • Alta dosagem de corticoides ou similares;
  • Citotoxinas.

Se não controlado corretamente, pode evoluir e causar complicações mais severas em órgãos importantes do corpo, como os rins, o cérebro, os vasos sanguíneos, os pulmões e o coração.

Tipos de Lúpus

  1. Lúpus discoide – quando está limitada à pele. É identificado por lesões cutâneas avermelhadas.
  2. Lúpus sistêmico – é o mais comum. Por ser sistêmico, acomete muitos órgãos e sistemas do corpo, não se restringindo à pele. Causa inflamações nos rins, no coração, nos pulmões, no sangue e nas articulações.
  3. Lúpus induzido por drogas – algumas drogas ou medicamentos podem induzir o paciente à doença, sendo contida no instante em que param de consumi-los.
  4. Lúpus neonatal – nessa ocasião, que é rara, o lúpus neonatal afeta os filhos de mulheres que sofrem com a patologia. No entanto, os sintomas desaparecem com o decorrer da vida da criança.

Lúpus na odontologia

Há uma relação entre lúpus e odontologia. Alguns pacientes apresentam úlceras bucais ou lesões bucais. Elas podem ser crônicas ou agudas. Às vezes, são bastante semelhantes com outros tipos de feridas na boca.

Então, é preciso que haja uma interdisciplinariedade para diagnosticar o distúrbio, sendo necessário a presença de um reumatologista.

Os tratamentos desses machucados envolvem o uso de pomadas anestésicas e laserterapia, que atua como anti-inflamatório e bioestimulante.

É possível que o LES afete as glândulas salivares, fazendo com que o paciente tenha boca seca, o que afeta a saúde bucal. Posteriormente, a xerostomia permite que exista uma facilidade em desenvolver doenças periodontais, como gengivite e periodontite.

Além disso, podem ter também dificuldades em movimentar a mandíbula.

Como as pessoas com essa disfunção possuem imunidade baixa na maioria dos casos, elas tem mais chances de ter candidíase oral, estomatite aftosa e herpes.

Portanto, é fundamental que os pacientes com lúpus visitem seus dentistas periodicamente, a fim de conter os problemas bucais, e façam uma ótima higienização da boca.

Ramiro Murad Saad Neto

Ramiro Murad Saad Neto

Cirurgião-dentista graduado em Odontologia pela UNIC. Gestor de clínicas odontológicas e franquias. Residente em Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial Facial no Sindicato dos Odontologistas de São Paulo (SOESP - SP). Habilitação em Harmonização Orofacial e integrante da equipe Bucomaxilofacial Dr. Carlos Eduardo Xavier na Clínica da Villa, em São Paulo. CRO - 118151

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sobre a Simpatio

Somos dedicados em criar conteúdo de qualidade e informativo. Nossa missão é informar pacientes, dentistas e clínicas provendo conteúdos altamente relevantes sobre odontologia e saúde bucal gratuitamente.

Agende uma consulta

Precisando de algum tipo de ajuda ou apoio relacionado a sua saúde ou estética bucal? Clique no botão abaixo!

Postagens Recentes

Receba Nossos Conteúdos

Preencha seu e-mail acima e receba conteúdos exclusivos gratuitamente!

© All rights reserved

Simpatio 2018

As informações contidas neste site têm como objetivo único informar. A Simpatio tem o compromisso de estimular, e nunca substituir, as relações entre dentistas e pacientes. Sempre deixamos isso muito claro nos textos e na comunicação com nossos leitores. É fundamental que o paciente, ao notar qualquer alteração em sua saúde bucal, consulte seu dentista de confiança. Cada indivíduo requer um tratamento personalizado.