Mindfulness: técnica que ajuda durante os procedimentos odontológicos

Share on facebook
Compartilhe
Share on twitter
Tweet Isso
Share on linkedin
Compartilhe

Hoje em dia não faltam tecnologias e técnicas para auxiliar os dentistas durante procedimentos odontológicos. Mas dentre os métodos, podemos citar o mindfulness.

Entretanto, não são apenas os dentistas que podem aprender a fazer e utilizar do mindfulness, tendo em vista que é uma prática para ajudar a aliviar tensões.

Mindfulness é uma técnica que tem como base algumas teorias budistas e filosóficas que tem como objetivo final aperfeiçoar a atenção.

Dessa maneira, a intenção é que aqueles que utilizam dessa metodologia cheguem ao estado de atenção plena.

Todavia, existem diversas vantagens que a prática oferece, dentre elas podemos elencar principalmente:

Entretanto, essas são apenas alguns dos seus benefícios, ainda podemos encontrar outros como:

  • Aumento de sociabilidade por criar senso de empatia;
  • Diminuição do ego, fazendo com que a pessoa não seja muito apegada à coisas e pessoas;
  • Mudança de comportamentos e também de atitudes;
  • Combate à depressão, bem como perda de memória, doenças crônicas e resfriados;
  • Auxílio para controlar as emoções e sentimentos;
  • Aumento do desempenho para trabalhar.

Neste artigo nós iremos abordar esse tema e mostrar como ele pode ser aplicado, e também qual é a sua relação com a odontologia, tanto para os dentistas quanto para os pacientes.

Ficou curioso e interessado? Então confira aqui conosco!

Qual é a origem dessa prática?

No ano de 1979 o professor Dr. Jon Kabat-Zinn começou a desenvolver pesquisas acadêmicas na Universidade de Massachusetts com a intenção de combater, ou amenizar, o estresse e dores que ele estava sentindo.

Sendo assim, tendo como base algumas técnicas e ideologias budistas e filosóficas, como meditação e yoga, ele conseguiu chegar à uma maneira de amenizar principalmente o estresse, o mindfulness.

A prática constitui-se em estar acordado no presente de uma maneira livre de julgamentos, de forma a ter controle principalmente sobre a atenção, ações e sentimentos.

Para isso, podem ser utilizados exercícios de meditação, bem como técnicas cognitivas e comportamentais também.

Além disso, o professor de psicologia clínica, Mark Williams, criou uma das regulamentações de intervenção clínica para a técnica, chamada de Mindfulness-based Cognitive Therapy, o MBCT.

Esse protocolo, por sua vez, foi utilizado para mostrar a ação positiva que a técnica causava em pessoas com quadros diagnosticados de depressão.

E foi desde então que esse procedimento que traduzido do inglês significa sati em pali, expressão da língua budista para estar atento ou estar alerta, começou a ganhar expressividade.

Como deve ser praticada a técnica?

Podemos dizer que é algo bem simples de ser feito, mas é como diz o ditado: a prática leva à perfeição!

Sendo assim, é necessário que seja feito um trabalho contínuo para aprimorar a técnica e começar a sentir uma melhora do quadro.

E para fazer a prática de mindfulness existem alguns passos que devem ser seguidos após separado um tempo diariamente para que se torne um hábito.

Feito isso, confira os passos para obter um bom resultado na técnica de atenção plena:

  1. Sentar: escolha um local calmo para sentar onde possa ser mantida uma boa postura;
  2. Definir por quanto tempo será realizado: o essencial é começar durante tempos curtos como cinco ou dez minutos, e ir aumentando gradativamente;
  3. Prestar atenção ao corpo: como citado anteriormente, é essencial estar em uma posição confortável, com boa postura e estável para que dê certo;
  4. Sentir a respiração: é então após perceber o movimento que o corpo faz ao respirar que a técnica começa a surtir efeito;
  5. Perceber quando fica com a mente vazia: é comum que pensamentos comecem a surgir, e caso isso aconteça deve procurar manter a atenção em nenhum pensamento;
  6. Ser gentil a si próprio: manter a calma e a tranquilidade conforme pensamentos somem, afinal a ideia é não pensar em nada.

Entretanto, é válido lembrar que é necessário ter paciência e cuidado durante a prática, principalmente contra possíveis julgamentos que podem surgir.

Entretanto, lembre-se que o objetivo da mindfulness não é calar a mente, e sim prestar atenção ao que está acontecendo e sendo feito no momento.

Mas caso aconteça de algo causar uma distração, é recomendado voltar a atenção e o foco na respiração para voltar a concentração.

Qual é a finalidade da mindfulness a quem faz?

Aqui nós já falamos bastante coisa a respeito da técnica. Mas afinal, para que serve o mindfulness de fato?

Podemos dizer, em termos mais simples, que essa prática tem relação com a aceitação sobre o momento presente, e também uma permissão para aproveitá-lo.

Sendo assim, essa técnica permite a mente que fique com foco e concentração total no presente.

Dessa maneira as pessoas que realizam a prática da técnica aprimoram uma habilidade para extrair o máximo possível de qualquer situação que surgir, seja ela boa ou não.

Todavia, essa técnica também ajuda na hora de lidar com desconfortos, sejam eles físicos ou então emocionais e sentimentais.

Além disso, a técnica também ajuda a compreender dificuldades e problemas do homem causadas principalmente pelo estresse, como ansiedade e depressão por exemplo.

Sendo assim, podemos dizer que a serventia desse procedimento é principalmente entender e cuidar melhor do corpo e como as emoções e o estresse afetam a vida cotidiana.

Quantos tipos diferentes de mindfulness existem?

As práticas duram em torno de oito semanas, e podem ser feitas individualmente ou em grupo, mas existem duas formas diferentes:

  1. Formal: quando ela é realizada em um local próprio, com horário marcado e uma postura confortável;
  2. Informal: em contraposição, essa maneira tem como foco realizar exercícios para manter uma atenção plena em situações do dia, como durante refeições, por exemplo.

Mas apesar de possuírem o mesmo fim, na primeira a ideia é exatamente a de criar um momento de concentração e de respiração feitas corretamente, tendo ciência de pensamentos, emoções e sentimentos.

Entretanto, a ideia é justamente a de não querer obter controle sobre esses três pontos, mas sim apenas entendê-los melhor, criando consciência sobre o presente.

Já no segundo, a intenção é diminuir a reação as coisas que acontecem, de forma a amenizar sentimentos ruins e possíveis sofrimentos e aumentar o bem-estar.

Existe um local onde poder ser estudada a técnica?

Para ajudar principalmente quem está começando ou deseja começar, pode ser feito um curso de mindfulness.

Existem opções presenciais e virtuais que ensinam as técnicas e como aplicá-las no dia a dia.

Em média esses cursos possuem uma duração de oito semanas, e o valor varia entre R$300 a mil reais.

O que pode mudar dependendo do local que oferece o curso são temas quanto à yoga, ao bem-estar, inteligência emocional, a neurociência e também outras áreas que exercem influência sobre o autoconhecimento.

De toda maneira, é um procedimento fortemente indicado à pessoas que desejam começar com a prática para cuidar de problemas como ansiedade e estresse corriqueiros.

A técnica de mindfulness pode ser aplicada na odontologia?

Existem também correntes de estudos que relacionam o uso da mindfulness para odontologia.

Entretanto, isso se aplica para ambos: dentista e paciente.

As aplicações, por sua vez, são as mais diversas principalmente quando estamos falando dos pacientes.

Sendo assim, essas linhas são aplicadas desde uma maneira de virar a chave do piloto automático para escovar os dentes, por exemplo, à formas de perder o medo de ir ao dentista ou sentir menos dor.

Agora você deve estar se perguntando: como eu posso usar a mindfulness para escovar os dentes?

Bem, na verdade isso é algo simples e que alguns dentistas consideram como um momento para higienizar também a mente além de manter a saúde bucal.

Mas para fazer isso, é aconselhado que o paciente siga alguns passos como respirar lentamente pelas narinas de forma cuidadosa e sinta principalmente as cerdas passando pelos dentes e na gengiva.

Dessa maneira, deve-se sentir bem o gosto do creme dental e observar os dentes limpos enquanto respira fundo e sente gratidão por tudo o que os dentes proporcionam como mastigação, fala e também um belo sorriso.

Já para o profissional, a técnica serve como uma forma de desestressar e proporcionar um cuidado e uma atenção maiores com o procedimento que está sendo feito no paciente.

Dessa maneira, ela auxilia para que o estresse gerado pela profissão seja diminuído e o piloto automático não seja seguido, garantindo uma melhor relação com cada um dos pacientes individualmente.

E sendo assim, a prática também ajuda na hora de tomar decisões durante um tratamento odontológico, seja ele qual for.

Agora que você sabe todas as vantagens e como a técnica pode melhorar também a saúde bucal, que tal começar a praticar o mindfulness?

Ramiro Murad
Ramiro Murad
Ramiro Murad Saad Neto, cirurgião-dentista com registro no Conselho Regional de Odontologia de São Paulo (CRO-SP) nº 118151, é graduado pela UNIC e residente em Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial Facial no Sindicato dos Odontologistas de São Paulo (SOESP - SP). Possui habilitação em Harmonização Orofacial e também é gestor de clínicas e franquias odontológicas. Além disso, é integrante da equipe Bucomaxilofacial da Clínica da Villa, que está na Rua Eça de Queiroz, 467 - Vila Mariana, São Paulo - SP.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sobre a Simpatio
Somos dedicados em criar conteúdo de qualidade e informativo. Nossa missão é informar pacientes, dentistas e clínicas provendo conteúdos altamente relevantes sobre odontologia e saúde bucal gratuitamente.
Agende uma consulta
Precisando de algum tipo de ajuda ou apoio relacionado a sua saúde ou estética bucal? Clique no botão abaixo!

Postagens Recentes

Receba Nossos Conteúdos

Preencha seu e-mail acima e receba conteúdos exclusivos gratuitamente!

Simpatio 2021 © - Todos os Direitos Reservados

As informações contidas neste site têm como objetivo único informar. A Simpatio tem o compromisso de estimular, e nunca substituir, as relações entre dentistas e pacientes. Sempre deixamos isso muito claro nos textos e na comunicação com nossos leitores. É fundamental que o paciente, ao notar qualquer alteração em sua saúde bucal, consulte seu dentista de confiança. Cada indivíduo requer um tratamento personalizado.

Os conteúdos da Simpatio são escritos por jornalistas e possuem a supervisão e a aprovação de dentistas e de profissionais de saúde parceiros.