Doença de Behçet provoca alterações na saúde bucal

Share on facebook
Compartilhe
Share on twitter
Tweet Isso
Share on linkedin
Compartilhe

Confira aqui como a doença de Behçet é relacionada com a área da odontologia

Se você apresenta feridas na boca, erupções na pele e dores nos olhos, é bom ficar atento! Você pode estar com a doença de Behçet.

O profissional avalia de forma muito criteriosa o quadro clínico do paciente para ter certeza que ele tem a doença de behçet. Mas, afinal, que doença é essa?

Doença de Behçet é uma síndrome que afeta os vasos sanguíneos e causa inflamações nesse sistema. A doença não tem cura, por isso, os tratamentos são indicados para minimizar os seus efeitos. Além disso, ela não é contagiosa.

Se você ficou interessado pelo assunto, então fique ligado neste artigo! Vamos tirar todas as suas dúvidas e mostrar curiosidades sobre a doença de behçet na área da odontologia.

Principais Sintomas da Doença de Behçet

Os principais sintomas manifestados por pacientes com a doença da inflamação dos vasos sanguíneos são:

  • Erupções na pele;
  • Feridas na boca;
  • Feridas na área dos órgãos genitais;
  • Inflamações na região dos olhos;
  • Dores nas articulações;
  • Lesões vermelhas que se parecem com a acne;
  • Manifestação de aftas;
  • Visão embaçada; e
  • Hipersensibilidade à luz.

Assim que você notar os sintomas da síndrome de neuro-Behçet, é ideal procurar pela orientação do profissional da área da saúde. Dessa forma, ele realiza o diagnóstico. E como esse processo é feito?

Bom, a resposta é simples: por meio de exames. O profissional realiza o exame clínico, composto pela anamnese e pelo exame físico.

É durante a anamnese que o profissional faz perguntas sobre os sintomas e avalia o histórico médico do paciente. Algumas perguntas que podem ser feitas durante essa etapa são:

  • Há quanto tempo você notou esses sintomas?
  • Quais são os principais sintomas manifestados?
  • Alguém da sua família já teve a doença de behçet?
  • Você faz o uso de algum medicamento?

Enquanto isso, no exame físico são analisadas as lesões e erupções, por exemplo. Caso seja necessário, o profissional pode pedir por exames complementares.

Quais São as Causas?

Os profissionais da área da saúde apontam que a causa para a síndrome de behçet é desconhecida. No entanto, eles concluem que a manifestação da mesma pode estar relacionada com fatores genéticos e ambientais.

Melhores Tratamentos Para a Doença de Behçet

Devemos lembrar que a doença não tem cura. Por isso, os tratamentos são indicados para minimizar os efeitos decorrentes da síndrome.

Além disso, por afetar diversas partes do corpo, o tratamento é realizado de maneira interdisciplinar.

Os profissionais da área da reumatologia, oftalmologia, odontologia, clínica geral, ginecologia e dermatologia são exemplos de participantes que entram no processo do tratamento.

O tratamento é realizado, na maioria dos casos, com o uso de medicamentos. Os principais fármacos utilizados são:

  • Corticoides;
  • Anti-inflamatórios;
  • Antiácidos;
  • Anestésicos locais;
  • Imunossupressores; e
  • Antissépticos.

Mas não esqueça: é importante o protocolo medicamentoso na odontologia para você conseguir o remédio na farmácia. Assim, o profissional consegue controlar a dose e você tem uma orientação correta de como o tratamento com o remédio deve acontecer.

Além disso, para os olhos os oftalmologistas podem indicar o uso de colírios. Eles podem ser aplicados em quantidades e períodos diferentes. Por isso, é importante ter o protocolo do médico nesse caso também.

O tratamento é planejado pelos profissionais responsáveis pelo caso clínico a partir da avaliação do estado do paciente.

Como Ela se Relaciona com a Odontologia?

Como já vimos na parte dos sintomas, a doença pode afetar a cavidade bucal.

As principais alterações decorrentes da síndrome são:

  • Aftas; e
  • Doenças periodontais.

Vamos agora conhecer mais um pouco sobre cada uma dessas alterações. Confira!

Aftas

A afta é uma pequena ferida que se forma dentro da boca, ou seja, na mucosa bucal. Pode ser identificada por sua forma arredondada, com centro amarelado ou esbranquiçado e vermelhidão ao redor.

Ela é motivo de muita dor e desconforto, e, mais raramente, de febres e mal-estar. Normalmente, não desencadeia outros problemas mais graves, mas ainda assim precisamos encontrar as melhores formas de como curar afta.

Algumas alternativas de tratamentos são:

  • Aplicação de pomadas analgésicas e corticoide tópico, pois ambos amenizam dores e controlam infecções;
  • Fazer bochecho com enxaguantes bucais para impedir a proliferação de bactérias;
  • Utilização de medicamentos antibióticos com o intuito de curar a infecção causadora das aftas.

Existem também alguns métodos caseiros que podem ser úteis na diminuição da dor ou na contenção das infecções, como bochecho com própolis ou a aplicação de gelo na região. Porém, essas são medidas paliativas.

O uso de bicarbonato de sódio, que é tradicionalmente indicado, não possui real eficiência no tratamento. Além disso, é possível que queimaduras sejam formadas na região, causadas pelo bicarbonato.

Doença periodontal

As doenças na gengiva são exemplos de fatores que causam o odor estranho na boca.

Elas também podem ser chamadas de doenças periodontais – alterações que comprometem a área da gengiva até o osso alveolar. As doenças periodontais são divididas em:

  • Gengivite;
  • Periodontite; e
  • Periodontite avançada.

Cada uma delas representa um estágio da inflamação na gengiva. Dessa forma, a gengivite é o estágio mais leve por ser inicial. Enquanto isso, a periodontite avançada representa o estágio mais agressivo.

A síndrome beneficia o acúmulo de bactérias na boca.

Com isso, esses microrganismos se concentram e se desenvolvem dentro da boca. Com o acúmulo e a falta de higiene oral, elas se proliferam e vão piorando os sintomas.

Mas quais são os sintomas das alterações na gengiva? Bom, a resposta é simples. Eles são:

  • Gengiva inchada;
  • Vermelhidão intensa das gengivas;
  • Sangramento ao escovar os dentes ou passar o fio dental;
  • Dor e sangramento da gengiva ao mastigar;
  • Acúmulo de placa dental;
  • Manchas no esmalte e dentina;
  • Os dentes parecem mais longos, porque a gengiva fica retraída;
  • Mau hálito e gosto ruim na boca; e
  • Nos casos mais graves pode haver sangramento espontâneo da gengiva.

É ideal marcar uma consulta com o profissional da odontologia. Dessa forma, você garante o diagnóstico definitivo e o melhor tratamento para a doença de behçet.

Ramiro Murad Saad Neto

Ramiro Murad Saad Neto

Cirurgião-dentista graduado em Odontologia pela UNIC. Gestor de clínicas odontológicas e franquias. Residente em Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial Facial no Sindicato dos Odontologistas de São Paulo (SOESP - SP). Habilitação em Harmonização Orofacial e integrante da equipe Bucomaxilofacial Dr. Carlos Eduardo Xavier na Clínica da Villa, em São Paulo. CRO - 118151

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sobre a Simpatio

Somos dedicados em criar conteúdo de qualidade e informativo. Nossa missão é informar pacientes, dentistas e clínicas provendo conteúdos altamente relevantes sobre odontologia e saúde bucal gratuitamente.

Agende uma consulta

Precisando de algum tipo de ajuda ou apoio relacionado a sua saúde ou estética bucal? Clique no botão abaixo!

Postagens Recentes

Receba Nossos Conteúdos

Preencha seu e-mail acima e receba conteúdos exclusivos gratuitamente!

© All rights reserved

Simpatio 2020

As informações contidas neste site têm como objetivo único informar. A Simpatio tem o compromisso de estimular, e nunca substituir, as relações entre dentistas e pacientes. Sempre deixamos isso muito claro nos textos e na comunicação com nossos leitores. É fundamental que o paciente, ao notar qualquer alteração em sua saúde bucal, consulte seu dentista de confiança. Cada indivíduo requer um tratamento personalizado.