Tipos de aparelho de contenção e suas funções

Share on facebook
Compartilhe
Share on twitter
Tweet Isso
Share on linkedin
Compartilhe

Quem passa por tratamento ortodôntico sabe bem que o uso do aparelho fixo é cheio de desafios. No entanto, a jornada pelos dentes perfeitos não termina com a retirada dos braquetes e fios. A próxima fase do tratamento ortodôntico é contenção.

Após o fim do uso do aparelho fixo os dentes tendem a retomar suas posições iniciais. Ou seja, sem um cuidado posterior, todo o tratamento feito é jogado fora. Por isso foi criado o aparelho de contenção.

O aparelho de contenção é usado para controlar o retorno dos dentes a sua posição original. Ele pode ser fixo ou móvel. O tempo de uso depende de cada tratamento, mas ambos são feitos para não atrapalhar a estética ou a fala.

Achou interessante? Então confira nesse artigo qual a diferença entre os tipos, como deve ser feita sua higienização e quanto tempo de uso é necessário.

O que é aparelho de contenção?

Como dissemos anteriormente, o tratamento ortodôntico não é feito de uma única etapa.

Na verdade, as etapas do tratamento ortodôntico incluem o tratamento ativo e a fase de contenção.

Essa segunda etapa, posterior ao uso do aparelho ortodôntico durante a primeira fase do tratamento, é fundamental para garantir os resultados obtidos até então.

A grande diferença entre o aparelho ortodôntico e o aparelho de contenção é que o primeiro é utilizada para movimentar os dentes intencionalmente. Já o segundo, apenas garante que a nova posição se mantenha intacta.

Isto é, o aparelho de contenção consolida a nova posição dos dentes e impede que eles voltem ao lugar de origem. Esse retorno dos dentes às posições iniciais é um movimento conhecido tecnicamente como recidiva.

A região mais propensa à movimentação dos dentes, e a que mais preocupa os ortodontista, é a dos incisivos inferiores.

Contudo, a recidiva pode acontecer em qualquer região dos dentes, o que é consequência da estrutura e constituição natural da arcada dentária.

Isto é, as fibras que dão sustentação aos dentes possuem uma condição elástica e também dispõem de uma memória capaz de rememorar a posição anterior dos dentes, desalinhando-os, caso não haja o uso da contenção.

Durante o uso do aparelho ortodôntico inicial, ocorre uma perda dessas fibras que ficam em volta dos dente por conta da força que o aparelho aplica sobre os dentes para movê-los.

Dessa forma, para que o tratamento ortodôntico seja finalizado com sucesso, é preciso que o organismo reponha as fibras perdidas. Até que isso ocorra, o uso do aparelho de contenção ortodôntico é necessário, evitando, assim, a recidiva.

Portanto, o aparelho de contenção é um dispositivo necessário para garantir o sucesso do tratamento ortodôntico e seu uso não deve ser negligenciado pelo paciente. Isso quer dizer que seu tempo de uso deve ser obedecido, a fim de completar o tratamento e garantir um sorriso harmônico.

Tipos de aparelho de contenção

Tipos de aparelho de contenção

Durante a segunda fase do tratamento ortodôntico, o período de contenção, nem todo mundo irá utilizar o mesmo tipo de placa de contenção.

A ideia é a mesma do aparelho ortodôntico. Cada indivíduo possui uma necessidade diferente durante o seu uso e, portanto, cada um utiliza um tipo de aparelho ortodôntico diferente, de acordo com o seu caso específico.

Para o uso da placa de contenção a mesma lógica é aplicada. De acordo com o seu tipo de caso, o ortodontista responsável pelo seu tratamento indicará o tipo de contenção que mais se adapta às suas necessidades.

Mas, você sabe quais são os tipos de contenção e para quais casos ela são indicadas? Veja a seguir:

Essencialmente, podemos dividir os tipos de contenções ortodônticas entre móvel e fixa. No entanto, dentro dessas duas classificações, encontramos, ainda, outras especificações:

  1. De acetato
  2. De Hawley e de Begg
  3. Ortodôntica reta
  4. Ortodôntica higiênica

Vamos entender melhor?

Aparelho de contenção móvel

O aparelho de contenção móvel é similar ao aparelho móvel tradicional, muito usado como tratamento antes do aparelho fixo.

Pode ser usado tanto para a contenção dos dentes superiores como inferiores. O modelo encaixa nos dentes e no céu da boca, podendo ser retirado a qualquer momento pelo paciente.

Apesar de soar mais atrativo pela sua praticidade, esse modelo também tem um lado negativo. Muitos pacientes não usam o aparelho pelo tempo indicado pelo dentista, justamente por tirarem toda hora ou por se esquecerem de colocar.

Esse fator pode atrapalhar ou atrasar o tratamento. Por isso, fique atento: siga as instruções dadas pelo seu dentista e utilize o aparelho móvel de forma correta.

Contenção de acetato

A contenção de acetato, ou contenção estética, é um tipo removível. Ela é caracterizada por sua fabricação em acetato transparente.

Seu modelo em muito se assemelha à versão do aparelho ortodôntico transparente, sendo um molde dos dentes.

Ou seja, trata-se de uma placa transparente que envolve completamente os dentes. É chamada de estética porque, assim como o aparelho ortodôntico, ela é transparente, tornando-se discreta enquanto está na boca.

Ela pode ser encaixada na arcada superior e inferior. Além disso, ela pode ser usada para outros fins terapêuticos, além da contenção, como para tratamento de bruxismo e para aliviar pressões sobre a articulação temporomandibular.

Contudo, seu uso possui algumas desvantagens. Por ser um molde exato dos dentes, uma vez feita, essa placa não pode mais ser ajustada. Além disso, quando dentro da boca, ela não permite o contato entre os dentes, o que pode ser desconfortável para algumas pessoas.

Também costuma ser mais frágil e mais suscetível à quebra.

Contenção de Hawley e de Begg

A placa de Hawley e a placa de Begg – o arco vestibular contínuo – são os modelos de contenção mais utilizados no Brasil.

Podem ser utilizadas em ambas as arcadas, mas, comumente, são mais usadas na arcadas superior.

Trata-se de modelos mais tradicionais de contenção dentária, confeccionados em ligas plásticas e armação metálica, muito similar ao aparelho ortodôntico móvel.

Nesses modelos, o céu da boca fica recoberto por uma placa de acrílico enquanto o fio de aço contorna a frente dos dentes.

Ambos os modelos são usados para melhorar o encontro entre os dentes superiores e os inferiores (intercuspidação) durante a fase de contenção, a fim de impedir que os dentes voltem a se movimentarem para frente ou para as laterias.

Esse tipo de placa também pode ser utilizada para auxiliar na contenção dos dentes no tratamento de mordida profunda. Nesses casos, o ortodontista acrescenta na placa um molde de resina.

Essa contenção pode ainda impedir a força da língua sobre os dentes. Para isso, é incluída ao molde uma grade palatina.

Aparelho de contenção fixo

O aparelho de contenção fixo é usado apenas na arcada inferior. Isso acontece porque os dentes inferiores têm maior propensão de entortarem. A contenção fixa normalmente é aplicada para uso permanente ou semipermanente do aparelho.

Um fio de aço fino é colado atrás dos dentes inferiores, em sua face interna, o que torna a contenção invisível e não atrapalha a estética do sorriso. Sua posição não interfere na fala, e o paciente se adapta facilmente ao uso.

O uso do aparelho de contenção inferior fixo não causa transtornos. O único cuidado que os pacientes devem ter é com a higienização. Por conta da sua posição atrás dos dentes, a limpeza deve ser bem feita e com frequência.

Contenção ortodôntica reta

A contenção ortodôntica reta é composta por um fio de aço que liga um canino ao outro, de forma horizontal.

Esse a arco de aço é colado nas faces internas dos dentes com o auxílio da resina composta, o mesmo material utilizado para colar os bráquetes do aparelho ortodôntico fixo.

Esse tipo de contenção é um modelo de difícil higienização devido ao seu posicionamento no ambiente oral. A limpeza dos dentes exigirá o uso de produtos mais específicos, como um passa fio ou um fio dental de ponta rígida.

Contudo, a vantagem de utilizar esse tipo de contenção é que considerada muito confortável por ficar bastante próxima aos dentes, além de ser bem simples.

Contenção ortodôntica higiênica

Essa contenção leva esse nome por seu uma modelo que permite uma higienização mais fácil, já que permite o uso do fio dental comum. Assim como a anterior, ela também é feita com um fio de aço, a diferença, no entanto, é o seu desenho ondulado, diferentemente da anterior que é reta.

As outras especificações dessa contenção são bem similares à reta. Isto é, seu fio de aço também liga os dentes caninos e ela também fica localizada na face interna dos dentes e é colada com resina composta.

Contudo, apesar de sair na frente com seu design que permite a utilização mais simples do fio dental, se comparada ao modelo reto, ela também possui algumas desvantagens.

Isso porque, devido ao seu desenho ondulado, a contenção ortodôntica higiênica traz mais dificuldade ao ortodontista em seu confeccionamento e também em sua colagem.

Não apenas isso, esse tipo de contenção também pode causar certo desconforto ao usuário por ser um pouco incômoda à língua. Ao passo que é mais simples de limpar, seu desenho também facilita o acúmulo de resíduos de alimentos.

Cuidados com o aparelho de contenção

Como você já deve ter notado, o uso da contenção exige tantos cuidados quanto os que eram precisos no uso do aparelho ortodôntico. Afinal, o tratamento ortodôntico ainda não acabou.

Portanto, não negligencie os cuidados com a saúde bucal e com a própria contenção apenas porque já retirou o aparelho ortodôntico.

Para te ajudar com essa tarefa, separamos algumas dicas de cuidados essenciais na fase da contenção:

  1. Alimentação
  2. Produtos odontológicos
  3. Higienização dos dentes
  4. Higienização da contenção móvel
  5. Cuidados para não perder ou danificar a contenção móvel
  6. Consultas de rotina ao dentista

Alimentação

Um dos primeiros cuidados a serem observados durante a fase da contenção é a alimentação.

Se o seu aparelho contenção for de um modelo móvel é preciso lembrar de retirá-lo sempre que for comer!

Entretanto, se o modelo for fixo, outros cuidados quanto a alimentação são necessários.

Primeiramente, evite sempre o consumo de alimentos duros demais, pois esse tipo de alimento pode ocasionar o descolamento da contenção ou até mesmo danificá-la.

Também é preciso evitar os alimentos muito ácidos ou com corantes. Esse é o caso, por exemplo, de algumas frutas cítricas, café, vinho, refrigerante, salgadinhos etc.

Vale de dizer que o consumo não é proibido. Contudo, se ingerir algum desses alimentos, a higienização deve ser realizada logo em seguida.

Produtos odontológicos

Quando se realiza qualquer tratamento odontológico, é importante estar atento às orientações dadas pelo cirurgião-dentista.

No caso do tratamento ortodôntico, é muito comum que o ortodontista dê diversas orientações quanto ao uso do aparelho ortodôntico de contenção. Uma das orientações é o uso específico de alguns produtos de higiene.

É o caso, por exemplo, da escova ortodôntica ou do fio dental com ponta rígida. Esses produtos especiais servem justamente para facilitar a higienização dos seus dentes e também da contenção.

Afinal, quem já uso o aparelho ortodôntico fixo sabe o quanto pode ser complicado realizar uma higienização eficiente nos dentes e também no aparelho.

Por isso, durante essa fase, converse quantas vezes forem necessárias com o seu dentista, a fim de que ele indique os produtos mais adequados para você, além de outras orientações.

Isso preservará a sua contenção e promoverá a sua saúde bucal.

Higienização dos dentes

A higiene bucal é um dos cuidados essenciais tanto para quem realiza o tratamento ortodôntico, quanto para quem não o realiza.

Em especial os que o realizam, necessitam tomar um cuidado redobrado nesse momento, já que, como falado anteriormente, o uso do aparelho ortodôntico ou da contenção ortodôntica fixos torna a higienização bucal mais complicada e o ambiente oral mais suscetível ao acúmulo de bactérias.

Por isso, a higienização com o aparelho durante a fase da contenção não deve ser negligenciada de forma alguma.

Os procedimentos continuam sendo os mesmos, mas o paciente deve ter mais dedicação.

Se você utilizar a contenção móvel, poderá higienizá-la de forma separada. Contudo, se usar a fixa, na hora de escovar os dentes, siga as orientações a seguir:

  1. Comece optando pelos produtos de higiene feitos especialmente para usuários de aparelho ortodôntico ou contenção, como a escova ortodôntica, o fio dental de ponta rígida e a escova interdental;
  2. A escovação deve ser feita normalmente, passando por todos os dentes;
  3. Você também deve escovar as faces internas dos dentes, especialmente onde está localizada a contenção. Nesse momento, passe a escova gentilmente para não descolar ou danificar o dispositivo, mas certifique-se de que não sobrou nem um resíduo acumulado;
  4. Em seguida, se sua contenção for do tipo reta, utilize o passa-fio ou o fio dental com ponta rígida para limpar entre os dentes. Caso utilize o modelo higiênico, o fio dental comum pode ser usado normalmente, porém é preciso ter atenção à uma limpeza adequada, já que esse tipo acumula mais resíduos.

Higienização da contenção móvel

Mesmo que você retire a contenção móvel para se alimentar, o dispositivo não dispensa uma boa higienização!

Contudo, sua limpeza pode ser considerado mais fácil se comparada à contenção fixa.

Para realizar sua higienização basta escova-la delicadamente com a mesma escova utilizada para higienizar os dentes ou com uma um pouco mais rígida.

Para isso você também pode utilizar o creme dental comum. Passe as cerdas por toda a contenção, a fim de eliminar bactérias e mantê-la conservada.

Depois é só enxaguar, secar e guardar no local adequado.

Cuidados para não perder ou danificar a contenção móvel

Apesar de muitos acharem o uso da contenção móvel mais confortável pelo fato de poderem tirar o aparelho e colocar à hora em que quiserem, isso pode acabar virando um grande problema, aumentando a probabilidade que o usuário perca ou danifique sua contenção.

Para que isso não aconteça alguns cuidados devem ser observados:

  • Quando retirar a contenção para comer, ou qualquer outro motivo, sempre a retorne para o estojo próprio e o guarde em segurança, além de evitar que ele se perca, também evitará que ele seja contaminado por bactérias;
  • Caso esqueça de carregar consigo o estojo, nunca guarde a contenção em bolsos ou bolsa, para evitar que ela quebre. O ideal é que, ao esquecer o estojo, não a tire do ambiente oral, evitando ter um aparelho de contenção torto;
  • Quando retirar a contenção para limpá-la ou escovar os dentes, evite deixá-la sobre superfícies. Além de permitir que bactérias contaminem sua contenção, isso facilitará que você a esqueça ou a perca. Por isso, coloque-a diretamente no estojo após retirá-la;
  • Após comer, lembre-se sempre de higienizar o ambiente oral ante de colocar a contenção novamente. Isso evitará a proliferação de bactérias no dispositivo e garantirá maior durabilidade a ele.

Consultas de rotina ao dentista

O fato de ter tirado o aparelho ortodôntico e estar em uma nova fase do tratamento não o exime de comparecer à consultas regulares ao dentista.

Continue comparecendo às consultas normalmente nas datas agendadas, assim o dentista poderá acompanhar a progressão do seu tratamento e avaliar a sua saúde bucal.

Além disso, vale lembrar que, com o tempo, a contenção fixa sofre impactos dos alimentos durante a mastigação, o que a torna mais suscetível ao descolamento ou danos.

Portanto, seu ortodontista deve monitorar a situação do dispositivo, bem como suas condições de higiene e realizar a manutenção do aparelho de contenção.

A contenção fixa sem cuidados pode causar diversos problemas, inclusive nos ossos da mandíbula.

Quanto tempo devo usar o aparelho de contenção?

Quanto tempo devo usar o aparelho de contenção?

O tempo de uso da contenção dependerá muito de cada caso específico, não há um tempo igual do uso do aparelho de contenção para todos.

Por exemplo, o ortodontista pode recomendar o uso da contenção removível apenas à noite, como pode recomendá-la para todas as horas, sendo que, quanto mais tempo utilizá-la, mais eficaz será seu efeito.

Além disso, pode também indicar o uso da contenção fixa, que será utilizada 24 horas pelo paciente.

Nos casos da contenção móvel, é preciso que o paciente siga à risca o tempo de uso indicado pelo ortodontista. Caso contrário, o tratamento não surtirá efeito e ocorrerá a recidiva.

Vale dizer ainda que, o uso incorreto da contenção, isto é, por um período menos do que o que realmente foi indicado, pode causar um trauma oclusal, ou seja, uma lesão no tecido de sustentação dos dentes que prejudica a oclusão dentária.

Quando a contenção não é mais necessária?

Quando a contenção não é mais necessária?

Somente o dentista pode estipular os prazos para a retirada do aparelho de contenção. Como cada paciente é único, os períodos podem variar de meses a anos e até mesmo por toda a vida.

O problema maior é que os dentes podem mudar sua posição ao longo da vida, por processos naturais de maturação do corpo. Comportamentos do paciente também podem causar mudanças.

Isto é, alguns fatores, como posicionamento da língua, respiração e movimentos de deglutição são preponderantes no posicionamento dos dentes.

Portanto, os resultados alcançados pós-tratamento ortodôntico não são garantidos para a vida toda sem o uso do aparelho de contenção.

Dúvidas frequentes

Dúvidas frequentes

Todo paciente precisa usar a contenção após o fim do uso do aparelho ortodôntico?

Sim, todos os pacientes necessitam usar uma contenção, seja ela fixa ou móvel. Isso por causa das fibras de sustentação dos dentes que tendem a memorizar sua posição original, causando a recidiva.

Os dentes podem voltar a entortar depois do término do tratamento ortodôntico?

Sim, é uma possibilidade. Mesmo após o término no tratamento ortodôntico os dentes podem voltar a se tornarem tortos ao longo da vida. Isso se deve ao próprio processo natural de maturação do corpo. Por isso, algumas pessoas precisam utilizar a contenção por toda a vida.

Qual o modelo de contenção mais indicado para mim?

O modelo de contenção mais indicado para você poderá ser determinado apenas pelo seu ortodontista. Isso porque cada caso é diferente do outro, o que torna necessário uma avaliação mais aprofundada para determinar a escolha do modelo ideal.

O que eu devo fazer caso perder a minha contenção removível?

Em casos de perda, você deverá pedir uma nova contenção ao ortodontista o mais rápido possível. Lembre-se, quanto mais tempo sem usar a contenção, mais riscos corre o seu tratamento.

O que devo fazer caso minha contenção fixa se descolar dos dentes?

Não se desespere. Se ainda estiver em sua posse, guarde o seu aparelho de contenção em um lugar seco e seguro e agende uma consulta com o seu ortodontista para realizar a recolagem.

Ramiro Murad
Ramiro Murad
Ramiro Murad Saad Neto, cirurgião-dentista com registro no Conselho Regional de Odontologia de São Paulo (CRO-SP) nº 118151, é graduado pela UNIC e residente em Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial Facial no Sindicato dos Odontologistas de São Paulo (SOESP - SP). Possui habilitação em Harmonização Orofacial e também é gestor de clínicas e franquias odontológicas. Além disso, é integrante da equipe Bucomaxilofacial da Clínica da Villa, que está na Rua Eça de Queiroz, 467 - Vila Mariana, São Paulo - SP.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sobre a Simpatio
Somos dedicados em criar conteúdo de qualidade e informativo. Nossa missão é informar pacientes, dentistas e clínicas provendo conteúdos altamente relevantes sobre odontologia e saúde bucal gratuitamente.
Agende uma consulta
Precisando de algum tipo de ajuda ou apoio relacionado a sua saúde ou estética bucal? Clique no botão abaixo!

Postagens Recentes

Receba Nossos Conteúdos

Preencha seu e-mail acima e receba conteúdos exclusivos gratuitamente!

Simpatio 2021 © - Todos os Direitos Reservados

As informações contidas neste site têm como objetivo único informar. A Simpatio tem o compromisso de estimular, e nunca substituir, as relações entre dentistas e pacientes. Sempre deixamos isso muito claro nos textos e na comunicação com nossos leitores. É fundamental que o paciente, ao notar qualquer alteração em sua saúde bucal, consulte seu dentista de confiança. Cada indivíduo requer um tratamento personalizado.

Os conteúdos da Simpatio são escritos por jornalistas e possuem a supervisão e a aprovação de dentistas e de profissionais de saúde parceiros.