Escova ortodôntica auxilia na limpeza dental com aparelho

Share on facebook
Compartilhe
Share on twitter
Tweet Isso
Share on linkedin
Compartilhe

Durante o tratamento ortodôntico, um dos maiores obstáculos é manter a limpeza dental de forma eficiente. Os fios, braquetes e outras estruturas podem atrapalhar. Para isso, a escova ortodôntica pode ser uma solução.

Alguns podem confundir a escova ortodôntica com a escova interdental. Apesar de ambas serem indicadas para quem usa aparelho fixo, elas têm funções distintas na escovação. Vamos conhecer?

A escova ortodôntica é um utensílio desenvolvido especialmente para quem faz uso do aparelho dentário. Seu maior diferencial em relação à escova comum são suas cerdas dispostas de forma estratégica para a limpeza eficaz dos braquetes.

As dificuldades de higiene bucal para quem usa o aparelho fixo podem ser muito comuns. As estruturas do aparelho estão sempre a esconder alguma sujeirinha e a sensação de que os dentes não estão 100% limpos é frequente.

É comum que os pacientes que encontram mais dificuldade com a limpeza do aparelho sejam aqueles que não usam os produtos de higiene específicos para o tratamento ortodôntico.

Como é de conhecimento, usar o aparelho ortodôntico pode trazer algumas pequenas mudanças no dia a dia do paciente, uma vez que é preciso observar melhor a alimentação – a fim de não quebrar os braquetes mastigando alimentos duros – e até mesmo acostumar-se à pequenos hábitos novamente, como a mastigação e fala.

Com a higiene bucal não é diferente. Os hábitos de limpeza adotados antes do uso do aparelho devem ser aprimorados e os produtos de higiene utilizados anteriormente podem não ser os mais adequados para uma limpeza eficiente.

Quem opta pela escova de dentes comum, por exemplo, pode reparar que suas cerdas não se encaixam mais de form tão eficiente à superfície dos dentes e, além disso, tem uma durabilidade menor, uma vez que as estruturas do aparelho passam a danificá-la.

O que é escova ortodôntica?

O que é escova ortodôntica?

Portanto, um dos produtos de higiene mais recomendados para o tratamento ortodôntico, como o próprio nome já sugere, é a escova ortodôntica.

Isso porque as escovas ortodônticas têm uma conformação adequada e adaptada aos braquetes. Dessa forma, facilitam a higiene bucal e alcançam os restos de alimentos que podem estar escondidos ou presos no aparelho.

Essa conformação tem um formato diferente das tradicionais que, normalmente, são retas. Suas cerdas tem uma canaleta central adaptada ao braquetes, auxiliando na higiene. Essa canaleta constitui-se em um espaço em que as cerdas são mais curtas se comparado às extremidades, dando a aparência de um pequeno vão centralizado entre elas.

É nessa canaleta que os braquetes se encaixam durante a limpeza dos dentes, de forma que as cerdas o envolvam e realizem uma limpeza mais eficiente e assertiva, sem que, ao mesmo tempo, sejam danificadas pelo aparelho.

Já as extremidades, isto é, as cerdas laterais ao vão, possuem um formato em “V”, de maneira que, quanto mais se aproximam da extremidade da cabeça da escova, mais longas são. Esse formato das cerdas permite uma maior limpeza das laterais dos dentes e do aparelho.

Essa irregularidade das cerdas, ou seja, a diferença de altura entre elas, é essencial para aumentar a sua superfície de contato com os dentes e com o aparelho, aumentando, consequentemente, a limpeza.

Mas não é só isso. Além de seu formato, as cerdas da escova ortodôntica também são mais resistentes que a comum, a fim de trazer uma durabilidade maior ao usuário.

Por que optar pela escova ortodôntica no lugar da comum?

Por que optar pela escova ortodôntica no lugar da comum?

Sabemos que a escovação é essencial para evitar complicações bucais, mas para quem usa aparelho fixo, é ainda mais importante. Suas estruturas propiciam a proliferação de bactérias e, portanto, o desenvolvimento de doenças.

Apesar da escova dental comum também oferecer a higiene aos dentes, por não possuir uma anatomia adequada, esse poder de limpeza não é tão eficiente se comparado à escova ortodôntica, com já vimos anteriormente.

Esse motivo, por si só, já é suficiente para que o paciente opte pelo utensílio ortodôntico, já que a falta de uma limpeza efetiva pode ser muito prejudicial a saúde bucal. Dentre os problemas orais mais comuns, se destacam:

  1. Placa bacteriana
  2. Tártaro
  3. Gengivite
  4. Periodontite
  5. Cárie

Placa bacteriana

Talvez você já tenha ouvido falar na famosa placa bacteriana. Esse é um dos primeiros problemas orais a surgir na boca quando negligenciamos uma limpeza eficaz.

A placa bacteriana nada mais é que o acúmulo de bactérias nutridas pelos restos de alimentos que não são removidos adequadamente dos dentes. Essas bactérias formam uma película transparente que adere aos dentes, o biofilme dental.

Se o ambiente oral não é higienizado de maneira completa, ou seja, se pequenos restos de alimentos forem deixados no aparelho ortodôntico, as bactérias que vivem no ambiente oral se nutrirão deles e se proliferarão, colocando em risco sua saúde.

Tártaro

Outro perigo para a saúde bucal é o cálculo dental, ou o tártaro.

O tártaro é um estágio mais avançado da placa bacteriana. Trata-se da placa endurecida sobre a superfície dos dentes.

Enquanto a placa pode ser removida por uma boa limpeza bucal, o tártaro só pode ser eliminado mediante a limpeza feita em consultório odontológico.

Se não removido, além propiciar outros problemas, como o mau hálito, a placa bacteriana e o tártaro também pode causar a inflamação das gengivas.

Gengivite

O primeiro estágio da inflamação gengival decorrente da placa bacteriana e do cálculo é a gengivite.

Nesse cenário, as gengivas tornam-se mais avermelhadas e podem sangrar com a escovação.

Apesar de parecer um problema simples, se não tratada, a gengivite pode trazer sérios problemas à saúde do paciente.

Periodontite

Por sua vez, a periodontite é o estágio mais avançado a gengivite, isto é, quando a inflamação gengival atinge os ligamentos e ossos que dão suporte aos dentes.

Nesse caso, pode ocorrer sangramento espontâneo, retração da gengiva e até mesmo a perda dos dentes.

Quando as gengivas são acometidas pela periodontite, não há mais cura, apenas o controle da doença oral.

Cárie

Outro problema muito conhecido e, também, muito frequente, é a cárie dental.

A cárie também é uma condição desenvolvida pela ação das bactérias na boca.

Quando essas bactérias são nutridas pelos restos alimentares, se proliferam e produzem ácidos que causando danos aos dentes, a cárie.

Assim como a periodontite, se não tratada, a cárie também pode provocar a perda dos dentes.

Todos os problemas apresentados acima têm mais chances de ocorrer em paciente com aparelho, já que a higiene oral torna-se mais difícil. Dessa forma, utilizar produtos de higiene específicos para o tratamento ortodôntico pode ser fundamental para a manutenção da saúde oral.

Qual tipo de escova para quem usa aparelho?

Conheça a escova para aparelho

Após ler os tópicos anteriores, a resposta para a pergunta desse tópico pode ser óbvia: a escova ortodôntica. Contudo, não é tão simples como parece.

Isso porque não é apenas a escova ortodôntica que pode auxiliar a higiene durante o tratamento. Uma higiene realmente completa não demanda apenas a limpeza da superfície dos dentes e aparelho.

Até mesmo para os pacientes que não usam o aparelho fixo a simples escovação não é totalmente eficaz para eliminar as bactérias e evitar as doenças orais. Para isso, é preciso usar o fio dental.

O fio dental é parte essencial da limpeza completa. É ele quem remove os pequenos restos entre os dentes e à margem gengival que a escova de dentes não alcança.

Portanto, quando se trata do tratamento ortodôntico e a limpeza do aparelho, existem outras ferramentas que possuem especificações e adequações para isso.

Produtos de higiene para o tratamento ortodôntico

Como mencionamos no início desse artigo, existe também a escova interdental. Trata-se de um tipo de escova que auxilia na limpeza entre os dentes ou braquetes do aparelho. Ela é feita para deslizar facilmente entre as cavidades.

Além dessas duas escovas específicas, também existe um fio dental adaptado para quem usa aparelho, o fio ortodôntico, e o passa fio. Afinal, seria bastante complicado fazer uso do fio sem qualquer auxílio.

O passa fio é um dispositivo em formato de agulha, que serve para amarrar as pontas do fio dental e manusear de forma mais simples. Por isso, os dentistas recomendam esse apetrecho para quem usa aparelho ortodôntico.

Já o fio dental adaptado tem uma ponto em riste e uma rede de fibras esponjosas que auxilia na limpeza. Desse modo, deve ser usado nos braquetes, na superfície dos dentes e próximo da gengiva.

O uso desses produtos em conjunto é o método ideal de limpeza para evitar qualquer tipo de doença oral e manter a saúde bucal. Portanto, ter um kit ortodôntico de higiene é essencial.

Há diferença entre as escovas ortodôntica e interdental?

Há diferença entre as escovas ortodôntica e interdental?

Como você deve ter imaginado, a escova ortodôntica e interdental não possuem a mesma função.

Para diferenciá-las, podemos começar por suas características.

Primeiro, como você tem visto ao longo desse artigo, a escova ortodôntica nada mais é que uma escova comum, porém com cerdas feitas para a limpeza com aparelho. Ou seja, com uma conformação e resistência diferenciada.

Por sua vez, a escova interdental possui um formato diferente. Apear de também possuir ma haste, onde o usuário pode segurar e manusear com mais facilidade, sua cabeça é bem menor se comparada a ortodôntica.

Elas também se diferenciam pelas cerdas. A interdental possui uma cabeça com cerdas cilíndricas, ou cônicas, e finas, de modo que podem ser completamente inseridas no espaço interdental, isto é, entre os dentes.

Quanto suas funções, a escova ortodôntica foi projetada para a limpeza das faces dos dentes e aparelho, assim como a escova comum. Por outro lado, a interdental funciona como um fio dental, limpando os espaços entre os dentes.

Quando o paciente utiliza o aparelho ortodôntico, o uso da escova interdental pode ser ainda mais benéfico. Por causa do seu formato pequeno e de fácil manuseio, é possível utilizá-la para limpar as partes de mais difícil acesso, como no espaço entre o fio ortodôntico e os dentes.

Portanto, a escova interdental pode ser usada no lugar do fio dental, entre os dentes, e diretamente no aparelho, nos locais onde a escova ortodôntica não alcança.

Esse é um tipo de escova pouco conhecida pela maioria das pessoas, mas pode ser muito eficiente, especialmente para os pacientes em tratamento ortodôntico. Bons exemplos para quem deseja adquirir esse produto podem incluir a escova bitufo ou a escova curaprox, por exemplo.

Como usar a escova ortodôntica?

Como usar a escova ortodôntica?

Agora que você já sabe a diferença entre esses dois tipos de escovas, bem como suas características, benefícios e funções, para exercer uma rotina de higiene eficaz é preciso saber utilizá-las.

Mas não se preocupe, não há segredos! Vamos começar ensinando como usar a escova ortodôntica.

Essa, com certeza, será bem fácil! Como já dissemos anteriormente, a escova ortodôntica nada mais é que uma escova de dentes comum, porém com cerdas adaptadas ao aparelho. Portanto, sua forma de uso se iguala à utilização da escova comum.

Para começar, ela deve ser usada com o creme dental de sua preferência, desde que este contenha flúor – elemento essencial para a prevenção das cáries.

Ao utiliza-la, faça com que o vão – a canaleta das cerdas – seja posicionado em cima dos braquetes, encaixando-se. Não é preciso utilizar pressão ou força, mas certifique-se de que as cerdas estão envolvendo o aparelho da maneira correta.

Após limpar a superfície dos dentes onde o aparelho está fixo, é possível escovar as áreas oclusais e as faces internas dos dentes normalmente. O vão projetado nas cerdas da escova não atrapalham na limpeza das outras áreas do dente.

Para que sua escovação seja eficiente, o ideal é que dure no mínimo 4 minutos. Para isso, divida a região da boca em quatro partes distintas e dedique 1 minuto para cada parte.

Como usar a escova interdental no aparelho?

Como usar a escova interdental no aparelho?

Após limpar a superfície dos dentes e do aparelho, é hora de cuidar dos pequenos espaços com a escova interdental.

Enquanto a escova ortodôntica possui um uso muito familiar à escova comum, a escova interdental pode ter sua função comparada à do fio dental, porém a maneira de uso se difere um pouco.

O modo de uso da escova interdental deve ser observado com cuidado, uma vez que, se for usada de maneira incorreta, além de não promover a limpeza necessária e esperada, também pode acarretar lesões na gengiva – assim como ocorre quando o fio dental é usado de maneira incorreta.

Comece pegando na haste da escova de modo firme, a fim de dar mais precisão ao manuseio. As cerdas da escova devem ser inseridas de forma delicada entre os dentes, com a ponta da escova em direção à gengiva.

Por exemplo, quando limpar os dentes da arcada inferior, a ponta estará inclinada para baixo. Do mesmo modo, quando estiver na superior, para cima.

Deslize as cerdas da escova para frente e para trás, observando se todo o espaço interdental está sendo contemplado.

Em seguida, posicione a escova entre os fios ortodônticos, eliminando os possíveis recursos do aparelho. Movimente a escova com delicadeza, mas com precisão.

Vale lembrar que não é preciso aplicar creme dental na escova interdental. Ela pode ser usada aproveitando o restante do creme dental da escovação ou apenas com água.

Tenha uma higiene bucal completa

Escova para quem usa aparelho fixo

Agora que você já sabe como utilizar esses dois utensílios de forma separada, é hora de um passo a passo mais completo para uma limpeza eficiente durante o uso do aparelho ortodôntico. Confira:

Passo a passo

  1. Antes de iniciar a escovação, o primeiro passo é retirar os elásticos ortodônticos ou qualquer parte removível do aparelho.
  2. Faça uma limpeza minuciosa do aparelho ortodôntico. Com ajuda da escova ortodôntica, esfregue bem os braquetes em um ângulo de 45 graus. Limpe bem ao redor dos arames e fios. Faça a escovação desde a parte superior até a inferior, e certifique-se que está retirando todos os restos de alimentos e placa bacteriana.
  3. O terceiro passo é escovar os dentes. É preciso muito atenção nessa fase. Faça a escovação de cada um dos dentes individualmente e use a escova para aparelho. Não esqueça de escovar na união entre o dente e a gengiva, pressionando suavemente e realizando movimentos circulares. Fique por cerca de 10 segundos em cada dente ou conjunto de dois dentes.
  4. Lembre-se de dar uma atenção especial à língua! Assim como os dentes, a língua também deve ser devidamente limpa para manter a saúde bucal. Se essa limpeza for negligenciada, a placa bacterina pode se formar em sua superfície, causando a saburra lingual. Para a limpeza, use um raspador ou limpador específico;
  5. Faça uso da escova interdental ou fio dental. Como ambos possuem a mesma função, converse com seu ortodontista para saber qual deles é o mais indicado. Em casos de dentes muito unidos, o fio é, geralmente, a melhor opção e o passa fio torna seu uso mais fácil. Se o espaço entre seus dentes é normal ou maior, a interdental pode ser uma boca opção. Essa é uma fase muito importante, pois retira qualquer resto que tenha ficado para trás e evita a formação de tártaros;
  6. A finalização da higiene pode ser feita com o enxaguante bucal. Porém, ela também deve ser recomendada pelo seu ortodontista.

Outros cuidados para quem usa aparelho fixo

Outros cuidados para quem usa aparelho fixo

A limpeza adequada dos dentes é um dos cuidados mais importantes para quem usa aparelho ortodôntico (e também para quem não usa) e deve ser repetida ao menos três vezes ao dia, após as principais refeições.

Contudo, não trata-se do único cuidado necessário durante o tratamento ortodôntico. Esse dispositivo, além de ser muito bem limpo, também precisa da atenção do paciente em outros aspectos, como:

  1. Evitar a quebra do aparelho
  2. Usar os acessórios e recursos auxiliares
  3. Proteger a boca de traumas
  4. Consultas em dia

Evitar a quebra do aparelho

Os dispositivos ortodônticos podem ser muito delicados, por isso o cuidado para não quebrá-lo é essencial.

Para isso, evite comer alimentos muito duros, como milho na espiga e castanhas, frutas inteiras, como maças, ou vegetais duros crus, como a cenoura.

Além disso, também é preciso evitar colocar objetos na boca, como lápis ou canetas, pois podem danificar ou descolar os braquetes e amassar os arcos.

Se o aparelho for danificado de alguma forma, além de gerar custos para a manutenção, também interromperá o tratamento ortodôntico, prolongando o tempo de uso do dispositivo.

Usar os acessórios e recursos auxiliares

Algumas etapas do tratamento ortodôntico demandam o uso de acessórios e recursos auxiliares, como os elásticos e placas oclusais.

Já no fim do tratamento, quando o paciente precisa utilizar o aparelho de contenção para certificar-se de que os dentes não retornarão ao local de origem, é preciso ter disciplina e usar o dispositivo pelas oras determinadas pelo ortodontista.

Ou seja, respeitar o plano de tratamento elaborado pelo seu dentista é essencial para a eficácia do aparelho e é, também, um dos cuidados a ser observado pelo paciente.

Proteger a boca de traumas

Outro cuidado necessário para quem faz uso do aparelho ortodôntico é a proteção adequada enquanto há a prática de esportes.

Isso porque qualquer tipo de trauma bucal com uso do aparelho pode causar lesões graves na mucosa, já que o material do dispositivo pode cortá-la sobre grande pressão.

O esporte não é proibido para esses pacientes, pelo contrário, é importante para a saúde em geral e deve ser realizado por todos. Contudo, para o paciente em tratamento ortodôntico o ideal é o uso do protetor bucal para a proteção adequada.

Consultas em dia

Por fim, o uso do aparelho requer regularidade quanto às consultas odontológicas.

Na consultas de rotina, além de observar os andamento do tratamento, é preciso que o ortodontista aplique forças leves e gradativas durante esse ciclo, fazendo a manutenção necessária para atingir o resultado desejado.

É na consulta de rotina que o profissional poderá trocar, também, os arcos ortodônticos, ligaduras elásticas ou molas. Esses acessórios tendem a se desgastar com o tempo e, se o paciente não comparece à consulta, pode acarretar atrasos no tratamento.

O ideal é retornar ao consultório uma vez por mês ou a cada 60 dias, conforme orientação do profissional.

Agora que você já sabe como realizar uma higiene bucal com aparelho, não deixe de fazer uso dos apetrechos essenciais como a escova ortodôntica. Em caso de dúvidas, procure um dentista de confiança.

Ramiro Murad
Ramiro Murad
Ramiro Murad Saad Neto, cirurgião-dentista com registro no Conselho Regional de Odontologia de São Paulo (CRO-SP) nº 118151, é graduado pela UNIC e residente em Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial Facial no Sindicato dos Odontologistas de São Paulo (SOESP - SP). Possui habilitação em Harmonização Orofacial e também é gestor de clínicas e franquias odontológicas. Além disso, é integrante da equipe Bucomaxilofacial da Clínica da Villa, que está na Rua Eça de Queiroz, 467 - Vila Mariana, São Paulo - SP.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sobre a Simpatio
Somos dedicados em criar conteúdo de qualidade e informativo. Nossa missão é informar pacientes, dentistas e clínicas provendo conteúdos altamente relevantes sobre odontologia e saúde bucal gratuitamente.
Agende uma consulta
Precisando de algum tipo de ajuda ou apoio relacionado a sua saúde ou estética bucal? Clique no botão abaixo!

Postagens Recentes

Receba Nossos Conteúdos

Preencha seu e-mail acima e receba conteúdos exclusivos gratuitamente!

Simpatio 2021 © - Todos os Direitos Reservados

As informações contidas neste site têm como objetivo único informar. A Simpatio tem o compromisso de estimular, e nunca substituir, as relações entre dentistas e pacientes. Sempre deixamos isso muito claro nos textos e na comunicação com nossos leitores. É fundamental que o paciente, ao notar qualquer alteração em sua saúde bucal, consulte seu dentista de confiança. Cada indivíduo requer um tratamento personalizado.

Os conteúdos da Simpatio são escritos por jornalistas e possuem a supervisão e a aprovação de dentistas e de profissionais de saúde parceiros.