Retrognatismo causa prejuízos à saúde bucal

Share on facebook
Compartilhe
Share on twitter
Tweet Isso
Share on linkedin
Compartilhe

Qual o melhor tratamento para o retrognatismo e outras curiosidades sobre o problema!

Muitas pessoas sofrem com a posição dos ossos maxilares, que podem estar mais para frente ou retraídos. Quando estão para trás, chamamos de retrognatismo. Isso influencia na estética e na harmonização facial do paciente.

Além disso, essa disfunção afeta a respiração, a fala, a mordida e várias outras funções. Por isso, é importante que o paciente busque um profissional de confiança para contornar as consequências do retrognatismo.

Retrognatismo é um dos tipos de má oclusão na qual os ossos do maxilar ficam afastados para trás em relação ao maciço facial. Na odontologia, podem existir dois casos:

  • Retrognatismo mandibular: quando a mandíbula fica para trás, dando o aspecto de queixo pequeno ou de mandíbula pequena.
  • Retrognatismo maxilar: quando o maxilar superior fica para trás e afundado.

Ambos causam deformidades dento faciais. Entretanto, cada um tem suas peculiaridades. É válido pontuar também que existe o prognatismo, que é o oposto do caso aqui apresentado.

É caracterizado quando a mandíbula se encontra mais para frente do maciço facial, o que também mexe com o posicionamento do queixo, interferindo na estética assim como o problema apresentado neste artigo.

Ficou curioso e quer saber mais sobre o tema? Então acompanhe aqui conosco no nosso artigo!

  1. Quando o Retrognatismo Começa a se Manifestar?
  2. Quais as Consequências do Retrognatismo?
  3. Qual é a especialidade que trata o retrognatismo?
  4. Tratamentos do Retrognatismo
  5. Recomendações e Cuidados Pós-Cirúrgicos
  6. Retrognatismo versus Prognatismo

Quando o Retrognatismo Começa a se Manifestar?

Tendo em vista que o retrognatismo é um problema de crescimento dos ossos da face e da mandíbula, não é uma disfunção que adquirimos sem aviso ou sinais.

É mais comum que o problema se desenvolva conforme os ossos estão crescendo ainda na infância.

Ele pode se tornar mais grave ou então mais aparente com o passar dos anos, sendo necessária uma intervenção odontológica.

Se esse for o seu caso, é recomendado a procura imediata de um profissional para cuidar da disfunção e reverter a situação. Afinal, outros problemas que podem surgir como consequência.

Existem também casos em que algum trauma ocasiona o deslocamento da mandíbula.

Via de regra, esses traumas acabam por deslocá-la para trás, e nesses casos específicos é necessária uma cirurgia o mais breve possível para corrigir a posição maxilar.

Não foram encontrados casos em que esse problema causou alterações miofaciais, que nada mais são do que disfunções neuromusculares.

Mas agora que falamos sobre o retrognatismo em si, que tal falarmos sobre as complicações que ele pode causar?

Quais as Consequências do Retrognatismo?

Retrognatismo

Existe uma série de problemas que o retrognatismo pode causar quando não é tratado.

  • Acúmulo de Tecidos Moles e Papada;
  • Problemas na ATM;
  • Ronco;
  • Apneia;
  • Perda precoce de dentes.

Sendo assim, agora nós vamos detalhar cada um deles, e as consequências que cada um traz separadamente para a sua saúde.

Acúmulo de Tecidos Moles ou Papada

Papada é o pedaço de pele que fica logo abaixo do queixo, também chamado de papo.

Pode ser ocasionada pelo próprio retrognatismo, pelo acúmulo de gordura no queixo ou então pela flacidez da pele.

Entretanto, é válido lembrar que é normal que por volta dos 35 anos de idade a papada apareça em homens e mulheres pelo envelhecimento da pele.

Até o momento não existe nenhum estudo que mostre que essa sobra de pele cause algum dano ou então problemas à saúde.

De toda forma, ele pode ser retirado por meio de cirurgias como a carboxiterapia e a radiofrequência.

São procedimentos simples e não costumam ter maiores complicações durante a cirurgia.

Entretanto, é preciso seguir à risca os procedimentos pós-operatórios passados pelo cirurgião para que não venham a surgir adversidades.

Problema na Articulação Temporomandibular

A articulação temporomandibular também pode sofrer danos caso o problema na mandíbula não seja corrigido.

Pode ser considerada uma das piores complicações, tendo em vista que pode causar muita dor, dificuldade para abrir e fechar a boca, mastigar, falar e até ouvir zumbidos que incomodam também.

Apesar da maior presença entre mulheres de 20 a 40 anos, é um problema que pode acontecer com qualquer pessoa independentemente de idade ou do sexo.

Existem também algumas condições que podem ajudar na evolução de problemas na ATM. Dentre elas estão:

  • Uso prolongado de aparelhos ortodônticos.
  • Postura errada, comprometendo assim os músculos do pescoço e do rosto.
  • Estresse.
  • Má alimentação.
  • Falta de sono.
DTM

Quando os problemas na ATM não são tratados, eles podem evoluir causar disfunções temporomandibulares, mais conhecidas como DTM.

Contudo, essa disfunção também pode ser tratada e controlada. É válido dizer que não ainda existem estudos que dão certeza total da união entre essas condições e a evolução da DTM.

Mas é sempre bom ficar alerta. E falando nisso, você sabe quais são os locais que mais podem apresentar dor e sensibilidade nos casos de DTM?

Eles são: rosto; área da articulação temporomandibular; pescoço; ombros e perto da orelha enquanto mastiga, fala ou então abre a boca.

E como eu posso saber quando estou com uma disfunção temporomandibular?

Os sintomas são inconfundíveis, acompanhe abaixo:

  • Capacidade limitada para abrir a boca.
  • Sensação de estar com o maxilar preso, seja com a boca aberta ou fechada.
  • Ouvir sons da articulação, que pode contar com dor junto ou não, enquanto abre ou fecha a boca.
  • Sensação de cansaço facial.
  • Dificuldade na mastigação ou sensação de que os dentes superiores e inferiores não se encaixaram durante a mordida.
  • Inchaço no rosto.
  • Zumbido no ouvido.

Portanto, agora que você sabe os sintomas, procure um dentista caso sinta algum deles para fazer uma análise mais esmiuçada do quadro e poder realizar um tratamento.

Os outros profissionais da saúde que também podem ser consultados são os cirurgiões buco maxilofaciais.

O Que Posso Fazer Para Ajudar no Diagnóstico da ATM?

Para ajudar no diagnóstico, chegue em uma consulta com as seguintes informações para passá-las ao profissional:

  • Sintomas sentidos e há quanto tempo estão presentes.
  • Histórico médico, com condições de saúde, medicamentos e suplementos que toma.
  • Se possível, peça que alguém o acompanhe na consulta.

Para chegar ao diagnóstico certo, os exames pedidos podem ser raio X, tomografia computadorizada ou então ressonância magnética, todas da mandíbula, claro.

De toda forma, existem também algumas técnicas que podem ser feitas em casa para amenizar a dor.

  • Aplicar compressas frias, que é um anti-inflamatório.
  • Comer alimentos macios ou fáceis de mastigar.
  • Evitar realizar movimentos mandibulares súbitos.
  • Evitar apoiar o queixo sobre as mãos ou fazer alguma força sobre o queixo.
  • Não ranger ou apertar os dentes (mantenha a língua entre os dentes se preciso).
  • Fazer exercícios que relaxam a tensão maxilar.

Mas é claro que nada disso substitui a ida ao dentista ou a qualquer profissional antes citado para poder fazer o tratamento correto conforme as indicações!

Ronco

Por incrível que pareça, o ronco pode ser originado pelo retrognatismo. E além do incômodo sonoro, ele também pode causar problemas nas pessoas que roncam.

Mas além do queixo para trás, existem outros motivos que podem fazer com que uma pessoa ronque. Confira abaixo:

  • Envelhecimento.
  • Obesidade.
  • Dormir de barriga para cima.
  • Consumo de bebidas alcoólicas perto da hora de dormir.
  • Ingestão de medicamentos com relaxante muscular, uma vez que pode relaxar os músculos da garganta enquanto estão em uso.
  • Amígdalas e adenóides grandes.

De toda forma, você sabia que existem problemas que o ronco traz para a saúde? Não? Sendo assim, descubra conosco quais são as consequências do ronco.

  1. Atrapalha o sono, gerando cansaço, sonolência, irritação, lentidão de raciocínio e perda de reflexo.
  2. Interferência na leptina, um dos hormônios que é responsável por regular a saciedade.
  3. Causa apneia, ponto que exploraremos mais a seguir.

Caso sinta alguns desses sintomas ou queira confirmar a presença dessa disfunção, é aconselhado que seja procurada a ajuda médica.

Um exame de polissonografia pode registrar e até comparar o que atrapalha o sono e ajuda a obter um bom diagnóstico para saber como tratar do problema.

Sendo assim, é recomendado a procura de um especialista o mais rápido possível para que o quadro não se agrave e cause eventuais complicações.

Mas também existem possibilidades de tratamentos domésticos para o ronco. Confira abaixo:

  • Praticar atividades físicas.
  • Corrigir a postura ou mudar o lado que dorme, e evitar o excesso do álcool antes de dormir, como citado antes.
  • Uso de aparelhos intraorais de resina acrílica sob prescrição odontológica.
  • CPAP, aparelho que mantém a circulação de oxigênio nas vias orais (também serve para apneia).
  • Correção de disfunções anatômicas via cirurgia.

Apneia

Esse transtorno fecha as vias respiratórias, o que faz com que a pessoa tenha pausas respiratórias longas demais, o que consequentemente dificulta a respiração, dando também a impressão de falta de ar.

Confira abaixo quais são os reflexos que a apneia causa no corpo humano:

  1. Mexe com o cérebro.
  2. Faz a pressão arterial subir.
  3. Atrapalha o trabalho do sistema renal.
  4. Faz mal para o coração.
  5. Aumenta risco de acidentes.
  6. Faz com que os ossos fiquem fracos.
  7. Prejudica os dentes.
  8. Atrapalha a audição.
  9. Pode ser porta de entrada para pneumonia.
  10. Aumenta chances de câncer.
  11. Aumenta o nível de açúcar na corrente sanguínea.

Mas você sabe como evitar esse problema?

Existem alguns procedimentos que podem ser tomados, dentre eles se encontram:

  • Não ingerir uma grande quantidade de álcool, assim como para evitar o ronco, e de sedativos antes de dormir.
  • Procurar não dormir de barriga virada para cima.
  • Perder peso uma vez que também pode influenciar na aparição de apneia.
  • Fazer exercícios físicos, assim como para evitar o ronco também.
  • Evitar o tabagismo.
  • Pessoas com rinite podem fazer um tratamento na obstrução do nariz.
  • Para as mulheres na menopausa é recomendado fazer uma reposição de hormônios.

Nesse caso também pode ser utilizada a odontologia do sono.

O cirurgião-dentista especializado nessa área compreende a fisiologia do sono e quais são os possíveis reflexos dos problemas noturnos na saúde.

Dessa forma, ele também pode tratar problemas como o bruxismo e ronco por meio do uso de aparelhos intraorais.

O preço desses aparelhos varia muito de clínica em clínica, mas pode custar em média dois a três mil reais.

Perdas Dentárias Precoces

Por comprometer a oclusão dentária, é possível que o paciente que possui essa deformação nos ossos da maxila chegue a perder antecipadamente alguns dentes.

Mas para esses casos, são recomendados implantes para substituir os dentes que caíram.

Após o diagnóstico, o dentista irá analisar a estrutura óssea da boca do paciente para verificar a possibilidade de fazer o implante.

Então, se o dentista notar que o paciente não possui uma estrutura óssea firme o suficiente para aguentar o implante, ele pode optar pelo enxerto ósseo.

Enxerto ósseo é um procedimento que reconstrói a parte da boca que apresenta carência, seja de altura ou de espessura, por exemplo.

Existem Outros Oroblemas?

Sim. Mesmo essa lista já sendo grande o suficiente, ainda existem também outros problemas que podem se originar de um quadro de retrognatismo. Confira abaixo quais são eles:

  • Funções orais como mastigação, deglutição e fala, além de problemas respiratórios.
  • Saúde oral.
  • Desgaste dentário.
  • Estética do rosto.
  • Modificações dentofaciais das mais diversas.

É válido lembrar ainda que, caso sinta algum desconforto, dor ou então possíveis complicações, é recomendada a ida ao dentista para obter um diagnóstico certo e dar início a um tratamento se necessário.

Mas lembre-se! Nunca faça a automedicação sem antes ter em mãos o diagnóstico, pois isso pode causar complicações na saúde.

[emaillocker id=”15594″]

Clique para Iniciar Download do PDF!

[/emaillocker]

Qual é a Especialidade que Trata o Retrognatismo?

Odontologia do Sono

O primeiro fator levado em consideração quando pensamos em corrigir o retrognatismo é a estética facial.

E realmente as possíveis cirurgias e aparelhos, que serão explicadas mais pra frente, ajudam a melhorar e até corrigem a estética e a harmonia do rosto.

Mas é claro que nós não podemos excluir dessa lista os benefícios do tratamento para a saúde do paciente. Afinal, é dessa forma que conseguimos prevenir futuras complicações oriundas dessa disfunção.

E qual é o profissional mais indicado para diagnosticar e tratar o problema? Bom, isso pode variar dependendo de qual for o tratamento escolhido pelo paciente e de sua idade.

Caso seja um tratamento com uso de aparelho ortopédico ou então ortodôntico em uma criança, ele será realizado por um odontopediatra, um dentista especializado na área da saúde bucal infantil.

Se for feito em um adulto, será por meio de um ortodontista.

Já quando for um idoso, um profissional especializado em odontogeriatria é quem irá cuidar do caso.

Quando o tratamento é feito por meio de uma cirurgia, ela passará pelas mãos de um especialista da área, dependendo de qual for a escolha do paciente.

Na primeira situação, que é o mais recorrente, de cirurgia ortognática, o responsável por todo o procedimento é um cirurgião buco maxilofacial.

Já quando é por meio de uma cirurgia plástica, que por possuir um preço um pouco mais elevado comparado com a primeira é menos procurada, o responsável é um cirurgião plástico.

É válido lembrar que não é qualquer cirurgião plástico que pode realizar a operação, mas sim um que seja especializado em mentoplastia.

Mas agora entraremos realmente no ponto de como pode ser feito o tratamento do problema.

Vamos lá? Confira aqui abaixo!

Tratamentos do Retrognatismo

Mandíbula

Após detalhar as causas e consequências, a pergunta que fica é: como tratar o retrognatismo?

Bem, existe mais do que uma forma de realizar os tratamentos para o retrognatismo. Podem ser utilizados aparelhos ortopédicos, aparelho ortodôntico e também uma cirurgia ortognática.

A cirurgia ortognática é um procedimento que serve para corrigir o posicionamento do maxilar e da mandíbula.

Juntamente a essas correções ósseas, a operação também pode resolver o problema de dentes apinhados, que é quando os dentes se encontram tortos ou então encavalados.

Quem realiza o processo operatório é um cirurgião buco maxilofacial, e dura entre duas e quatro horas dependendo do grau de retrognatismo.

Já falando do uso dos aparelhos, é bom salientar que nenhum tratamento ortodôntico garante que o problema será totalmente resolvido, fazendo com que o paciente precise passar pela operação.

Os aparelhos podem até fazer com que o paciente não precise da cirurgia com muita urgência, mas eventualmente ela será necessária para corrigir totalmente o retrognatismo.

Também existem outras formas de corrigir o problema de face convexa devido a uma retrusão mandibular ou protusão mandibular.

Entretanto, a eficiência delas irá variar dependendo dos graus de retrognatismo apresentados, e da idade do paciente, bem como o tempo que ele possui o problema.

Para corrigir casos das alterações em crianças, são mais aconselhados os procedimentos ortopédicos e ortodônticos juntos de um tratamento fonoaudiólogo para corrigir problemas eventuais na fala.

Recomendações e Cuidados Pós-Cirúrgicos

Como tratar o retrognatismo

Algumas dúvidas podem surgir após a realização da cirurgia ortognática como: quantos dias vou ficar afastado do trabalho? Ou então, por quanto tempo minha alimentação será restrita?

E sim, por se tratar de uma cirurgia complexa, são necessários cuidados específicos para uma boa recuperação, rápida e sem contratempos.

Existem alguns sintomas que podem aparecer. Portanto, não se espante caso aconteça algo como:

  • Inchaço no rosto.
  • Maior sensibilidade no queixo, nos lábios ou então na lateral do nariz.
  • Sangramentos nasais.
  • Lábios ressecados.
  • Dificuldade para respirar pelo nariz.
  • Dificuldade na ingestão de alimentos, e até de líquidos.
  • Garganta dolorida.
  • Perda de peso.

Mas mesmo não entrando em pânico, caso os sintomas persistam por muito tempo e estejam atrapalhando o bom andamento da recuperação, consulte um cirurgião buco maxilofacial para analisar o caso.

Cuidados Pós-Cirúrgicos

A recuperação da cirurgia ortognática costuma demorar cerca de 1 ano até o paciente voltar a fazer totalmente as suas atividades regulares.

Porém, apesar de longo, o tempo pós-operatório é praticamente indolor caso feito corretamente, seguindo as indicações médicas.

As atividades menos complicadas podem voltar a ser feitas no intervalo entre 15 e 21 dias após a cirurgia.

É recomendado que o paciente reduza a fala durante 10 dias após a operação e evite assoar o nariz.

Um ponto que precisa de cuidado e uma atenção especial é a alimentação.

Durante a primeira semana é recomendado apenas a ingestão de líquidos, como sopas, sucos e sorvetes, por exemplo.

Mas a partir da segunda semana o paciente pode voltar a ingerir alimentos pastosos, como mingau, purê e iogurtes.

Somente três meses após a operação que o paciente pode voltar a comer carnes e alimentos mais duros.

Já as atividades físicas só poderão ser retomadas após a liberação odontológica. Em média, isso demora entre 6 e 9 meses após feita a cirurgia ortognática.

Todavia, o cuidado com a saúde bucal durante a recuperação é essencial para obter um bom resultado.

Deve ser utilizada escova de dentes pequenas e cerdas macias, juntamente com enxaguantes bucais.

E claro, não esqueça de ir ao dentista com frequência para que o profissional possa acompanhar o andamento do quadro.

Outros Cuidados Após Operação!

Confira os outros cuidados que devem ser tomados:

  • Tomar medicações prescritas no horário certo.
  • Fazer compressas de gelo por 20 minutos a cada duas horas nos três primeiros dias, colocando sempre uma toalha entre o rosto e a compressa para proteger a pele.
  • Hidratar os lábios (é recomendado o uso de óleo de amêndoas para isso).
  • Não fumar ou ingerir bebidas alcoólicas.

Seguindo todos esses passos e dicas, a sua recuperação será tranquila e não ocorrerão adversidades.

Retrognatismo versus Prognatismo

Harmonia facial

Assim como a retrognatia, o prognatismo é um tipo de assimetria facial que envolve ossos, dentes e até músculos.

Enquanto o primeiro caso limita o crescimento, no segundo o crescimento da parte inferior da boca é excessivo em relação à maxila, localizada na arcada superior.

Diferente do retrognatismo, essa disfunção acarreta uma mordida cruzada anterior e um perfil facial côncavo.

E o Micrognatismo?

Micrognatismo

Tem como saber diferenciar quando é um caso de micrognatismo ou retrognatismo?

Aliás, qual é a diferença entre os dois?

Diferentemente dos casos anteriormente citados, a micrognatia é uma alteração na mandíbula inferior, deixando-a menor do que o normal e mais curta que o restante do rosto.

É comum de aparecer durante a infância, mas pode se desenvolver depois.

Crianças que nascem com Trissomia 13 e progéria são as mais propensas a possuir esse tipo de problema.

Pode desaparecer com o crescimento e desenvolvimento da criança, mas também pode causar má oclusão dentária e gerar problemas alimentares.

Existem três maneiras de corrigir o micrognatismo: por meio de uma cirurgia plástica, lipoenxertia e osteotomia.

No primeiro caso, no procedimento cirúrgico será colocada uma prótese de silicone dar projeção no queixo e aumentá-lo.

Entretanto, mesmo sendo considerado mais fácil de executar, tem a recuperação mais complicada. Podem existir infecções na prótese e o desgaste ósseo com o passar o tempo pela pressão que ela exerce sobre o osso.

Já no segundo caso, é feita a correção da projeção do queixo colocando gordura retirada do paciente no local. É a técnica menos invasiva, mas possui resultados limitados.

O terceiro, por sua vez, é o mais invasivo e complexo de ser executado por se tratar de um acesso intraoral, abertura do osso e uma fixação do queixo no local correto com o auxílio de parafusos.

Entretanto, ele é o que possui os melhores resultados a longo prazo.

Agora que você já sabe mais sobre o retrognatismo, que tal procurar a ajuda de profissionais para poder corrigir o problema e evitar a aparição de maiores problemas?

Valdir de Oliveira

Valdir de Oliveira

Cirurgião-dentista graduado em Odontologia pela Universidade de Santo Amaro (UNISA). Pós-graduado em Ortodontia e Ortopedia dos Maxilares pela Sboom. Com especialização e mestrado em Implantodontia, habilitação em Harmonização Orofacial e Anatomia da Face. Professor nas áreas de Cirurgia Bucomaxilo Facial e Harmonização Orofacial. Voluntário há mais de 20 anos na Agência Adventista de Desenvolvimento e Recursos Assistenciais - ADRA Brasil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sobre a Simpatio

Somos dedicados em criar conteúdo de qualidade e informativo. Nossa missão é informar pacientes, dentistas e clínicas provendo conteúdos altamente relevantes sobre odontologia e saúde bucal gratuitamente.

Agende uma consulta

Precisando de algum tipo de ajuda ou apoio relacionado a sua saúde ou estética bucal? Clique no botão abaixo!

Postagens Recentes

Receba Nossos Conteúdos

Preencha seu e-mail acima e receba conteúdos exclusivos gratuitamente!