Dentes desalinhados podem provocar problemas orais

Share on facebook
Compartilhe
Share on twitter
Tweet Isso
Share on linkedin
Compartilhe

Ter dentes desalinhados na arcada dentária são, certamente, prejudiciais a estética do sorriso. Porém, esse problema pode trazer consequências que vão além da nossa aparência.

Os dentes desalinhados podem ser apenas o início de questões, não apenas odontológicas, mas que envolvem a saúde de forma geral. Isso porque os nossos dentes e cavidade bucal estão ligados à outras partes do corpo, tornando-se um único sistema.

Dentes desalinhados são os dentes que estão posicionados de forma inadequada na cavidade bucal, muitas vezes tortos e angulosos, destacando-se e prejudicando a estética do nosso sorriso.

Quais São as Causas do Desalinhamento dos Dentes?

As causas para os dentes desalinhados podem ser diversas. Partindo desde questões hereditárias até fatores externos. Confira quais são as principais causas:

  1. Falta de espaço na arcada dentária;
  2. Ausência de dentes na arcada dentária;
  3. Chupeta, mamadeira e chupar o dedo por tempo estendido;
  4. Traumas na arcada dentária;
  5. Perda óssea dentária;
  6. Dificuldades respiratórias e o consequente hábito de respirar pela boca;
  7. Bruxismo;
  8. Problemas de oclusão dentária
  9. Discrepância de tamanhão entre a maxila, mandíbula e a face.

Confira cada causa mais detalhadamente a seguir:

Falta de espaço na arcada dentária

A falta de espaço suficiente na arcada dentária é um problema mais comum do que se imagina.

O problema decorre geralmente nas pessoas que possuem a arcada dentária muito pequena para dentes muito grandes. A consequência disso é a alteração da posição dos dentes, levando o elemento dental à giros e deslocamentos severos.

A causa para esse problema é exclusivamente genética, uma vez que é a genética é responsável por determinar o tamanho dos dentes e maxilares.

Contudo, a falta de espaço pode aparecer posteriormente, com o nascimento do dente do siso. A pressão que os dentes do siso exercem nos outros molares ao nascer acaba por desalinhar os dentes da frente, sendo necessário realizar a extração dos sisos na maioria dos casos.

Ausência de dentes na arcada dentária

O problema dos dentes desalinhados também pode decorrer da causa contrária a apresentada acima: o excesso de espaço na arcada dentária.

Quando a arcada dentária possui espaço demais para os dentes, seja por algum fator genético ou pela falta ou perda de um ou mais dentes, pode ocorrer alterações na oclusão entre os maxilares e haver uma movimentação indesejada dos dentes, deixando-os tortos.

O principal problema relacionado à falta do elemento dental na arcada é uma condição conhecida como agenesia dentária. Trata-se de uma anomalia que impede o crescimento de dentes de leite ou dos permanentes. Essa condição pode ser observada ainda na infância e o caso deve ser acompanhado pelo dentista desde cedo.

Chupeta, mamadeira e chupar o dedo por tempo estendido

O bico da chupeta, mamadeira, ou até mesmo o próprio dedo podem ser prejudiciais à dentição dos bebês se esse hábito se estende por muito tempo.

Apesar de serem métodos que acalmam o bebê e até beneficiarem as crianças por certo tempo, após os três anos esses hábitos podem tornar-se inimigos dos dentinhos dos pequenos, levando ao seu desenvolvimento anormal e outros problemas.

Esses hábitos, a longo prazo, afetam o formato da boca e o alimento dos dentes, pois, conforme o bebê e as crianças crescem e se desenvolvem fisicamente, seus maxilares crescem em torno de qualquer coisa que se mantenha na boca constantemente.

Ou seja, quando bebês e crianças usam a mamadeira, a chupeta, ou chupam o dedo por um tempo estendido, seus maxilares desenvolvem-se em volta desses objetos ou do dedo, levando os dentes para frente. Os mais afetados geralmente são os centrais superiores.

A inclinação dos dentes, além de afetar esteticamente o sorriso, também causa problemas de oclusão na criança. Também é possível que haja problemas quanto a posição dos dentes dentro da boca, alinhamento dos maxilares e alterações no céu da boca.

Felizmente, se o uso da chupeta e mamadeira for adequada, os problemas de desalinhamento dos dentes podem ser impedidos. A recomendação é de que os bebês larguem o hábito da chupeta por volta dos dois anos de idade.

Crianças que tiveram sua dentição prejudicada por esses hábitos devem consultar um odontopediatra, que indicará o tratamento mais indicado para cada caso.

Traumas na arcada dentária

Por mais que tenhamos cuidado, alguns acidentes podem ser inevitáveis no dia a dia. Portanto, os traumas dentários podem acometer tanto crianças como adultos, sob diversas circunstâncias diferentes.

Seja por uma simples queda de bicicleta, uma pancada durante a atividade física, um acidente automotivo, o traumatismo dentário pode ser muito comum. A faixa etária de 15 a 25 anos é a que possui a frequência maior de traumas dentários, que, mais comumente, acometem os incisivos centrais superiores.

As consequências dessas traumas são fraturas coronária no esmalte e na dentina. Porém, as avulsões também são comuns, ou seja, quando há deslocamento total do dente do alvéolo.

Por causas dos traumas também é possível que os dentes de desalinhem ou, no caso de crianças, o trauma pode prejudicar o dente permanente que ainda não nasceu.

Perda óssea dentária

Outra das causas para dentes desalinhados pode estar relacionada à perda óssea.

A perda óssea é uma condição inflamatória ocasionada pela má higiene bucal que, por sua vez, acarretam as doenças periodontais (como a gengivite e a periodontite), afetando, assim, o tecido gengival.

Trata-se da fragilização do osso de sustentação dos dentes que também afeta a gengiva, e o ligamento periodontal.

A perda óssea normalmente é observada na vida adulta. Por causa dessa fragilização decorrente dessa condição, os dentes se tornam vulneráveis e mais expostos, o que facilita o processo de desalinhamento dos dentes.

Sendo assim, é muito comum que, pessoas que costumavam ter um sorriso alinhado, notem a mudança de posicionamento dos dentes com o passar dos anos.

Dificuldades respiratórias e o consequente hábito de respirar pela boca

O hábito de respirar pela boca, apesar de parecer normal e inofensivo, pode gerar problemas para o nosso organismo e também para a saúde bucal. Esse hábito pode ser decorrente de alguns problemas respiratórios, como:

  • Carne esponjosa no nariz;
  • Desvio de septo;
  • Sinusite; e
  • Rinite alérgica.

Também pode estar relacionado a outros problemas, como a má formação do nariz ou da boca e uso prolongado de chupeta e mamadeira.

O processo de respirar pelo nariz é fundamental para o bom funcionamento do organismo, ela tem a função de umidificação, aquecimento do ar inspirado e proteção das vias aéreas. Quando a respiração é feita constantemente pela boca, alguns malefícios podem ser observados, como:

  • Desenvolvimento anormal do rosto e da arcada dentária;
  • Gengivite;
  • Oxigenar o cérebro com o ar que vem pela boca; e
  • Desalinhamento dos dentes;

Bruxismo

O bruxismo é uma condição caracterizada pelo ranger ou apertar dos dentes durante o sono. Pode até acontecer durante o dia, mas o mais comum é que ocorra no período da noite, de forma subconsciente quando se está dormindo.

Essa condição pode trazer algumas consequências para a saúde bucal, como o desgaste dos dentes, fraturas ou até mesmo lascar os dentes, deixando-os mais sensíveis.

Também é comum que algumas pessoas sintam dor de cabeça e na mandíbula, causada pela pressão dos músculos nessa região ao ranger dos dentes. É muito comum que pessoas que sofrem com o bruxismo apresentem problemas na articulação temporomandibular, conhecido como disfunção temporomandibular (DTM)

Além disso, o bruxismo pode causar o desalinhamento dos dentes ou o desalinhamento pode ser o fator provocador do bruxismo.

Problemas de oclusão dentária

A oclusão dentária é o contato dos dentes superiores com os inferiores ao se fechar a boca, a famosa mordida.

A má oclusão dentária, por si só, já é uma espécie de desalinhamento dos dentes, uma vez que trata-se de alterações em seu posicionamento, de forma que a “mordida” não se encaixa da maneira correta.

Isto é, os dentes estão desviados da posição ideal e os dentes da arcada superior e inferior não se encontram corretamente.

Dentre os tipos de má oclusão estão:

  • Prognatismo;
  • Retrognatismo;
  • Mordida cruzada;
  • Mordida profunda;
  • Oclusão aberta;
  • Oclusão fechada.
  • Diastema;
  • Dentes apinhados;

Contudo, os problemas de oclusão, podem provocar alterações e problemas de saúde bucal. Algum desses são:

  • Desgaste;
  • Dificuldade para mastigar;
  • Cáries frequentes;
  • Perda de dentes;
  • Sensibilidade dentária;
  • Dores de cabeça e zumbido no ouvido;
  • Problemas na articulação mandibular.

Discrepância de tamanho entre a maxila, mandíbula e a face

A discrepância no crescimento e formação dos maxilares em relação à face é um problema chamado de deformidade dentofacial. Essa deformidade envolve a parte esqueletal e também a parte dentária.

A causa dessa discrepância de tamanho pode ser genética ou ainda devido a certos hábitos, especialmente durante a infância.

O que ocorre quando um maxilar cresce mais que o outra é um problema de má oclusão, uma vez que os dentes não conseguem ficar alinhados da forma adequada.

No caso das crianças, como os seus maxilares ainda estão em processo de crescimento, hábitos como o da chupeta ou o de respirar pela boca pode afetar a maneira com que a mandíbula cresce, criando desarmonias em seu tamanho.

A deformidade dentofacial pode causar dores e estalos na articulação temporomandibular (ATM), além de dificuldades para respirar, na fala, mastigação e outros problemas orais.

Como os Dentes Desalinhados Podem Prejudicar a Saúde?

Como os Dentes Desalinhados Podem Prejudicar a Saúde?

Chamado clinicamente de dente apinhado, como vimos, o desalinhamento dentário pode ser proveniente de diversas causas, além de se manifestar de diversos modos.

Assim, a depender da razão que envolve os dentes tortos, inúmeros problemas de saúde podem se desencadear. Veja quais são os principais:

  1. Cáries e gengivites
  2. Dores na coluna
  3. Dores no rosto, cabeça e ouvido
  4. Mau hálito e ronco
  5. Assimetria facial

Cáries e gengivites

Ás cáries e gengivites são proveniente da má higienização bucal.

Quando os restos de alimentos não são devidamente limpos da cavidade bucal – problema comum quando o paciente não utiliza o fio dental – as bactérias que vivem na boca se nutrem desses restos.

Com isso, essas bactérias começam a se proliferar, formando a placa bacteriana, uma película transparente que adere aos dentes.

Assim, a placa bacteriana causa a inflamação da gengiva (gengivite), causando inchaço e sangramento.

Essas os ácidos eliminados por essas bactéria também causam a cárie dentária.

O mal posicionamento dos dentes pode ser responsável pela má higiene bucal, já que dificulta que a escova de dentes possa limpar corretamente a superfície do dentes, favorecendo o acúmulo de placa.

Além disso, alguns dentes podem ser tão tortos que dificultam o acesso do fio dental no espaço interdental.

Como já vimos, o hábito de respirar pela boca e a perda óssea também podem ser fatores que facilitam o aparecimento da gengivite.

Dores na coluna

Ao contrário do que pode parecer, a coluna pode estar diretamente relacionada aos problemas orais.

O principal problema bucal que pode afetar a coluna é o bruxismo.

A intensa pressão nos dentes gera uma sobrecarga de forças sobre a ATM, causando sua inflamação. Devido a intensa enervação e correlação com os músculos nessa região, a dor gerada é difundida para a cabeça, pescoço, ombros e também para as costas.

O desalinhamento dentário também faz com que o posicionamento da cabeça mude, como forma de compensação, o que interfere na postura e gera dores na coluna.

Dores no rosto, cabeça e ouvido

O desalinhamento dos dentes, consequente da má oclusão, falta de dentes, traumas, deformidade dentofacial e bruxismo, pode desencadear uma séria disfunção na articulação temporomandibular (ATM), como já vimos anteriormente.

Dessa forma, a coluna não é a única a ser afetada por esses problemas. Os dentes desalinhados causam dor de cabeça, enxaquecas, estalos e até dores no ouvido e rosto. Além desses, outros sintomas relacionados a essa disfunção são:

  • Dificuldade para mastigar;
  • Totura;
  • Vertigem;
  • Zumbidos no ouvido;
  • Sensação de mandíbula travada;
  • Dores no fundo dos olhos e na têmpora; e
  • Desgaste dental.

Mau hálito e ronco

Como já dissemos anteriormente, dentes desalinhados por conta de problemas respiratórios podem causar complicações, já que a respiração feita pela boca não é natural.

Ela facilita a entrada de microrganismos que, por sua vez, oportuniza a contração de doenças e provoca o ronco e o mau hálito, consequente da falta de lubrificação na boca;

Assimetria facial

Dentes tortos também podem prejudicar a mastigação e o processo de digestão em si. Por causa disso, forçar um dos lados da arcada no momento da mastigação, a longo prazo, pode desencadear a assimetria facial.

Além disso, a má oclusão e a discrepância entre o maxilar e a face também podem ser fatores que contribuem para a assimetria facial.

Como Alinhar os Dentes?

Como Alinhar os Dentes?

Como vimos, o desalinhamento dos dentes pode ser mais preocupante do que parece. Portanto, se você sofre com esse tipo de problema, é hora de procurar um profissional.

Por sorte, a ortodontia tem se desenvolvido cada vez mais para tratar e alinhar o dentes, de forma que existem hoje tratamentos eficazes para corrigir o posicionamento dos dentes e problemas de mordida, ou oclusão.

Para casos mais acentuados, o tratamento recomendado é o uso de aparelhos ortodônticos. No entanto, se o caso for mais suave, uma boa opção é o uso das facetas de porcelana.

A seguir, vamos conhecer os principais tipos de aparelhos para o tratamento ortodôntico.

  1. Fixo metálico
  2. Fixo estético
  3. Móvel
  4. Lingual
  5. Autoligado
  6. Transparentes
  7. Expansor palatino
  8. Extrabucal

Fixo metálico

O aparelho fixo metálico é um dos mais tradicionais na ortodontia. Ele é caracterizado pelos fios, bandas e bráquetes metálicos.

Esse tipo de aparelho também demanda o uso de borrachinhas que podem ser transparentes ou coloridas. Uma de suas vantagens é que é indicado para todos os tipos de desalinhamentos dentários.

Além disso, como desvantagem esse aparelho não é tão confortável, podendo causar ferimentos à mucosa da boca. Além disso, sua higienização também pode ser mais complicada.

Fixo estético

O aparelho fixo estético é muito similar ao metálico. A principal diferença entre eles é a cor que, aqui, seus bráquetes são transparentes, tornando-se quase imperceptíveis.

Assim, esse tipo de aparelho conta com três modelos diferentes, são eles:

  • Policarbonato: confeccionado com resina plástica, bráquetes maiores e menos resistentes. Sua peças possuem coloração branca e também preciso do uso das borrachinhas que podem ser brancas;
  • Porcelana: possui coloração branca e seus braquetes são menores se comparado ao modelo de policarbonato, porém, mais resistentes. Contudo, também necessitam do uso da borrachinha e seu custo é mais elevado;
  • Safira: comparado aos outros, é o modelo mais discreto, mas também o de mais alto custo. É confeccionado com porcelana monocristalina, similar ao vidro.

Móvel

O aparelho móvel, ou aparelho de contenção, é mais utilizado no fim do tratamento ortodôntico.

Sua função é evitar que os dentes saiam do lugar após o fim do tratamento com o aparelho fixo.

Como o próprio nome diz, o aparelho móvel pode ser removido quando o paciente quiser. Contudo, para o sucesso do tratamento é preciso que o paciente use-o com constância.

Uma das duas vantagens inclui uma limpeza mais fácil, já que é possível retirá-lo da boca para isso.

Lingual

O aparelho lingual é um modelo muito parecido com o fixo convencional. Além de ser fixo, também é feito de material metálico e também necessita das borrachinhas.

Entretanto, sua principal diferença é que, em vez da superfície frontal dos dentes, ele é colado na parte dos dentes, tornando-se “invisível”. Dessa forma, também é uma opção estética ao aparelho ortodôntico, uma vez que seu uso não é perceptível.

Sua principal desvantagem se encontra na limpeza, ainda mais complicada que no aparelho fixo convencional.

Uma limpeza ineficiente pode causar muitos prejuízos para a saúde bucal e, por isso, esse aparelho normalmente é indicado para atletas. Isso porque, em casos de pancas – comum nos esportes – há menos riscos de lesões bucais.

Autoligado

O aparelho autoligado é considerado um modelo mais eficiente que o fixo convencional, apesar de ser bem parecido.

Assim como o convencional, esse aparelho também é confeccionado em material metálico e fica fixo aos dentes. Contudo, esse modelo não demanda a necessidade do uso das borrachinhas, já que o o fio ortodôntico é preso diretamente no braquete.

Esse fator torna o uso do aparelho autoligado mais confortável e também mais discreto que o convencional. Além disso, seus braquetes também apresentam um formato menor.

Esse tipo de aparelho também está disponível na versão de porcelana e de safira, tornando-se um modelo mais estético.

Transparentes

O alinhador transparente, popularmente chamados de aparelho invisível, é outra forma de corrigir dentes tortos.

Trata-se de um dos modelos de aparelho ortodôntico mais modernos presentes no mercado. Sua confecção é feita por meio de softwares específicos que escaneiam a boca do paciente e o fazem sob medida.

Trata-se de um dispositivo similar há uma moldeira, porém transparente. Por conta disso, é um dos aparelhos mais estéticos e imperceptíveis.

Todavia, esse tipo de aparelho atende apenas os casos mais simples de dentes desalinhados. Além disso, é um dos modelos mais caros disponíveis.

Contudo, é um dispositivo muito confortável e, por ser removível, é de fácil limpeza.

Expansor palatino

O expansor palatino é um aparelho ortodôntico menos popular que os demais. Isso porque são poucos os casos que demandam o uso desse aparelho.

Sua principal função, como o próprio nome já diz, é aumentar o tamanho do plato (céu da boca) e corrigir problemas de oclusão.

O público que mais utiliza o expansor palatino são as crianças, mas o dispositivo também pode ser usado por adultos.

Extrabucal

Dentre todos os outros modelos, o aparelho extrabucal é o menos discreto.

Trata-se de um dispositivo que se prende a cabeça do indivíduo, fator que pode ser incômodo a maioria dos pacientes.

Sua função é aplicar uma força de maior intensidade dobre os osso da cabeça, a fim de estimular ou restringir o crescimento do maxilar.

Seu uso pode ser fundamental para evitar futuros procedimentos cirúrgicos e até a extração de dentes.

Mas qual o tempo para alinhar os dentes?

O tempo de duração, assim como o método empregado, dependerá de cada caso específico e o nível de desalinhamento dentário e deve ser decidido pelo dentista.

Portanto, para resolver seu problema de dentes desalinhados o quanto antes, a primeira coisa a se fazer é agendar imediatamente uma consulta com um ortodontista de sua confiança.

Ramiro Murad
Ramiro Murad
Ramiro Murad Saad Neto, cirurgião-dentista com registro no Conselho Regional de Odontologia de São Paulo (CRO-SP) nº 118151, é graduado pela UNIC e residente em Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial Facial no Sindicato dos Odontologistas de São Paulo (SOESP - SP). Possui habilitação em Harmonização Orofacial e também é gestor de clínicas e franquias odontológicas. Além disso, é integrante da equipe Bucomaxilofacial da Clínica da Villa, que está na Rua Eça de Queiroz, 467 - Vila Mariana, São Paulo - SP.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sobre a Simpatio
Somos dedicados em criar conteúdo de qualidade e informativo. Nossa missão é informar pacientes, dentistas e clínicas provendo conteúdos altamente relevantes sobre odontologia e saúde bucal gratuitamente.
Agende uma consulta
Precisando de algum tipo de ajuda ou apoio relacionado a sua saúde ou estética bucal? Clique no botão abaixo!

Postagens Recentes

Receba Nossos Conteúdos

Preencha seu e-mail acima e receba conteúdos exclusivos gratuitamente!

Simpatio 2021 © - Todos os Direitos Reservados

As informações contidas neste site têm como objetivo único informar. A Simpatio tem o compromisso de estimular, e nunca substituir, as relações entre dentistas e pacientes. Sempre deixamos isso muito claro nos textos e na comunicação com nossos leitores. É fundamental que o paciente, ao notar qualquer alteração em sua saúde bucal, consulte seu dentista de confiança. Cada indivíduo requer um tratamento personalizado.

Os conteúdos da Simpatio são escritos por jornalistas e possuem a supervisão e a aprovação de dentistas e de profissionais de saúde parceiros.