Chupeta faz mal para as crianças ou é apenas um mito?

Share on facebook
Compartilhe
Share on twitter
Tweet Isso
Share on linkedin
Compartilhe

Um aliado dos pais nos primeiros anos de vida dos bebês, pode ter uma relação com a odontologia

Todos os pais sabem que, principalmente logo quando recém nascidos, os bebês precisam da chupeta para se acalmarem e até mesmo se distraírem.

Porém, a infância é a fase principal da formação dos primeiros dentes. Dessa forma, como você com certeza já ouviu por aí, são diversas as polêmicas que rodeiam a chupeta.

Chupeta é um acessório usado por crianças em formato de bico que pode ser de silicone, borracha, ou de plástico.

Feita inteiramente para os bebês e público infantil, é muito utilizada para que eles se distraiam, fiquem mais calmos e, principalmente, uma grande aliada na hora de dormir.

Para Que Serve a Chupeta?

Como já estávamos explicando anteriormente, o mais comum é que os pais optem por dar a chupeta a seus filhos, utilizando-a como algo que faça com que a criança fique mais relaxada.

Porém, é normal que muitos tenham dúvidas sobre como o fazer corretamente. Isso é importante, pois, se não for feito como deve ser, pode acabar se tornando um vício para o bebê – o que não é bom.

As consequências para caso isso realmente venha se tornar um vício podem ser perigosas, principalmente quando falamos sobre a saúde bucal da criança.

Dessa forma, além de prejudicar a respiração, também acaba comprometendo a mastigação. O que no futuro, pode ser irreversível. Alguns dos principais problemas relacionados a saúde bucal que a chupeta pode então causar são:

  1. Mordida cruzada posterior
  2. Articulações temporomandibulares afetadas
  3. Mordida aberta anterior

Ainda assim, como já explicamos, se for algo bem controlado e que os pais saibam dosar, utilizando-a a seu favor, ela pode ser sim muito benéfica.

Benefícios da Chupeta

Além de ser um fator que acalma profundamente os bebês, existe um outro fator muito importante, que é a diminuição do risco de morte súbita.

Para que isso ocorra, esse acessório deve ser introduzido ao bebê somente após sua terceira semana de vida. Ainda assim, quando a amamentação já estiver estabelecida, ela também pode ser utilizada durante o sono.

O mercado já traz hoje em dia uma opção/alternativa que promete ser mais benéfica e prejudicar menos, em vários sentidos, a saúde bucal e outros aspectos da criança. Ele é conhecido como bico ortodôntico.

Malefícios

Apesar de existirem sim motivos pelos quais a chupeta pode ser interessante, é importante que todos os pais e mães estejam cientes dos perigos que ela também pode trazer.

Anteriormente no nosso artigo, citamos a chupeta ortodôntica. Sim, ela é uma alternativa mais benéfica.

Porém, assim como a chupeta tradicional, ambas produzem mudanças nos arcos dentais e também nos músculos da face da criança.

Dessa forma, alguns outros problemas que essas crianças podem ter quando relacionamos odontologia e uso de chupetas são:

  • Interferência negativa sobre a amamentação: a maioria das crianças que desmamam muito cedo, tendem a chupar chupeta com mais frequência do que as que são então amamentadas por um período mais longo;
  • A alteração do tônus muscular da musculatura bucal: a fala pode se apresentar com falhas, a mastigação, deglutição e a respiração da criança se manifestam com alguns probleminhas, o lábio superior fica mais curto, o lábio inferior fica flácido e virado para fora, ocorre a perda do selamento labial;
  • Possíveis deformações esqueléticas faciais devido à falta de bicos comerciais que sejam comparáveis ao bico do peito: boa parte das crianças que possuem hábitos de sucção não-nutritiva, apresentam algum tipo de maloclusão (mordidas abertas ou cruzadas), como já explicamos anteriormente;
  • A ligação entre a chupeta e a síndrome do respirador bucal: o ar inspirado pela boca não sofre o processo de filtragem, então, ocorre um aquecimento e umedecimento fisiológicos, fazendo com que o sistema respiratório fique mais vulnerável a doenças em geral.

Além disso, quando a criança já está com todos os dentes na boca, chupar chupeta durante um tempo muito longo, pode desenvolver um caso de mordida aberta anterior.

Normalmente, a principal causa para isso é a ausência de um contato dos dentes da frente, causada pelo acessório. Os dentes que estão situados no fundo estão em contato, diferentemente dos anteriores.

Existem alguns casos em que, crianças que fazem o uso da chupeta por mais de dois anos, venham a se tornar adultos fumantes ou ainda com outros transtornos em que usam de algo para se acalmar.

Como Largar a Chupeta?

Ficou preocupado após ter recebido todas essas informações até aqui? Calma! Nós iremos agora explicar então como fazer para retirar a chupeta do seu filho sem causar danos. Pois sim, isso pode acontecer.

Você com certeza não quer que problemas, desconfortos e complicações futuras apareçam devido a um simples hábito adquirido logo na infância, certo? Então confira essas dicas:

  1. A chupeta não deve ser deixada o tempo todo disponível. É fundamental que ela seja disponibilizada apenas quando a criança pedir, ou em momentos em que irá dormir. Depois de se acalmar, é importante que o acessório seja retirado;
  2. Ao retirá-la da boca de seu filho, evite que ela fiquei em um lugar visível para a criança. Guardá-la em algum lugar fechado ou que a criança não possa alcançar é o ideal. Não deixe pendurada ou ainda junto a ela.
  3. No caso das crianças mais grandinhas e que já entendem: converse! Muitas vezes, explicar os motivos pelos quais ela precisa ser tirada e mostrando os benefícios, pode funcionar. Tratar a situação com paciência e carinho é fundamental nesse momento;
  4. Saiba o porquê seu filho está incomodado, chorando, manhoso. Diversas podem ser as causas, como por exemplo, sono, fome, frio ou calor. Por isso, entenda primeiro qual a origem do problema antes de sair apelando de cara para a chupeta;
  5. Ainda com os mais velhos, faça um trato. Com certeza, com uma certa idade, a criança já costuma se interessar por brinquedos e objetos diferentes, por isso, oferecer uma troca por outra coisa, é uma boa dica. Propor mais passeios e divertimentos também é uma opção muito válida.

Não deixar com que a criança se torne refém da chupeta é papel dos pais. Porém, nenhum extremo é bom, conheça bem seu filho e saiba de suas necessidades.

Silmara Alves Rozo Ducatti

Silmara Alves Rozo Ducatti

Cirurgiã-dentista graduada pela Universidade do Oeste Paulista (UNOESTE) e especialista em Ortodontia pelo Sindicato dos Odontologistas de Mato Grosso do Sul (SIOMS).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sobre a Simpatio

Somos dedicados em criar conteúdo de qualidade e informativo. Nossa missão é informar pacientes, dentistas e clínicas provendo conteúdos altamente relevantes sobre odontologia e saúde bucal gratuitamente.

Agende uma consulta

Precisando de algum tipo de ajuda ou apoio relacionado a sua saúde ou estética bucal? Clique no botão abaixo!

Postagens Recentes

Receba Nossos Conteúdos

Preencha seu e-mail acima e receba conteúdos exclusivos gratuitamente!