Formigamento no rosto pode ser causado por problemas bucais

Share on facebook
Compartilhe
Share on twitter
Tweet Isso
Share on linkedin
Compartilhe

Existem diversos problemas que podem causar incômodos na face, como o crescimento de um dente do siso, por exemplo. No entanto, nem sempre a pessoa sente dor, como é o caso do formigamento no rosto.

Contudo, é necessário entender o que está causando este formigamento no rosto para poder descobrir como resolvê-lo. E já adiantamos desde já que existem muitos fatores que podem causar essa condição.

Formigamento no rosto é uma sensação que pode ser originada por diversos motivos, e dentre eles, uma pancada na região pode ser a causa.

Entretanto, é necessário ficar muito atento, afinal, a dormência na face pode ser sinal de alguns problemas odontológicos, até mesmo os mais comuns.

E isso se dá uma vez que são provocados estímulos nos nervos faciais que, por sua vez, causam a dormência e formigamento no rosto.

Sendo assim, separamos neste artigo todas as possíveis razões para sentir o formigamento na cabeça ou no rosto, e te convidamos a acompanhar conosco para ficar sabendo de tudo sobre esse assunto.

Afinal, além de elencar as possibilidades, também falaremos sobre como fazer com que essa sensação acabe.

O que pode ser formigamento no rosto?

Como citamos anteriormente, saber o que está causando essa sensação incômoda é o primeiro passo para poder reverter então o quadro.

No entanto, existem muitas possibilidades que podem gerar esse quadro, e cabe ao profissional de saúde identificar cada uma delas e separá-las para poder tratar.

Sendo assim, confira na lista abaixo tudo o que pode ser formigamento no rosto:

  • Ansiedade;
  • Compressão do nervo;
  • Paralisia de Bell;
  • Esclerose múltipla;
  • Infecção provocada pelo vírus varicela-zóster;
  • AVC;
  • Enxaqueca;
  • Abscesso dentário;
  • Pulpite;
  • Periodontite;
  • DTM;
  • Parestesia oral;
  • Neuralgia do trigêmeo;
  • Fibromialgia;
  • Danos nos nervos;
  • Alterações hormonais;
  • Reações alérgicas.

Contudo, é possível diferenciar cada uma dessas causas através dos sintomas apresentados pelo paciente.

Mas para poder entender melhor sobre todos eles, explicaremos eles de forma separada.

Sendo assim, se você deseja entender melhor, confira abaixo e fique por dentro de tudo o que gira em torno de cada uma das razões que o formigamento pode aparecer.

Ansiedade

Quando uma pessoa passa a ter uma crise de ansiedade, existe uma série de sintomas físicos que podem ser observados.

E isso, no entanto, independe de qual for a causa primária desta crise.

No entanto, um dos possíveis sintomas é o formigamento do rosto e até de outras partes do corpo, podendo ocorrer antes, durante ou até depois da crise.

De toda maneira, outros sintomas que podem ser analisados são:

  • Suor intenso;
  • Tremores no corpo, principalmente nas mãos e pernas;
  • Respiração mais acelerada do que o normal;
  • Aumento no número de batimentos cardíaco por minuto;
  • Palpitações;
  • Tonturas;
  • Falta de ar;
  • Calafrios;
  • Desconfortos no sistema gastrointestinal.

Por outro lado, podem ser observados também alguns sintomas psicológicos, como os abaixo listados:

  • Medo excessivo e constante;
  • Falta de personalidade;
  • Pensamentos ruins recorrentes;
  • Insônia frequente.

O formigamento também pode estar presente nas mãos e nos pés, bem como na língua ou então na cabeça, e normalmente passa após alguns minutos, quando a crise acaba.

Contudo, é válido pontuar que estes sintomas podem não ser observados de maneira conjunta, o que torna um pouco difícil de analisar uma crise.

Porém, é necessário procurar por um tratamento psicológico ou psiquiátrico caso seja analisado uma frequência nos sintomas ou então se dois ou mais apareçam de maneira conjunta.

E nos casos mais intensos pode ser necessário o uso de medicamentos para poder tratar os sintomas decorrentes do acesso de ansiedade.

Por isso é necessário realizar o acompanhamento com os profissionais corretos, justamente para poder acabar com a ocorrência de crises de maneira mais certa.

Agora, nos casos mais leves, somente realizar terapia com um psicólogo normalmente é suficiente para controlar os sintomas.

Entretanto, ainda assim podem ser necessários os medicamentos, mas a nossa indicação é que sempre seja feito um tratamento conjunto.

Afinal, ele é um profissional capaz de analisar o quadro e a possível evolução ou melhora apresentada pelo paciente.

Dessa forma, os resultados acabam se tornando mais eficazes, controlando os sintomas e crises de forma mais rápida.

Compressão do nervo

Essa condição, no entanto, normalmente é associada como uma consequência de uma hérnia de disco, o que faz ser possível relacioná-la com uma má postura por parte do paciente.

No entanto, ela pode significar que algum nervo foi danificado por outras razões, alcançando nervos do rosto que podem ser afetados por uma neuropatia.

Esta, por sua vez, é uma condição na qual ocorrem lesões nos nervos do corpo ou faciais.

De toda forma, essa situação acaba ocasionando uma dormência parcial da face, bem como a sensação de formigamento.

No entanto, é uma condição reversível desde que o problema principal apresentado pelo paciente seja corrigida.

De toda forma, o que pode ser feito em casos de hérnia de disco é uma cirurgia que deve ser realizada com orientações de um neurocirurgião ou então de um neurologista.

No entanto, outras opções existem e irão variar conforme o caso principal, mas pode ser feito o uso de remédios, fisioterapia, estímulos nervosos ou cirurgia no local.

No entanto, também é possível ter um caso de comprimir um nervo durante a gestação.

Sendo assim, é possível que a mulher sinta formigamento no rosto na gravidez.

A indicação para esse caso, no entanto, é que seja procurado um médico para analisar o quadro através de exames e entrar com o melhor tratamento dependendo do caso.

Paralisia de Bell

Normalmente pacientes que apresentam essa condição acabam sentindo paralisia e dormência no rosto como consequências.

Todavia, esses efeitos são sentidos apenas em um lado do rosto, e podem vir acompanhados de fraqueza e formigamento.

Esse quadro, por sua vez, aparece devido a uma inflamação no nervo facial, podendo ser pelo vírus da herpes e da catapora, por exemplo.

No entanto, existem alguns sintomas que podem ser analisados, sendo eles:

  • Dor de cabeça;
  • Salivação excessiva;
  • Baba em grande escala em detrimento da alta salivação;
  • Olhos lacrimejando muito;
  • Sensação de pressão sobre a mandíbula ou na orelha;
  • Sensibilidade ao olfato, ao som ou até ao paladar.

A recuperação pode ser obtida, mas geralmente acaba sendo prolongada através de um tratamento com orientações de um neurologista.

De toda forma, é necessário procurar por ajuda médica caso o paciente sinta algum dos sintomas aqui citados pois eles podem ser confundidos com o de um AVC.

O profissional da saúde poderá chegar ao diagnóstico e, caso confirmada a paralisia de Bell, começar o tratamento adequado para o caso, que pode contar com remédios esteroides e fisioterapia também.

Esclerose múltipla

Esta, por sua vez, é uma doença autoimune na qual ocorre um ataque ao revestimento que protege os nervos.

Isso, por si só, pode causar um dano grave no nervo, causando o sintoma mais comum da doença, que é o formigamento ou dormência do rosto e do corpo.

Em alguns alguns casos esse é, na verdade, o primeiro sintoma da doença.

No entanto, isso se dá uma vez que o dano causado no revestimento acaba por prejudicar a comunicação entre partes do corpo, causando este sintomas e ainda outros, citados abaixo:

  • Tontura;
  • Problemas de visão;
  • Fala lenta ou arrastada;
  • Tremores no corpo;
  • Maior dificuldade para realizar a locomoção;
  • Fadiga excessiva;
  • Perda de coordenação motora;
  • Problemas na funcionalidade de alguns órgãos, como a bexiga e o intestino, por exemplo.

Agora, quando falamos sobre cura, infelizmente a esclerose múltipla não possui um tratamento efetivo.

Sendo assim, é feito o uso de medicamentos para controlar as crises do paciente e desacelerar a progressão dos sintomas.

Por isso, é feito um acompanhamento principalmente com um neurologista.

No entanto, uma indicação é que pessoas que apresentam a EM e sentem formigamento no rosto tenham muito cuidado ao mastigar alimentos.

Afinal, a alteração na sensibilidade do rosto pode causar alguns acidentes e problemas durante a mastigação.

De tal forma, o aconselhado é mastigar devagar, tomando cuidado para não morder a língua ou o interior das bochechas.

Infecção provocada pelo vírus varicela-zóster

Também conhecida como herpes zóster, este vírus, por sua vez, faz com que surjam pequenas bolhas, coceira, dor de cabeça, calafrios, febre e fadiga.

E quando estas vesículas estouram na região da face, é comum que o paciente sinta sensações de queimação, formigamento e dormência no rosto.

Agora, para tratar este problema, no entanto, é necessário passar com um médico para que ele receite uma série de medicamentos antivirais.

AVC

O acidente vascular cerebral ocorre quando um dos vasos sanguíneos se rompe, ou então quando um coágulo acaba obstruindo o fluxo sanguíneo, causando uma diminuição no oxigênio que chega no cérebro.

A falta de oxigênio, por sua vez, acaba levando o cérebro a um estado de dormência, fazendo com que um dos lados do rosto fique no mesmo estado.

Porém, diferentemente da paralisia de Bell, quando uma pessoa está com dormência facial pode fechar apenas um olho ou então franzir a testa.

De toda maneira, este problema tem como uma das consequências a dormência no rosto, e normalmente a pessoa apresenta as seguintes condições:

  • Dor de cabeça muito forte e incomum;
  • Fraqueza repentina do braço e perna em apenas um lado do corpo;
  • Alterações na visão;
  • Perda de coordenação motora;
  • Alteração na fala;
  • Perda de consciência e memória;
  • Falta de respostas.

Sendo assim, o atendimento médico deve ser procurado assim que apresentado um dos sintomas deste problema.

Afinal, os danos causados por um AVC podem ser irreversíveis ou fatais dependendo do quadro.

De tal forma, quanto mais rápido for o atendimento, menos risco de sequelas o paciente possui e mais rápida se torna a recuperação.

Enxaqueca

Apesar de o sintoma mais comum das enxaquecas ser a dor de cabeça, existem casos onde pode ocorrer uma dormência ao redor da boca devido à este problema.

No entanto, normalmente ela ocorre em apenas um dos lados do corpo, podendo incluir o rosto ou não.

De toda forma, os sintomas mais comuns são:

  • Forte dor de cabeça latejante;
  • Presença de uma dor difícil de se localizar, chamada de dor surda, em um dos lados do corpo;
  • Vômitos;
  • Perda de visão ou dificuldade para enxergar;
  • Alta sensibilidade à luz;
  • Sensibilidade à odores.

E para ter ciência de que a dor é de enxaqueca, é preciso possuir um diagnóstico feito por um neurologista.

Sendo assim, é válido pontuar que existem diversos medicamentos para tratar e prevenir episódios de enxaqueca, e é por isso que o acompanhamento médico é fundamental.

Abscesso dentário

Esta condição é caracterizada pelo acúmulo de pus na região dos dentes ou então da gengiva.

De tal maneira, é formada uma espécie de bolsa em um tom esbranquiçado.

No geral, o aparecimento é relacionado a ação de bactérias na boca, gerando sintomas como:

  • Dores de dente;
  • Sensibilidade;
  • Mau hálito;
  • Inchaço.

Entre os possíveis tratamentos para o problema, podemos citar:

  1. Drenagem do pus;
  2. Raspagem das raízes dos dentes;
  3. Realização de um tratamento de canal.

No entanto, é somente um dentista quem pode elencar qual é a melhor forma de agir.

Sendo assim, caso sinta algum dos sintomas desse problema, não hesite em visitar o dentista para que ele faça uma análise do caso.

Pulpite

Esta também pode ser uma das causas para o formigamento do rosto.

Esse problema tem como característica uma inflamação na polpa do dente, a sua parte interna, sendo causada pela ação de bactérias.

Contudo, o aparecimento pode estar relacionado a eventuais lesões no dente, bruxismo ou, até mesmo, repentinas mudanças de temperatura.

A pulpite pode ser tratada com restaurações dentárias. Porém, em casos mais graves, é realizada uma pulpectomia.

Periodontite

A periodontite é outra doença da cavidade oral ocasionada pela proliferação de bactérias e microrganismos nocivos em nossa boca.

Nesse caso, no entanto, a doença ataca a gengiva, os ossos e ligamentos ao seu redor.

Mau hálito, sangramentos repentinos, inchaços e alta sensibilidade são características dessa condição.

Contudo, por ser uma doença que já se encontra em estado avançado, a periodontite não conta com uma cura definitiva, apenas com tratamentos para os sintomas que o paciente sente.

De toda forma, estes podem ser cirúrgicos ou não, depende da situação apresentada pelo paciente.

DTM

A disfunção temporomandibular (DTM) afeta a articulação temporomandibular e pode estar diretamente relacionada com a sensação de dormência no rosto.

A ATM é a articulação que realiza a ligação entre a mandíbula ao crânio, responsável pela movimentação do maxilar inferior.

As disfunções desta articulação podem ser causadas por traumas, estresse ou eventuais deformações faciais.

Além disso, entre os sintomas podem estar:

  • Dores de cabeça;
  • Dores de ouvido;
  • Dificuldades para realizar a movimentação da boca;
  • Sensação de desencaixe entre os dentes.

Posteriormente ao diagnóstico, o tratamento pode ser feito com o auxílio de profissionais de diversas especialidades.

E uma das maneiras de amenizar sintomas é a aplicação de bolsas de água quente, uso de relaxante muscular, anti-inflamatórios ou analgésicos e exercícios de relaxamento.

Parestesia oral

A parestesia é uma condição na qual o paciente pode sentir a dormência ou formigamento de alguma parte do corpo.

No entanto, também é possível encontrar casos de parestesia no rosto, e na boca, que são os casos chamados de parestesia oral.

Contudo, normalmente essa condição pode ser analisada após feita uma má aplicação de anestesia para realizar uma extração dentária ou algum outro procedimento cirúrgico como implantes dentários.

Sendo assim, esta complicação acaba afetando os nervos da boca, prolongando a sensação de dormência causada pela anestesia.

Porém, na grande maioria das vezes não é necessário nenhum tipo de tratamento específico uma vez que essas funções acabam desaparecendo naturalmente.

De toda forma, o profissional pode indicar complexos com vitamina B ou então a aplicação de compressas de água quente para reverter a situação.

Neuralgia do trigêmeo

Para esta doença, no entanto, não são conhecidas ainda as causas exatas.

Contudo, trata-se de uma desordem nos nervos que afeta o nervo trigêmeo, causando dormência, formigamento e dor no rosto.

Existem casos onde a dor entra em um grau insuportável, e o tratamento deve ser feito com supervisão e orientação de um neurologista.

Fibromialgia

Este, por sua vez, é um caso onde a pessoa sente muita fadiga e dor em todo o corpo.

O formigamento na boca pode ser um dos sintomas, mas também é comum que o paciente sinta:

  • Dor de cabeça;
  • Dificuldade cognitiva;
  • Alteração de humor constante;
  • Dor no corpo;
  • Insônia.

E para tratar este problema, são tomadas uma série de medidas que incluem uso de medicamentos para reduzir a cor e melhorar o sono.

Além disso, conta-se também com fisioterapia e psicoterapia para lidar com a condição de saúde.

Danos nos nervos

Quando falamos sobre lesões nos nervos, por sua vez, é válido entender que eles podem ser causados por uma grande variedade de motivos. Sendo assim, confira na lista abaixo quais são eles:

  • Distúrbios da medula óssea, como o linfoma por exemplo;
  • Alcoolismo;
  • Diabetes;
  • Infecções virais;
  • Doenças auto-imunes;
  • Uso de medicamentos de quimioterapia;
  • Presença de tumores no corpo ou no rosto;
  • Trauma causado por acidente, lesão ou uma eventual queda;
  • Deficiências de vitaminas em nutrientes como as do complexo B, niacina ou vitamina E;
  • Condições hereditárias, como a doença de Charcot-Marie-Tooth, por exemplo;
  • Exposições a venenos ou toxinas de produtos químicos ou metais pesados;
  • Doenças como hipertireoidismo, doenças renais, doença hepática ou a própria Paralisia de Bell.

De toda forma, é possível entender que tanto os nervos da face como o nervo lingual podem acabar sofrendo danos.

E quando o paciente se encontra em alguma das condições acima, a indicação é justamente que um médico seja procurado para que se evite a ocorrência de outros problemas.

No entanto, o acompanhamento médico é de grande importância até mesmo para pacientes que não possuem eventuais doenças, afinal, prevenir a sensação de formigamento no rosto é melhor do que ter de remediar.

Aqui, no entanto, o quadro é bem parecido com a compressão do nervo, e por isso as maneiras de tratamento acabam sendo iguais.

Sendo assim, ele pode ser através do uso de remédios, fisioterapia acompanhada de profissionais, estímulos nos nervos ou então uma cirurgia local também.

Além disso, pode ocorrer uma inflamação no nervo facial, causando sensibilidade à face ou crânio e, consequentemente, formigamentos no rosto ou na cabeça.

Alguns dos nervos que podem ser afetados são o trigêmeo, facial, glossofaríngeo ou o occipital.

Normalmente em casos como estes o paciente sente dor assim que eles sofrem danos, mas a dormência e formigamento são possíveis sintomas.

Alterações hormonais

Ao falarmos sobre alterações hormonais, estamos mencionando principalmente as mulheres, que sofrem muitas ao longo da vida.

Sendo assim, o formigamento pode ser um sintoma de eventuais desequilíbrios hormonais.

Normalmente estes são causados por baixos níveis de estrogênio uma vez que isso afeta a contração e dilatação natural dos vasos sanguíneos, gerando a condição de dormência.

Contudo, caso seja identificado que a causa deste problema é uma alteração hormonal, será necessário adotar mudanças no estilo de vida para regular os hormônios sem medicamentos.

Para isso, algumas dicas são:

De toda forma, o indicado é passar por um profissional da saúde para que ele analise o quadro e indique a necessidade ou não do uso de medicamentos.

Reações alérgicas

É possível que uma alergia alimentar cause a sensação de dormência ou coceira principalmente perto da boca.

Porém, existem outros sintomas que podem auxiliar para identificar se é uma reação alérgica ou não:

  • Falta de ar;
  • Tontura;
  • Acessos de desmaio;
  • Diarreia;
  • Náusea ou vômito;
  • Dificuldade para engolir;
  • Rosto, língua, garganta ou lábios inchados;
  • Sensação desconfortável que faz uma pessoa coçar a pele que pode ser causada por lesões.

Contudo, nos casos leves a alergia pode ser tratada com anti-histamínicos.

Agora, em casos graves, o atendimento médico deve ser o mais rápido possível pois pode ser necessária a aplicação de epinefrina por via intravenosa.

Para saber se é realmente um caso grave, deve-se analisar se o inchaço é muito grande e existe muita falta de ar e sensação de desmaio.

Outras possíveis causas

No entanto, é necessário entender que nem sempre a causa do formigamento é encontrada.

Contudo, essa condição se dá quando não existem sintomas além da dormência em si.

De toda forma, existem alguns outros motivos que podem causar esse quadro, veja:

  • Deficiência de vitamina B12, potássio, cálcio ou sódio;
  • Exposição ao frio;
  • Doenças auto-imunes como síndrome de Sjogren, esclerose sistêmica e lúpus eritematoso sistêmico (LES);
  • Tumores da bainha do nervo;
  • Depressão;
  • Ataque de pânico;
  • Estresse;
  • Fadiga;
  • Devido à procedimentos cirúrgicos, como intervenções faciais, ou tratamentos específicos como a radioterapia, por exemplo;
  • Menopausa devido às alterações hormonais sofridas pela mulher;
  • Sinusite, dependendo do grau da inflamação no seio paranasal;
  • Alterações faciais como o surgimento de nódulos, pólipos, infecções, inflamações, deformidades ou até mesmo um tumor na face ou no crânio;
  • Problemas circulatórios.

Por isso, o recomendado é ir ao dentista o mais rápido possível caso seja encontrada uma situação de dormência persistente ou uma constância de vezes em que o formigamento ocorre.

Afinal, o médico é o profissional capaz de encontrar a raiz do problema para então poder tratá-lo.

O que fazer para acabar com o formigamento?

O que fazer para acabar com o formigamento?

Após mencionarmos todas as possíveis causas para este quadro, chegou o momento de falarmos então sobre o que fazer para acabar com o formigamento.

A primeiro momento é necessário entender que, se o formigamento for causado por ansiedade, estresse, depressão ou ataque de pânico, nossa recomendação é que seja psicoterapia com um profissional da área.

Afinal, ele será capaz de tratar problemas psicológicos e da saúde mental, sendo ele o profissional mais recomendado para este tipo de terapia.

No entanto, quando falamos sobre as outras causas de formigamento que mencionamos aqui, existem cinco fortes possibilidades de acabar com este quadro, que são:

  1. Exercícios;
  2. Alongamentos;
  3. Massagem na região;
  4. Possuir uma alimentação balanceada;
  5. Acupuntura.

No entanto, antes de explicarmos melhor sobre cada uma delas, como realizar e como ajudam para combater o quadro de dormência, explicaremos sobre o momento certo de ir ao médico.

Na grande maioria das vezes o formigamento não é algo grave e passa com as estratégias que citamos, no entanto, ele também pode ser sinal de algum problema de saúde que precisa de atenção.

Por isso, a recomendação é passar por um clínico geral caso este sintoma seja analisado frequentemente.

Sendo assim, o médico poderá investigar as causas e começar o melhor tratamento para o quadro.

De toda maneira, confira a explicação abaixo sobre cada uma das formas de acabar com este sintoma.

Exercícios

Praticar algum exercício físico regularmente auxilia contra o formigamento justamente por melhorar a circulação sanguínea.

Sendo assim, especialistas recomendam pelo menos 30 minutos de atividade física diária de média intensidade ou então 3 horas semanais.

O tipo de atividade não precisa ser apenas uma só, no entanto, deve-se optar por exercícios aeróbicos e de fortalecimento muscular.

Alongamento

Normalmente os alongamentos devem ser feitos antes ou depois da atividade física.

Contudo, eles também podem ser feitos diariamente, seja ao acordar ou antes de dormir.

Estes, por sua vez, aumentam a flexibilidade corporal, o que causa um alívio na tensão dos nervos periféricos.

Além disso, é possível diminuir o estresse e a ansiedade, dois fatores que favorecem para o formigamento do rosto e, por outro lado, este tipo de prática melhora a qualidade de vida da pessoa.

Massagem

Massagear o rosto, ou até mesmo algum membro, quando ele está formigando com auxílio de um creme ou gel gera um aquecimento no local.

Isso é uma boa forma de eliminar, com rapidez, o desconforto que a dormência gera.

Também podem ser usadas pomadas que contém capsaicina ou mentol, afinal, elas são fáceis de encontrar e não precisam de uma receita médica.

Contudo, esfregar rapidamente a região é a técnica mais indicada para aliviar a neuropatia periférica, que nada mais é do que uma condição que afeta os nervos periféricos.

Alimentação balanceada

Neste ponto, a indicação é justamente optar por alimentos que melhoram a circulação sanguínea e combatem a retenção de líquidos.

Para isso, alguns bons exemplos são as frutas cítricas.

Além disso, alimentos antioxidantes e anti-inflamatórios são recomendados, bem como plantas.

Não podemos esquecer também das vitaminas A, B e D, que são altamente recomendadas para pessoas que possuem formigamento pela falta de vitaminas.

Por outro lado, é necessário evitar o consumo de sal e de bebidas alcoólicas em excesso.

De toda maneira, alguns exemplos do que a pessoa deve comer são:

  • Frutas cítricas;
  • Kiwi;
  • Abacaxi;
  • Beterraba;
  • Limão;
  • Iogurte;
  • Castanhas;
  • Salmão;
  • Alho;
  • Cebola;
  • Pimenta caiena, que pode ser usada para temperar carnes;
  • Carqueja;
  • Dente de leão.

No entanto, os dois últimos itens desta lista podem ser utilizados para fazer chá.

Acupuntura

Esta técnica da medicina alternativa funciona para reequilibrar as energias e melhorar a circulação sanguínea da região que está sendo tratada.

E por isso ela pode ser recomendada para combater o formigamento.

Além disso, este tipo de tratamento também pode aliviar a dor quando o paciente a possui.

Sendo assim, é válido procurar por um profissional dessa área caso sinta algum problema de dormência.

De toda forma, agora que você já sabe mais sobre formigamento no rosto e as suas possíveis causas, a nossa recomendação é que seja procurado um profissional da saúde o mais rápido possível para poder entrar com o melhor tratamento para o seu caso!

Silmara Alves Rozo Ducatti
Silmara Alves Rozo Ducatti
Silmara Alves Rozo Ducatti é cirurgiã-dentista graduada pela Universidade do Oeste Paulista (UNOESTE) e especialista em Ortodontia pelo Sindicato dos Odontologistas de Mato Grosso do Sul (SIOMS). Possui registro no Conselho Regional de Odontologia de São Paulo (CRO-SP) nº 121811 e integra a equipe odontológica da RD Design Oral, que fica na Alameda Grajaú, 98 - sala 1207 - Alphaville, Barueri - SP.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sobre a Simpatio
Somos dedicados em criar conteúdo de qualidade e informativo. Nossa missão é informar pacientes, dentistas e clínicas provendo conteúdos altamente relevantes sobre odontologia e saúde bucal gratuitamente.
Agende uma consulta
Precisando de algum tipo de ajuda ou apoio relacionado a sua saúde ou estética bucal? Clique no botão abaixo!

Postagens Recentes

Receba Nossos Conteúdos

Preencha seu e-mail acima e receba conteúdos exclusivos gratuitamente!

Simpatio 2021 © - Todos os Direitos Reservados

As informações contidas neste site têm como objetivo único informar. A Simpatio tem o compromisso de estimular, e nunca substituir, as relações entre dentistas e pacientes. Sempre deixamos isso muito claro nos textos e na comunicação com nossos leitores. É fundamental que o paciente, ao notar qualquer alteração em sua saúde bucal, consulte seu dentista de confiança. Cada indivíduo requer um tratamento personalizado.

Os conteúdos da Simpatio são escritos por jornalistas e possuem a supervisão e a aprovação de dentistas e de profissionais de saúde parceiros.