Assimetria facial, suas causas e relação com a odontologia

Share on facebook
Compartilhe
Share on twitter
Tweet Isso
Share on linkedin
Compartilhe

A assimetria facial é quando o rosto do paciente se encontra desarmonizado

Nosso sorriso é nosso cartão de visitas. E uma disfunção nos dentes, na gengiva ou na nossa face pode resultar na assimetria facial. Então, além de manter a saúde bucal, devemos nos atentar à harmonização do nosso rosto.

Neste artigo, vamos entender tudo sobre a assimetria facial e quais os métodos de tratamento para o problema. Muitas vezes eles são multidisciplinares e podem envolver fonoaudiólogos ou médicos de outras áreas.

Assimetria facial é um desequilíbrio entre os dois lados do rosto. Na maioria dos casos, a desigualdade não é muito perceptível. Mas se os hábitos que contribuem para isso forem contínuos, acabam deixando distúrbio mais notável.

Este tipo de anomalia, também chamada de assimetria dentofacial, é um incômodo estético para muitas pessoas, principalmente para as mulheres.

Nos últimos anos, a harmonização facial tem se tornado um tratamento muito procurado pelos pacientes. Ele corrige a assimetria em casos onde há apenas prejuízos estéticos.

Logo, nada melhor do que ficar por dentro do assunto, entendendo as principais causas e tratamentos para esta disfunção. Vamos acompanhar!

  1. Principais Causas da Assimetria
  2. Quais São os Sintomas da Assimetria?
  3. Sobre a ATM e DTM
  4. Consequências da Assimetria Facial
  5. Como é o Diagnóstico Para Assimetria Facial?
  6. Tratamentos Para a Assimetria Facial
  7. Outras Causas de Assimetria
  8. Não Esqueça de Realizar a Higiene Bucal

Principais Causas da Assimetria

Existe uma série de motivos que podem desencadear a assimetria da face. Dentre eles, podemos citar, deformidades de nascença ou acidentes e traumas.

Entretanto, aqui nós iremos focar em alguns hábitos que podem acarretar o surgimento da anomalia. Eles estão vinculados, principalmente, à mastigação, à deglutição e à respiração.

Vamos entender um pouco mais?

Mastigação

A mastigação é um ato que influencia muito na ocorrência da assimetria.

Segundo estudos, quando nosso corpo, boca e tecidos moles estão em fase de desenvolvimento, não podemos dar preferência a alimentos que sejam mais pastosos.

Afinal, a contração dos músculos do rosto propicia o crescimento correto dos ossos da mandíbula e da maxila. Logo, quando estas estruturas ainda não estão desenvolvidas, é fundamental estimulá-las.

Se um paciente tem a prática de mastigar somente de um lado, isso pode incentivar um crescimento descompassado do osso da boca dessa mesma região.

Em outras palavras, o indivíduo vai estimular muito mais um lado de seu rosto do que o outro.

Dessa forma, além de obter regiões mais desenvolvidas e, consequentemente, maiores que as outras, a pessoa ainda pode viciar o movimento da boca, angariando em posicionamento incorreto e permanente da estrutura oral.

Além disso, esse ato reflete até na simetria dos olhos, por conta da hipertrofia. Ou seja, um lado fica mais desenvolvido que o outro.

Respiração

As principais causas que levam a assimetria do rosto em decorrência da respiração são:

  • Obstrução nasal;
  • Desvio de septo;
  • Rinite;
  • Sinusite;
  • Bronquite.

Entretanto, fique calmo! Ter esses problemas não significa que você terá um distúrbio na harmonia do rosto.

O que acontece na realidade é que, eles podem fazer com que você permaneça muito tempo com a boca aberta, respirando, o que deixa o céu da boca profundo e a língua mais baixa e próxima aos dentes inferiores.

Para corrigir isso, o paciente deve fazer um tratamento multidisciplinar, abrangendo o dentista e o fonoaudiólogo.

fonoaudiologia trata de diversas partes que se comunicam com a odontologia, como a fala, a respiração, a mastigação e a sucção. É o que chamamos de multidisciplinaridade.

Quais São os Sintomas da Assimetria?

Assimetria facial, suas causas e relação com a odontologia

Antes de tudo, é interessante destacarmos que podem existir dois tipos de “sintomas” para assimetrias faciais. Os primeiros englobam principalmente a questão visual. Ou seja, a estética.

É a partir desses sinais que o paciente pode suspeitar se possui assimetria facial ou não. Portanto, é bacana que você se atente aos seguintes indícios:

  1. Se ao sorrir, a gengiva parece mais de um lado do rosto do que do outro;
  2. Se existe diferença de altura entre olhos e orelha, visível principalmente quando se coloca o óculos e percebe-se que ele não se encaixa aos olhos perfeitamente;
  3. Se você apresenta mordida ‘’torta’’ que faz com que tanto a mandíbula – osso móvel do rosto que se relaciona com a parte superior da face pela articulação da boca ( ATM ) – e os dentes, não estejam na posição correta e não permite o equilíbrio do corpo.

Além disso, falta de harmonia no rosto também pode ser sentida. É isso mesmo, o problema pode proporcionar fortes incômodos e dores crônicas.

Isso ocorre por conta da existência da disfunção temporomandibular (DTM), que geralmente está ligada diretamente a desarmonia facial.

Sobre a ATM e DTM

Assimetria facial, suas causas e relação com a odontologia

A ATM é uma articulação que faz a ligação maxilar ao osso temporal do crânio, que fica à frente das orelhas, nas laterais da cabeça.

Nomeada de temporomandibular, essa articulação é uma das mais complexas do corpo humano, e por ser extremamente flexível, é responsável por todos os movimentos da mandíbula.

Quando ocorre alguma disfunção na articulação temporomandibular, a anomalia recebe o nome de DTM ou D-ATM. Ela se manifesta através de diversos sintomas, como:

  • Fortes e frequentes dores de cabeça similares a uma enxaqueca;
  • Dores de ouvido e pressão atrás dos olhos;
  • Uma sensação de desencaixe ou um estalo ao abrir e fechar a boca;
  • Dor ao bocejar, mastigar ou abrir demais a boca;
  • Mandíbula travada ou deslocada;
  • Uma notável mudança no encaixe da arcada dentária;
  • Flacidez nos músculos da mandíbula.

Os sintomas da DTM também estão presentes em diversos outros problemas de saúde. Por essa razão, é sempre recomendado consultar o seu dentista para que você possa obter o diagnóstico correto.

O diagnóstico certeiro do problema é realizado a partir do histórico médico e dentário completo. Exames clínicos e radiográficos também podem ser requisitados.

Para minimizar os sintomas da anomalia, o paciente pode realizar compressas com uma bolsa de água quente na região e também aprender algumas técnicas de relaxamento, visando evitar o estresse.

Consequências da Assimetria Facial

Assimetria facial, suas causas e relação com a odontologia

Muitas pessoas, principalmente mulheres, têm a autoestima ferida por causa dessa diferença entre os lados da face.

Sentir sua beleza prejudicada por causa dos olhos, do nariz, da boca ou do sorriso desalinhado é extremamente ruim. Esta falta de auto aceitação é muito perigosa e pode até levar à depressão, uma doença gravíssima.

Em contrapartida, uma autoestima elevada é um dos principais recursos para garantir uma boa qualidade de vida e bem-estar.

Basicamente, ela determina a maneira como as pessoas se relacionam com o mundo, encaram os desafios da rotina diária e se protegem ou se expõem em situações que exigem controle emocional.

Porém, as queixas não param por aí. Podem existir consequências até mesmo na saúde.

Assimetria nasal traz problemas no desenvolvimento da maxila, dos seios nasais e dificuldades na respiração por causas diversas.

A mastigação unilateral, ou seja, de um lado só, afeta o crescimento da mandíbula, leva a dores de cabeça, pode gerar diferença na altura dos olhos e no contorno do rosto.

Além de trazer problemas na articulação temporomandibular, como já dissemos.

Como é o Diagnóstico Para Assimetria Facial?

Assimetria facial, suas causas e relação com a odontologia

A avaliação clínica da face assimétrica é similar à de outras deformidades dentofaciais. Contudo, envolve um conjunto de detalhes importantes. O profissional deve observar:

  1. Assimetria mandibular;
  2. Repercussão da assimetria esquelética nos tecidos moles;
  3. Desvio da linha média superior;
  4. Discrepâncias verticais do maxilar;
  5. Desvio do mento;
  6. Discrepâncias da forma e volume do corpo e do ramo ascendente.

Vamos entender um pouco melhor sobre estes detalhes:

Assimetria Mandibular

O primeiro passo do exame clínico da face é detectar a presença de assimetria mandibular. É muito importante levar em conta a posição da mandíbula no instante da observação.

Assim, a constatação da existência de assimetria mandibular esquelética deverá levar, desde logo, à indicação de tratamento combinado ortodôntico-cirúrgico.

Repercussão da Assimetria Esquelética nos Tecidos Moles

Na maioria das assimetrias dos maxilares, um dos lados da face se encontra mais estirado que o outro. Fato nem sempre notado com facilidade.

Esta diferente tensão de estiramento dos tecidos moles pode condicionar a projeção dos tecidos da região gengival, o posicionamento dos lábios e das comissuras labiais, das pálpebras inferiores e de outros pontos de referência.

É interessante ressaltar que quanto mais precoce for a assimetria, maior será o impacto futuro no paciente. Assim, uma intervenção deve ser realizada o mais cedo possível.

Desvio da Linha Média Superior

Nas assimetrias mandibulares é frequente verificar-se a existência de um aparente desvio da linha média superior em relação ao vértice do filtro do lábio.

Discrepâncias Verticais do Maxilar

Quanto mais antiga é a assimetria mandibular, maiores repercussões se encontrarão na posição do maxilar superior.

Logo, a história clínica pode sugerir se as repercussões posicionais no maxilar serão mais ou menos evidentes. Cabe ao profissional encarregado observar esta questão.

Desvio do Mento

Se alguma dúvida persistir quanto à existência do rosto torto, deve-se deitar o paciente de bruços e proceder à observação axial.

A observação axial superior, do lado da cabeça do doente, evidenciará a assimetria do frontal, do nariz, das órbitas, do lábio superior e do mento.

Já a observação axial inferior, do lado dos pés do doente, permite confirmar alguns dados da observação anterior e sobretudo dá acesso visual ao contorno inferior da região mandibular.

Discrepâncias da Forma e Volume do Corpo e do Ramo Ascendente

As assimetrias mandibulares, em particular as que tem origem em anomalias de crescimento, podem manifestar-se como alterações da posição da mandíbula em relação ao eixo facial, mas também como anomalias da forma do côndilo, do ramo, do corpo ou do mento.

Assim, é fundamental que o médico obtenha o histórico de seu paciente, observando se ele possui alguma doença de crescimento.

Tratamentos Para a Assimetria Facial

Tratamentos da face assimétrica

A medicina, odontologia, estética e fonoaudiologia têm evoluído muito e apresentado procedimentos muito eficientes para minimizar e corrigir as assimetrias faciais.

Assim, podemos dizer que existe uma série de procedimentos que podem ser empregados em pacientes com este tipo de problema.

O principal intuito deles é trazer harmonia à face, mas principalmente uma melhora na saúde do paciente.

A técnica ideal será escolhida pelo profissional de acordo com o grau da assimetria e dependente da sua origem. Veja a seguir as principais formas de correção da assimetria facial:

Maquiagem Inteligente

Esta técnica consiste em disfarçar a assimetria leve presente no rosto de alguns pacientes.

Técnicas de maquiagem que simulem luz e sombreamento suavizam momentaneamente a face assimétrica. Entretanto, esse procedimento é indicado em casos simples, que não atrapalhem a vida do paciente.

Assim, podemos dizer que a modalidade não proporciona mudanças reais na face do indivíduo.

Logo, para casos mais agressivos, é interessante que o paciente procure outro tipo de tratamento.

Prática da Estética Facial

Geralmente proporcionada por um fonoaudiólogo, é uma prática inserida à rotina da pessoa. O especialista passará alguns exercícios diários que auxiliem na aparência da face, fortalecendo diversos músculos dessa região.

Assim, ao realizá-los, o paciente minimizará as linhas de expressão e equilibrando suas funções, o que buscará reduzir vícios realizados durante a fala, a mastigação e a deglutição.

Cirurgias

Em casos mais graves, que representem não apenas problemas estéticos como disfunções funcionais e de saúde, as cirurgias plásticas são as mais indicadas.

Por meio delas, é possível retomar a integridade do nariz e da mandíbula, por exemplo.

Também podem ser realizados procedimentos como intervenções em pálpebras e em nariz, lifting, bichectomia e preenchimento.

Vale destacar que somente 5% dos casos necessitam mesmo de cirurgia. Uma porcentagem relativamente baixa.

Isso porque hoje temos técnicas super modernas, como as já citadas. Ainda podem ser realizadas pequenas cirurgias, feitas no próprio consultório, que permitem o que chamamos de ancoragem esquelética.

Este procedimento pode auxiliar na reconstrução e moldagem de uma boa parte destas assimetrias ósseas que estão ajudando a provocar as dores e outros sintomas.

Aparelho Ortodôntico

Os aparelhos ortodônticos são usados para fazer o alinhamento dos dentes quando eles se desenvolvem com uma má formação. O tratamento possui tanto fins estéticos, quanto funcionais.

Através de um tratamento ortodôntico, é possível restabelecer a oclusão dentária. Ou seja, o perfeito engrenamento dos dentes superiores com os inferiores.

Essa função é fundamental para uma mastigação correta e, consequentemente, a adequada nutrição e saúde bucal.

Com o restabelecimento da oclusão, evitam-se problemas relativos à respiração, deglutição e da fala, inibindo o surgimento de novas deformidades faciais

Botox

O uso de Botox feito por dentistas ainda é recente. Por isso, muitas pessoas se sentem inseguranças.  Entretanto, não há com o que se preocupar!

Os dentistas que possuem a aptidão para realizar o tratamento estão mais que capacitados.

O Botox é um procedimento inicialmente feito para fins estéticos. Através da toxina botulínica, que é produzida por uma bactéria chamada Clostridium Botulinum, o método consiste em suavizar as rugas e as linhas de expressão.

Quando aplicada, a toxina tranquiliza o músculo e produz um relaxamento na região porque bloqueia a acetilcolina, um neurotransmissor. Assim, a pessoa aparenta ser mais jovem, pois suas marcas se alongam, desaparecendo.

Fisioterapia Orofacial

Este tipo de tratamento para face sem harmonia é multidisciplinar. Assim, ele envolve o médico, o fisioterapeuta e o cirurgião-dentista.

O objetivo principal dessa modalidade é evitar a necessidade de realização de um procedimento cirúrgico no futuro.

Além disso, uma fisioterapia orofacial possui outros propósitos, como:

  • Reposicionar a mandíbula ao crânio para melhorar a função;
  • Minimizar a dor muscular;
  • Melhorar a amplitude de movimento;
  • Melhorando a postura;
  • Reeducar o paciente em relação ao posicionamento correto da mandíbula;
  • Reduzir a inflamação;
  • Reduzir a carga adversa na ATM;
  • Fortalecer o sistema músculo-esquelético.

Exercícios Para Assimetria Facial

Além de todos esses procedimentos, é possível que o paciente realize uma série de exercícios para assimetria facial. Entre eles, podemos citar:

  • Exercícios mastigatórios;
  • Exercícios para estimulações da tonicidade do complexo orbicular dos lábios/bucinador e constritor da faringe;
  • Exercício mediano protrusivo;
  • Exercício lateroprotrusivo.

Gengivoplastia e Gengivectomia

A gengivoplastia e a gengivectomia são muito procuradas por quem possui hipertrofia gengival, uma patologia que vem de nascença ou pode se desenvolver a partir de uma gengivite ou inflamação induzida pela ingestão de alguns medicamentos.

Por mais que possuam procedimentos semelhantes, as cirurgias se diferenciam no seu propósito final. Em ambos os processos ocorre a remoção cirúrgica de uma porção de gengiva.

Porém, enquanto a gengivoplastia possui um objetivo final majoritariamente estético, a gengivectomia trata de uma reparação necessária para o acompanhamento de outros procedimentos odontológicos e/ou prevenção à doenças gengivais.

A verdade é que em alguns casos as cirurgias se complementam, sendo que inicialmente é realizada a gengivectomia, e posteriormente o cirurgião efetua a gengivoplastia para reparar leves detalhes e deixar o sorriso do paciente visualmente mais bonito e simétrico.

Outras Causas de Assimetria

Bruxismo é uma das causas da diferença o rosto

Bruxismo

O bruxismo é o ato inconsciente de apertar ou ranger os dentes constantemente de forma rítmica. Esse hábito parafuncional pode ocorrer tanto durante o dia quanto durante a noite. E, geralmente, traz sérias consequências.

Esse distúrbio age da mesma maneira que a mastigação unilateral e pode desenvolver problemas na ATM também.

Seu tratamento tem como objetivo aliviar a dor e evitar problemas nos dentes.

Por isso, é recomendado que o paciente use uma placa de proteção dentária enquanto durante a noite para evitar o atrito entre os dentes, além de tomar medicamentos, se necessário.

Dessa maneira, se o tratamento for bem realizado, é possível que o paciente restabeleça a estabilidade oclusal e funcional de sua boca.

Sorriso Gengival

O sorriso gengival é o nome dado à exposição acentuada da gengiva da arcada superior, que fica à mostra quando a pessoa sorri, o que interfere na estética e desarmoniza o sorriso.

A gengivectomia, a gengivoplastia, o botox e o reposicionamento labial são os métodos mais adequados para tratar dessa exposição imprópria e reduzir a assimetria facial.

Dentes de Leite Precocemente Ausentes

A perda do dente de leite antes do tempo adequado pode causar alguns problemas para a criança, especialmente no momento de erupção dos permanentes.

O espaço necessita estar livre até o surgimento do substituto. Logo, sem esse apoio, os outros dentes acabam fechando-o. Trata-se de uma movimentação completamente natural.

Com isso, o paciente pode desenvolver seríssimos problemas oclusais, propiciando o aparecimento de uma notável assimetria facial.

Assim, é importante que o indivíduo utilize um mantenedor de espaço. Esse aparelho mantém esse espaço livre, sem riscos e transtornos para a criança.

É importante ressaltar que é fundamental a supervisão de um profissional especializado, seja ele um dentista ou odontopediatra.

Assim, o mantenedor de espaço pode ser usado corretamente, respeitando a faixa etária e as necessidades do pequeno usuário. O tratamento é individual, ou seja, varia de acordo com a demanda de cada paciente.

Não Esqueça de Realizar a Higiene Bucal

Não esqueça de realizar a higiene bucal adequadamente

Como pudemos observar, uma das principais queixas quanto a assimetria do sorriso se dá em relação a questão estética.

Entretanto, de nada adianta o paciente possuir um sorriso alinhado se os seus dentes não estão de acordo. Assim, é necessário realizar uma boa higiene bucal e deixar os dentes, gengivas, língua, bochechas e céu da boca limpinhos.

Como realizar a higienização bucal?

Existem algumas medidas e cuidados bucais que devem ser tomadas visando a preservação da saúde dos dentes.

Uma boa e simples dica é escovas os dentes ao menos três vezes por dia, incluindo nos momentos após acordar, após as refeições e antes de dormir.

Além disso, a língua não deve ser deixada de fora, uma vez que nela também pode haver o acúmulo de bactérias.
Assim, para potencializar a limpeza bucal, também escove a língua.

É recomendada a utilização de escovas com cerdas macias e movimentos leves. Escovas com cerdas duras e movimentos muito bruscos agridem os dentes e, assim, podem causar o desgaste do esmalte dentário e traumas na gengiva.

Ainda, as pessoas podem recorrer à escova interdental, feita para deslizar facilmente no espaço entre os dentes.

Os cremes dentais que contêm flúor em sua composição são úteis e indicados para promover a limpeza dentária.
Após escovados os dentes, é hora de passar o fio dental.

O fio dental é um excelente aliado na prevenção contra a aglomeração de restos de alimentos e placa bacteriana nos dentes.

Contudo, é necessário realizar movimentos cuidadosos, evitando ferimentos e danos nos tecidos gengivais durante seu uso.

O enxaguante bucal também pode ser utilizado para complementar ainda mais a higienização da boca. Essa substância age no controle químico das bactérias, além de proporcionar um hálito agradável.

Porém, o uso do enxaguante bucal não pode ocorrer como substituição a uma boa escovação dos dentes.

Seguindo esses passos você pode manter o seu sorriso perfeito. Lembre-se, além de extinguir a assimetria facial é necessário manter os dentes sempre limpinhos e brilhantes.

Ramiro Murad Saad Neto

Ramiro Murad Saad Neto

Cirurgião-dentista graduado em Odontologia pela UNIC. Gestor de clínicas odontológicas e franquias. Residente em Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial Facial no Sindicato dos Odontologistas de São Paulo (SOESP - SP). Habilitação em Harmonização Orofacial e integrante da equipe Bucomaxilofacial Dr. Carlos Eduardo Xavier na Clínica da Villa, em São Paulo. CRO - 118151

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sobre a Simpatio

Somos dedicados em criar conteúdo de qualidade e informativo. Nossa missão é informar pacientes, dentistas e clínicas provendo conteúdos altamente relevantes sobre odontologia e saúde bucal gratuitamente.

Agende uma consulta

Precisando de algum tipo de ajuda ou apoio relacionado a sua saúde ou estética bucal? Clique no botão abaixo!

Postagens Recentes

Receba Nossos Conteúdos

Preencha seu e-mail acima e receba conteúdos exclusivos gratuitamente!