Prótese adesiva: vantagens, desvantagens e restrições

Share on facebook
Compartilhe
Share on twitter
Tweet Isso
Share on linkedin
Compartilhe

Técnica adesiva é uma forma prática e temporária para realizar a reposição dentária

Alguns procedimentos odontológicos têm realização bastante complexa e demorada. Com o passar dos anos, novas técnicas foram desenvolvidas para proporcionar praticidade nos tratamentos. Entre elas está a prótese adesiva.

A prótese adesiva tinha uso mais comum há alguns anos, mas atualmente é considerada um pouco ultrapassada. Nessa época, era menos frequente a colocação de implantes dentários imediatos.

Prótese adesiva é uma forma menos invasiva para a reposição de um dente ausente. Ela é constituída por haletas metálicas adesivas, que por sua vez, usam os dentes vizinhos como suporte para a prótese de porcelana.

Este tipo de prótese pode ser utilizado de forma definitiva ou apenas temporária. E sua colocação antecede a de uma prótese dentária fixa.

O lado negativo, é que mesmo sendo escolhida como técnica definitiva para substituição do dente, não tem alta durabilidade.

Neste artigo vamos evidenciar as vantagens e desvantagens da prótese adesiva!

  1. Colocação da Prótese Adesiva
  2. Vantagens da Prótese Adesiva
  3. Desvantagens da Prótese Adesiva
  4. Restrições ao Uso da Prótese Adesiva
  5. Tipos de Prótese Adesiva
  6. Custo-Benefício da Prótese Adesiva
  7. Passo a Passo do Tratamento com Prótese Adesiva

Colocação da Prótese Adesiva

Por ser um procedimento que possui muitas limitações e contraindicações, não é uma técnica rápida. Dessa forma, realizá-lo com rapidez pode ocasionar riscos ao paciente.

De forma geral, o tempo médio deste tratamento é de 7 a 14 dias. Por isso, este é um dos tratamentos que exigem o uso de próteses provisórias pelos pacientes.

Porém, casos como esse não são exatamente fáceis de se lidar, uma vez que instalar uma prótese provisória em uma região de perda dentária anterior pode ser bem complicado.

Existem alguns preparos adequados para o procedimento.

Desgaste Lingual e Proximais

Quando o desgaste lingual for ser realizado na face lingual dos dentes posteriores, é importante que contenha toda sua extensão.

Portanto, a confecção de braço lingual deve ter pelo menos 3 mm de largura e 0,5 mm de espessura. Possibilitando assim que a estrutura de metal seja rígida o suficiente e consiga suportar todas as cargas mastigatórias.

Ainda assim, é recomendo que esse desgaste seja restringido a 2 mm das pontas das cúspides de contenção, sendo capaz de preservar suas relações funcionais.

Em seguida, os contatos proximais com os dentes vizinhos devem ser preservados. Para que isso ocorra, este contato deverá terminar com 1 mm de distância do ponto de contato.

O objetivo principal dessa extensão proximal é fazer com que ocorra uma ação de abraçamento entre as regiões.

Além disso, irá proporcionar um só eixo de inserção da prótese, tornando-a mais estável e deixando mais fácil sua retenção.

Desgaste do Terço Médio-Lingual dos Dentes Anteriores

Já este desgaste, deve ser realizado com a utilização de uma broca diamantada em formato de pera, uma vez que ocorre nos dentes anteriores.

Deve ter de 0,5 mm e se estender na direção incisal até o começo da área translúcida do esmalte dos dentes do paciente. Esse espaço precisa ser preciso em relação aos dentes antagonistas.

Preparo de Nichos

Os nichos são feitos com a função de transmitir a força exercida pela mastigação para os dentes pilares por meio dos apoios da estrutura metálica.

Dessa forma, eles devem oferecer uma rigidez à estrutura metálica, evitando assim que a prótese se movimente no sentido ocluso-gengival e vestibulo-lingual.

Conseguindo orientar o assentamento da peça durante a sua fixação.

Já no caso dos dentes anteriores, o nicho é confeccionado na altura do cíngulo, com forma de ombro, estendendo-se de mesial para distal.

Nos nichos dos dentes posteriores, a confecção deve ser feita com uso de uma broca diamantada tipo tronco cônica com extremidade plana.

A profundida que deve ser apresentada é de 1 mm, fazendo sempre com que a parede pulpar esteja plana e as paredes laterais divergentes para a oclusal.

A extensão nos sentidos mesiodistal e vestibulolingual deve ser de 2 a 3 mm.

Cada um dos dentes pilares posteriores devem conter dois nichos, um na extremidade mesial e outro na distal, dando então uma continuidade com o preparo lingual.

Confecção de Canaletas ou Caixas Proximais

Essas estruturas devem ser feitas com objetivo de aumentarem a retenção friccional e a estabilidade da prótese.

Dessa forma, elas evitam a sua movimentação no sentido vestibulo-lingual.

Além disso, conseguem oferecer uma maior rigidez na estrutura.

Essas canaletas são indicadas principalmente nos casos em que os segmentos proximais, com abraçamento de 180º, não podem ser usados por motivos estéticos.

Não são recomendados também quando o profissional que está realizando o procedimento opta por não desgastar as áreas de contato com os dentes vizinhos.

Para isso, é utilizada então uma broca diamantada tipo tronco-cônica com extremidade plana, paralela ao longo eixo de inserção.

A profundidade dessas caixas proximais deve sempre se restringir ao esmalte e ocupar toda a extensão ocluso-cevical.

Acabamento

Então, no momento da finalização, o acabamento deve ser realizado com brocas diamantadas em baixa rotação. Seu principal foco é conseguir arredondar as arestas formadas e definir as margens do preparo.

Com relação às diferentes técnicas de preparo, a área da superfície do metal e o desenho do dente preparado são fundamentais para garantir que a prótese resista e dure mais tempo.

Vantagens da Prótese Adesiva

tecnica adesiva

As principais vantagens da prótese dentária adesiva estão relacionadas ao seu custo e ao tempo de realização do procedimento.

Se comparada com a colocação de uma prótese fixa, a prótese adesiva possibilita um tratamento mais rápido e barato para o paciente.

A duração desse tratamento gira em torno de uma ou duas semanas.

Ela é ideal para casos de pacientes que estejam impossibilitados de passar por procedimentos de colocação de implante dentário, por falhas de estrutura óssea, por exemplo.

Também é indicada para casos onde houve a perda de apenas um ou dois dentes, principalmente em dentes incisivos, ou seja, os dentes frontais.

Além disso, é mais interessante aos que querem gastar pouco para realizar tal tipo de procedimento. Isso ocorre pois ela é uma opção muito mais barata com relação à outras técnicas.

Dessa forma, ser um procedimento que é feito em poucas consultas, é um dos principais diferenciais.

Ainda assim, em alguns casos, não apresenta a necessidade de anestesia, principalmente por ser um processo pouco invasivo.

Desvantagens da Prótese Adesiva

sistema adesivo

A técnica do adesivo apresenta uma série de desvantagens em relação aos outros tipos de próteses dentárias, sendo que a principal é ser pouco resistente.

Isso faz com que os riscos de descolamento sejam altos, obrigando o paciente a ter um número maior de voltas ao consultório do dentista.

Outro risco é a abertura de um espaço pelo deslocamento de uma das haletas. Nesse espaço pode ocorrer o acúmulo de bactérias. Esses podem gerar:

  • Infecções;
  • Inflamações;
  • Desenvolvimento de problemas como a cárie nos dentes;
  • Periodontite.

Porém, o motivo pelo qual isso ocorre é a possibilidade do aparecimento da liga metálica, que não é exatamente agradável para os pacientes.

Dessa forma, em muitos casos as próteses adesivas indiretas sem metal já vêm substituindo o metal nos novos modelos.

Ainda assim, é importante frisarmos que o uso dessas próteses adesivas, conhecidas também como metal free, deve ser muito cuidadoso e cauteloso. Vamos entender melhor o que são esses metais?

Infra-Estrutura Metálica

É importante que esse material seja feito de uma forma que a mastigação e a força que é exercida nesse processo seja neutralizada.

Dessa forma, para que isso ocorra esses retentores devem possuir uma espessura adequado, conseguindo evitar então que a peça sofra algum tipo de deflexão.

Já os apoios linguais e oclusais, por serem quem impede a intrusão da prótese, é fundamental que sejam planejados adequadamente.

É importante explicarmos que as próteses adesivas sem metal são uma alternativa considerada muito boa para esse tipo de tratamento reabilitador.

Porém, isso só ocorre então por causa de sua superioridade estética, por apresentar uma melhor biocompatibilidade e também uma facilidade de confecção, principalmente nos casos de compósitos reforçados por fibras.

Bom, além disso, existem diversas restrições para o uso desse tipo de prótese. Você deve estar se perguntando quais são elas, certo? No próximo tópico iremos explicar!

Restrições ao Uso da Prótese Adesiva

coroa dentaria fixa

Em geral, a técnica adesiva não é recomendada para casos de reposição de molares e caninos, reposição de mais de dois dentes vizinhos, e em dentes com muitas restaurações dentárias.

Pacientes que sofrem de bruxismo, mobilidade dentária ou sorriso gengival também não devem recorrer ao adesivo.

Assim, não são todos os casos que podem ser resolvidos com a técnica da prótese adesiva. Nessas situações, o paciente deve recorrer ao outros tipo de prótese dentária indicada pelo cirurgião-dentista.

Além disso, existem algumas contraindicações com relação ao uso dessas próteses. Quer saber se é ou não o procedimento mais indicado para seu caso? Confira algumas delas:

  • Reposição protética de caninos perdidos;
  • Reposição protética de molares perdidos;
  • Reposição de dois ou mais dentes, lado-a-lado, perdidos;
  • Pacientes com bruxismo;
  • Apoio sobre dentes com muitas restaurações dentárias;
  • Dentes com mobilidade dentária;
  • Pacientes com sorriso gengival alto;
  • Técnica específica para higienização.

Ainda assim, elas são contraindicadas quando os dentes do paciente não tiverem uma quantidade suficiente de esmalte. Seja devido à presença de cáries ou ainda por restaurações extensas.

É importante então atentar-se aos espaços protéticos extensos e nos casos de dentes anteriores com deficiência estética ou mal posicionados, nos quais a estrutura metálica possa prejudicar a estética.

Existem ainda algumas falhas que podem envolver as próteses adesivas.

Causas das Falhas que Podem Envolver uma Prótese Adesiva

Existem várias situações que podem trazer problemas envolvendo a prótese. A mais comuns que estão ligadas ao deslocamento de uma prótese adesiva são:

  • Altura insuficiente dos dentes pilares;
  • História de sensibilidade ao metal;
  • Pouca espessura vestíbulolingual dos dentes pilares;
  • Redução insuficiente das superfícies proximal e lingual;
  • Desgaste menor que 180º de extensão;
  • Falta de acomodação para excursão mandibular;
  • Contaminação durante a cimentação e uso de um agente de união não apropriado.

As causas de falhas que mais aparecem quando falamos de próteses adesivas, são por ordem, os descolamentos da prótese, dentes muito manchados e a presença de lesões originadas de problemas com cáries.

Para que a confecção de uma prótese ocorra com êxito, depende de alguns fatores, como por exemplo o desenho e o local em que a prótese se encontra.

As condições da liga e o tipo de cimento adesivo que foi escolhido para utilizar no procedimento, também são fundamentais no momento de determinar se a prótese terá sucesso ou não.

Tipos de Prótese Adesiva

implante dentario

Existem diversas variações das próteses adesivas. Iremos explicar a seguir cada uma delas mais detalhadamente e suas particularidades.

Prótese Adesiva em Zircônia

Essa é uma técnica com prótese dentária fixa em porcelana que não envolve nenhum tipo de metal, assim como a coroa protética com porcelana pura.

Essas estão entre as versões mais atuais que possuem uma excelente qualidade quando falamos de estética, alta durabilidade e ótima compatibilidade com as gengivas.

Por isso, superam qualquer outro dispositivo protético do mercado.

Essa é a indicação mais adequada principalmente nos tratamentos que precisam de resultados estéticos mais significativos e que ofereçam uma boa durabilidade.

É por isso que essa técnica em zircônia a técnica que mais se destaca e, pode ainda ser considera a queridinha entre os cirurgiões dentistas.

Isso ocorre principalmente porque, a cada dia, aparecem mais possibilidades de utilização deste material, inclusive em casos que nenhuma outra prótese foi capaz de solucionar o problema do paciente.

Falando um pouco sobre sua composição, o óxido de zircônia substitui o metal que reforça a porcelana nas próteses metalocerâmicas.

Isso é importante pois permite então que tratamentos mais complexos e que desafiam os dentistas em seu trabalho, sejam confeccionados.

Além disso, também pode ser utilizada para pôntico dentário fixo que substitui um ou mais dentes ausentes – ou até mesmo para as próteses em porcelana tipo protocolo, indicadas para pacientes totalmente desdentados.

Dessa forma, as aplicações em zircônia são um dos tipos de próteses dentárias com porcelana mais recomendados para tratamentos com alta exigência estética.

Prótese Fixa em Porcelana com Metal

Conhecido também por metalocerâmica, é a técnica com porcelana odontológica mais antiga e ainda utilizada hoje em dia no Brasil.

Porém, uma curiosidade sobre ela é que foi proibida em muitos países da Europa, principalmente por muitas mulheres apresentarem quadros de alergia aos metais nela presentes.

Ainda assim, é ideal para situações com poucas necessidades estéticas. Além de ser um material muito versátil e que pode ser manuseada também em coroas unitárias, múltiplas ou uma coroa dentária fixa.

Sejam elas sobre dentes naturais ou mesmo sobre outros implantes.

Uma das vantagens que essa prótese apresente é seu preço mais atrativo, uma vez que está mais em conta do que outros tratamentos quando comparada às que são livres de qualquer tipo de metal.

Prótese Fixa em Porcelana Pura

Até agora estávamos citando casos em que as transformações a partir das próteses eram mais discretas, certo? Nesse caso, entram as estruturas próprias para tratamentos em que os procedimentos são mais impactantes.

Da mesma forma que os tratamentos com facetas laminadas e lentes de contato dental são ideias nessas situações, as próteses em porcelana pura apresentam alto índice de satisfação de pacientes com alta exigência estética.

Nessa técnica, as cerâmicas modificadas não precisam das estruturas internas que existem nas próteses dentárias com metal, alumina ou zircônia.

Isso resulta em tratamentos dentários com um nível muito mais alto de precisão de propriedades que são visivelmente encontradas em dentes naturais como a cor, transparência, fluorescência e opalescência.

Porém, é de se esperar que, pelo simples fato de ser um tratamento mais elaborado, sofisticado e marcante, seu preço também esteja à altura. Ou seja, comparado a outras próteses, é mais elevado.

Prótese Parcial Removível

Esse tipo de prótese, assim como todas as outras, tem como principal objetivo trazer de volta a boa estética do sorriso.

Porém, ela é mais indicada quando há uma perda de mais de um elemento dentário ou em casos em que a prótese fixa não é a opção mais adequada para o paciente.

Por ser removível, apresenta algumas maiores necessidades de atenção à sua manutenção. Basicamente, é importante atentar-se a três cuidados essenciais:

  1. Realizar a higiene oral;
  2. Sempre remover a estrutura após as refeições para escovação;
  3. Manter visitas regulares ao dentista.

É importante lembrar que esse tipo possui uma espécie de data de validade. Isso acontece pois, com a falta dos dentes, é normal que a perda dos ossos continue ocorrendo ao passar dos anos.

Dessa forma, por mais que apresente um melhor custo financeiro por ser mais barata, é importante levar algo em consideração. Nesse modelo, os grampos de metal costumam aparecer mais.

Por isso, antes de bater o martelo e realmente decidir que essa é a opção perfeita para você, se informe sobre todas as possibilidades. Assim, evite resultados inesperados que não agradam.

Custo-Benefício da Prótese

protese parcial removivel

Por mais que os tratamentos feitos por meio de próteses dentárias adesivas tenham desvantagens, o preço baixo desse material continua sendo um fator determinante na hora da escolha.

Porém, assim como em qualquer outro procedimento, é importante colocar na balança se o tratamento mais barato é de fato o mais adequado e que oferecerá os melhores e esperados resultados.

Neste caso das próteses adesivas, o preço pode sim ser o primeiro fator a ser levado em consideração. No entanto, isso só ocorre partindo da ideia de que esta técnica não exige necessidades estéticas tão altas.

Como é o caso, por exemplo, de pacientes que realizam tratamentos que envolvem as facetas cerâmicas, laminadas ou até mesmo as tão conhecidas lentes de contato dental.

Outra condição importante a ser considerada é que os valores irão, na maioria das vezes, variar de acordo com o cirurgião-dentista.

Além disso, outro fator muito importante que deve ser levado em conta é a durabilidade do tratamento. Os que envolvem pônticos e coroa em porcelana fixas sobre implantes, costumam ter uma maior durabilidade.

Alguns apresentam uma duração de duas a três vezes maior a tratamentos como a prótese dentária adesiva em porcelana. Por isso, consulte todas as opções.

É preciso considerar também que a prótese sobre implantes não precisa passar pelo processo de desgaste nos dentes laterais.

Isso se dá uma vez que há ausências dentárias, dessa forma, não oferece nenhum tipo de riscos para infiltrações causadas por cáries dentárias.

Passo a Passo do Tratamento

Facetas ceramicas

Existe um passo a passo desse tratamento que possibilita entender melhor como irá funcionar o procedimento. Ficou curioso para saber como é? Então continue lendo.

  1. Primeiramente serão realizados exames radiográficos que irão então verificar se as raízes dentárias estão saudáveis o suficiente para passar por tal processo. Irão buscar também a possível presença de cáries dentárias e analisar quantidade de ossos de suporte;
  2. Em seguida, é realizado um exame e tratamento prévio das gengivas. Isso permite que estas estejam completamente aptas para as ações que irão receber;
  3. São preparadas moldagens prévias que irão planejar e analisar a viabilidade do tratamento e se o paciente não terá maiores problemas com a técnica;
  4. Após isso, são feitos os desgastes dentários nos dentes de suporte. Isso ocorre então principalmente para criar áreas que estejam propícias a receber a fixação da prótese dentária adesiva;
  5. São feitas então as moldagens definitivas que servirão como a base principal para a prótese;
  6. Chega o momento da instalação da prótese dentária provisória;
  7. Depois que ocorre a instalação da prótese dentária definitiva, é realizada a cimentação adesiva. Fixa assim a prótese de uma maneira em que não se desloque e traga complicações para o paciente.

Cada uma dessas etapas é realizada por profissionais específicos de cada área e, como já explicamos, todo esse processo pode durar até 14 dias ou mais, dependendo de cada caso.

É importante explicarmos que essas próteses podem ser ainda classificadas em dois grupos. O das próteses diretas e das indiretas. Continue lendo que explicaremos mais sobre cada uma delas.

Prótese Adesiva direta

Essa primeira categoria, envolve as próteses que são de caráter provisório. Ou seja, quando não há envolvimento de procedimentos laboratoriais em sua confecção.

Prótese Adesiva Indireta

Já as indiretas, são as consideradas definitivas, com preparos nos dentes adjacentes. Nesses casos a estrutura é composta de partes lingual e proximais, com pôntico de cerâmica ou acrílico.

Dessa forma, em casos de  próteses adesivas diretas, o dente do paciente que foi perdido é então substituído pelo próprio dente extraído.

Ou ainda, existem situações em que pode ser colocado no lugar da prótese adesiva um outro componente feito à base de resina composta ou resina acrílica, sendo feito prontamente no consultório.

Rodrigo Venticinque

Rodrigo Venticinque

Graduado pela Universidade de Santo Amaro (UNISA) e especialista em Prótese e Reabilitação Oral Integrativa, Biofísica Quântica, Biorressonância Aplicada e Ortomolecular. Pós-graduado em Estética Dental e Reabilitação Oral, com certificação em Remoção Segura da Amálgama e Odontologia Biológica pela Academia Internacional de Medicina Oral e Toxicologia. Professor da pós-graduação em Biofísica e Ortobiomolecular da QuantumBio. Também atua nas áreas de Ozonioterapia, Odontologia Sistêmica, Sedação Consciente com Óxido Nitroso e Hipnose. Diretor da clínica Venticinque Odontologia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sobre a Simpatio

Somos dedicados em criar conteúdo de qualidade e informativo. Nossa missão é informar pacientes, dentistas e clínicas provendo conteúdos altamente relevantes sobre odontologia e saúde bucal gratuitamente.

Agende uma consulta

Precisando de algum tipo de ajuda ou apoio relacionado a sua saúde ou estética bucal? Clique no botão abaixo!

Postagens Recentes

Receba Nossos Conteúdos

Preencha seu e-mail acima e receba conteúdos exclusivos gratuitamente!

© All rights reserved

Simpatio 2020

As informações contidas neste site têm como objetivo único informar. A Simpatio tem o compromisso de estimular, e nunca substituir, as relações entre dentistas e pacientes. Sempre deixamos isso muito claro nos textos e na comunicação com nossos leitores. É fundamental que o paciente, ao notar qualquer alteração em sua saúde bucal, consulte seu dentista de confiança. Cada indivíduo requer um tratamento personalizado.