Cuba ultrassônica: a esterilização por meio do ultrassom

Share on facebook
Compartilhe
Share on twitter
Tweet Isso
Share on linkedin
Compartilhe

A limpeza e esterilização dos materiais odontológicos é parte fundamental dentro da rotina do dentista, uma vez que previne infecções e doenças, promovendo o sucesso dos tratamentos. A fim de facilitar esse processo essencial foi criada a cuba ultrassônica.

Para você entender os diferenciais e as vantagens da cuba ultrassônica, nós preparamos esse artigo completo sobre o assunto. Vamos começar definindo o que é uma cuba ultrassônica:

Cuba ultrassônica é um equipamento para limpeza completa e desoxidação de objetos. Pode ser usada em instrumentos clínicos e de outras áreas de atuação, como estética e podologia. Seu diferencial é a higienização das áreas de difícil acesso ou locais inacessíveis às cerdas de escovas.

Quer entender porque a cuba ultrassônica é um produto essencial para o seu consultório odontológico? É só continuar por aqui!

Por que a limpeza dos instrumentais é tão importante?

Para entender os benefícios da cuba ultrassônica e a necessidade do seu uso na rotina de um consultório odontológico, primeiramente é necessário compreender a importância da limpeza correta dos materiais e instrumentais na odontologia.

A limpeza constitui-se como a remoção mecânica e/ou química de sujidades, como oleosidade, matéria orgânica, poeira, umidade e outros, de determinado local ou objeto.

Na odontologia, a limpeza faz parte do processo de biossegurança do consultório, isto é, é um procedimento de segurança e higiene na manipulação de utensílios e procedimentos odontológicos.

A limpeza tem como objetivo reduzir a carga microbiana e outros contaminantes existentes no ambiente odontológico. Trata-se de um processo fundamental que elimina resíduos de matéria orgânica dos instrumentais para que não interfiram no processo de esterilização posterior.

Como dissemos anteriormente, a limpeza pode ser realizada por meio de métodos físicos, mecânicos e químicos.

Na limpeza mecânica dos materiais odontológicos é usada uma vigorosa escovação dos materiais, com o auxílio de sabão e escovas de diferentes formatos. Já no caso dos métodos químicos e físicos, podem ser usados desencrostantes, soluções enzimáticas, soluções antiferrugem e aparelhos de ultrassom, método que abordaremos nesse artigo.

Etapas da limpeza odontológica

Quando nos referimos à limpeza dos instrumentais, podemos dividir esse processo em algumas etapas:

  1. Desinfeção: prévia da lavagem do instrumental, realizada com agente químico adequado, por meio da imersão dos utensílios em diluição de solução própria;
  2. Limpeza: remoção das sujidades, garantindo manutenção da vida útil e preparação adequada para a esterilização;
  3. Enxágue: remoção cuidadosa dos resíduos da solução limpante por meio de de água potável corrente após a completa limpeza;
  4. Secagem: remoção da umidade durante o processo de limpeza, a fim de preparar o utensílio para a esterilização;
  5. Inspeção visual: verificação do processo de limpeza e condições de integridade do utensílio. Caso necessário, o instrumental deve voltar à fase de limpeza;
  6. Embalagem para esterilização: para a esterilização, o material deve ser acondicionado em envelopes, feitos para permitir a passagem de vapor;
  7. Esterilização: processo que utiliza a autoclave, aparelho que usa calor e pressão para realizar a esterilização, eliminando todas as formas de vida microbiana presentes.

O que é biossegurança?

Como dissemos, o processo de limpeza e suas etapas fazem parte da biossegurança do consultório odontológico. Mas você sabe o que é isso?

O consultório odontológico é um ambiente altamente propício a contaminações de bactérias. Esses microrganismos podem ser derivados diretamente da boca de um paciente, das mãos dos cirurgiões-dentistas, das gotículas salivares eliminadas durante os procedimentos odontológicos e ainda dos equipamentos, materiais e instrumentais utilizados no consultório.

Logo, assim como em outras áreas da saúde, a odontologia exige muita segurança e higiene em todos os seus processos, garantindo a integridade da saúde de todos os envolvidos nesse meio.

Todo esse cuidado demandado nada mais é que a biossegurança. Logo, a biossegurança é um conjunto de procedimentos pré-estabelecidos que visam diminuir os riscos biológicos dentro do consultório, a fim de proteger tanto o paciente como o dentista de infecções, contágios, acidentes e outros.

Mas, o que significa isso na prática?

Conforme vimos, o processo de limpeza dos instrumentais é uma das etapas de biossegurança do consultório, mas não é a única.

Todos os procedimentos de biossegurança são pré-estabelecidos por regras e normas redigidas por órgãos regulamentadores, como a ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

Dentre os procedimentos inclusos na biossegurança estão:

  • Descontaminação: eliminação de microrganismos de materiais ou superfícies;
  • Anti-sepsia: eliminação de microrganismos da pele, mucosa e tecidos vivos, utilizando anti-sépticos, substâncias microbiocidas ou microbiostáticas;
  • Assepsia: métodos que impedem a contaminação de determinado material ou superfície;
  • Limpeza: remoção mecânica ou química de sujidades em determinado local;
  • Desinfecção: eliminação de microrganismos, exceto esporulados, de materiais ou artigos, com auxílio de desinfetantes;
  • Esterilização: destruição de todos os microrganismos existentes por meio de processo químico ou físico;
  • Uso de EPI’S – Equipamento de Proteção Individual: kit de proteção do dentista, entre eles: jaleco, máscara, óculos de proteção, gorro e luvas de procedimento.

O que é uma cuba ultrassônica?

O que é uma cuba ultrassônica?

Agora que você entendeu a importância da limpeza e da biossegurança dentro da odontologia, podemos falar um pouco sobre a cuba ultrassônica. Para começar, você sabe o que é uma cuba ultrassônica?

A cuba de ultrassom é um moderno e eficiente produto usado para a limpeza de materiais odontológicos. Isso quer dizer que, dentro dos procedimentos de biossegurança, este é um aparelho usado especificamente na fase da limpeza (anteriormente à esterilização dos instrumentais odontológicos) para remover todos os resíduos e matéria orgânica desses objetos.

Trata-se de um equipamento em formato de cúpula onde são inseridos os instrumentais para a limpeza que é realizada por meio de vibrações ultrassônicas, com o auxílio de água e uma solução enzimática.

A função da cuba ultrassônica é a remoção de resíduos que são inacessíveis à cerdas da escova utilizada na limpeza mecânica dos instrumentais, tornando-se um equipamento fundamental para garantir a limpeza completa e rigorosa desses utensílios.

Como funciona a cuba ultrassônica?

Como funciona a cuba ultrassônica?

A lavadora ultrassônica traz seu maior diferencial na forma com que esteriliza e higieniza os materiais. A cuba de ultrassom realiza a limpeza por cavitação que, na prática, corresponde à limpeza por meio de vibrações ultrassônicas.

Portanto, para entender como funciona a cuba ultrassônica e o que é o processo de cavitação, dividimos-o em alguns passos simples, confira:

  1. As vibrações ultra-sônicas da cuba geram bilhões de micro-bolhas de ar;
  2. As micro-bolhas de ar se chocam e se rompem com muita força;
  3. O choque e forças gerados pelas micro-bolhas remove as sujeiras e oxidações dos materiais dentro da cuba.

Para que a máquina funcione, é preciso colocar um líquido junto aos objetos que serão higienizados.

Há quem afirme que apenas água é o suficiente, mas existem diversos produtos no mercado vendidos apenas para uso nas cubas ultrassônicas.

Esses produtos são soluções químicas de limpeza com um conjunto de ingredientes projetados para tornar a limpeza mais eficaz. Dos produtos vendidos, os mais famosos são os detergentes enzimáticos, usados diluídos em água.

As cubas são consideradas máquinas que diminuem os riscos dos profissionais que as utilizam. Isso porque a máquina minimiza o manuseio do material contaminado.

Por isso, quanto menor o contato com esse material, menor as chances de acidentes com os materiais perfurantes e cortantes. O que, consequentemente, diminui os riscos de infecção cruzada.

Como usar a cuba ultrassônica?

Como usar a cuba ultrassônica?

Agora que você já sabe o que é uma lavadora de ultrassom e como funciona seu mecanismo de limpeza, está na hora de entender como usar a cuba ultrassônica.

Para isso, preparamos um passo a passo prático para ajudar você a realizar uma limpeza eficiente nos seus instrumentais odontológicos. Confira:

Imersão dos instrumentais

Comece transportando seus instrumentais sujos para o expurgo da sala de esterilização, a fim de processá-los o quanto antes.

Em seguida, coloque os instrumentais em imersão utilizando uma cuba própria (não estamos falando aqui da cuba ultrassônica) ou uma recipiente propício. No processo de imersão, diluia detergente enzimático em água de acordo com as instruções do fabricante da solução.

Os instrumentais devem ficas imersos por aproximadamente 10 minutos, a fim de concluir a desinfecção e pré-limpeza.

Usando a cuba de ultrassom

A cuba de ultrassom deve dar continuidade à limpeza após a imersão dos instrumentais.

Para começar a usar a sua cuba ultrassônica, prepare novamente sua solução líquida, composta de água e detergente enzimático, conforme orientação do fabricante. Normalmente, o recomendado é que se dilua 5ml de detergente enzimático para cada 1L de água.

Não é preciso que a água seja destilada, mas é recomendado que seja, ao menos, filtrada.

Antes de colocar a solução dentro da máquina, repare nas indicações de níveis dispostos em seu interior. Evite passar além do recomendado pela marca.

Desgaseificação

Após inserir a solução na cuba, é preciso realizar um procedimento conhecido como desgaseificação. Trata-se de um processo necessário para remover os gases dissolvidos na água que podem acabar atrapalhando a ação das ondas de ultrassom durante a limpeza.

Para realizar esse processo basta ligar o equipamento por aproximadamente 8 minutos com a solução pronta, sem instrumentos.

O procedimento de desgaseificação deve ser repetido toda vez que uma solução nova for colocada na lavadora ultrassônica. Já a solução deve ser trocada pelo menos uma vez por período, isto é, de manhã, de tarde e de noite.

Caso perceba a solução turva ou com presença de depósitos no fundo da cuba, a solução deve ser trocada imediatamente.

Instrumentais na cuba ultrassônica

Após o procedimento de desgaseificação, é hora de limpar os seus instrumentais. Para isso, deposite-os dentro da peneira da cuba ultrassônica odontológica.

Para a limpeza de brocas, limas ou instrumentais muito pequenos, é recomendado o uso de um recipiente conhecido como béquer, acessório vendido separadamente. Deposite os materiais dentro do recipiente com a solução e insira o recipiente dentro da cuba ultrassônica, sobre a peneira.

Quando o béquer for utilizado, sua solução também deve passar pelo procedimento de desgaseificação, ou seja, a desgaseificação da solução interna do béquer deve ser feita simultaneamente com a da cuba.

Após depositar seus materiais na cuba, feche-a com a tampa. Em seguida, inicie o ciclo de limpeza pressionando o botão correspondente, conforme disposto no manual do fabricante.

É importante lembrar que a cuba não deve ser sobrecarregada de instrumentais. Utilize no máximo 2 kits odontológicos completos por limpeza, ou consulte as orientações do fabricante.

O tempo de permanência média dos instrumentais dentro da cuba é de 5 a 8 minutos.

Após o fim do ciclo de limpeza, não é preciso jogar a solução para cuba ultrassônica fora, uma vez que as enzimas agem por cerca de 6 horas. A troca deve ser realizada apenas mediante as características já apresentadas anteriormente.

Retire os instrumentais da cuba e realize limpeza manual.

Limpeza manual e esterilização

Após a limpeza na cuba, o profissional poderá realizar a limpeza manual. Para isso, realize uma inspeção visual dos instrumentos e utilize uma escova de dentes, juntamente com a solução (água + detergente enzimático), para realizar a limpeza final dos utensílios.

Em seguida, enxágue os utensílios em água corrente, eliminando todo os resíduos do detergente. Utilize toalhas de papel ou tecidos que não soltem resíduos para secar os instrumentais.

Use lentes de aumento próprias para inspeção visual a fim de verificar a integridade e limpeza dos instrumentos. Caso ainda haja sujidade, retorne para a limpeza manual.

Após o fim da limpeza, os instrumentais estarão prontos para ser envelopados e encaminhados para a autoclave, aparelho de esterilização que utiliza calor e pressão.

Modelos de cuba ultrassônica

Modelos de cuba ultrassônica

Existem diversos modelos de cuba de ultrassom no mercado. As características oferecidas costumam ser muito parecidas, sendo elas:

  • 5 ciclos de limpeza, que podem contar com a opção de aquecimento da solução interna;
  • Visor e teclado para manuseio e acompanhamento dos ciclos, como tempo de funcionamento e potência selecionada;
  • Painéis de controles intuitivos;
  • Recurso de desgaseificação;
  • Válvula de drenagem (para o esvaziamento da cuba);
  • Garantia do fabricante (com média de 1 ano).

Um dos grandes diferenciais das lavadoras ultrassônicas é o seu tamanho. Desse modo, o mercado oferece diversos tamanhos de cubas, possibilitando a esterilização de produtos odontológicos maiores ou em maior quantidade.

Assim, o que vai definir o tamanho de cuba ideal é o tamanho do componente que o profissional deseja limpar ou do volume de materiais que precisam ser esterilizados ao mesmo tempo. Os tamanhos disponíveis no mercado são:

  • 600 ml;
  • 800 ml;
  • 1 litro;
  • 2 litros;
  • 2,1 litros.

Por que investir em equipamentos de limpeza?

Por que investir em equipamentos de limpeza?

Equipamentos como a cuba ultrassônica e a autoclave são essenciais para qualquer consultório odontológico. Afinal, sem um desses equipamentos, o cirurgião-dentista não pode sequer atender legalmente.

Isso porque, como você já sabe, o uso de equipamentos de esterilização são parte nas normas de Biossegurança da odontologia.

Além disso, é possível perceber diversos benefícios da lavadora ultrassônica sobre a realização apenas da limpeza manual dos instrumentos.

Para realizar a limpeza manual dos instrumentais odontológicos é comum que o dentista utilize uma escova de dentes sobre a superfície do objeto. Essa é uma importante parte do processo de limpeza desses instrumentais, mas não deve ser a única.

Portanto, dentre as vantagens do uso da cuba ultrassônica, aliado à limpeza manual posterior, podemos destacar:

  • Eficiência da limpeza, uma vez que atinge áreas inacessíveis às escovas, como a parte interna das articulações dos instrumentais, por exemplo.
  • Melhor remoção e dissolução dos resíduos e sujidades, além de resina e cimento odontológico;
  • Redução no consumo de água utilizada na limpeza dos instrumentais;
  • Redução no tempo de limpeza e otimização do tempo de trabalho do profissional;
  • Diminuição dos riscos de manuseio (como já citamos anteriormente);
  • Diminuição do desgaste dos instrumentos odontológicos, pois evita o atrito com o produto.

Diante das vantagens apontados é possível entender os benefícios de se investir em uma cuba ultrassônica para o seu consultório odontológico. Afinal, investir em biossegurança deve ser umas das principais prioridades de um profissional qualificado.

Perguntas frequentes

Perguntas frequentes

A seguir, separamos algumas das perguntas mais comuns sobre a cuba ultrassônica, Confira as respostas e tire suas dúvidas!

Qual a sequência adequada para realizar a limpeza dos instrumentais odontológicos?

A sequência recomendada para a limpeza dos instrumentais inicia-se pela imersão, em seguida o uso da cuba ultrassônica e, por fim, a limpeza manual. Esse processo facilita a remoção do resíduos mais difíceis.

Posso ligar a cuba de ultrassom sem água?

A lavadora de ultrassom jamais deve ser ligada sem água. Esse tipo de uso é considerado inadequado, uma vez que os transdutores responsáveis pelas ondas de ultrassom serão instantaneamente danificados sem a água.

Por quanto tempo a cuba de ultrassom deve atuar?

O tempo ideal para a limpeza dos instrumentos pode variar de acordo com a necessidade particular de cada um. Contudo, normalmente o tempo de 8 minutos é suficiente para a limpeza da maioria desses materiais.

Se após a inspeção visual do instrumento verificar-se a necessidade de maior tempo de atuação da cuba, este é permitido.

A limpeza dos instrumentos na cuba de ultrassom exige o uso de EPI’S?

Assim como em todos os processos realizados dentro do consultório odontológico, o uso dos Equipamentos de Proteção Individual são necessários durante a limpeza na cuba de ultrassom.

Os Equipamentos utilizados devem ser os mesmos usados na área suja da esterilização: gorro, óculos de proteção, máscara, avental de manga longa, avental impermeável, luvas grossas de utilidade e sapatos fechados.

O glutaraldeido pode ser usado no lugar do detergente enzimático da lavadora ultrassônica?

O uso do glutaraldeido no lugar do detergente enzimático é contraindicado. Isso porque o glutaraldeido tem um poder de fixação da matéria orgânica. Além disso, esse produto é um desinfetante e nenhum tipo de desinfetante deve ser usado dentro da cuba ou na limpeza manual de instrumentais.

Então, quais são as possíveis alternativas ao detergente enzimático?

Se o detergente enzimático não for a melhor opção para o seu caso, existem outras alternativas de detergente para cuba ultrassônica. Como, por exemplo, o detergente hospitalar para limpeza de instrumentos.

Todos os tipos de instrumentos podem ser colocados dentro da cuba ultrassônica?

De forma geral, a maioria dos instrumentais podem ser colocados dentro da cuba ultrassônica. Todavia, existe sim algumas contraindicações, como peças de mão – como canetas de rotação – e instrumentais com área de corte, por exemplo, já que as ondas de ultrassom podem afetar a qualidade de corte das lâminas.

Para saber se determinado instrumento é adequado para ser processado no equipamento de ultrassom, é recomendado consultar as instruções dos fabricantes dos materiais.

O aquecimento da solução de limpeza é recomendado?

O aquecimento não é obrigatório, mas pode trazer benefícios, especialmente quando a água estiver muito fria, já que o calor é capaz de otimizar a ação do detergente enzimático. Alguns equipamentos já possuem um ciclo para aquecimento, o que facilita o processo.

Lembre-se sempre de consultar as recomendações do fabricante.

Qual a frequência adequada de troca de solução na lavadora ultrassônica?

O ideal é que a solução seja trocada pela menos uma vez a cada período, como pela manhã e início da tarde. Porém, se a solução se apresentar turva ou com precipitado, a solução deve ser trocada.

Gostou de conhecer a cuba ultrassônica? Ela realmente oferece mais uma alternativa segura e moderna de limpeza do equipamentos aos dentistas!

Ramiro Murad
Ramiro Murad
Ramiro Murad Saad Neto, cirurgião-dentista com registro no Conselho Regional de Odontologia de São Paulo (CRO-SP) nº 118151, é graduado pela UNIC e residente em Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial Facial no Sindicato dos Odontologistas de São Paulo (SOESP - SP). Possui habilitação em Harmonização Orofacial e também é gestor de clínicas e franquias odontológicas. Além disso, é integrante da equipe Bucomaxilofacial da Clínica da Villa, que está na Rua Eça de Queiroz, 467 - Vila Mariana, São Paulo - SP.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sobre a Simpatio
Somos dedicados em criar conteúdo de qualidade e informativo. Nossa missão é informar pacientes, dentistas e clínicas provendo conteúdos altamente relevantes sobre odontologia e saúde bucal gratuitamente.
Agende uma consulta
Precisando de algum tipo de ajuda ou apoio relacionado a sua saúde ou estética bucal? Clique no botão abaixo!

Postagens Recentes

Receba Nossos Conteúdos

Preencha seu e-mail acima e receba conteúdos exclusivos gratuitamente!

Simpatio 2021 © - Todos os Direitos Reservados

As informações contidas neste site têm como objetivo único informar. A Simpatio tem o compromisso de estimular, e nunca substituir, as relações entre dentistas e pacientes. Sempre deixamos isso muito claro nos textos e na comunicação com nossos leitores. É fundamental que o paciente, ao notar qualquer alteração em sua saúde bucal, consulte seu dentista de confiança. Cada indivíduo requer um tratamento personalizado.

Os conteúdos da Simpatio são escritos por jornalistas e possuem a supervisão e a aprovação de dentistas e de profissionais de saúde parceiros.