Desinfecção e esterilização garante a eliminação de microrganismos

Share on facebook
Compartilhe
Share on twitter
Tweet Isso
Share on linkedin
Compartilhe

Limpeza, desinfecção e esterilização são as três etapas do processo de higienização dos materiais odontológicos

Os instrumentos odontológicos são usados para que o dentista possa aperfeiçoar o tratamento oferecido ao paciente. E ao fim de cada atendimento, é impreterível que ele realize a desinfecção e esterilização deles.

A desinfecção e esterilização são maneiras de mantê-los longe de bactérias e germes. Dessa forma, é impedido que os microrganismos remanescentes do atendimento anterior sejam transmitidos para o próximo paciente.

Desinfecção e esterilização odontológica são protocolos de biossegurança. No entanto, diferem no modo que atuam. A desinfecção pretende eliminar microrganismos, com exceção de esporos. Já a esterilização, extingue com qualquer micróbio ali presente.

Para melhor entendimento, vamos evidenciar as diferentes maneiras de higienizar os instrumentos, que é através da limpeza, desinfecção e esterilização:

Limpeza

A limpeza é o primeiro processo de higiene, mas também é o menos efetivo. Ela deve ser feita com água e detergente. Assim, todo resíduo de matéria orgânica será removido.

O detergente pode ser o desincrustante, que retiram qualquer substância orgânica.

Ou o enzimático, que amolece a sujeira e faz com que ela saia mais facilmente, atuando bem na eliminação de resquícios de sangue, por exemplo. No entanto, ambos não são germicidas.

Desinfecção

A desinfecção é o próximo passo depois da limpeza. Ela consegue eliminar a maioria dos microrganismos, exceto os esporos. Esporos são unidades de reprodução de plantas, algas e fungos que se descolam.

Assim, podem contaminar os pacientes, causando doenças. Uma das mais conhecidas é a histoplasmose.

Fatores da Desinfecção

Alguns fatores influenciam na eficiência da desinfecção:

  • Limpeza anterior mal realizada;
  • Tempo de exposição ao germicida;
  • Solução germicida inapropriada à ocasião;
  • Temperatura;
  • pH do processo.

Classificação da Desinfecção

A desinfecção pode ser classificada em níveis:

Baixo
  • Bactéricas em forma vegetativa, alguns vírus e fungos são desintegrados;
  • Esporos bacterianos, vírus da hepatite B, da tuberculose e vírus lentos sobrevivem;
  • Soluções usadas: álcool etílico, hipoclorito de sódio, álcool isopropílico e quaternário de amônia.
Médio
  • Retira os mesmos microrganismo que a de baixo nível. Mas, agora, consegue também eliminar a bactéria da tuberculose e de outros vírus e fungos.
  • Esporos e vírus lentos ainda sobrevivem;
  • Soluções usadas: álcool propílico, isopropílico, hipoclorito de sódio, fenólicos e iodóforos.
Alto
  • Destrói bactérias, fungos e alguns esporos;
  • Sobrevivem vírus lentos e outros tipos de esporos;
  • Soluções: hipoclorito de sódio, glutaraldeido, solução de peróxido de hidrogênio, cloro, ácido peracético, orthophtalaldeído, e água superoxidada.

Esterilização

Dos três, a esterilização é o método que possui melhor êxito. Utilizando de agentes físicos e químicos, ela consegue extinguir todos os microrganismos, até mesmo os esporos.

A esterilização funciona da seguinte forma:

  • O dentista coloca os materiais imersos em detergente enzimático por cerca de 10 minutos;
  • Em seguida, remove todo o detergente;
  • Esfrega sabão bactericida;
  • Enxágua com água corrente;
  • Faz a secagem do material;
  • Verifica se restou alguma impureza a olho nu;
  • Depois, embala os instrumentos em papel grau cirúrgico;
  • Coloca os instrumentos na autoclave por 60 minutos;
  • Retira o material da máquina utilizando luvas resistentes ao calor, já que ela atinge temperaturas de 134ºC.

Classificação dos Artigos Odontológicos

Por fim, vamos notabilizar a classificação dos artigos odontológicos:

Artigos não críticos

Entram em contato com a pele do paciente. Exemplos: cadeira, aparelho de raio X, etc.

Processo recomendado: limpeza e desinfecção de nível intermediário.

Artigos semi-críticos

Entram em contato com a mucosa. Exemplo: espelho bucal, moldeiras, etc.

Processo recomendado: limpeza, desinfecção e esterilização.

Artigos críticos

Penetram nas camadas da mucosa bucal. Exemplo: agulha, bisturi, etc.

Processo recomendado: limpeza, desinfecção e esterilização. Ou ainda descartar o objeto.

Portanto, é imprescindível que o profissional efetue a limpeza, desinfecção e esterilização de materiais para garantir que nenhum germe sobreviva, principalmente se instrumentos cirúrgicos estiverem associados.

Valdir de Oliveira

Valdir de Oliveira

Cirurgião-dentista graduado em Odontologia pela Universidade de Santo Amaro (UNISA). Pós-graduado em Ortodontia e Ortopedia dos Maxilares pela Sboom. Com especialização e mestrado em Implantodontia, habilitação em Harmonização Orofacial e Anatomia da Face. Professor nas áreas de Cirurgia Bucomaxilo Facial e Harmonização Orofacial. Voluntário há mais de 20 anos na Agência Adventista de Desenvolvimento e Recursos Assistenciais - ADRA Brasil.

Compartilhe sua opinião

Sobre a Simpatio

Somos dedicados em criar conteúdo de qualidade e informativo. Nossa missão é informar pacientes, dentistas e clínicas provendo conteúdos altamente relevantes sobre odontologia e saúde bucal gratuitamente.

Agende uma consulta

Precisando de algum tipo de ajuda ou apoio relacionado a sua saúde ou estética bucal? Clique no botão abaixo!

Postagens Recentes

Receba Nossos Conteúdos

Preencha seu e-mail acima e receba conteúdos exclusivos gratuitamente!