Odontogeriatria oferece atendimento especializa aos idosos

Share on facebook
Compartilhe
Share on twitter
Tweet Isso
Share on linkedin
Compartilhe

Segmento vem crescendo e idosos buscam cuidados especiais para a saúde bucal na odontogeriatria

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), todo indivíduo com 60 anos ou mais é considerado um idoso. Doenças comuns nesta etapa da vida complicam a rotina de higienização bucal dos mais velhos. Por conta disso, foi criada uma especialização para tratar da saúde bucal do idoso: a odontogeriatria.

O Brasil está deixando de ser um país de jovens para ter uma crescente massa populacional que envelhece. Isso exige uma análise criteriosa do panorama socioeconômico e cultural, e que também abrange todas as áreas da saúde. O crescimento da odontogeriatria está ligado a essa necessidade.

A odontogeriatria é o ramo que tem como foco específico o cuidado bucal da população idosa e o estudo dos fenômenos decorrentes do envelhecimento. Esta área tem como objetivo a promoção da saúde, o diagnóstico, a prevenção e o tratamento de enfermidades bucais e do sistema estomatognático do idoso.

Os dentistas para idosos procuram acompanhar a saúde bucal e interromper complicações logo no início.

Diversos tipos de doenças possuem sua causa conectada à falta de higiene bucal, o que pode favorecer doenças sistêmicas comuns em idosos: como osteoporose, artrite, artrose, diabetes, problemas cardiovasculares e endócrinos.

A especialização em odontogeriatria surgiu nos EUA na década de 60, mas só foi realmente reconhecida academicamente na década de 80.

Chegou ao Brasil no final do século XX, em função do aumento da quantidade de pessoas em envelhecimento na nossa população, mas só foi reconhecida como especialidade no país em 2002.

O número de idosos deve continuar aumentando substancialmente nas próximas décadas, ou seja, a odontogeriatria é um segmento da população que possui tendência de crescimento e conta com poucos especialistas.

As áreas de competência para atuação do especialista em odontogeriatria

  • Estudo do impacto de fatores sociais e demográficos no estado de saúde bucal dos idosos;
  • Estudo do envelhecimento do sistema estomatognático e suas consequências;
  • Estudo, diagnóstico e tratamento das patologias bucais do paciente idoso, inclusive as derivadas de terapias medicamentosas e de irradiação, bem como do câncer bucal;
  • Planejamento multidisciplinar integral de sistemas e métodos para atenção odontológica ao paciente geriátrico.

Vantagens da especialização em odontogeriatria

Nada impede que um idoso seja atendido por odontologista sem outras especializações no currículo.

No entanto, a vantagem do odontogeriatrista é que este profissional é especializado nas características desse segmento. Portanto, tem maior conhecimento para atender pessoas da terceira idade, especialmente quanto às principais doenças que costumam afligir os idosos.

Outro ponto importante é que a especialidade também é um campo de pesquisa acadêmica. Assim, se houver avanços quanto aos cuidados bucais para idosos, certamente os especialistas em odontogeriatria serão os primeiros a acessá-los.

Cuidar da saúde bucal não é algo que se possa abrir mão. O corpo é um organismo e todos os seus elementos estão interligados. Logo, se a saúde da boca não está bem, certamente isso afetará todo o sistema.

O corpo dos idosos sofre muitas mudanças ao passar dos anos e o sistema bucal é bastante afetado.

Confira algumas das mudanças que o corpo sofre com a idade e de que forma elas influenciam a nossa qualidade de vida

  • Perda de tonicidade na língua;
  • Diminuição da sensibilidade gustativa;
  • Decréscimo do fluxo salivar;
  • Perda de dentes;
  • Diminuição da produção do suco gástrico.

Como manter a saúde bucal dos idosos

Alguns hábitos podem prevenir e minimizar os problemas bucais na terceira idade. Uma solução que tem auxiliado muitos idosos é a escova elétrica. Em virtude de sua praticidade e por demandar menos esforço, ela tem sido a escolha de muitos idosos.

É muito importante manter uma frequência de visitas ao dentista, de preferência com especialização em odontogeriatria. Ele poderá fazer um acompanhamento da saúde bucal. Fazer uma visita de 6 em 6 meses inicialmente é uma boa frequência.

Juliana Peres

Juliana Peres

Graduada em Odontologia pela Universidade Cidade de São Paulo. Pós-graduada em Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial pelo programa de residência profissional do Complexo Hospitalar Padre Bento de Guarulhos. Conhecimento na área de cirurgia oral menor e maior. Residente em cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial no Complexo Hospitalar Padre Bento durante 3 anos e responsável pelo atendimento de pacientes na área de clínico geral, cirurgias orais e harmonização orofacial em diferentes clínicas.

Compartilhe sua opinião

Sobre a Simpatio

Somos dedicados em criar conteúdo de qualidade e informativo. Nossa missão é informar pacientes, dentistas e clínicas provendo conteúdos altamente relevantes sobre odontologia e saúde bucal gratuitamente.

Agende uma consulta

Precisando de algum tipo de ajuda ou apoio relacionado a sua saúde ou estética bucal? Clique no botão abaixo!

Postagens Recentes

Receba Nossos Conteúdos

Preencha seu e-mail acima e receba conteúdos exclusivos gratuitamente!