Mewing, a técnica que promete melhoras na estética do queixo

Share on facebook
Compartilhe
Share on twitter
Tweet Isso
Share on linkedin
Compartilhe

Quando falamos de estética facial, indiscutivelmente um dos pontos que gera desconforto é o queixo, seja pelo tamanho ou então pelo formato. E para alterar isso existe uma técnica chamada mewing.

Mas é necessário dizer que o mewing deve ser feito com o acompanhamento de um profissional da área da odontologia, principalmente um cirurgião bucomaxilofacial.

Mewing se trata de alguns exercícios prescritos pelo dentista Mike Mew que diz que o posicionamento da língua deixará o rosto com um aspecto magro e bonito.

Sendo assim, a intenção é que os exercícios sejam feitos por algumas horas diariamente, de maneira a melhorar as linhas faciais, deixando-o mais atraente.

Normalmente esse tipo de técnica é procurada por homens que desejam alterar o formato do queixo por questões estéticas.

Todavia, por se tratar principalmente de mudar o desenvolvimento ósseo, ele é mais efetivo em crianças e adolescentes que ainda estão em fase de crescimento.

Mas por outro lado, esse processo se torna mais lento no adulto uma vez que os ossos faciais já estão desenvolvidos.

Contudo, a função desses exercícios é justamente a de trabalhar a região do maxilar e do queixo, de forma a deixá-lo com uma estética melhor.

Quer saber mais sobre esse assunto que se tornou viral recentemente? Confira aqui em nosso artigo.

Como é feita essa técnica?

A dúvida que fica agora é: mas como fazer mewing?

E para responder isso, foram elencados os exercícios prescritos pelo doutor Mew, que são basicamente:

  1. Manter a boca fechada e realizar a respiração pelo nariz;
  2. Encostar os molares inferiores nos superiores;
  3. Deixar a língua no céu da boca;

Esses pontos devem ser feitos por pelo menos duas horas por dia, e podem ser feitos enquanto o paciente caminha ou então quando em repouso, por exemplo.

O objetivo aqui, no entanto, é deixar o maxilar e a mandíbula mais definidos, deixando o rosto com forma mais quadrada.

Contudo, também podem ser encontrados os seguintes exercícios e práticas que também ajudam na técnica:

  1. Deglutir o alimento realizando movimento de onda (de maneira a evitar a disfagia, que é um distúrbio que possui como característica a dificuldade em deglutir alimentos, sejam sólidos ou líquidos);
  2. Manter uma postura adequada;
  3. Mascar chiclete e comer comidas mais duras, de maneira à estimular a musculatura mastigatória e deixar o rosto com um aspecto mais quadrado;
  4. Mastigar bem os alimentos para trabalhar os músculos da mastigação, tendo em vista que o recomendado é mastigar cerca de 30 vezes antes de engolir.

Um exercício que também possui recomendação que seja feito é pegar vários chicletes, colocá-los na boca, e então espalhá-los no céu da boca, de forma a forrá-los.

De tal maneira, tanto a musculatura do assoalho do rosto quanto a da língua serão trabalhados.

É válido ressaltar que alguns desses exercícios não são novidades e são pontos abordados pela área da fonoaudiologia.

Ou seja, pacientes que realizam procedimentos de fono podem já realizar essa prática de uma maneira inconsciente.

E essa técnica realmente dá certo?

Se você nos acompanha a um tempo e conheceu alguns problemas e disfunções funcionais, você deve estar pensando se o mewing funciona.

Mas essa dúvida se dá principalmente tendo em vista que um dos exercícios é feito por meio da pressão sobre os dentes.

Contudo, ainda não existe uma certeza definitiva quanto à técnica, tendo em vista que o resultado irá depender de caso em caso.

E isso se dá por alguns fatores como:

  • Mania de chupar o dedo quando era criança;
  • Se a criança passou muito tempo fazendo uso da chupeta;
  • Como é feita a respiração do paciente (nasal ou bucal);
  • Questão genética;
  • Se a alimentação infantil foi feita mais com alimentos sólidos ou pastosos;
  • Quantos chicletes que foram mascados ainda durante a infância;
  • Presença de bruxismo infantil ou não.

Contudo todos esses pontos são importantes tendo em vista que eles exercem influência direta sobre a formação e o desenvolvimento do queixo.

Sendo assim, não são em todos os casos que essas práticas irão modificar completamente a forma do mento e gerar o resultado desejado pelo paciente.

Entretanto, a mudança de postura da língua pode auxiliar na postura temporária, de maneira a melhorar a aparência em alguns aspectos próprios.

Mas como citado antes, a técnica não garante que os ossos faciais serão alterados. Contudo, o que sofrerá alteração é a musculatura do rosto, o tecido mole presente na face.

Todavia, o próprio doutor Mike Mew, autor do artigo sobre o mewing, não dá uma certeza total de que o procedimento é eficaz.

O que podemos dizer então, é que essa técnica possui suas vantagens, como por exemplo a respiração nasal e a correção de postura.

Mas por outro lado, é sempre necessário que o paciente tenha principalmente o cuidado de não forçar demais o maxilar, o que pode gerar diversos problemas.

Podem ser elencados riscos que a prática oferece?

Entretanto, esse ponto deve ser feito com cuidado pois pode vir a se tornar um dos hábitos parafuncionais, que acabam colocando os ossos do rosto em uma posição que não é o normal ou então sobrecarrega o osso.

Nesse caso em específico, acaba se tornando um quadro que alguns dentistas chamam de de bruxismo por apertamento, onde o paciente faz o apertamento em excesso dos dentes da boca.

Isso, por sua vez, acaba causando pequenos traumas nos ossos intra-articulares que podem levar à uma disfunção temporomandibular.

Sendo assim, caso o paciente comece a sentir dores na articulação temporomandibular, é melhor reconsiderar se deve mesmo praticar mewing ou não. E claro, consultar um dentista para analisar o quadro.

Entretanto, além de bruxismo a técnica pode causar também os seguintes problemas:

  • Queda dos dentes;
  • Retração gengival;
  • Traumas dentais;
  • Dores musculares e articulares.

Contudo, existem casos em que um resultado será obtido apenas através de uma cirurgia, principalmente a bucomaxilofacial, que irá reposicionar os ossos e melhorar a função óssea e muscular de mastigação.

Já em outros casos, como de respiração por exemplo, será necessário que um otorrinolaringologista seja consultado para realizar um procedimento cirúrgico que corrija o problema respiratório.

Todavia, o mais indicado é que o paciente consulte um dentista para que ele analise se a técnica de mewing será de fato benéfica e se ela resolve a estética, tendo em vista que os exercícios podem causar diversos problemas bucais.

Ramiro Murad
Ramiro Murad
Ramiro Murad Saad Neto, cirurgião-dentista com registro no Conselho Regional de Odontologia de São Paulo (CRO-SP) nº 118151, é graduado pela UNIC e residente em Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial Facial no Sindicato dos Odontologistas de São Paulo (SOESP - SP). Possui habilitação em Harmonização Orofacial e também é gestor de clínicas e franquias odontológicas. Além disso, é integrante da equipe Bucomaxilofacial da Clínica da Villa, que está na Rua Eça de Queiroz, 467 - Vila Mariana, São Paulo - SP.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sobre a Simpatio
Somos dedicados em criar conteúdo de qualidade e informativo. Nossa missão é informar pacientes, dentistas e clínicas provendo conteúdos altamente relevantes sobre odontologia e saúde bucal gratuitamente.
Agende uma consulta
Precisando de algum tipo de ajuda ou apoio relacionado a sua saúde ou estética bucal? Clique no botão abaixo!

Postagens Recentes

Receba Nossos Conteúdos

Preencha seu e-mail acima e receba conteúdos exclusivos gratuitamente!

Simpatio 2021 © - Todos os Direitos Reservados

As informações contidas neste site têm como objetivo único informar. A Simpatio tem o compromisso de estimular, e nunca substituir, as relações entre dentistas e pacientes. Sempre deixamos isso muito claro nos textos e na comunicação com nossos leitores. É fundamental que o paciente, ao notar qualquer alteração em sua saúde bucal, consulte seu dentista de confiança. Cada indivíduo requer um tratamento personalizado.

Os conteúdos da Simpatio são escritos por jornalistas e possuem a supervisão e a aprovação de dentistas e de profissionais de saúde parceiros.