Dente trincado: causas, sintomas e tratamentos

Share on facebook
Compartilhe
Share on twitter
Tweet Isso
Share on linkedin
Compartilhe

Os trincos podem ser superficiais ou profundos, e podem ou não necessitar de tratamentos

Você sorriu para o espelho e notou um risco no seu dente? Está sentindo muita dor, mas não sente nada estranho ao tocá-lo? Você pode estar com um dente trincado!

Neste artigo, vamos listar as causas para o dente trincado e seus tratamentos. Fique atento!

Um dente trincado é um dente que sofreu algum tipo de trauma. Isso causa um trinco na estrutura, que pode ser superficial ou profundo. Dependendo do tipo, pode ser um problema apenas estético ou mais complexo.

Dentes trincados sem tratamento podem levar à outras doenças e a perda do dente. Por isso, se esse é o seu caso, procure um dentista com urgência e agende uma consulta.

  1. O Que é Um Dente Trincado?
  2. Fraturas que Podem Gerar um Dente Trincado
  3. O Que Causa o Dente Trincado?
  4. Quais São Sintomas dos Dentes Rachados?
  5. Qual o Tratamento Para Dente Trincado?
  6. Quais os Riscos de Ficar com o Dente Trincado?
  7. Síndrome do Dente Rachado Existe?
  8. Como o Dente é Trincado?

O Que é Um Dente Trincado?

O dente recebe esse nome quando apresenta um tipo de rachadura muito pequena, quase que imperceptível, impossível de encontrá-la na radiografia odontológica.

Dessa forma, se trata de um problema na saúde da boca que aparece muito frequentemente nos dentes molares.

É importante registrar que o trinco no dente ocorre mesmo que o paciente não tenha passado por acidentes que causam um trauma na boca.

O que se pode notar então é que não existe apenas uma causa, uma razão única para que tais episódios ocorram, mesmo que sejam em um ou mais dentes.

O problema pode ser gerado por fatores diversos, independentemente de ter sido falha do paciente ou não.

Ficou curioso para saber mais sobre eles? Então continue lendo nosso artigo, que nós explicaremos.

Fraturas que Podem Gerar um Dente Trincado

Pancada na boca

São diversas as fraturas que muitas vezes são prejudiciais à porção coronária (a porção visível dos dentes) ou a radicular, que é da raiz dos dentes. Dessa forma, as que mais ocorrem são:

Fraturas Coronárias

As fraturas coronárias, na maioria dos casos, permitem que o dente seja reconstruído por meio de restaurações ou prótese dentárias. Elas podem ocorrer por inúmeros fatores, mas a grande maioria é por:

  • Cárie: desgastam o dente pela lateral o deixam com aparência de uma casquinha de ovo, facilitando fraturas pela mastigação. Esse é então o tipo de fratura mais frequente.
  • Restaurações extensas: nesse caso, a parede do dente fica muito fina com restaurações e, consequentemente, fratura.
  • Pancada na boca: traumas nos dentes, como os causados por quedas ou socos, precisam de acompanhamento e restauração.
  • Tratamentos de canais anteriores: muitas pessoas dizem que, ao realizar um tratamento de canal e tentar salvar o dente, nem sempre isso acontece. O problema não é solucionado pois, além do canal, ainda é necessário colocar um pino fazer uma coroa.

Fraturas Radiculares

Esse tipo de fratura não deixa que seja realizada uma reconstituição dos elementos dentários. O que ocorre nesses casos é que, muitas vezes, é necessária a extração.

Quando a extração é a única solução, é necessário também um planejamento para repor os elementos retirados com implantes ou certos tipos específicos de próteses dentárias.

Já vimos que não existe apenas uma causa para o dente trincado na raiz, mas uma das razões mais comuns é a colocação inadequada de pinos em um procedimento de canal. 

O Que Causa o Dente Trincado?

trincar um dente

O dente trincado é resultado de algum trauma. Pode ser um impacto, um acidente ou até mesmo algo mais comum.

Porém, a principal causa para essa patologia é a pressão causada pelo bruxismo. O ato de apertar os dentes durante a noite. Além disso, é muito comum trincar um dente mordendo objetos ou alimentos muito duros.

Morder canetas, lápis, balas, gelo e torresmo são alguns deles.

Esses trincos são muito mais fáceis de acontecer em dentes fracos. A desmineralização do dente é um fator que enfraquece a estrutura do dente, permitindo que trincos aconteçam.

Colocando então em uma lista, as principais causas para tal problema são:

  • Bruxismo, que é o hábito de apertar ou ranger os dentes involuntariamente durante o sono e ao longo do dia;
  • Mania de mastigar gelo ou de morder canetas e outros objetos duros, causando uma pressão mastigatória.
  • Má oclusão, que leva ao aumento da pressão sobre uma determinada região da arcada dentária durante a mastigação;
  • Realização de restaurações muito extensas ou de tratamentos de canal.

Pessoas que sofrem com bruxismo devem redobrar a atenção. Ao apertar e ranger os dentes, você pode acabar trincando um deles.

Normalmente, o que faz com que a pessoa vá procurar um cirurgião-dentista é, principalmente, a dor e a sensibilidade excessiva ao comer alimentos muito quentes ou muito frios.

Como esse é um problema que pode se passar imperceptível por muito tempo, é fundamental que, aos menores sinais, o paciente já procure um dentista para poder iniciar o tratamento o quanto antes.

Quais São Sintomas dos Dentes Rachados?

dentes que trincam

Muitos dentes rachados não apresentam nenhum sintoma, você o detecta apenas vendo a rachadura. Esse tipo costuma ser mais superficial.

Mas você deve estar se perguntando como saber se seu dente está trincado, certo?

Quanto mais profunda a rachadura, mais sintomas aparecem. O principal deles é a dor, que pode parecer apenas durante a mastigação ou ser forte e constante.

Ainda há alguns dentes que trincam, mas não há rachadura aparente. Você sente apenas a dor e suspeita de trincas no dente por alguma ação que fez antes da dor começar.

Nesse caso, você precisa procurar um dentista o quanto antes para realizar um raio X.

Antes que os sintomas se manifestem, é importante saber que há formas para impedir que isso ocorra.

Evitando um Dente Trincado

O que é fundamental para evitar que esses problemas se manifestem, é estar sempre realizando as consultas de rotina com seu cirurgião-dentista a cada seis meses.

Toda vez que passar nessas consultas de rotina, além de verificar a condição de todos os dentes e procurar se há alguma possível rachadura, é comum que o dentista faça uma limpeza profissional da boca.

Esse procedimento é essencial para combater doenças como a cárie dentária, o tártaro e casos de gengivite.

Em casos de bruxismo, é muito comum que o profissional providencie uma placa muito parecida como as que são utilizadas em procedimentos de clareamento dental.

Essa deve ser usada durante a noite, ou até mesmo ao longo do dia.

Além disso, existem ainda muitos casos em que a pessoa sofre de ansiedade. Seja devido a uma rotina agitada, ou algum outro problema.

Nessas situações, o ideal é fazer mudanças no estilo de vida e adotar hábitos mais saudáveis.

Uma boa saída para diminuir os níveis de estresse é ter novos hobbies, fazer atividades diferentes, até mesmo fazer algumas sessões de terapia. A prática de esportes também é algo que descarrega o estresse e ansiedade.

Por Que é Importante se Prevenir de um Dente Trincado?

Além de causar a perda dos dentes e sérios problemas aos dentes que são vizinhos, existem ainda certas complicações muitas vezes mais simples e que são originadas de um trincamento do dente.

São muitos os momentos em que esses dentes já trincados chegam em um nível de sensibilidade e quebram. Dessa forma, isso causa um desenvolvimento de superfícies irregular que machucam a linha da gengiva do paciente.

Podendo piorar ainda mais o caso, qualquer tipo de ferimento que puder ser evitado, deve ser. Pois mesmo pequenas lesões tornam o tratamento mais complicado.

Todos esses fatores contribuem para que a saúde bucal dos pacientes seja comprometida.

Então, isso acaba prejudicando e até mesmo impedindo que a pessoa realize atividades simples do dia a dia, como fazer uma refeição.

Independente de qual for a necessidade do paciente que está sendo tratado no caso, é o papel do cirurgião-dentista saber indicar qual é o melhor tipo de tratamento para o dente trincado, auxiliando a saúde no geral.

Qual o Tratamento Para Dente Trincado?

dente frontal trincado

Está muito preocupado? Ainda não conseguiu chegar no seu dentista para dizer: trinquei o dente e agora? Não se preocupe, nós iremos te explicar tudo.

O dentista avalia se há riscos para a saúde do dente ou para a estética antes de realizar qualquer tratamento. O tratamento pode ser diferente, por exemplo, se o problema for um dente frontal trincado.

Muitos casos não precisam de nenhuma intervenção, apenas acompanhamento regular e cuidados por parte do paciente.

Nos casos que precisam de intervenção, eles podem variar de tratamentos simples até mais complexos.

Se a raiz do dente ou parte de sua estrutura estiver comprometida, é necessário fazer um tratamento de canal ou colocar uma coroa dentária.

Quanto mais tempo você fica sem tratamento, mais complicado é. O dente trincado é uma porta de entrada para vírus, bactérias e outras doenças.

Quais São as Opções de Tratamento Para o Caso?

É importante lembrarmos que, independentemente de qualquer sintoma expressivo, se autodiagnosticar pode ser perigoso. Portanto, procure sempre um profissional.

Porém, saber quais são os possíveis tipos de tratamentos pode auxiliar no momento de tirar as dúvidas com seu dentista. No caso do dente trincado, os mais comuns são:

  1. Fazer acompanhamento regular como dentista, caso seja uma rachadura muito superficial e que não causa sintomas;
  2. Consertar o dente, com um tratamento de reparação que inclui o uso de um adesivo dental ou uma resina composta especial para restaurar o dente;
  3. Fazer um tratamento de canal, para remover a polpa do dente, caso ela seja atingida;
  4. Remover o dente, em último caso, quando a raiz está muito comprometida;
  5. Colagem que é feita quando uma resina plástica é usada para preencher as fissuras. Pode também arrumar uma pequena lesão na extrema área de mastigação dental. Além disso, a colagem restaura o formato do dente.
  6. Contorno cosmético, que é realizado principalmente quando a quebra é muito pequena. As extremidades ásperas do dente são arredondadas e polidas para disfarçar o trinco.
  7. Facetas são ideais quando ainda há uma quantidade suficiente de dente sobrando, pois elas duram muito e precisam que uma quantidade de dente seja removida antes. A faceta é uma camada fina de porcelana ou plástico feita para se ajustar à superfície do dente.
  8. Coroas tem muita utilidade quando o dente que não é adequado para a faceta. A coroa se ajusta sobre o que resta do dente, fortalecendo-o e dando a aparência de um dente natural. O dente pode então ser ajustado com a coroa dentária para receber um apoio extra.

Trincos em Dentes de Leite

Mesmo que o problema esteja localizado em um dente de leite, essas opções de tratamento estão disponíveis sem grandes problemas.

Isso se dá principalmente pois, o dente rachado, pode vir a gerar uma infecção por cárie ou ainda desenvolver uma placa bacteriana.

Dessa forma, é muito importante evitar que esse tipo de lesão seja mantido por muito tempo, principalmente se estiver atingindo as partes mais fundas próximas a raiz do dente.

Como Tratar um Dente Trincado em Casos Mais Graves?

Como já começamos a explicar anteriormente, nos casos mais graves, é comum que o cirurgião-dentista opte por fazer restaurações, assentamentos de coroa ou tratamento de canal.

Isso irá depender principalmente do local em que está a rachadura e do quanto ela pode vir a comprometer a estrutura do dente do paciente.

Dessa forma, nos casos complicados, pode ainda ser preciso fazer a extração do dente que está trincado, e, em seguida, realizar um implante dentário.

Isso é feito a fim de evitar que haja perda óssea e que toda a arcada seja comprometida.

O bom é que, nos dias de hoje, são diversas as técnicas e essas estão cada vez mais modernas e seguras para realização do implante.

Isso traz então muito mais conforto para os pacientes, além de evitar que a ausência dos dentes comprometa a estrutura óssea da boca.

É claro que a perda óssea é um dos problemas de saúde bucal mais graves.

Dessa forma, ela pode ocorrer tanto nos casos de dentes trincados que não são tratados, quanto na evolução dos quadros de uma doença periodontal avançada.

Quais os Riscos de Ficar com o Dente Trincado?

rachadura

Muitos dentistas dizem que, principalmente, um dos riscos mais perigosos que esse fator pode ocasionar é o acúmulo de placa bacteriana no local em que estão localizadas as fissuras dentárias.

Dessa forma, é comum que, caso isso venha de fato a acontecer, haja um aumento significativo no aparecimento de cárie, por exemplo.

Além disso, existem também casos em que essa tal situação pode levar a uma possível fratura dental, que nós já explicamos anteriormente.

Existem também casos em que, alimentos que possuem colorações muito fortes, quando consumidos regularmente em uma dieta do dia a dia, mancham a linha de fratura após a retenção do corante presentes neles.

Síndrome do Dente Rachado Existe?

dente rachado

Sim, infelizmente a síndrome do dente rachado existe. Nela, o paciente sente dores severas com as rachaduras no esmalte do dente. Pela profundidade das rachaduras, elas não deveriam causar essa dor tão forte.

Procure um dentista e peça um raio x. Não esqueça de fortalecer seu dente, você pode encontrar algumas dicas no artigo sobre desmineralização do dente.

São várias as classificações que indicam um dente rachado. Entre as principais, podemos observar quatro que são as mais influentes:

  1. Classe I: fratura vertical incompleta de esmalte/dentina s/ envolvimento pulpar.
  2. Classe II: fratura coronária incompleta com envolvimento pulpar.
  3. Classe III: fratura vertical incompleta com envolvimento periodontal.
  4. Classe IV: fratura promove separação completa dos fragmentos.

Como já citamos anteriormente, muitas vezes, essas rachaduras têm certa profundidade considerável. Por isso, em muitos desses casos seu diagnóstico é mais complicado.

Diagnosticando o Problema

Na maioria das situações, é comum que a síndrome do dente rachado apresente características que são consideradas crônicas.

Dessa forma, ela pode demonstrar desde uma falta total de sintomas, até passar por um pequeno incômodo e levar a uma dor moderada, principalmente quando a pessoa está mastigando.

Um fato sobre essas lesões é que, vários estudos apontam que as fraturas estão entre as três principais causas da perda de dentes.

É importante que o paciente entenda que, caso o diagnóstico não consiga ser realizado a tempo, uma fratura dentária pode vir e entrar no espaço biológico do periodonto e acabar tornando o prognóstico mais complicado.

Tratamento Para a Síndrome

O objetivo do tratamento é diminuir que haja uma flexão das cúspides que foram comprometidas com intuito de evitar com que a fratura seja propagada.

Um dos procedimentos que é realizado logo no começo do tratamento é aliviar a dor da oclusão a partir de um desgaste seletivo.

Dessa forma, existem situações em que a fratura possa ser descoberta antes de ser necessária uma remoção da restauração anterior. Já em outras, é preciso remover para identificar que há uma fratura de fato.

Então, normalmente existem então três procedimentos que estão disponíveis para o tratamento. São eles:

  1. Fratura Incompleta + Vitalidade Pulpar Sem Envolvimento Periodontal
    Alívio oclusal
    Remoção da restauração antiga
    Restauração provisória ou núcleo de preenchimento
    Restauração final com proteção de cúspides, para evitar que ocorra o efeito cunha.
  2. Fratura Incompleta + Pulpite Sintomática (Pulpite Irreversível) Sem Envolvimento Periodontal:
    Alívio oclusal
    Remoção da restauração antiga
    Pulpectomia/tratamento endodôntico
    Núcleo de preenchimento
    Restauração final com proteção de cúspides também evitando que ocorra o efeito cunha
  3. Fratura Incompleta Com Envolvimento Periodontal ou Fratura Completa Com Separação Total Dos Fragmentos
    Prognóstico extremamente desfavorável. Essa é utilizada quando há então uma indicação de exodontia

Como o Dente é Trincado?

sensibilidade nos dentes

O que ocorre quando a lesão acontece é que, as forças oclusais acabam formando essas fraturas incompletas. Isso costuma acontecer por causa do efeito cunha na relação cúspide-fossa.

Dessa forma, o problema é iniciado na fossa, que se localiza ao longo do sulco principal e se estende por toda a extensão da crista marginal.

Após isso, elas seguem através da polpa, ou ainda, vão em direção ao longo da raiz.

No caso de um molar hígido, por exemplo, se houver uma sensibilidade nos dentes ou ainda alterações térmicas, é preciso que o profissional verifique se há presença de uma fratura mesiodistal como causa.

Caso existam outras restaurações ou ainda lesões que tenham sido originadas por caries que não foram tratadas, esse é então um fator que predispõe a situação.

Assim, nos casos em que há um envolvimento pulpar ou periodontal, é necessário o tratamento endodôntico. Porém, somente o cirurgião dentista pode analisar corretamente o caso e indicar a melhor procedência.

Usando um Protetor Bucal

Um protetor bucal, muito conhecido e utilizado em vários casos, é nada mais do que uma espécie de aparelho que é encaixado nos dentes com objetivo de protegê-los de qualquer tipo de impacto.

Eles devem estar presentes no dia a dia de pessoas que praticam esportes que envolvem uma chance de quedas, choques ou ainda objetos voadores que atingem os dentes.

Normalmente, esses protetores cobrem os dentes superiores e são confeccionados para evitar a fratura de dentes, corte nos lábios ou qualquer outro dano à boca.

Se o caso do paciente exigir o uso nos dentes superiores, é muito comum que o dentista indique colocá-lo nos inferiores também.

São diversos os tipos de protetores que existem. Porém, independentemente do modelo, todos eles devem ser flexíveis, resistentes a impactos e confortáveis.

Também, precisam se adaptar bem a boca e não restringir a fala ou respiração.

Tipos de Protetores Bucais

São três tipos de protetor bucal disponíveis no mercado:

  1. Protetores feitos sob medida: esses são especiais para o caso de cada um dos pacientes que irá utilizá-lo e são feitos pelo dentista ou por um laboratório. Como são feitos sob medida, são muito confortáveis e têm uma ótima proteção. A maioria dos profissionais tem essa opção como a preferida justamente pelo conforto.
  2. Protetores moldáveis em água quente: todos esses modelos têm uma mesma forma que pode ser alterada se necessário. Esse tipo pode ser encontrado em lojas de produtos esportivos e acabam sendo mais confortáveis que os comuns.
  3. Protetores comuns: são a opção mais barata, porém, já são pré-moldado e já vêm prontos para o uso. Por todos esses fatores, na maioria das vezes não se adaptam bem os dentes dos pacientes, dificultando assim a fala e a respiração.

Além de todas essas especificações, é ideal que o protetor seja trocado a cada temporada, seguindo sempre o indicado pelo dentista.

Em todos os casos, se você notou um dente trincado ou sentiu um dos sintomas, procure um dentista. Apenas um profissional pode dizer o quão sério é o seu caso e indicar os tratamentos ideais.

Valdir de Oliveira

Valdir de Oliveira

Cirurgião-dentista graduado em Odontologia pela Universidade de Santo Amaro (UNISA). Pós-graduado em Ortodontia e Ortopedia dos Maxilares pela Sboom. Com especialização e mestrado em Implantodontia, habilitação em Harmonização Orofacial e Anatomia da Face. Professor nas áreas de Cirurgia Bucomaxilo Facial e Harmonização Orofacial. Voluntário há mais de 20 anos na Agência Adventista de Desenvolvimento e Recursos Assistenciais - ADRA Brasil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sobre a Simpatio

Somos dedicados em criar conteúdo de qualidade e informativo. Nossa missão é informar pacientes, dentistas e clínicas provendo conteúdos altamente relevantes sobre odontologia e saúde bucal gratuitamente.

Agende uma consulta

Precisando de algum tipo de ajuda ou apoio relacionado a sua saúde ou estética bucal? Clique no botão abaixo!

Postagens Recentes

Receba Nossos Conteúdos

Preencha seu e-mail acima e receba conteúdos exclusivos gratuitamente!

© All rights reserved

Simpatio 2018

As informações contidas neste site têm como objetivo único informar. A Simpatio tem o compromisso de estimular, e nunca substituir, as relações entre dentistas e pacientes. Sempre deixamos isso muito claro nos textos e na comunicação com nossos leitores. É fundamental que o paciente, ao notar qualquer alteração em sua saúde bucal, consulte seu dentista de confiança. Cada indivíduo requer um tratamento personalizado.