Como o braquete é colado nos dentes e qual sua função?

Share on facebook
Compartilhe
Share on twitter
Tweet Isso
Share on linkedin
Compartilhe

Ao falarmos sobre problemas que podem acometer a arcada dentária, é válido pontuar que não são apenas os dentes que sofrem danos. E para corrigir isso pode ser necessário o uso de um aparelho fixo com braquete.

O braquete é o fator responsável para que uma pessoa que usa aparelha seja conhecida por ter “sorriso metálico”, afinal, as peças são vistas facilmente. No entanto, ele possui grande importância para o tratamento.

Braquete é o nome de uma das peças do aparelho ortodôntico fixo que fica em contato direto com o dente.

O formato deste objeto é quadrado e ele pode ser feito dos seguintes materiais:

  1. Metal;
  2. Plástico;
  3. Cerâmica;
  4. Materiais transparentes.

Esta peça pode estar junta de um elástico ou não, mas ela sempre está conectada ao fio que fica sobre os dentes.

No entanto, o assunto deste artigo não é sobre a maneira correta de escrever, afinal é certo dizer braquete ou bracket.

De tal forma, iremos explicar aqui todos os pontos que giram em torno deste assunto a fim de tirar todas as dúvidas sobre esta peça tão importante para o bom andamento do tratamento ortodôntico de um paciente.

Leia este artigo e tire suas dúvidas sobre tudo o que diz respeito à esta peça e o que faz com que ela seja tão necessária para garantir que o uso do aparelho fixo seja eficaz. Vamos lá?

O que é braquete?

Para começar, o primeiro ponto o qual iremos explicar aqui é a seguinte questão: o que é braquete?

E a resposta para isso, no entanto, é algo bem simples, mas que, apesar da simplicidade, possui uma importância que vai além da estética e auxiliam durante o tratamento ortodôntico.

Sendo assim, é possível entender que esta peça que se encontra diretamente colocada sobre o dente é o famoso quadradinho do aparelho.

Em outras palavras, esta parte do aparelho fixo fica colada no dente e pode conter uma borrachinha que normalmente é colorida.

Contudo, não são em todos os casos que o aparelho do paciente possui essa borracha, mas isto depende de caso em caso conforme o quadro apresentado e a necessidade de correção na arcada dentária.

No entanto, independentemente de qual for a disfunção, o braquete é uma peça fundamental para que o tratamento seja feito da maneira correta, ponto o qual explicaremos logo a seguir.

Funções do braquete

Funções do braquete

A principal função do braquete do aparelho ortodôntico é a de unir o fio ortodôntico ao dente.

De tal forma, ele possibilita então que seja feita a movimentação necessária para o alinhamento da arcada dentária e correção de algum problema na oclusão dentária que o paciente venha a apresentar.

Essa peça é utilizada exclusivamente em casos de tratamentos ortodônticos com o aparelho fixo, que atua diretamente na correção dos dentes a partir da aplicação de uma leve força e pressão.

Contudo, além dos braquetes, o aparelho é composto por um arco, um fio metálico que passa pelos braquetes e também ligaduras metálicas ou borrachinhas coloridas, que servem para fixar o arco no interior dos braquetes.

Quais são os tipos de braquete?

Quais são os tipos de braquete?

Quando falamos sobre esta peça, é necessário entender que as opções vão além do material que compõe o quadradinho do aparelho.

Antes de elencar quais são os tipos de braquetes, é preciso entender que o uso destes diferentes tipos de peças se dá conforme a carência que o quadro do paciente possui e será corrigido por um tratamento ortodôntico.

De toda maneira, quando falamos sobre o aparelho fixo convencional, é válido entender que juntamente com as bandas e fio ortodôntico, o braquete com gancho exerce uma grande importância na movimentação dentária.

Sendo assim, confira abaixo então quais são os tipos de braquetes possíveis:

  1. Braquetes metálicos;
  2. Braquete de Policarbonato;
  3. Braquetes de Cerâmica ou de Cerâmica colorida;
  4. Braquete de Safira;
  5. Braquete Lingual;
  6. Braquetes auto ligáveis, ou autoligados.

Agora, para ficar um pouco mais claro, separamos uma explicação sobre cada um deles e quando ele é aplicado no paciente. Confira.

Braquetes Metálicos

O tipo mais comum no país, que dá a nomenclatura para o conhecido “sorriso metálico”, mas que tem perdido espaço para os braquetes estéticos.

Para os metálicos, eles podem ser nacionais ou então importados, condição na qual possibilita uma maior variedade de tamanhos e dimensões.

Por outro lado, o braquete nacional possui uma forte vantagem: um custo mais baixo do que o internacional.

De toda maneira, para ambos os casos os tempos de tratamento e possibilidade de resultados são parecidas.

Contudo, é válido seguir a orientação do dentista sobre quando colocar um ou então quando optar pelo outro tipo de braquete.

Braquete de Policarbonato

Este material gerou o primeiro braquete estético desenvolvido por profissionais da ortodontia.

Também conhecidos pelos pacientes como “aparelho da cor do dente”, eles foram melhorando ao longo do tempo e, além de uma alta demanda de escolha por esse, é de grande utilidade para o paciente.

Afinal, por meio dele o medo de sorrir enquanto usa aparelho fixo se torna menor por não ser altamente perceptível o fator metálico nos dentes.

Contudo, é de grande necessidade que o paciente siga à risca todas as instruções passadas pelo profissional assim que o aparelho é colocado.

De toda maneira, ele é basicamente um material termoplástico que possui um custo acessível e é estético.

No entanto, o lado negativo é que com o tempo existe uma maior probabilidade que este material manche, sofra alteração na cor, desgaste ou então dê uma maior dificuldade para que o dente deslize entre os braquetes.

Contudo, apesar desta série de desvantagens, eles servem muito bem para pacientes que farão um tratamento curto, não são fumantes e não ingerem frequentemente alimentos e bebidas com alta quantidade de corantes.

Para este material também é possível encontrar produtos nacionais e importados, e a mesma regra do preço se dá para os que são produzidos no Brasil.

Agora, por outro lado, os importados são mais finos e provocam uma menor alteração na posição do lábio quando o paciente se encontra em repouso.

Braquetes de Cerâmica ou de Cerâmica colorida

As peças de cerâmica foram consideradas as mais sofisticadas disponíveis até pouco tempo atrás, perdendo agora para o aparelho estético.

No entanto, é possível peças nacionais e internacionais mantendo as exatas mesmas condições que o braquete de policarbonato.

Contudo, além da vantagem estética, também é oferecido um material mais resistente, que não altera cor ou formato e possuem uma maior possibilidade de deslize entre os fios.

Sendo assim, eles fornecerem as condições necessárias para um bom tratamento independentemente de qual for o caso apresentado pelo paciente.

Porém, é necessário ter muito cuidado com esse tipo de peça pois a cerâmica é o material que possui o maior risco de quebra dentre todos os aqui citados.

O lado bom é que, caso o paciente queira, é possível escolher uma cor que comporá o braquete, fazendo com que ele seja então visível.

E as principais cores possíveis são:

  • Azul celeste;
  • Azul escuro;
  • Rosa;
  • Vermelho.

Em caso de não ter interesse por qualquer uma destas cores, o recomendado é perguntar ao profissional quais são as outras possibilidades, pois existem outras cores disponíveis.

Todavia, a escolha deve ser feita de maneira muito bem pensada, afinal, caso o paciente queira trocar a cor, todo o aparelho deverá ser retirado e substituído pela nova cor.

Braquete de Safira

Atualmente este é considerado o material mais estético e moderno quando falamos no mercado de braquetes ortodônticos.

A safira é transparente como o vidro, causando então um aspecto o mais próximo da cor natural do dente e se fundindo com ele, permitindo que a presença do aparelho seja notada apenas quando visto de perto.

E não é para menos tendo em vista que este tipo de braquete é extremamente discreto, polido e arredondado, possuindo dimensões reduzidas.

Sendo assim, ele fornece ao paciente um maior conforto durante todo o tratamento, assim como não possui alteração de cor e baixo risco de quebra.

Além disso, o deslize dos dentes entre os fios é beneficiado neste material, permitindo uma maior movimentação dentária.

Porém, o lado negativo é que se encontra apenas este material importado, sem contar o preço alto para os padrões financeiros do Brasil.

No entanto, para quem deseja realizar o tratamento ortodôntico com este braquete, é uma boa escolha durante todo o tempo o qual o aparelho será utilizado.

Braquete Lingual

Aqui, no entanto, o aparelho não se enquadra como estético apesar de ser invisível.

O braquete é feito de metal, porém a diferença é que quanto a colocação uma vez que ele é colocado na face de trás dos dentes chamada de face palatina ao invés da face vestibular, que é a frente dos dentes.

De tal forma, esta é a principal vantagem que este tipo de aparelho fornece e que nenhum outro consegue, ser invisível e não aparecer.

Contudo, este tipo de tratamento é recomendado apenas em casos onde o paciente possui uma necessidade estética muito grande uma vez que ele possui algumas desvantagens.

Dentre elas, a principal é o custo elevado em relação aos outros aparelhos ortodônticos.

Afinal, além de ser um braquete muito específico e importando, a forma de colar sobre os dentes é feita de maneira diferente das convencionais.

Além disso, uma vez que ele é colocado na parte de trás dos dentes, ele possui um grande contato com a língua, fator que causa desconforto, estranhamento e demora para adaptação.

A manutenção também é um ponto mais difícil devido ao baixo campo de visão do dentista, e o paciente deve possuir uma higiene bucal mais cuidadosa e elevada por não conseguir ver se existem resíduos de alimentos nos dentes.

Contudo, ainda existe uma grande dúvida quanto ao resultado final apresentado por este tipo de tratamento.

Alguns dentistas alegam que ele deve ser utilizado em alguns casos específicos, outros acreditam que todos os quadros podem se aproveitar do braquete lingual.

Porém, acima disso, este é um tipo de tratamento que já está sendo aplicado em alguns pacientes.

Braquetes autoligados

Este último tipo, por fim, pode ser feito ou de metal ou então de cerâmica.

A diferença que ele oferece em relação aos outros tipos de braquetes é que aqui não é feito o uso das borrachinhas que unem esta peça ao fio ortodôntico.

Sendo assim, a primeira vantagem é que não é necessário trocar esses elásticos que, conforme o tempo passa, vão manchando e perdendo a cor.

Uma outra vantagem que ainda está em discussão é referente ao tempo do tratamento.

Alguns profissionais defendem que este tipo de aparelho proporciona uma redução de uso do aparelho devido ao fato de que o fio está livre dentro do braquete.

No entanto, o que se sabe é que este tipo de material é importado e possui uma nova tecnologia, fazendo com que ele seja mais caro do que todos os braquetes anteriores.

Porém, ainda assim ele oferece resultados ótimos para o paciente, e em todos os tipos de braquetes o tempo de tratamento acaba sendo muito próximo.

Dessa maneira, fica difícil elencar qual é o melhor tipo de braquete e qual é o pior, o que faz com que o critério de seleção do paciente leve em conta os seguintes pontos:

  1. Necessidade estética;
  2. Tempo de uso;
  3. Condição financeira.

É válido pontuar que, antes de se iniciar um tratamento, o dentista irá dizer quais as melhores opções dependendo do quadro e, junto ao paciente, será feita uma escolha.

Como é colado o braquete?

Como é colado o braquete?

O primeiro passo para realizar a colagem dos braquetes é uma limpeza bem eficaz dos dentes, realizada pelo dentista.

Em seguida, é aplicado ácido fosfórico nos dentes. Essa substância deixa os dentes mais porosos, o que facilita a fixação dos braquetes na face da frente de cada dente.

A próxima etapa é a aplicação dos adesivos que irão colar o braquete. Além disso, também pode ser utilizada a resina composta para realizar este procedimento.

Após feito isso, inicia-se o processo de polimerização, que consiste em colocar calor sobre os adesivos para então ativá-los.

E uma vez que a banda, um anel metálico que fica em volta dos dentes, é colocada nos últimos dentes para segurar o arco do que dará sustentação ao aparelho, são colados então os braquetes ortodônticos.

As peças são coladas em cada dente, uma a uma, e devem estar extremamente alinhadas para que a eficácia do tratamento seja alcançada.

Assim que feito esse processo, a polimerização é repetida para garantir uma melhor fixação.

A primeiro momento é normal que o paciente sinta um certo desconforto com a presença das peças nos dentes.

Existem alguns relatos de sentir que os dentes estão maiores do que o normal, mas isso é relativo a cada caso.

No entanto, normalmente durante o primeiro mês, até o paciente se acostumar, é comum que a parte interior da boca seja cortada algumas vezes, o que causa dor e desconforto.

E se o braquete descolar?

E se o braquete descolar?

Um problema enfrentado por pacientes em tratamento ortodôntico é referente à colagem desta peça.

Afinal, não são poucos os casos em que o paciente fala que o braquete do aparelho soltou, ou então  que ele chegue com o braquete quebrado e até com os braquetes descolando.

E todas essas condições, na verdade, são causadas normalmente por falta de cuidado por parte da pessoa que está fazendo uso do aparelho.

De toda maneira, não são raros os casos de peças que descolam no decorrer do tratamento.

E na grande maioria das vezes, isso acontece devido aos hábitos alimentares do paciente, como a ingestão de:

  • Alimentos duros, como nozes, pipocas, cenouras, algumas frutas e pirulitos;
  • Alimentos grudentos, como chicletes e balas;
  • Alimento com muitas fibras, como manga e abacaxi.
  • Em geral, a primeira coisa a se fazer quando o braquete descola é consultar seu médico dentista. Não são recomendados tratamentos caseiros.

Se não houver desconforto com o braquetes soltando ou descolado do dente, não é necessária uma ida emergencial ao consultório odontológico.

Essa consulta pode ser realizada no dia seguinte, mas é importante que não seja ignorada por muito tempo.

No entanto, quando algum braquete caiu nem sempre ele será reaproveitado, então caso o paciente não consiga guardá-lo não existe problema.

Agora, uma coisa que não deve ser feita pelo paciente é colar braquete com super bonder, afinal esta não é a cola utilizada pelo dentista.

E, por outro lado, isso pode trazer diversas consequências negativas principalmente para o tratamento ortodôntico.

Sendo assim, não é recomendado que o paciente pergunte a outras pessoas o que fazer, afinal, cada aparelho possui suas particularidades, e as experiências podem não ser úteis ao caso.

Por isso, a indicação é que o dentista responsável pelo tratamento seja procurado pois ele saberá o que se fazer.

Braquete estético

Braquete estético

Uma alternativa que existe atualmente para quem deseja evitar o aspecto metalizado que os braquetes odontológicos causam, é a colocação do também conhecido como aparelho invisível ou braquete estético.

Esse tipo de peça é a mais nova evolução no mundo da ortodontia e se consiste basicamente de braquetes feitos em materiais que causam transparência quando em contato com o dente.

A principal diferença entre essas peças e as feitas em metal, por exemplo, é exclusivamente estética.

Isso significa que a sua funcionalidade, eficiência e tempo de uso são as mesmas que os aparelhos convencionais.

Cuidados que devem ser tomados com o aparelho fixo

Cuidados que devem ser tomados com o aparelho fixo

Quando uma pessoa utiliza o aparelho fixo para corrigir um problema na estrutura dental, a higiene bucal deve ser feita de maneira mais cuidadosa, o que se torna um desafio para pacientes que estão no começo do tratamento.

E isso se dá devido ao fato de serem diversas peças diferenças que compõem o aparelho, de maneira a complicar que sejam tomadas medidas de prevenção de doenças causadas pelo acúmulo de placa bacteriana.

De toda maneira, é altamente recomendado que o paciente mantenha hábitos de uma boa saúde bucal, mantendo todos os acessórios ortodônticos limpos.

Para isso, no entanto, existem diversos produtos que podem auxiliar a impossibilitar que as bactérias se espalhem.

Sendo assim, quando falamos em escovas, as maiores recomendações são a utilização da escova interdental e também que seja feito uso de uma escova ortodôntica.

Além disso, o paciente pode optar por um passa fio para melhorar o uso do fio dental a fim de evitar que sejam encontrados restos de alimentos entre os dentes, fator que propicia a multiplicação da placa bacteriana.

Por outro lado, alguns especialistas também recomendam que o paciente realize bochechos com enxaguantes bucais para otimizar ainda mais a limpeza intrabucal.

De toda maneira, não se esqueça: caso sinta desconfortos ou dores, procure pelo dentista responsável pelo seu tratamento.

Dessa forma é possível que ele analise a presença de eventuais doenças ou problemas que podem acometer os dentes e estruturas da cavidade oral e, consequentemente, atrasar o tratamento.

Após a remoção do aparelho fixo o tratamento ortodôntico acabou?

Após a remoção do aparelho fixo o tratamento ortodôntico acabou?

Para a infelicidade de muitos pacientes, o tratamento ortodôntico não é finalizado após a remoção do aparelho fixo.

No entanto, isso se dá pelo seguinte motivo: o aparelho ortodôntico possui como objetivo movimentar os dentes a fim de colocá-los na posição correta para que a arcada dentária não desenvolva problemas.

Sendo assim, após alcançado esse propósito, é necessário que o dentista utilize de métodos para que os dentes não voltem ao local errado.

Afinal, nenhum paciente deseja retroceder à condições que podem gerar problemas como disfunções na articulação temporomandibular ou então fraturas na mandíbula, certo?

E o método utilizado para garantir que todos os dentes de ambas as arcadas se mantenham na posição correta, o dentista dá continuidade ao tratamento pelo uso do aparelho móvel e de aparelhos de contenção.

Porém, para poder elaborar estes novos aparelhos, é necessário que o paciente realize uma nova moldagem que é considerada por muitas pessoas como mais tranquila do que a primeira para confeccionar o aparelho fixo.

Uma vez pronto esse molde, o dentista irá então produzir os equipamentos que serão utilizados pelo paciente.

Além disso, as consultas de rotina passam a ter um maior espaçamento para que o profissional consiga analisar se está tendo resultados positivos ou não.

Agora, existem casos onde o dentista acredita ser necessário refazer todo o procedimento devido à uma outra movimentação errada do elemento dentário.

E, se isso acontecer, o aconselhado é que o paciente acate à recomendação do profissional para evitar o desenvolvimento de outros problemas.

Quanto custa um braquete de aparelho?

Quanto custa um braquete de aparelho?

Ao falarmos sobre preço, existe uma confusão que não devemos fazer e ela se dá entre a pergunta de quanto custa um braquete de aparelho e de quanto é se paga como manutenção mensal do tratamento.

Sendo assim, nosso foco será no valor cobrado para um paciente que vai para o consultório alegando ter perdido esta peça do aparelho.

Contudo, antes de mais nada é preciso entender que o preço não é o de um novo braquete, e sim o chamado “custo de cadeira”.

Este, por sua vez, é feito da seguinte forma: todos os custos fixos da clínica são divididos pelo tempo de funcionamento do consultório.

Assim, o profissional sabe quando custa cada minuto de trabalho que ele oferece aos pacientes através dos mais variados serviços.

Após chegar a este valor, deve-se multiplicar o resultado pelo tempo que demorou para recolar o braquete contando todo o processo.

E para chegar ao valor final, o dentista deve levar em consideração os seguintes pontos:

  • Retirar o arco;
  • Preparar a superfície do dente para realizar a colagem;
  • Posicionar a peça;
  • Colar a peça sobre o dente;
  • Polimerizar a região;
  • Recolocar o arco.

De tal forma, é possível que o preço chegue a um valor 10 ou 20 vezes maior do que o custo de uma nova peça.

Por outro lado, isto pode ser evitado caso o dentista opte por utilizar o utensílio feito de algum material que possui maior qualidade.

Contudo, este não é um preço que pode ser falado com exatidão tendo em vista que ele sofre variação conforme o local de trabalho de cada dentista e a forma de trabalhar de cada profissional em específico.

Qual profissional eu devo procurar se o braquete descolar do aparelho fixo?

Agora, caso você precise realizar uma recolagem deste utensílio, seja pelo motivo que for, a nossa indicação é que o dentista que está coordenando o tratamento seja procurado.

Afinal, uma vez que ele é o responsável pela colocação do aparelho, ele saberá qual é a melhor posição para que o resultado ortodôntico almejado possa então ser conquistado de maneira correta.

A notícia boa é que não é sempre que o paciente deverá pagar pelas peças que se encontram soltas no aparelho.

E isso se dá pelo fato de que este valor será cobrado apenas em casos onde estava escrito no contrato assinado entre o paciente e o dentista.

Estes casos estão de acordo com a lei e, consequentemente, deve ser cumprido o pagamento do preço que o profissional cobrar.

Por fim, lembre-se sempre que a melhor maneira de cuidar do braquete é realizando uma boa higiene bucal e indo ao dentista com frequência para que ele analise a condição dessa peça tão importante!

Ramiro Murad
Ramiro Murad
Ramiro Murad Saad Neto, cirurgião-dentista com registro no Conselho Regional de Odontologia de São Paulo (CRO-SP) nº 118151, é graduado pela UNIC e residente em Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial Facial no Sindicato dos Odontologistas de São Paulo (SOESP - SP). Possui habilitação em Harmonização Orofacial e também é gestor de clínicas e franquias odontológicas. Além disso, é integrante da equipe Bucomaxilofacial da Clínica da Villa, que está na Rua Eça de Queiroz, 467 - Vila Mariana, São Paulo - SP.

One Reply to “Como o braquete é colado nos dentes e qual sua função?”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sobre a Simpatio
Somos dedicados em criar conteúdo de qualidade e informativo. Nossa missão é informar pacientes, dentistas e clínicas provendo conteúdos altamente relevantes sobre odontologia e saúde bucal gratuitamente.
Agende uma consulta
Precisando de algum tipo de ajuda ou apoio relacionado a sua saúde ou estética bucal? Clique no botão abaixo!

Postagens Recentes

Receba Nossos Conteúdos

Preencha seu e-mail acima e receba conteúdos exclusivos gratuitamente!

Simpatio 2021 © - Todos os Direitos Reservados

As informações contidas neste site têm como objetivo único informar. A Simpatio tem o compromisso de estimular, e nunca substituir, as relações entre dentistas e pacientes. Sempre deixamos isso muito claro nos textos e na comunicação com nossos leitores. É fundamental que o paciente, ao notar qualquer alteração em sua saúde bucal, consulte seu dentista de confiança. Cada indivíduo requer um tratamento personalizado.

Os conteúdos da Simpatio são escritos por jornalistas e possuem a supervisão e a aprovação de dentistas e de profissionais de saúde parceiros.