Aumento de coroa clínica: quando a cirurgia é indicada?

Share on facebook
Compartilhe
Share on twitter
Tweet Isso
Share on linkedin
Compartilhe

Descubra quais devem ser os cuidados pós-cirúrgicos desse procedimento

Após a realização de uma anamnese odontológica, o dentista pode chegar à conclusão de que o paciente precisa passar por um procedimento cirúrgico. Você se assusta ao escutar a palavra cirurgia? Não precisa ficar assim, algumas são tão simples e rápidas que podem ser realizadas no próprio consultório odontológico. É o caso da cirurgia de aumento de coroa.

O aumento de coroa é uma das cirurgias gengivais mais comuns. Porém, o procedimento vai além da estética e nos ajuda a cuidar de nossa saúde bucal.

Cirurgia de aumento de coroa é indicada quando não existe estrutura dental suficiente para que sejam colocadas coroas ou próteses dentárias na boca do paciente.

No entanto, ela também tem o seu valor estético, uma vez que é utilizada para a correção do desenho da linha de nossa gengiva, por exemplo.

A curiosidade é que ela não é uma cirurgia específica, e sim um dos vários procedimentos que podem levar à recuperação do espaço biológico, necessário para a realização de diversos procedimentos odontológicos.

Existem diversos casos, um diferente do outro. Por isso, é necessário avaliar cada um deles para identificar a melhor estratégia a ser utilizada.

Outro fato interessante, é que a cirurgia para aumento de coroa é uma das primeiras técnicas de cirurgia plástica gengival com remodelamento ósseo ensinada aos estudantes do curso de odontologia.

  1. Quais são as indicações para o aumento de coroa clínica?
  2. Passo a passo da cirurgia de aumento de coroa
  3. Como é o pós-operatório do aumento de coroa?
  4. Quanto custa o aumento da coroa?
  5. Aumento de coroa ou exodontia e implantes?

Quais são as indicações para o aumento de coroa clínica?

Existem diversas indicações para a realização da cirurgia, sendo elas estéticas ou funcionais. Aqui você irá conhecer algumas das situações onde ela pode ser indicada:

Alinhamento de gengivas

O procedimento que visa o aumento da coroa é considerado uma das técnicas utilizadas para promover o maior alinhamento das gengivas.

O alinhamento, por sua vez, tem como objetivo principal melhorar a harmonia estética do sorriso do paciente.

Para isso, são feitas correções na altura da gengiva e nas curvas em áreas de contato com os dentes. Essa técnica também é frequentemente chamada de nivelamento gengival.

Além do aumento de coroa, outros procedimentos também apresentam efeito semelhante a esse tipo de cirurgia plástica gengival.

Eles recebem o nome gengivoplastia e gengivectomia. Em ambos os processos ocorre a remoção cirúrgica de uma porção de gengiva.

Contudo, enquanto a gengivoplastia conta com um objetivo final estético, a gengivectomia está associada ao tratamento de casos de hipertrofia gengival. Ou seja, excesso de gengiva ou gengiva aumentada.

Correção cirúrgica do sorriso gengival

O sorriso gengival é caracterizado principalmente pela exposição acentuada da gengiva da arcada superior. Isso significa que ela fica à mostra quando a pessoa sorri.

Apesar de não causar nenhum tipo de prejuízo para a saúde das pessoas, esse problema pode se tornar um incômodo estético e desarmonizar o sorriso.

Em geral, são várias as causas que podem ter como consequência o sorriso gengival. Entre elas, podemos citar:

  1. Lábio superior curto;
  2. Lábio superior com grande atividade muscular: quando sorrimos, ele pode retrair mais que o normal, deixando a gengiva mais aparente;
  3. Ossos verticais da maxila que se desenvolvem mais que o normal;
  4. Fatores genéticos.

Desse modo, a plástica gengival de aumento da coroa é o tratamento mais indicado para os casos brandos de sorriso gengival.

Os casos mais graves, por sua vez, podem ser resolvidos com a utilização de técnicas como uma cirurgia ortognática ou até mesmo um reposicionamento labial.

Esse último processo se resume na realização de uma cisão na parte mais interna do lábio superior e, em seguida, uma sutura mais próxima aos dentes.

Recuperar fraturas dentárias localizadas em região infra-óssea

Essa indicação pode ser considerada uma das mais comuns para o procedimento de aumento da coroa em consultórios odontológicos.

Assim, a técnica é auxiliar na recuperação de dentes afetados por cárie dentária muito extensas. Nesses casos, a cavidade cariosa pode ir além da borda óssea que circunda a coroa ou raiz dentária.

Como consequência, a fratura dentária acaba dificultando os tratamentos restauradores, como aqueles que são feitos em resina composta ou a colocação de uma prótese dentária fixa.

Isso porque esses procedimentos estariam frequentemente sujeitos a uma infiltração cariosa. Mas, afinal, o que é uma cárie dentária?

A cárie dentária pode ser definida como uma lesão estrutural que afeta os dentes. Ela é fruto da ação de bactérias nocivas acumuladas em nossa cavidade oral.

Essas bactérias, por sua vez, têm sua proliferação facilitada pelo consumo excessivo de açúcares e amidos na dieta. Ainda, as falhas na saúde oral são grande motivação para seu desenvolvimento.

Facilitar o acesso para instrumentos de higienização dental

A higienização bucal é algo essencial para manter uma boa saúde oral. A cárie dentária, como dito anteriormente, é uma das consequências negativas para falhas nessa realização.

Contudo, ela não é a única. Existe uma grande diversidade de doenças odontológicas e periodontais que podem ser desencadeadas pela ação de microrganismos nocivos acumulados na boca.

Entre elas, as mais famosas são a gengivite e a periodontite. Ambas são doenças gengivais causadas pelo avanço de infecções orais.

A gengivite é considerada uma forma mais branda da doença periodontal, não colocando em risco a integridade do tecido ósseo e podendo ser curada após tratamento odontológico adequado.

O mesmo não pode ser dito da periodontite, que atinge ossos e ligamentos periodontais. Por conta dessa atividade, uma de suas consequências pode ser a queda dos dentes do paciente.

Ainda, é importante ressaltar que a periodontite não tem cura. Por isso, toda realização de aumento de coroa que visa potencializar e facilitar a higiene dental é válida!

Passo a passo da cirurgia de aumento de coroa

Tratamento odontológico inclui cirurgia na gengiva

Você tem a curiosidade de saber como é realizada esse tipo de cirurgia?

Se a resposta for sim, confira abaixo um passo o passo da cirurgia que visa o aumento da coroa clínica.

Primeiro passo

O primeiro passo para a devida realização dessa cirurgia são os exames clínicos e radiográficos.

Eles são feitos por um cirurgião-dentista de confiança e fornecem informações relevantes ao profissional sobre a condição bucal do paciente que passará pelo procedimento.

Segundo passo

Em seguida, o dentista indica a quantidade de ossos e tecidos gengivais que circundam o local a ser operado e precisam ser removidos. Assim, a cirurgia pode ter início.

Terceiro passo

O próximo passo vai variar de acordo com o local no qual será feita a cirurgia na boca do paciente.

Ele consiste na confecção de um guia de recorte estético, que visa aumentar a precisão dos resultados, ou provisórios em resina acrílica.

Esses últimos servem como modo de auxílio no processo de remodelação das bordas da gengiva.

Quarto passo

Enfim, chega o momento de realização da cirurgia. O procedimento de aumento da coroa clínica consiste em realizar uma incisão na gengiva e remover determinada porção óssea.

Em geral, essa remoção compreende cerca de 3mm do osso alveolar ao redor do dente. Os 3mm são, caracteristicamente, o tamanho da distância biológica entre a margem gengival e o osso.

Essa margem é restabelecida depois de finalizada a cirurgia. Isso devolve o espaço biológico, necessário para a manutenção da saúde local.

Quinto passo

Por fim, o profissional realiza pontos em sutura para fechar a abertura.

A sutura odontológica é feita para facilitar e agilizar o processo de cicatrização, além de torná-lo mais rápido.

Ainda, ela também impede e diminuir os riscos de acontecerem hemorragias ou a propagação de infecções pelo contato da abertura com micro-organismos nocivos.

Esse procedimento pode ser feito de diferentes maneiras e utilizar uma variedade de materiais.

Tudo depende do tipo de corte, da área que precisa da sutura e se há necessidades estéticas na cicatrização.

Dentro do ramo da odontologia, as técnicas mais utilizadas para a realização de sutura são:

  • Ponto simples;
  • Ponto em X;
  • Ponto em U;
  • Ponto contínuo simples;
  • Ponto contínuo festonado.

Posteriormente, o paciente deve voltar ao consultório odontológico para realizar a remoção da sutura e receber algumas instruções específicas.

Essas instruções se referem ao momento do pós-operatório e são indicadas pelo profissional que realizou a cirurgia, visando evitar desconfortos, dores ou prejuízos para a recuperação adequada.

Como é o pós-operatório do aumento de coroa?

Entenda a importância de uma cirurgia plástica gengival para o seu sorriso

O pós-operatório da coroa dentária, assim como o de qualquer processo cirúrgico, exige alguns cuidados.

Uma cirurgia odontológica na gengiva deve ainda receber atenção especial por envolver a manipulação de tecidos importantes.

Desse modo, os cuidados visam promover o mínimo de danos a esses tecidos durante o processo de recuperação.

Confira abaixo a lista com algumas das medidas que o paciente deve tomar para evitar complicações pós-operatórias.

  • Durante as primeiras 24 horas após a cirurgia você não deve ingerir alimentos sólidos ou quentes;
  • Nesse período, também não é recomendada a prática de exercícios físicos;
  • Evitar ficar sob o sol;
  • Evitar ingerir alimentos apimentados;
  • Evitar ingerir alimentos salgados;
  • Evitar a ingestão de bebidas alcoólicas
  • Não falar de maneira prolongada por um período entre 24 e 48 horas após o procedimento.

Normalmente, os pontos podem ser removidos entre 7 a 14 dias, mas as gengivas só cicatrizam 20 dias ou um mês após a realização da cirurgia.

Mas não pense que as gengivas já estarão prontas para continuar o tratamento.

Os procedimentos com lentes de contato dental e prótese dentária fixa, por exemplo, podem exigir até 90 dias de tempo de recuperação para evitar falhas de adaptação passados alguns meses destes tratamentos.

Até o terceiro dia de pós-operatório, fica restrito o uso da escova de dentes por parte dos pacientes que passam por uma cirurgia de aumento de coroa.

Após o período de três dias, e dependendo do tamanho e da gravidade do procedimento, o dentista pode indicar a realização da limpeza com escovas especiais e adaptadas.

Então, como realizar a higiene bucal?

A restrição ao uso de escova de dentes por determinado período não significa que a pessoa deve ignorar a realização adequada de uma higiene oral.

Para isso, ele deve compensar essa limitação realizando bochechos com substâncias que impedem a formação da placa bacteriana.

Em geral, essas substâncias são enxaguantes bucais diretamente indicados pelo dentista que realizou o procedimento.

Enxaguante bucal é um auxiliar da higiene bucal que atua no controle químico da placa bacteriana. Ele faz isso dissolvendo-a.

Por isso, esse produto ajuda a prevenir problemas odontológicos como a cárie, a gengivite e o mau hálito, além de possibilitar um hálito refrescante.

Porém, é preciso ficar atento ao uso excessivo da substância, sempre ressaltando que ela não deve ser uma substituta definitiva para a escovação.

Isso porque, quando em excesso, os enxaguantes bucais, principalmente aqueles que são feitos à base de álcool, podem gerar descamação da mucosa da boca e agressões ao esmalte dentário.

Outro risco também é o ressecamento da língua e a coloração amarela do dente.

Esses fatores podem ser causados pelo desequilíbrio do pH bucal. O enxaguante bucal deixa os dentes mais porosos. Essa característica facilita o surgimento de manchas em tons de amarelo ou cinza nos dentes.

Algumas das bactérias existentes na cavidade bucal integram a flora natural e são úteis no processo que controla a acidez bucal.

A eliminação dessas bactérias por meio do uso de enxaguantes bucais pode prejudicar o início do processo digestivo.

Em casos mais graves, o uso excessivo de enxaguantes bucais aumenta o risco de câncer na boca e na faringe.

Uso de medicamentos no pós-operatório

Muitas pessoas se perguntam se existe a necessidade do uso de medicamentos durante o pós-operatório dessa cirurgia.

A resposta é sim.

Em geral, é comum a prescrição de analgésicos simples para controlar sintomas como dores e inchaços faciais, que são comuns a esse procedimento.

Ainda, a profundidade e tamanho do remodelamento ósseo promovido pode acarretar a necessidade do uso de outros tipos de medicamentos.

Esses são antibióticos ou até mesmo anti-inflamatórios.

Quanto custa a cirurgia?

Qual a relação entre a gengivoplastia e o aumento da coroa?

O custo da realização desse procedimento é variado.

Isso porque o número de dentes que passam pelo procedimento vai depender de cada caso específico.

Contudo, em geral, o preço gira ao redor de R$150,00 por segmento.

Assim, a realização de outras cirurgias gengivais também vai variar, principalmente de acordo com a extensão da área corrigida.

O preço de uma gengivectomia, por exemplo, gira em torno de R$90,00 por dente.

Aumento de coroa ou exodontia e implantes?

Cirurgia odontológica melhora estética gengival

O procedimento de aumento de coroa pode ser definido como a realização de uma osteotomia e osteoplastia, seguida da finalização com a realização de uma gengivectomia.

A osteotomia consiste em um procedimento cirúrgico no qual é feita uma fratura proposital no osso por meio de um corte.

Essa técnica tem como principal objetivo promover o alinhamento ósseo.

O procedimento de osteoplastia dental envolve a utilização de um procedimento cirúrgico visando a alteração ou a reparação das estruturas ósseas responsáveis por sustentar a gengiva.

Por último, a gengivectomia, como já foi dito anteriormente, é uma intervenção cirúrgica que objetiva a correção ou a alteração do contorno ou da proporção da gengiva.

A realização desse procedimento é indicada apenas quando a raiz do dente for suportada por um periodonto saudável e a relação entre a coroa e a raiz permanecer favorável após a cirurgia.

Isso porque, para prosseguir com o tratamento de restauração, é necessário que sobre um remanescente dental depois de finalizados o procedimento.

Quando não é possível obter esse remanescente saudável, o procedimento que deve ser feito é uma exodontia seguida da colocação de implante dentário osseointegrado.

O que é uma exodontia?

A exodontia é um procedimento odontológico que proporciona a remoção de um dente da arcada dentária do paciente.

Existem diversos tipos de exodontia, sendo eles:

  • Exodontia simples: extração habitual dos dentes que nasceram de forma normal, mas que podem estar comprometidos por conta de uma cárie dentária, por exemplo. Esse método é utilizado para remoção dos dentes de leite;
  • Exodontia de dente incluso, semi-incluso ou impactado: consiste na remoção do dente que não consegue nascer por algum motivo. Isso pode acarretar alguns problemas, como pressionamento do resto da arcada dentária. Normalmente, é a motivação da extração do dente do siso;
  • Exodontia de raiz: é necessário quando há a remoção de resquícios de raízes dentária que estão presas no tecido ósseo ou tecido gengival.

Ao contrário do que muitos pensam, esse procedimento não provoca dor.

Isso porque a exodontia de dente é realizada sob anestesia local. Por isso, é normal que as pessoas sintam um incômodo causado pela pressão posta pelo médico para extrair o dente.

Em casos onde o dente não está aparente, o dentista realiza uma cisão na gengiva para alcançar a área. O paciente sente também uma sensação de raspagem, por conta do manuseio do dente que estava encoberto.

Como é o pós-operatório de uma exodontia?

Algumas das medidas que devem ser tomadas pelo paciente para a boa recuperação dessa cirurgia, são:

  • Evitar a ingestão de alimentos sólidos;
  • Não consumir alimentos quente;
  • Evitar ficar exposto ao sol por muito tempo;
  • Não fazer bochechos com força, pois isso pode estourar os pontos da cirurgia;
  • Dormir com a cabeça mais alta que o corpo, evitando que estimule o sangramento;
  • Tomar os medicamentos prescritos, uma vez que eles ajudam na cicatrização e evitam desconfortos maiores;
  • Fazer uma ótima higienização bucal, a fim de evitar a acumulação de bactérias. Contudo, o paciente deve tomar cuidado com a área circuncidada.

O que é osseointegração?

Os implantes dentários são pequenos pinos fabricados em titânio responsáveis por segurar a prótese dentária na boca do paciente.

Para a devida adaptação de um implante dentário osseointegrado, é necessária a realização de um processo chamado osseointegração.

Esse procedimento é de extrema importância para a estabilização do material no osso, garantindo que o implante dentário seja integrado no tecido ósseo da arcada dentária.

Como é realizado o procedimento?

A osseointegração para implantes é realizada de acordo com as seguintes etapas:

  1. Inicialmente, é feito o diagnóstico e escolha da cirurgia como melhor tratamento, após a realização de uma tomografia computadorizada;
  2. No dia do procedimento, ocorre a aplicação de uma anestesia local;
  3. O cirurgião faz uma incisão;
  4. Em seguida, o profissional insere os implantes no osso;
  5. É feita uma sutura odontológica que mantém o implante dentro do osso;
  6. Depois de um período de duas semanas, começa o processo de reabsorção do osso;
  7. Desse modo, a osseointegração começa a agir, preenchendo o espaço entre osso e implante;
  8. O implante é coberto;
  9. Após quatro meses, ocorre a cicatrização na mandíbula;
  10. Após o período de seis meses ocorre a cicatrização na maxila.

Para a boa eficiência do procedimento, é importante que o profissional esteja atento aos detalhes do procedimento, como a macrogeometria, que é o desenho dos implantes.

Além disso, é preciso fazer o uso de ferramentas ideias para o processo, como o osstell, torquímetro e kit cirúrgico.

Cuidados com o implante dentário

Existem alguns cuidados específicos a serem tomados pelas pessoas que passam por procedimentos com implantes osseointegrados.

Entre elas, a mais importante é manter uma atenção minuciosa com a saúde bucal.

Escovar os dentes depois de acordar, além dos momentos depois das refeições e antes de ir dormir é essencial. Para potencializar a limpeza, faça movimentos suaves e circulares em torno de todos os dentes.

Ainda, o paciente deve lembrar de sempre escovar a língua também, porque ela também tem bactérias bucais que podem fazer mal à saúde. Contudo, é importante tentar não passar a escova bruscamente.

O uso do fio dental pelo menos uma vez ao dia é recomendado pelos dentistas. Não é necessário passar o fio de forma bruta, mas é preciso que você limpe toda a área ao redor do dente e perto da gengiva.

Além disso, prestar atenção em hábitos comportamentais é essencial para diminuir os riscos de problemas futuros.

Na hora da alimentação, por exemplo, é importante fazer o consumo de alimentos líquidos e gelados nas primeiras 12 horas.

Após algum tempo, está liberado o consumo de comidas pastosas. Só apenas depois de 24 horas da cirurgia que você pode voltar a comer normalmente.

Na hora de dormir, o paciente deve ficar com a cabeça posicionada de forma mais alta do que o corpo, como se você fosse dormir sentado.

O paciente também deve evitar tomar sol de forma excessiva.

Agora você está por dentro da cirurgia de aumento de coroa. Lembre-se, essa cirurgia deve ser feita preferencialmente por um periodontista. Ela tem duração média uma hora, mas o tempo pode variar de acordo com a extensão da fratura ou da necessidade de alinhamento.

Valdir de Oliveira

Valdir de Oliveira

Cirurgião-dentista graduado em Odontologia pela Universidade de Santo Amaro (UNISA). Pós-graduado em Ortodontia e Ortopedia dos Maxilares pela Sboom. Com especialização e mestrado em Implantodontia, habilitação em Harmonização Orofacial e Anatomia da Face. Professor nas áreas de Cirurgia Bucomaxilo Facial e Harmonização Orofacial. Voluntário há mais de 20 anos na Agência Adventista de Desenvolvimento e Recursos Assistenciais - ADRA Brasil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sobre a Simpatio

Somos dedicados em criar conteúdo de qualidade e informativo. Nossa missão é informar pacientes, dentistas e clínicas provendo conteúdos altamente relevantes sobre odontologia e saúde bucal gratuitamente.

Agende uma consulta

Precisando de algum tipo de ajuda ou apoio relacionado a sua saúde ou estética bucal? Clique no botão abaixo!

Postagens Recentes

Receba Nossos Conteúdos

Preencha seu e-mail acima e receba conteúdos exclusivos gratuitamente!

© All rights reserved

Simpatio 2018

As informações contidas neste site têm como objetivo único informar. A Simpatio tem o compromisso de estimular, e nunca substituir, as relações entre dentistas e pacientes. Sempre deixamos isso muito claro nos textos e na comunicação com nossos leitores. É fundamental que o paciente, ao notar qualquer alteração em sua saúde bucal, consulte seu dentista de confiança. Cada indivíduo requer um tratamento personalizado.