Prótese parcial removível tem custo menor que implantes

Share on facebook
Compartilhe
Share on twitter
Tweet Isso
Share on linkedin
Compartilhe

Prótese parcial removível é indicada para preencher espaços deixados por estruturas dentárias

A impressão de vazio proporcionada por uma ausência dentária é extremamente desconfortável, não é mesmo? Mas para evitar essa sensação, o paciente pode recorrer a uma prótese parcial removível.

A falta de um ou mais dentes não atinge só a estética do sorriso. Ela afeta a saúde da boca e do nosso organismo. Assim, a prótese parcial removível tende apenas a trazer benefícios ao paciente.

Prótese parcial removível, como o nome já sugere, é um dispositivo móvel utilizado para substituir um tecido ausente por elementos artificiais, visando recuperar a estética e a funcionalidade da arcada dentária do paciente.

Indicações e contraindicações de uma Prótese Parcial Removível

Quando falamos de PPR, é fundamental dizer que ela é recomendada em casos que o paciente esteja parcialmente desdentado, com múltiplos e extensos espaços protéticos, grande perda óssea e dentes com suporte reduzido.

Entretanto, esse modelo de prótese dentária é contraindicado para pacientes que apresentem problemas motores que comprometam a higienização bucal ou que tenham baixa resistência a cáries e a doenças periodontais.

Vantagens e desvantagens da PPR

A grande vantagem na utilização dessas próteses dentárias é o seu baixo custo quando comparada a implantes. Por isso, o dispositivo ganha um maior alcance social.

Além disso, existem algumas outras vantagens que podem ser citadas:

  • Indicação bastante ampla;
  • Pode ser planejada de diversas formas;
  • Auxilia a preencher espaços reabsorvidos;
  • Possui um menor tempo de execução.

Em contrapartida, a principal desvantagem de uma PPR é a questão estética. Isso por que ela é constituída por um material metálico que é muito difícil de ser mascarado pelo paciente.

Outras inconveniências ainda podem ser listadas:

  • Alguns pacientes se queixam de desconforto;
  • A higiene deve ser extremamente cuidadosa;
  • Existe certa dificuldade em manter a estabilidade oclusal;
  • Ela possui uma menor durabilidade que as outras opções do mercado.

Tipos de próteses parciais removíveis

Existem 3 tipos de próteses parciais removíveis:

  1. PPR Dentossuportada: essa família de próteses móveis tem como característica transmitir a força mastigatória aos dentes pilares. Ela é popularmente conhecida como ponte;
  2. PPR Dentomucossuportada: o dispositivo é apoiado no dente e na mucosa. Ela é indicada onde existem extremidades livres ou onde os dentes pilares são desfavoráveis;
  3. PPR Mucodentossuportada: esse modelo se apoia majoritariamente na mucosa e um pouco nos dentes. É recomendado na presença de grande espaços protéticos.

Cuidados necessários e período de adaptação

Ao adquirir uma prótese parcial removível, o principal cuidado a ser tomado é a realização da manutenção. Assim, você precisa seguir três cuidados essenciais:

  • Realizar corretamente a higiene oral;
  • Sempre remover a estrutura após as refeições;
  • Manter visitas regulares ao seu dentista de confiança.

Vale lembrar que uma PPR possui um prazo de validade. Então, ela não dura para sempre. A falta de dentes promove uma perda óssea gradual, proporcionando posicionamento incorreto da prótese com o passar dos anos.

Isso pode trazer inúmeras consequências, como problemas na mastigação, na fala e perdas dentárias posteriormente.

Qualquer novidade requer um período de adaptação. E nesse caso não é diferente. Normalmente, o paciente sente uma leve dor nos primeiros dias, desencadeada pelo período de acomodação da estrutura na cavidade bucal

Mas não se preocupe, esse incômodo não dura muito tempo e costuma passar naturalmente.

Se a prótese parcial removível começar a causar feridas na boca, o ideal é que você avise o seu dentista o quanto antes para ele proceder da maneria correta.

Ramiro Murad Saad Neto

Ramiro Murad Saad Neto

Cirurgião-dentista graduado em Odontologia pela UNIC. Gestor de clínicas odontológicas e franquias. Residente em Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial Facial no Sindicato dos Odontologistas de São Paulo (SOESP - SP). Habilitação em Harmonização Orofacial e integrante da equipe Bucomaxilofacial Dr. Carlos Eduardo Xavier na Clínica da Villa, em São Paulo. CRO - 118151

Compartilhe sua opinião

Sobre a Simpatio

Somos dedicados em criar conteúdo de qualidade e informativo. Nossa missão é informar pacientes, dentistas e clínicas provendo conteúdos altamente relevantes sobre odontologia e saúde bucal gratuitamente.

Agende uma consulta

Precisando de algum tipo de ajuda ou apoio relacionado a sua saúde ou estética bucal? Clique no botão abaixo!

Postagens Recentes

Receba Nossos Conteúdos

Preencha seu e-mail acima e receba conteúdos exclusivos gratuitamente!