Riscos da gengivite ulcerativa necrosante aguda (GUN)

Share on facebook
Compartilhe
Share on twitter
Tweet Isso
Share on linkedin
Compartilhe

Doença é mais comum em pessoas com o sistema imunológico enfraquecido

Os efeitos de bactérias na nossa boca podem provocar problemas orais maiores do que imaginamos. Um exemplo é o desenvolvimento da gengivite ulcerativa necrosante aguda.

O micro-organismo que provoca a gengivite ulcerativa necrosante aguda é o conhecido como fuso-espiroqueta.

Gengivite ulcerativa necrosante aguda é uma doença grave e rara que afeta os tecidos gengivais.

Essa doença da gengiva também pode receber o nome de angina de Vincent, por sua relação ou fusoespirilose.

Causas da gengivite ulcerativa necrosante aguda

Em geral, o desenvolvimento de uma gengivite necrosante está relacionado ao acúmulo excessivo de bactérias na cavidade bucal.

Contudo, esse quadro é agravado em casos de pessoas que contam com doenças degenerativas, como o Alzheimer, ou o sistema imunológico enfraquecido por infecções por HIV ou lúpus.

A doença também está relacionada a casos de má nutrição em populações de regiões pouco desenvolvidas.

Sintomas da gengivite ulcerativa necrosante aguda

O aparecimento de feridas dolorosas e a formação de úlceras são as principais características da infecção de Vincent.

Ainda, os primeiros sinais que pode ser notados ao longo do desenvolvimento da doença são o inchaço e a vermelhidão das gengivas. Esse quadro pode se estender para a garganta.

gengivite fusoespiroquetal causa muita dor para a pessoa afetada.

Isso porque, além das feridas dolorosas no tecido gengival, ela provocar dificuldades para mastigar e, quando atinge a garganta, para engolir.

Além disso, as feridas características da doença podem se espalhar para outras áreas da cavidade oral.

Língua, interior das bochechas e céu da boca são exemplos delas.

A gengivite ulcerativa também provoca a necrose dos tecidos gengivais, diminuindo sua quantidade na arcada dentária e chegando a expor a parte do dente, antes localizada dentro das gengivas.

Riscos da gengivite ulcerativa necrosante aguda

Se não for tratada da forma correta e com o acompanhamento de um profissional da área da odontologia, esse tipo de gengivite pode evoluir para uma periodontite ulcerativa necrosante.

Nesses casos, a doença deixa de afetar apenas os tecidos gengivais, posteriormente passando a atingir também os tecidos periodontais.

Os tecidos periodontais são aqueles que apoiam e envolvem os dentes, fixando eles ao osso.

Com sua ausência, as chances de perda dentária são altas.

Além disso, existem outros sintomas e consequências que podem ser citados, como:

  • O surgimento de aftas nas gengivas ou na garganta;
  • Sangramento das gengivas;
  • Gosto metálico na boca;
  • Presença de mau hálito persistente e que não desaparece após escovação;
  • Inchaço das ínguas do pescoço;
  • Produção de uma fina película acinzentada que deixa a gengiva mais escura.

Tratamentos para a gengivite ulcerativa necrosante aguda

A boa notícia é que a doença é curável.

Geralmente, os profissionais da odontologia indicam o uso de antibióticos, como amoxicilina, eritromicina ou tetraciclina, para impedir que o desenvolvimento da infecção.

No consultório, são realizados os procedimentos de raspagem e limpeza bucais.

Posteriormente, é prescrito a utilização de analgésicos ou anti-inflamatórios, como o ibuprofeno ou naproxeno, para diminuir a dor.

Como evitar a proliferação de bactérias?

A melhor maneira de evitar a proliferação de bactérias na cavidade oral é higienizar a boca de maneira adequada.

Desse modo, é indicado realizar a escovação dos dentes ao menos três vezes ao dia, prestando atenção nos movimentos, que devem ser leves e circulares.

Além disso, a limpeza pode ser completada com o uso de fio dental ou enxaguante bucal adequado.

É importante ressaltar que o médico dentista deve ser consultado periodicamente. Assim, o profissional pode reconhecer os sinais de doenças como a gengivite ulcerativa necrosante e iniciar os tratamentos necessários.

Yara Barreto

Yara Barreto

Formada em Odontologia pela Universidade de São Paulo (2008). Aluna de iniciação científica Pibic/Unicid da Universidade de São Paulo. Em 2009, concluiu estágio clínico em Ortodontia no Instituto Vellini, e em 2010, curso de planejamento Ortodôntico na Universidade Metodista. Concluiu em 2014 sua especialização em ortodontia e atua com ortodontia digital. Dentista na Odontoclinic e responsável técnica da OdontoImage.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sobre a Simpatio

Somos dedicados em criar conteúdo de qualidade e informativo. Nossa missão é informar pacientes, dentistas e clínicas provendo conteúdos altamente relevantes sobre odontologia e saúde bucal gratuitamente.

Agende uma consulta

Precisando de algum tipo de ajuda ou apoio relacionado a sua saúde ou estética bucal? Clique no botão abaixo!

Postagens Recentes

Receba Nossos Conteúdos

Preencha seu e-mail acima e receba conteúdos exclusivos gratuitamente!

© All rights reserved

Simpatio 2018

As informações contidas neste site têm como objetivo único informar. A Simpatio tem o compromisso de estimular, e nunca substituir, as relações entre dentistas e pacientes. Sempre deixamos isso muito claro nos textos e na comunicação com nossos leitores. É fundamental que o paciente, ao notar qualquer alteração em sua saúde bucal, consulte seu dentista de confiança. Cada indivíduo requer um tratamento personalizado.