Bolhas na garganta podem ser causadas por infecções orais

Share on facebook
Compartilhe
Share on twitter
Tweet Isso
Share on linkedin
Compartilhe

Para tratar as bolhas na garganta, o paciente deve consultar um especialista para identificar a causa do problema

Bolhas na garganta incomodam qualquer pessoa, principalmente quando são acompanhadas de ardência e de irritação. Assim, podem acabar se tornando um grande problema.

E, por acaso, você conhece as principais causas que relacionam a saúde bucal ao aparecimento de bolhas na garganta? É sobre isso que falaremos no decorrer deste artigo!

Bolhas na garganta podem surgir por diferentes razões e estar relacionadas à diferentes motivos, incluindo inflamações ou infecções orais.

Por isso, é importante que seja realizado um diagnóstico correto. E assim, definir o melhor tratamento para o paciente acometido pelo problema.

  1. Sintomas de Bolhas na Garganta
  2. Possíveis Motivos para Bolhas na Garganta
  3. Como tratar Bolhas na Garganta?
  4. Os Perigos da Bolha na Garganta
  5. Outras Doenças com Manifestações Orais

Sintomas de Bolhas na Garganta

Em alguns casos, bolhas na região da garganta podem se desenvolver apenas como elevações arredondadas e pouco incômodas para o paciente.

Costumam pensar que o problema é bastante comum, uma vez que é assintomático a primeira instância.

Entretanto, é sempre bom investigar uma anormalidade relacionada a nossa saúde, como são as bolhas na garganta.

Já em outras situações, as bolhas resultam em dor na garganta e na boca, dificuldades para engolir alimentos e bebidas, irritações e mau hálito.

Geralmente, nesses casos, as bolhas na garganta são múltiplas e bastante espalhadas em toda a extensão da boca do paciente. Ainda, se não houver cuidado, as lesões podem se romper, provocando várias feridas.

Ainda é possível que as bolhas desenvolvam:

  • Manchas brancas e/ou vermelhas na garganta;
  • Nódulos na região do pescoço;
  • Dificuldades de movimentar a mandíbula;
  • Dores no peito;
  • Azia;
  • Feridas na boca.

Fora isso, alguns pacientes podem enfrentar febre, fortes dores de cabeça e até mesmo a perda do apetite, que muitas vezes está relacionada aos outros desconfortos provocados pela garganta inflamada.

Possíveis Motivos para Bolhas na Garganta

Bolhas na garganta podem ser causadas por infecções orais

Os principais motivos geram as elevações na garganta são:

Infecções Orais

Microrganismos nocivos, como bactérias, chegam facilmente à garganta através da boca. Desse modo, quando há infecção na garganta, é recomendado que o paciente procure um médico para verificar o agente do problema.

Geralmente, a inflamação na garganta é tratada com medicamentos, que podem ser antifúngicos, antivirais ou antibióticos, e com uma ótima saúde bucal, que evita o acúmulo de bactérias.

Assim, algumas boas dicas são escovar os dentes ao acordar, antes de dormir e depois das refeições e não se esquecer de utilizar o fio dental e o enxaguante bucal.

Estomatite Aftosa

As aftas na garganta aparecem por diversas razões. As mais comuns são por conta da deficiência no sistema imunológico e da alimentação, principalmente pela ingestão de alimentos com alto teor de acidez.

Uma vez que o paciente é infectado pela doença, costuma apresentar feridas e aftas recorrentes na boca, que costumam aparecer em um período de 15 em 15 dias.

Geralmente, nessa ocasião as feridas vêm acompanhadas de fortes dores.

Com isso, o paciente pode ter sérias dificuldades em ingerir determinadas bebidas e alimentos. Entre os possíveis fatores que podem impulsionar o surgimento do problema, estão:

  • Gengivite;
  • Cáries;
  • Excesso de tabaco;
  • Consumo excessivo de bebidas alcoólicas;
  • Doenças que afetam a imunidade, deixando-a baixa, como HIV, Lúpus e Doença de Crohn.
  • Passar por sessões de radioterapia e quimioterapia;
  • Uso de aparelhos dentários, o que pode causar lesões na boca.

Ainda é importante ressaltar que existem 3 tipos diferentes de estomatite aftosa, que são classificadas de acordo com o seu grau de intensidade. São elas:

  1. Menor – apresenta aftas pequenas, de aproximadamente 10 milímetros. Trata-se do tipo mais comum, e demora, em média, de 10 a 14 dias para sarar. As aftas costumam possuir um formato arredondado e são acinzentadas ou amarelada, possuindo bordas vermelhas;
  2. Maior – nesse caso, as aftas são um pouco maiores, podendo ter 1 centímetro. Devido ao tamanho, esse tipo de estomatite pode demorar de dias a meses para sarar. As lesões apresentam um formato mais oval e costumam surgir principalmente nos lábios e na garganta;
  3. Herpetiforme – aqui, as aftas são normalmente bem pequenas, com tamanhos entre 1 e 3 milímetros. Porém, apesar de menores, as aftas aparecem em grande número. É o caso mais raro, suas lesões e surtos podem ser facilmente confundidos com os da Gengivoestomatite Herpética, que é provocada pelo vírus da herpes.

Câncer na Boca

O câncer na orofaringe, também conhecido como câncer de boca. Trata-se de um processo que se dá através da distribuição descontrolada de células na região da orofaringe.

Assim, o paciente pode apresentar, entre outros sintomas:

  • Ferida nos lábios, gengiva ou no interior da boca, que sangra facilmente e não parece melhorar;
  • Um caroço ou inchaço na bochecha que você sente ao passar a língua;
  • Perda de sensibilidade ou sensação de dormência em qualquer parte da boca;
  • Manchas brancas ou vermelhas na gengiva, língua ou qualquer outra parte da boca;
  • Dificuldade para mastigar ou para engolir;
  • Dor sem razão aparente ou sensação de ter algo preso na garganta;
  • Inchaço que impede a adaptação correta da dentadura;
  • Alterações na fala.

Trata-se de um problema encontrado principalmente em exames de rotina, com o auxílio de um profissional qualificado. Ele acomete diversas pessoas no Brasil e no mundo, sendo tratado inclusive como um problema de saúde pública.

Quimioterapia e Radioterapia

Acabamos de dizer que o câncer de boca pode causar graves anginas vesiculosas em toda a nossa cavidade oral. Mas você sabia que o tratamento para este e outros tipos de câncer também pode prejudicar a saúde bucal?

É isso mesmo. Tanto a quimio quanto a radioterapia podem provocar drástica diminuição da força de nosso sistema imunológico, causando diversos efeitos colaterais em nosso corpo, como é o caso das bolhas na garganta.

Uma dica para evitar o problema é se manter sempre bem alimentado e hidratado.

Além disso, é sempre recomendado consultar um profissional para que o problema não se agrave e você não encontre maiores preocupações.

Herpangina

Trata-se de uma doença viral que atinge principalmente bebês e crianças e entre os 3 e 10 anos de idade. Ela é caracterizada por desencadear altas febres nos pequenos, além de, é claro, as bolhas na garganta.

Também conhecida como coxsackie ou enterovírus, seus sintomas costumam durar cerca de 12 dias e seus sintomas são bastante leves, não representando graves riscos ao paciente.

Doença de Behçet

A doença de Behçet é uma doença rara, que ocorre com mais frequência em pessoas entre 20 e 30 anos de idade. Ela é caracterizada pela inflamação de diferentes vasos sanguíneos no corpo do paciente.

Isso acaba levando ao surgimento de diarreia frequente, fezes com sangue e feridas na região genital e na boca, como é o caso das bolhas na garganta.

Mucocele

A mucocele pode se apresentar na forma de uma bolha no lábio, assim como na língua, no interior das bochechas, no céu da boca ou até mesmo em nossa garganta

Outra característica desse cisto mucoso é o preenchimento de seu interior com saliva. Assim, é comum que o paciente acometido se queixe de bolhas de água na boca.

Essa particularidade acontece por causa da forte ligação da anomalia com as nossas glândulas salivares. A doença, inclusiva, pode ocasionar a inflamação dessas estruturas.

Com isso, avaliação de um dentista é de extrema importância para esses casos, uma vez que os sintomas do aparecimento de um cisto mucoso são comuns a outras doenças mais perigosas.

Eles podem facilmente ser confundidos com um câncer na boca, que piora com o passar do tempo. Portanto, devem ser identificados e tratados o quanto antes.

Normalmente um cisto mucoso regride alguns dias após o seu aparecimento.

Porém, em casos mais graves, onde a lesão demora para desaparecer ou apresenta um tamanho maior, pode ser necessária uma intervenção cirúrgica ou outro tipo de tratamento específico.

O ideal é que você converse com o seu dentista ou profissional encarregado e decida a melhor maneira de sanar o problema, evitando maiores complicações.

Outras Causas Possíveis

Além dos fatores citados, bolhas no fundo da garganta ainda pode ter outras causas possíveis. Assim, outras questões que podem estar associadas ao problema são:

  • Deficiência de vitamina B;
  • Deficiência de ácido fólico;
  • Deficiência de ferro;
  • Complicações emocionais;
  • Mudanças hormonais;
  • Doenças como o HIV;
  • Problemas no estômago.
  • Efeitos colaterais de tratamentos contra o câncer;
  • Ocorrência de câncer na orofaringe;
  • Inflamação de vasos sanguíneos, conhecida como Doença de Behçet;
  • Doença viral que recebe o nome de herpangina;
  • Refluxo gastroesofágico;
  • Ação de vírus como o herpes simplex;
  • HIV;
  • HPV;
  • Uso excessivo de medicamentos;
  • Abuso de bebidas alcoólicas.

Como Tratar Bolhas na Garganta?

tratamentos para incômodos na região

Os tratamentos variam de acordo com a causa do problema. Portanto, consulte um especialista para que ele indique o tratamento mais apropriado para você.

Normalmente, são prescritos medicamentos analgésicos e anti-inflamatórios, pois diminuem a dor e impedem o processo infeccioso.

Alterar a alimentação também é bastante importante. Então, não consuma alimentos muito picantes, ácidos ou que estejam excessivamente quentes. Isso agravaria as bolhas na garganta, prejudicando o recurso terapêutico.

Entretanto, para que você fique por dentro do assunto, separamos os principais tipos de tratamento de acordo com a causa do problema. Acompanhe!

Principais Formas de Tratamento

Quando as bolhas na língua perto da garganta são decorrentes do tratamento para algum tipo de câncer, o ideal é que você mantenha a boca e a garganta sempre bem hidratadas.

Já quando elas ocorrem devido à própria ação do câncer, o ideal é consultar um profissional especializado assim que surgirem os primeiros sintomas.

Comumente, o tratamento é realizado a partir da remoção do tumor e, em seguida são realizadas diversas sessões de quimio e radioterapia.  Mais uma vez vale destacar a importância de se manter hidratado durante esse período.

Também é recomendado buscar orientação médica quando o problema é desencadeado por alguma infecção oral. Somente um profissional pode identificar o microrganismo causador do problema.

Geralmente o tratamento é realizado por meio de antifúngicos, antivirais ou até mesmo antibióticos. Fora isso, é sempre muito importante realizar a correta higiene de sua cavidade oral.

Quando as bolhas são causadas por uma estomatite aftosa, é comum que o tratamento se de através de pomadas e suspensão do consumo de alimentos ácidos. Entretanto, como já dissemos, é comum que o problema suma sozinho em um período de 12 a 15 dias.

Já a mucocele pode desaparecer sozinha ou até mesmo precisar de um procedimento cirúrgico para ser removida. Enquanto isso, a herpangina precisa ser avaliada por um pediatra de confiança, que irá indicar o melhor tratamento.

Por fim e não menos importante, devemos citar a doença de Behçet. Ela é bastante rara e até agora não foi descoberta uma cura para o problema.

Assim, a alternativa é a utilização de alguns medicamentos para aliviar os seus sintomas.

Nunca se Automedique!

Apesar das bolhas na garganta muitas vezes parecerem um problema simples e de fácil resolução, o ideal é que você sempre espera o diagnóstico de um especialista para se medicar.

A automedicação é a utilização de medicamentos por conta própria ou por indicação de pessoas não habilitadas. O objetivo é tentar curar anomalias sem que exista uma avaliação prévia do profissional da saúde, seja ele um médico ou dentista.

Muitos possuem uma espécie de farmácia particular em casa, com diversos remédios sem tarja que são usados para lidar com os contratempos do dia a dia. Mas a automedicação se torna um problema quando vira rotina.

Consequências da Automedicação

Aqui iremos falar sobre alguns perigos da automedicação. O consumo de medicamentos sem prescrição profissional pode angariar diversos problemas, mas talvez o principal deles seja a intoxicação.

Analgésicos, antitérmicos e anti-inflamatórios estão entre os principais responsáveis pelo surgimento desse quadro.

Muitas pessoas ainda deixam de ler a bula, ingerindo os remédios sem ao menos saber do que são compostos. Assim, algumas substâncias podem causar alergias no usuário.

Em alguns casos, essas reações alérgicas são bastante agressivas, causando até mesmo a morte.

Além disso, o consumo de medicamentos sem prescrição pode trazer uma falsa sensação de melhora do sintoma ao indivíduo, apenas mascarando a doença e ocasionando um agravamento do caso.

Com isso, o diagnóstico realizado pelos profissionais da área é dificultado e, consequentemente fica mais difícil resolver o problema do paciente.

O uso abusivo de determinada substância faz com que haja aumento de resistência dos micro-organismos, o que tende a comprometer a eficácia do tratamento.

Por fim, e não menos importante, iremos falar sobre a mistura de certas medicações.  Esse também é um gravíssimo problema. Alguns remédios podem anular o efeito de outros, porém muitas pessoas não sabem disso.

Assim, ao realizar certas combinações inadequadas, as substâncias podem não proporcionar o efeito desejado, o que deixa os problemas cada vez maiores.

Os Perigos da Bolha na Garganta

Bolhas na garganta podem ser causadas por infecções orais

Caso o paciente negligencie o tratamento para bolhas na garganta, ele pode enfrentar uma série de complicações.

Isso porque esse tipo de lesão pode proporcionar muita dor, dificultando processos comuns de nosso dia a dia, como se alimentar ou beber algum líquido.

Em casos mais extremos, inclusive, a dor de garganta pode acarretar até mesmo em problemas respiratórios. Ainda, caso estas bolhas estourem, podem proporcionar feridas mais graves.

E, por se tratar de nossa boca, uma região recheada de microrganismos de todos os tipos, o paciente sofre risco de encarar uma infecção. O que certamente traria maiores complicações ao caso.

Por fim e não menos importante, é necessário frisar que em muitos casos a garganta inflamada pode indicar outras doenças mais graves, como é o caso do câncer na orofaringe.

Assim, não tratar o problema poderia resultar em diversas complicações e, inclusive, a morte. Portanto, nunca deixe de consultar um profissional e buscar o melhor tratamento. Afinal, saúde não é brincadeira.

Outras Doenças com Manifestações Orais

outras doenças com manifestações orais

Assim como vimos no caso do câncer, agora está na hora de destacarmos outras doenças que podem se manifestar através de nossa saúde oral.

Nesse caso, não estamos falando de doenças especificamente orais, e sim daquelas podem afetar diversas partes diferentes de nosso organismo, mas apresentam manifestações bucais.

Outras anomalias, como cáries, gengivites e periodontites podem ser prevenidas pela higiene oral e tratadas no dentista. Mas as que falaremos agora necessitam do tratamento de outros profissionais.

Portanto, leia atentamente e se notar qualquer dos sintomas citados a seguir consulte um profissional da saúde de confiança para receber um diagnóstico preciso.

Sífilis

Os primeiros sinais dessa infecção bacteriana são feridas que nascem na gengiva e demoram para cicatrizar. Além disso, também causam úlceras e placas vermelhas na região.

Assim, para tratar a anomalia, os especialistas recomendam principalmente o uso de antibióticos.

Leucemia

Esse tipo de câncer no sangue se inicia na medula óssea.

Ele é caracterizado por manifestar-se na boca por meio de inchaço na gengiva e sangramentos espontâneos sem nenhuma razão visível como uma gengivite ou periodontite, por exemplo.

Anemia

Anemia é a deficiência de hemoglobina no sangue, e geralmente, é causada pela ausência de ferro. Seu sintoma na boca é deixar a língua mais lisa, como se fosse um pneu careca.

Nossa língua saudável deve apresentar uma textura mais áspera e brilhante.

Além disso, pode ser que a gengiva do paciente fique com uma tonalidade clara, quase branca. Entretanto, este sintoma só ocorre em ocasiões bastante específicas.

Bulimia

A bulimia é um distúrbio psicológico que faz uma pessoa ter compulsão alimentar, e em seguida, procurar expelir toda a comida que ingeriu. Para conseguir isso, ela procura fazer uso de laxantes ou forçar o vômito.

Devido ao hábito de vomitar frequentemente, que vem acompanhado de muita acidez, é comum aparecer diversas feridas na boca e ocorrer uma desmineralização do esmalte do dente.

Doenças Autoimunes

No lúpus, por exemplo, as lesões orais iniciam-se primeiro como petéquias (pequenos pontinhos vermelhos). Depois, passam a ser úlceras mais graves.

Com o pênfigo vulgar, há a formação de uma bolha que se estoura e deixa uma ferida bem sensível. A cicatrização das duas é muito difícil por serem doenças autoimunes.

Ou seja, o próprio sistema imunológico ataca as células saudáveis.

Diabetes

Por conta da cetose, pessoas que possuem diabetes normalmente tem tendências a ter mau hálito. A hiperglicemia também pode causar xerostomia, que é o quadro de boca seca e muita sede, e a capacidade de sentir sabores.

Uma vez com a boca muito seca, o indivíduo tende a desenvolver doenças orais com maior facilidade, uma vez que a saliva é um elemento fundamental para a manutenção da saúde e do pH oral.

Além disso, os diabéticos têm uma disposição maior a desenvolver periodontite, gengivite, cáries, candidíase oral e eritemas.

Cirrose hepática

Para quem sofre de cirrose hepática, aquela lesão gerada no fígado por causa da ingestão de bebidas alcoólicas, gorduras ou algum tipo de vírus, a gengiva pode sofrer alteração em sua coloração, ficando mais amarelada.

HIV

Doenças causadas pelo vírus HIV aparecem por meio de linhas verticais brancas na lateral da língua, aftas grandes e gengiva inflamada.

O indivíduo com essa doença se encontra com baixa imunidade, sendo mais propenso a desenvolver qualquer tipo de disfunção.

Agora você já sabe tudo sobre o que bolhas na garganta pode indicar e quais doenças graves podem ter manifestação oral. Como sempre gostamos de ressaltar, caso identifique algum dos sintomas citados neste artigo, procure um profissional da saúde qualificado para obter o melhor diagnóstico e tratamento.

Silmara Alves Rozo Ducatti

Silmara Alves Rozo Ducatti

Cirurgiã-dentista graduada pela Universidade do Oeste Paulista (UNOESTE) e especialista em Ortodontia pelo Sindicato dos Odontologistas de Mato Grosso do Sul (SIOMS).

Compartilhe sua opinião

Sobre a Simpatio

Somos dedicados em criar conteúdo de qualidade e informativo. Nossa missão é informar pacientes, dentistas e clínicas provendo conteúdos altamente relevantes sobre odontologia e saúde bucal gratuitamente.

Agende uma consulta

Precisando de algum tipo de ajuda ou apoio relacionado a sua saúde ou estética bucal? Clique no botão abaixo!

Postagens Recentes

Receba Nossos Conteúdos

Preencha seu e-mail acima e receba conteúdos exclusivos gratuitamente!