Politetrafluoretileno tem papel importante na odontologia

Share on facebook
Compartilhe
Share on twitter
Tweet Isso
Share on linkedin
Compartilhe

Entenda como o produto é aplicado no meio odontológico

No final dos anos 30, o americano Roy J. Plunkett desenvolveu o politetrafluoretileno (PTFE). Esse nome pode ser um pouco estranho para você e provavelmente você o conhece como teflon.

Sim! O politetrafluoretileno é importante por sua propriedade antiaderente que encontramos nas panelas e outros equipamentos de casa. Mas antigamente, o material era utilizado em larga escala na indústria bélica.

Politetrafluoretileno é um polímero fluorado que possui características como alta estabilidade térmica, baixo coeficiente de atrito, inércia química e inibição de chamas e fogo.

Neste artigo, vamos contar um pouco mais sobre a história do politetrafluoretileno e sua relação com a Odonto!

História do Politetrafluoretileno

Durante a Segunda Guerra Mundial, designers procuravam um material que fosse resistente aos componentes corrosivos das bombas.

Após uma série de pesquisas, chegaram à conclusão que a utilização do politetrafluoretileno seria a melhor opção para essa função.

Somente em 1954, dois engenheiros franceses descobriram que panelas revestidas desse material faziam com que a comida não grudasse nelas, facilitando processos culinários.

Atualmente, o PTFE possui inúmeras aplicações, como por exemplo na odontologia, na área de regeneração óssea e tecidual e na medicina em forma de próteses.

Além disso, ele pode ser utilizado na fabricação de eletrodos e para a impermeabilização de tecidos.

Aplicação do Politetrafluoretileno na Odontologia

A principal aplicação do material no meio odontológico ocorre na utilização da fita de politetrafluoretileno em procedimentos de restauração dentárias.

O uso desta fita em restaurações de dentes anteriores tem como objetivo a visualização do campo operatório ao mesmo tempo em que se garante proteção ao dente adjacente.

É utilizado em procedimentos de condicionamento ácido e aplicação de adesivo, proporcionando um íntimo contato proximal.

Além disso, por não ter memória estrutural, o politetrafluoretileno na odontologia não distorce o trabalho e permite uma maior visibilidade do profissional, garantindo a integridade da restauração.

Geralmente, após o término das restaurações, o dente apresenta uma aparência extremamente natural. Satisfazendo, assim, as expectativas funcionais e estéticas do paciente.

Vantagens da Fita de Politetrafluoretileno

Utilizar a fita de PTFE em procedimentos odontológicos pode trazer uma série de vantagens, tais como:

  • Evitar contaminações adjacentes ao preparo e proporciona um trabalho limpo;
  • Economizar de tempo para realizar o procedimento clínico;
  • Facilidade de colocação;
  • Material atóxico.

Além disso, o produto é extremamente duradouro. Um rolo de fita de politetrafluoretileno pode ser utilizado no isolamento de mais de 200 dentes.

Como Utilizar a Fita de Politetrafluoretileno?

Agora você irá entender como a fita de PTFE é utilizada na odontologia. Para isso, elaboramos um passo a passo com algumas instruções:

  1. Cortar um segmento de fita de acordo com a necessidade;
  2. Introduzir a fita na área interproximal, puxar as extremidades por lingual e vestibular e pressioná-las suavemente contra o dente adjacente;
  3. Remover a fita após a realização do procedimento.

Contraindicações

Como já dissemos, o politetrafluoretileno é um produto atóxico, sendo esta uma de suas grandes vantagens que favorecem a sua utilização na odontologia.

Assim, podemos dizer que quase não existem contraindicações ao uso do produto. Ele apenas não é indicado quando o paciente possui alergia a algum componente do produto.

Portanto, além de ser um produto extremamente útil e eficaz, o politetrafluoretileno possui um enorme alcance, podendo ser utilizado por quase todas as pessoas.

Ramiro Murad

Ramiro Murad

Cirurgião-dentista graduado em Odontologia pela UNIC. Gestor de clínicas odontológicas e franquias. Residente em Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial Facial no Sindicato dos Odontologistas de São Paulo (SOESP - SP). Habilitação em Harmonização Orofacial e integrante da equipe Bucomaxilofacial Dr. Carlos Eduardo Xavier na Clínica da Villa, em São Paulo. CRO - 118151

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sobre a Simpatio

Somos dedicados em criar conteúdo de qualidade e informativo. Nossa missão é informar pacientes, dentistas e clínicas provendo conteúdos altamente relevantes sobre odontologia e saúde bucal gratuitamente.

Agende uma consulta

Precisando de algum tipo de ajuda ou apoio relacionado a sua saúde ou estética bucal? Clique no botão abaixo!

Postagens Recentes

Receba Nossos Conteúdos

Preencha seu e-mail acima e receba conteúdos exclusivos gratuitamente!

© All rights reserved

Simpatio 2020

As informações contidas neste site têm como objetivo único informar. A Simpatio tem o compromisso de estimular, e nunca substituir, as relações entre dentistas e pacientes. Sempre deixamos isso muito claro nos textos e na comunicação com nossos leitores. É fundamental que o paciente, ao notar qualquer alteração em sua saúde bucal, consulte seu dentista de confiança. Cada indivíduo requer um tratamento personalizado.

Os conteúdos da Simpatio são escritos por jornalistas e possuem a supervisão e a aprovação de dentistas e de profissionais de saúde parceiros.