Osteomielite crônica multifocal recorrente – Qual é a forma de tratar?

Share on facebook
Compartilhe
Share on twitter
Tweet Isso
Share on linkedin
Compartilhe

Você sabia que a proliferação de infecções bucais podem vir a causar uma osteomielite crônica multifocal recorrente?

E por se tratar de uma doença, a osteomielite crônica multifocal recorrente é algo que merece atenção e cuidados especiais.

Osteomielite crônica multifocal recorrente é uma doença inflamatória que ataca os ossos e articulações.

Entretanto, a presença da doença é mais comum em crianças e lesa principalmente ossos longos e clavículas.

Os ossos que são menos afetados, por sua vez, são coluna e pelve.

Entretanto, normalmente esse tipo de problema aparece como uma consequência após uma osteomielite aguda ou então uma reação inflamatória de longa duração mas baixa força.

Sendo assim, a osteomielite crônica aparece quando o tecido acaba gerando uma granulação.

Consequentemente, esse tecido granuloso se torna uma cicatriz espessa após uma tentativa de circunscrever o local infectado.

Que tal falarmos mais sobre o problema e poder tirar eventuais dúvidas? Confira aqui conosco.

Como a osteomielite crônica multifocal recorrente se manifesta?

A manifestação da doença, seja ela uma osteomielite crônica multifocal recorrente de mandíbula ou na clavícula, se dá por meio de manifestações parecidas à osteomielite aguda.

Além disso, os sintomas e sinais clínicos desse tipo de doença também podem não ser específicos, dificultando e até adiando o diagnóstico.

Contudo, para não existir confusão entre qual é o tipo da doença, caso aparente, veja abaixo as maneiras como ela pode se manifestar:

Mas existem também outros sintomas que a doença pode causar na região em que está instalada como:

  • Dor crônica no osso;
  • Inchaço;
  • Vermelhidão;
  • Dificuldade de movimentação.

Entretanto, todos esses sintomas não serão fortes ou graves, possuindo então uma dor variável, a possibilidade de acúmulo de tecido subcutâneo e também a drenagem com formação de fístula.

Mas caso esses sinais sejam intensos e graves, é indicada a ida ao dentista o mais rápido possível para que, após falar os sintomas, ele faça um diagnóstico pois provavelmente será uma osteomielite aguda.

Dá para diagnosticar essa doença?

Existe sim uma maneira de chegar ao diagnóstico sobre a doença para poder então seguir para um tratamento.

Contudo, o reconhecimento depende diretamente da área na qual a patologia afeta o corpo.

Sendo assim, existe mais de um local onde ela pode afetar o paciente e cada localidade possui suas especificidades próprias.

Dentre todas, entretanto, a mandíbula é o local mais comum de apresentar essa doença.

De tal maneira, para conseguir identificar a doença é preciso fazer uma radiografia. Entretanto, existem três maneiras de fazer esse raio X:

Todas são capazes para que o dentista possa analisar a situação da boca.

Entretanto, ainda pode ser feita uma biópsia ou um exame histopatológico para retirar eventuais dúvidas quanto ao resultado do raio X.

Existe um tratamento para o problema?

O tratamento para osteomielite crônica multifocal recorrente é feito conforme o quadro de cada paciente especificamente.

Mas nesse artigo a nossa concentração será no tratamento do local mais comum do problema, que é a mandíbula.

De tal maneira, a forma de corrigir o problema quando está instalado nessa região é por meio de uma cirurgia.

Mas antes de feita uma cirurgia, é aconselhado que seja feito um tratamento com indometacina para melhorar os sintomas e também as lesões.

A cirurgia será feita após a imobilização com um gesso e um anti-inflamatório não esteroides, conhecido como AINEs.

O objetivo da cirurgia é retirar um pedaço do osso da mandíbula onde se encontra a inflamação, para que a infecção desapareça.

Sendo assim, o tratamento da osteomielite crônica multifocal recorrente é algo delicado que precisa do acompanhamento de um profissional da área.

Ramiro Murad
Ramiro Murad
Ramiro Murad Saad Neto, cirurgião-dentista com registro no Conselho Regional de Odontologia de São Paulo (CRO-SP) nº 118151, é graduado pela UNIC e residente em Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial Facial no Sindicato dos Odontologistas de São Paulo (SOESP - SP). Possui habilitação em Harmonização Orofacial e também é gestor de clínicas e franquias odontológicas. Além disso, é integrante da equipe Bucomaxilofacial da Clínica da Villa, que está na Rua Eça de Queiroz, 467 - Vila Mariana, São Paulo - SP.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sobre a Simpatio
Somos dedicados em criar conteúdo de qualidade e informativo. Nossa missão é informar pacientes, dentistas e clínicas provendo conteúdos altamente relevantes sobre odontologia e saúde bucal gratuitamente.
Agende uma consulta
Precisando de algum tipo de ajuda ou apoio relacionado a sua saúde ou estética bucal? Clique no botão abaixo!

Postagens Recentes

Receba Nossos Conteúdos

Preencha seu e-mail acima e receba conteúdos exclusivos gratuitamente!

Simpatio 2021 © - Todos os Direitos Reservados

As informações contidas neste site têm como objetivo único informar. A Simpatio tem o compromisso de estimular, e nunca substituir, as relações entre dentistas e pacientes. Sempre deixamos isso muito claro nos textos e na comunicação com nossos leitores. É fundamental que o paciente, ao notar qualquer alteração em sua saúde bucal, consulte seu dentista de confiança. Cada indivíduo requer um tratamento personalizado.

Os conteúdos da Simpatio são escritos por jornalistas e possuem a supervisão e a aprovação de dentistas e de profissionais de saúde parceiros.