Importância da Odontopediatria para as crianças

Share on facebook
Compartilhe
Share on twitter
Tweet Isso
Share on linkedin
Compartilhe

Entenda a relevância da odontopediatria para a saúde bucal nos primeiros anos de vida e quais os procedimentos mais comuns

O cuidado com a saúde bucal nos primeiros anos de vida é essencial para prevenir complicações como as manchas vermelhas no palato. Desse modo, as idas regulares ao dentista devem ser incentivadas pelos pais desde o início da infância. E, para dar maior atenção aos pequenos, existe a área da Odontopediatria.

Sabemos que devido às experiências negativas que tiveram quando jovens, muitas pessoas têm medo de enfrentar a cadeira do dentista na fase adulta. Por essa razão, o trabalho do profissional especializado em odontopediatria é tão importante.

Odontopediatria é uma especialização da odontologia que cuida da saúde bucal de crianças, desde o nascimento até a adolescência. Os odontopediatras são responsáveis pela higiene não só das crianças que já tem dentinhos, mas também dos bebês e das gestantes.

Dica importante: mamães devem procurar esses profissionais ainda durante a gravidez para se informar sobre os cuidados que devem ter a partir do nascimento.

É recomendado pela Academia Americana de Odontopediatria (AAPD) e pela Academia Americana de Pediatria (AAP) que uma visita ao dentista deve ocorrer dentro de seis meses do primeiro aniversário da criança.

É importante estabelecer um relacionamento abrangente e acessível entre o dentista e o paciente. Por isso, os pais também devem conversar com o odontopediatra sobre qualquer experiência ruim que a criança tenha tido.

Dessa forma, o profissional saberá ajudar com esse medo, fazendo com que o tratamento para crianças seja da melhor maneira possível.

É ideal que o ambiente de consulta ou o consultório seja atrativo, ajudando a criança a se sentir confiante e descontraída.

  1. Quando a Criança Deve Começar a Ir ao Consultório do Odontopediatria?
  2. Por Que a Escolha de Um Odontopediatra e Não o Dentista da Família?
  3. Qual a Finalidade da Visita ao Odontopediatra Tão Cedo?
  4. Principais Problemas Manifestados nas Crianças
  5. Odontopediatria e Gravidez
  6. Odontopediatria e Cuidados Bucais

Quando a Criança Deve Começar a Ir ao Consultório do Odontopediatria?

Assim que a criança nascer, os pais já podem levá-la para a consulta com o Odontopediatra. Isso porque ele vai passar recomendações sobre os cuidados bucais da faixa etária do seu pequeno.

Importante: muitas mulheres gestantes já marcam consultas com os profissionais da odontopediatria.

Mas isso é necessário? A resposta é sim! Todos os cuidados durante a gestação influenciam nas características dos futuros dentinhos dos pequenos.

Dessa forma, é importante visitar desde cedo o profissional com a especialidade odontopediatrica. No entanto, pode ficar tranquilo, porque mais para frente vamos retomar esse assunto.

Agora, a odontopediatria atende até que idade?

Bom, a resposta é: a maioria dos pacientes infantis se consultam com os odontopediatras até todos os dentes de leite caírem e os dentes permanentes começarem a se completar.

Por isso, a idade mais próxima desse cenário é de 12 anos. No entanto, há profissionais e pacientes que defendem a ida ao Odontopediatra até os 18 anos de idade.

Por Que a Escolha de um Odontopediatra e Não o Dentista da Família?

Educação para saúde bucal é incentivada por odontopediatra

O odontopediatra é o profissional preparado para cuidar de crianças desde cedo, com conhecimento técnico e abordagem psicológica adequada ao atendimento de bebês, crianças e adolescentes.

Por isso, escolher um profissional dessa área ao invés do dentista da família é benéfico para a criança.

No entanto, é bom lembrar que o dentista da família pode trabalhar junto com o dentista da criança em algum caso que precise de uma equipe multidisciplinar.

Curiosidade: além das distintas formas de atendimento e domínio de técnicas diferentes, os dois tipos de profissionais ainda ganham salários distintos dentro de cada ramo da odontologia.

Enquanto o salário de um odontopediatra é, em média, R$4.181,36 (25 horas semanais), o salário de um dentista da família é de cerca de R$5.165,45 (37 horas semanais)

Qual a Finalidade da Visita ao Odontopediatra Tão Cedo?

Importância da odontopediatria para os pequenos

Com as visitas frequentes, é possível o estabelecimento de um vínculo de confiança entre a família, o dentista e a criança. Assim, essa relação é primordial para o sucesso das ações odontológicas preventivas.

Afinal, as visitas são importantes para educar e promover a saúde oral dos pequenos.

Com o a consulta com o odontopediatra desde o primeiro ano de vida, o profissional participará intimamente da erupção dos dentes e do crescimento e desenvolvimento das arcadas, e poderá prevenir:

  • Erosão dental: desgaste acentuado do dente;
  • Cárie dental;
  • Doença periodontal;
  • Oclusopatias: alteração no encaixe dos dentes e/ou arcadas; e
  • Traumatismos orais.

Procedimentos Comuns na Odontopediatria

Os profissionais da odontopediatria são responsáveis pelos seguintes procedimentos odontológicos:

  • Aplicação de flúor;
  • Aplicação de selantes;
  • Ortodontia; e
  • Educação para saúde bucal.

Importância da Aplicação do Flúor na Odontopediatria

A higiene bucal deve ser iniciada quando o primeiro dente aparecer na boca do bebê.

Dessa forma, ela deve ser feita com escovas específicas e com pasta de dente que contenha flúor na concentração de no mínimo 1000ppmF. Concentrações menores do que esta não são eficazes na prevenção de cárie.

Esta recomendação é segura em termos de toxicidade. Há a necessidade de ser realizada sob supervisão e em pequenas quantidades como uma fina camada de pasta sobre a escova.

Os pais podem tomar como referência um grão de arroz cru para crianças menores de 3 anos de idade. Acima desta idade ou para crianças que já saibam cuspir, a quantidade de pasta é similar a um grão de ervilha.

Portanto, o uso de outras formas de flúor para a prevenção de cárie deve ser realizado segundo a orientação do profissional especializado em odontopediatria.

O profissional irá optar e orientar o melhor método e realizar sua aplicação quando necessário.

A orientação e o cuidado com a aplicação do flúor são essenciais. Isso porque o profissional toma a atenção necessária e evita a fluorose dentária.

Principais Problemas Manifestados nas Crianças

Assistência dental pediátrica é necessária nos tratamentos orais

Durante a infância todo o nosso organismo está sendo formado e desenvolvido. E, isso inclui os dentinhos das crianças. No entanto, é comum as crianças apresentarem quadros de alterações bucais.

Isso por conta da falta de atenção durante os cuidados de higiene bucal e por causa dos traumas dentários, consequências de brincadeiras.

Mas, para você conhecer mais sobre os principais problemas bucais infantis, fizemos uma lista. Vamos conferir!

Erosão Dental

A erosão dentária é equivalente ao desgaste acentuado do dente.

Isso quer dizer que a erosão representa uma forma de deterioração do dente. As estruturas dentárias mais importantes, como o esmalte dos dentes, são desgastadas e comprometidas.

Os sintomas mais frequentes da erosão são:

  • Sensibilidade nos dentes;
  • Dentes com a coloração amarelada;
  • Dentes com formato mais arredondado;
  • Borda dos dentes com aspecto transparente; e
  • Lesões na região oclusal.

Para o tratamento da deterioração dos dentes, os profissionais desta especialidade odontológica fazem o planejamento da restauração do dente.

Desse modo, é possível corrigir a superfície dentária que foi comprometida e desgastada.

Além disso, quando o dentista percebe um nível mais grave de erosão dentária, ele pode sugerir a reabilitação oral. Com isso, o profissional recupera a estética e funcionalidade dos dentes a partir da colocação de implantes.

Ainda, se a estrutura do dente estiver totalmente comprometida, o profissional da odontopediatria responsável pelo tratamento pode precisar planejar e realizar a exodontia do dente.

Após este procedimento cirúrgico, o profissional coloca uma prótese para, assim como os implantes, recuperar a funcionalidade e estética do dente comprometido.

Cárie Dental

Há diversos tipos de cárie dentária. No entanto, na fase infantil e adolescente as mais comuns são cárie de mamadeira e cárie infantil. Vamos conhecer um pouco mais sobre as duas!

Cárie de Mamadeira

A cárie de mamadeira, também conhecida como cárie de bebê, é uma doença bucal que atinge, na maioria dos casos, os bebês.

A manifestação desse tipo de cárie está associada à ingestão de líquidos açucarados na mamadeira durante o período noturno ou antes da hora de dormir.

Ela aparece por causa do leite estagnado na boca. Mas como isso é possível? Bom, a resposta é simples: o leite fica estagnado graças a higienização bucal inadequada.

Dessa forma, o leite que permaneceu na boca começa a impulsionar a concentração de açúcares na boca.

Importante: no período noturno, durante o sono, é normal a criança não produzir muita saliva. Com todos esses fatores, as bactérias que formam a cárie conseguem se proliferar nos dentes dos bebês.

Cárie Infantil

Enquanto isso, a cárie infantil, bem como a cárie nos adultos, é formada por bactérias e restos de alimentos concentrados na cavidade bucal. Os dois têm a capacidade de formarem ácidos.

Consequentemente, esses ácidos corroem o esmalte dos dentes. Os principais alimentos ricos em glicose responsáveis por esse tipo de cárie são:

  • Doces; e
  • Refrigerantes.

Normalmente, as crianças sentem dor ou desconforto quando a cárie está se desenvolvendo. Outros sintomas são:

  • Manifestação de uma manchinha branca ou um ponto branco no dente. Estas duas manifestações são sinais de que o dente está fraco e precisa de tratamento. Caso a cárie seja descoberta ainda nessa fase, a criança, muito provavelmente, não chegará a sentir dor ou desconforto;
  • Buracos nos dentes. Caso a cárie seja identificada nesse ponto, o odontopediatra deve ser procurado com urgência;
  • Perda de apetite. Isso acontece por causa da dor ou desconforto que sentem ao comer;
  • Mudanças de comportamento ou reações de dor durante o sono. Elas podem ser causadas pelo desconforto consequente da cárie; e
  • A febre também pode ocorrer em casos mais avançados e agressivos.

No entanto, fique atento: nem todas as crianças apresentam todos esses sintomas. Cada caso clínico é caso. Por isso, é normal apresentar apenas alguns dos sintomas que acabamos de apresentar.

Exatamente por esse cuidado com os sintomas, é preciso que os pais fiquem atentos a qualquer sinal da manifestação da cárie na infância.

Uma dica é observar possíveis sintomas durante a escovação do dente de leite. Assim que notar os sintomas, procure pelo profissional da odontopediatria.

Doença Periodontal

A doença periodontal é uma alteração que atinge a gengiva até o osso alveolar. Além disso, ela e pode ser dividida em três fases, que são: a gengivite, a periodontite e a periodontite avançada.

Os estágios vão do mais leve até o mais agressivo.

As doenças periodontais são causadas pelas bactérias que se concentram, se acumulam e desenvolvem na cavidade bucal. Isso por conta da falta de higienização adequada. Os sintomas mais frequentes da alteração costumam ser:

  • Gengiva inchada;
  • Vermelhidão intensa das gengivas;
  • Sangramento ao escovar os dentes ou passar o fio dental;
  • Dor e sangramento da gengiva ao mastigar;
  • Os dentes parecem mais longos, porque a gengiva fica retraída;
  • Mau hálito e gosto ruim na boca;
  • Nos casos mais graves pode haver sangramento espontâneo da gengiva.
  • Abscessos dentários;
  • Dentes moles; e
  • Queda de dentes.

Os tratamentos da odontopediatria variam de não-cirúrgicos até os cirúrgicos. No entanto, os mais realizados são aqueles sem necessidade cirúrgica. Eles são:

  • Limpeza profunda: remove a placa bacteriana causadora da alteração periodontal. Se a gengiva estiver sensível, é normal que esse procedimento seja doloroso; e
  • Raspagem e alisamento radicular: é realizado a raspagem da raiz do dente. Isso é para evitar o acúmulo de placa bacteriana causado pelas novas bactérias.

Má Alteração Dentária

A oclusão dentária é equivalente ao contato adequado entre a arcada superior e a arcada inferior. Normalmente, os dentes da arcada superior são maiores que os dentes da arcada inferior.

Desse modo, esse sistema garante o encaixe ideal. É com a oclusão dentária que há o funcionamento adequado das atividades da cavidade oral. As principais são:

  • Mastigação;
  • Fonética; e
  • Deglutição.

No entanto, quando há alteração no encaixe dos dentes ou das arcadas, os profissionais chamam esse sistema de má oclusão. Os tipos de má oclusão são divididos em:

  • Classe I:
  • Classe II; e
  • Classe III.

Dessa forma, por ocasionar problemas no encaixe dentário, algumas das consequências mais agressivas da má oclusão são:

  • Maior desgaste dos dentes;
  • Aumento no risco de doenças orais, como a cárie;
  • Dores no pescoço;
  • Alteração na aparência facial;
  • Dores no maxilar e na mandíbula;
  • Perda precoce de dentes definitivos;
  • Dificuldades de fala;
  • Dificuldades de respiração;
  • Limitação da abertura bucal;
  • Má postura;
  • Dores de cabeça; e
  • Problemas na coluna.

Como consequência, é preciso que os pacientes infantis com os dentes desalinhados passem por tratamentos para a correção da má oclusão dentária. Dessa forma, a assistência dental pediátrica é ideal.

Importante: o uso constante e inadequado da chupeta pode ocasionar o desencaixe dos dentes. Por isso, converse com o profissional da odontopediatria sobre o uso das chupetas

Traumatismos Orais

O trauma dentário é toda e qualquer batida agressiva que possa provocar as lesões na boca.

Essas lesões podem atingir e comprometer os dentes, os ossos de sustentação, a gengiva e todos os tecidos moles. Os tipos de traumas dividem-se em:

  • Fratura no esmalte
  • Fatura entre a coroa e a raiz;
  • Concussão;
  • Subluxação;
  • Luxação; e
  • Avulsão.

Caso o acidente envolva as crianças com dente de leite, é preciso redobrar os cuidados e a atenção. Isso porque o impacto pode trazer alterações e danos agressivos na parte interna da boca da criança.

Dessa forma, o desenvolvimento dos dentes de leite e dos dentes permanentes, que ainda estão para nascer, pode ser comprometido. Assim, as principais consequências dos dentes traumatizados são:

  • Alteração da cor;
  • Dor;
  • Sensibilidade;
  • Reabsorção óssea ou radicular;
  • Necrose pulpar; e
  • Perda do dente.

Importante: é preciso ficar atento durante as brincadeiras infantis. Isso porque a maioria dos casos de traumas dentários infantis ocorrem devido a quedas e batidas na boca.

Odontopediatria e Gravidez

Primeira consulta na odontopediatrai deve ser feita durante gestação

Nós já vimos que as mamães podem e devem começar a ir no odontopediatra.

Isso porque é durante esse período de consulta que elas irão garantir as primeiras orientações do profissional sobre os principais cuidados bucais do bebê.

Além disso, elas vão aprender sobre os problemas de saúde durante a gestação que podem ocasionar à futura formação de defeitos nos dentes do bebê.

Dessa forma, elas vão entender que a própria saúde bucal está diretamente relacionada com a segurança da saúde bucal do seu bebê.

Por isso, o profissional deve deixar clara a importância de a mãe ir com frequência ao consultório, além de manter uma boa higiene bucal durante a gestação também.

Os hábitos alimentares nessa fase também devem suprir as necessidades do corpo tanto da mãe como o do bebê em formação.

Assim, é preciso escolher alimentos frescos, naturais e ricos em vitaminas, cálcio e fibras. Além disso, é preciso se manter hidratada! Por isso, beba bastante água.

Ainda na alimentação, a mamãe precisa fugir dos alimentos com muito açúcar, pelo menos durante o período de gestação. Por isso, evite doces e refrigerantes.

Quando o bebê nascer, é preciso levar o seu pequeno ao odontopediatra por volta dos 6 meses ou, no máximo, até 1 ano de idade.

Isso porque essa consulta, como já vimos, será o primeiro contato da criança com os cuidados bucais e será realizado o primeiro exame odontológico.

Odontopediatria e Cuidados Bucais

Odontopediatria e os cuidados bucais

Os dentes de leite são os 20 primeiros dentes a nascerem. Dessa forma, eles representam o primeiro conjunto dentário existente na nossa vida.

Esses dentes começam a aparecer por volta dos seis meses. E, é apenas aos 6 anos de idade que todos os dentinhos crescem e, então, finalmente começam a cair. O processo de erupção e caída vai até a fase da adolescente.

Os dentes decíduos, como também são chamados os dentes de leite, por caírem, são temporários.

Dessa forma, eles servem como marcadores de posições para o futuro conjunto dentário. Este é chamado de dentição permanente, que é a mais forte.

O crescimento e queda dos dentes acontece de forma espontânea e natural.

Com isso, é preciso manter a calma e ficar sempre em dia com as visitas ao odontopediatra para ver se o processo está ocorrendo de forma adequada.

O profissional pode usar o raio x panorâmico para acompanhar a dentição da criança.

Antes de conhecer as etapas mais importantes dos cuidados com a dentição do seu pequeno, vamos retomar informações importantes!

  • O que é a odontopediatria?
    É uma especialização da odontologia que cuida da saúde bucal das crianças, desde o nascimento até a adolescência.
  • Qual a importância dessa área odontológica?
    Os profissionais dessa área são responsáveis pela prevenção, diagnóstico e tratamento das questões relacionadas à saúde bucal infantil.
  • Quando é preciso levar a criança ao profissional?
    Antes do nascimento do bebê já é indicado que a futura mamãe visite o profissional. Além disso, quando o bebê nascer, os responsáveis precisam marcar a primeira consulta nos primeiros 6 meses de vida do pequeno.

Processo de Dentição

O início do processo do nascimentos dos dentes do bebê acontece com a erupção dos quatro incisivos superiores. Os dois incisivos superiores e inferiores erupcionam, na maioria dos casos, entre o 6º e 16º mês.

Eles são logo acompanhados pelo nascimento dos dois caninos no mês seguinte, e crescem até 22 meses.

Desse modo, os molares nascem entre os 13º e 33º mês. Há no total, oito molares para nascerem: quatro no canto superior e quatro no canto inferior.

Além disso, é a partir dos 6 anos de idade que os primeiros dentes começam a cair. No entanto, em alguns casos, as crianças podem apresentar dentes caídos já aos 5 anos de idade.

Importante: o processo do nascimento do dente varia de criança para criança. Por isso, não se preocupe e leve a criança até o consultório de odontopediatria caso tenha dúvidas.

Mas agora vamos falar sobre o processo de caída dos dentinhos.

Entre os 6 e 8 anos, os dentinhos incisivos são os primeiros a caírem. Além disso, é entre os 10 e os 12 anos que os caninos e molares também caem de forma natural e espontânea.

Os dentes decíduos caem de forma rápida, fácil e natural. Após o período de queda, os dentes permanentes já começar a crescer. É importante saber que são os dentes permanentes que empurram os dentes de leite para fora da boca.

Quando os dentinhos começam a cair, é normal que as crianças comecem a empurrar os dentes de leite com a língua. Mas, os profissionais da odontopediatria recomendam esperar que o dente caia completamente sozinho.

Problemas na Dentição

Durante a fase de desenvolvimento da dentição primária, algumas alterações podem se manifestar. Nós já vimos neste artigo sobre os principais problemas manifestados nas crianças.

Por isso, aqui vamos focar nos problemas de oclusão dentária.

A oclusão dentária é, como já vimos, o encaixe adequado da arcada superior com a inferior. No entanto, quando há alguma alteração nesse sistema, os profissionais indicam que há uma má oclusão.

Quando os dentes de leite já apresentam sinais de má oclusão, é preciso ficar atento! Isso porque a dentição decídua é responsável pelo futuro posicionamento da dentição permanente.

Dessa forma, quando há má oclusão dentária, as crianças podem apresentar problemas futuros como:

  • Desalinhamento dos dentes;
  • Problemas de mordida; e
  • Estética prejudicada.

Cuidados Com a Saúde Bucal do Bebê

Você sabia que antes mesmo dos primeiros dentes começarem a nascer, é preciso cuidar da higiene bucal do bebê?

Isso mesmo! É necessário que os responsáveis pelo pequeno mantenham a gengiva do bebê sempre limpinha. Para isso, é preciso realizar uma limpeza bucal com o uso de uma gaze úmida.

Os profissionais da odontopediatria indicam que essa limpeza deve ser realizada pelo menos uma vez ao dia.

Além disso, assim que o primeiro dentinho nascer, os responsáveis precisam limpar a boquinha do bebê com uma escova de cabo longo e cabeça pequena.

É ideal escolher escovas de cerdas extra-macias ou macias para a limpeza. Além disso, é preciso utilizar a pasta de dente em pequena quantidade. Toda a higienização deve ser feita pelo menos duas vezes ao dia.

Importante: pergunte ao profissional a respeito do uso de creme dental com flúor. Isso porque ele pode ser importante na prevenção de cárie.

Cuidados com os Dentinhos

Depois do começo do processo de dentição, os cuidados com a higiene bucal em crianças são importantes. Por isso, a partir do nascimento dos dentinhos é importante ensinar para os pequenos as seguintes recomendações:

  1. Escovar os dentes 30 minutos depois das refeições e antes de ir dormir. É ideal passar a escova com movimentos circulares ao redor dos dentinhos.
  2. Além disso, lembre-se de sempre escovar a língua também!
  3. O uso do fio dental pelo menos uma vez ao dia é recomendado pelos dentistas. Desse modo, não é preciso passar o fio de forma agressiva, mas sim limpar de forma suave em torno do dente e perto da gengiva.
  4. O dentista também pode passar algum enxaguante bucal sem álcool para completar a limpeza bucal diária.
  5. Na hora da alimentação é preciso consumir alimentos ricos em vitaminas e nutrientes.
  6. Também é ideal se manter hidratado. Desse modo, carregar uma bolsa de água na mochila é importante.

A última recomendação é marcar a consulta odontológica com o profissional da odontopediatria de 6 em 6 meses. Assim, a saúde bucal das crianças é garantida, assim como o sorriso bonito.

Ramiro Murad Saad Neto

Ramiro Murad Saad Neto

Cirurgião-dentista graduado em Odontologia pela UNIC. Gestor de clínicas odontológicas e franquias. Residente em Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial Facial no Sindicato dos Odontologistas de São Paulo (SOESP - SP). Habilitação em Harmonização Orofacial e integrante da equipe Bucomaxilofacial Dr. Carlos Eduardo Xavier na Clínica da Villa, em São Paulo. CRO - 118151

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sobre a Simpatio

Somos dedicados em criar conteúdo de qualidade e informativo. Nossa missão é informar pacientes, dentistas e clínicas provendo conteúdos altamente relevantes sobre odontologia e saúde bucal gratuitamente.

Agende uma consulta

Precisando de algum tipo de ajuda ou apoio relacionado a sua saúde ou estética bucal? Clique no botão abaixo!

Postagens Recentes

Receba Nossos Conteúdos

Preencha seu e-mail acima e receba conteúdos exclusivos gratuitamente!