Conheça a odontologia sistêmica e seus benefícios

Share on facebook
Compartilhe
Share on twitter
Tweet Isso
Share on linkedin
Compartilhe

Essa vertente da odontologia visa melhorar a qualidade de vida das pessoas

A odontologia tem evoluído bastante nos últimos anos. Assim, além de tratar a saúde bucal e a estética, a ciência começou a se preocupar com o bem estar do corpo no geral. Com isso, nasceu a odontologia sistêmica.

É isso mesmo que você leu. A nossa saúde bucal pode interferir em todo o organismo, e é isso que a odontologia sistêmica busca investigar.

A odontologia sistêmica estuda a relação entre a nossa boca e a saúde corporal, buscando obter uma abordagem mais ampla dessa questão, a fim de identificar problemas orgânicos gerados a partir de disfunções dentais.

Isso porque tudo o que ocorre na cavidade oral pode influenciar na saúde do organismo e em nosso comportamento físico, psicossocial e familiar

Além disso, nossa boca é a porta de entrada de diversos organismo, podendo acarretar em diversas doenças.

Qualquer corte ou lesão bucal interna pode auxiliar na propagação de bactérias e microorganismos para o corpo todo. Eles podem se propagar através da corrente sanguínea e chegar em diversos lugares de nosso organismo.

Também podemos acidentalmente engolir alguns tipos de bactérias, o que pode ser maléfico para nossa saúde.

Como funciona a odontologia sistêmica?

Para atingir essa visão mais ampliada, é fundamental que o profissional se especialize e entenda um pouco melhor sobre como esses problemas podem atingir o corpo.

Ele deve trabalhar métodos terapêuticos para amenizar os problemas e fazer com que seus pacientes tenham uma melhor qualidade de vida.

Essa vertente da odontologia possui como pilar na abordagem mais clássica e na holística.

Além dessa visão ampliada, o profissional também pode atuar utilizando recursos complementares, como procedimentos terapêuticos comumente adotados na medicina asiática.

Existem algumas possibilidades que podem ser adotadas durante o tratamento, como:

  • Fitoterapia;
  • Acupuntura;
  • Terapia floral;
  • Laserterapia;
  • Hipnose;
  • Homeopatia.

Além disso, é de fundamental importância realizar a higiene bucal corretamente. Você também deve consultar um profissional de confiança de 6 em 6 meses.

Ele pode realizar uma profilaxia, um processo que limpa os dentes, remove o acúmulo de bactérias e previne doenças bucais.

Exemplos clínicos da Odontologia Sistêmica

Doenças cardiovasculares

As doenças cardiovasculares se conectam à saúde bucal pois os germes e bactérias presentes na nossa boca se disseminam para o resto do corpo através da corrente sanguínea.

Quando essas bactérias chegam a região do coração, elas podem se prender a alguma área lesionada, causando uma inflamação. Consequentemente, isso pode acarretar no aparecimento de doenças cardíacas.

Nossa boca abriga milhões de bactérias, que em conjunto aos resíduos alimentícios formam a temida placa bacteriana. Caso não realizemos a higiene bucal corretamente, essa placa se transforma em tártaro.

É aí que o coração fica em perigo. O tártaro causa o aparecimento de cáries, gengivite e periodontite, que provocam feridas na boca.

Assim, o caminho das bactérias fica livre para corrente sanguínea, e consequentemente para o coração.

Ansiedade

Um indivíduo que sofre com ansiedade pode desenvolver o bruxismo, isso é, o costume de ranger os dentes, principalmente durante a noite. Isso é extremamente prejudicial e pode causar sérios desgastes ao órgão dental.

Assim, isso pode levar a complicações mais graves, como complicações gengivais, nos ossos e na ATM.

Diabetes

As doenças periodontais atrapalham o tratamento de diabetes e vice e versa. Pessoas com diabetes são mais suscetíveis a desenvolver doenças periodontais que as outras.

Além disso, alguns estudos indicam que essa relação caminha para os dois lados, sendo que uma doença periodontal torna mais difícil para pacientes com diabetes controlar os níveis de açúcar sanguíneo.

HPV

Grande parte dos casos de câncer no pescoço e na cabeça apresentaram HPV do tipo 16. Isso significa que a prevenção ao HPV oral diminui a ocorrência dessa doença, o que favorece o seu corpo de maneira geral.

Agora você sabe como a odontologia sistêmica relaciona sua boca com a saúde do corpo e qual é a importância dela.

Juliana Peres

Juliana Peres

Graduada em Odontologia pela Universidade Cidade de São Paulo. Pós-graduada em Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial pelo programa de residência profissional do Complexo Hospitalar Padre Bento de Guarulhos. Conhecimento na área de cirurgia oral menor e maior. Residente em cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial no Complexo Hospitalar Padre Bento durante 3 anos e responsável pelo atendimento de pacientes na área de clínico geral, cirurgias orais e harmonização orofacial em diferentes clínicas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sobre a Simpatio

Somos dedicados em criar conteúdo de qualidade e informativo. Nossa missão é informar pacientes, dentistas e clínicas provendo conteúdos altamente relevantes sobre odontologia e saúde bucal gratuitamente.

Agende uma consulta

Precisando de algum tipo de ajuda ou apoio relacionado a sua saúde ou estética bucal? Clique no botão abaixo!

Postagens Recentes

Receba Nossos Conteúdos

Preencha seu e-mail acima e receba conteúdos exclusivos gratuitamente!

© All rights reserved

Simpatio 2020

As informações contidas neste site têm como objetivo único informar. A Simpatio tem o compromisso de estimular, e nunca substituir, as relações entre dentistas e pacientes. Sempre deixamos isso muito claro nos textos e na comunicação com nossos leitores. É fundamental que o paciente, ao notar qualquer alteração em sua saúde bucal, consulte seu dentista de confiança. Cada indivíduo requer um tratamento personalizado.