Boca torta é normal no pós-operatório pelo uso da anestesia

Share on facebook
Compartilhe
Share on twitter
Tweet Isso
Share on linkedin
Compartilhe

Não existe uma única causa originária da boca torta, mas existem maneiras de cuidar e tratar o problema

Muito além da questão estética, quando é observada em uma assimetria facial, a boca torta pode ser um indício de outras doenças e condições de saúde.

Normalmente, a boca torta é um sintoma analisado em pessoas que sofreram recentemente um AVC, devido à paralisia facial. Entretanto, existem outras situações que tem como indício a boca torta.

Boca torta é quando os maxilares, lábios ou então os dentes se encontram fora do lugar onde naturalmente ficam.

Pode ser notado quando a pessoa sorri ou então quando ela fala. Existem situações em que a boca da pessoa já nasce torta, sem algum problema de gestação.

Mas também existem diversas situações que podem fazer com que ela entorte. Confira um pouco mais sobre o assunto neste artigo!

Quais São os Casos que Podem Levar à Boca Torta?

Além de uma má formação do feto durante a gestação, a boca do bebê pode acabar entortando após o nascimento pela força que o médico faz.

Mas ainda existem outras formas, confira abaixo:

  • Quando o maxilar é deslocado de alguma maneira e o médico não conseguiu colocar de volta no lugar.
  • Quando a pessoa possui o hábito de entortar a boca constantemente a boca pode se acostumar aquela posição.
  • AVC.
  • Paralisia de Bell.
  • Choque térmico.
  • Boca torta após anestesia.

Apesar de ser pouco recorrente, é possível que a boca fique torta após algum procedimento odontológico que precisa do uso de anestesia.

Por Que a Anestesia Pode Deixar a Boca Torta?

A anestesia é aplicada sobre um músculo, que fica dormente ou até paralisado, dificultando a sua movimentação.

Assim, o paciente pode ficar com a boca torta no pós-operatório quando foi utilizada uma anestesia local em apenas um lado da boca.

Em geral, a boca do paciente se normalizará quando o efeito passar e a não estiver mais dormente.

Apesar disso, é necessário tomar cuidado para não morder o local em que está anestesiado para não criar eventuais machucados.

Tem Como Prevenir a Paralisia de Bell? O Que Fazer?

Também conhecida como paralisia facial periférica, a paralisia de Bell é um transtorno que enfraquece e até paralisa os músculos de um lado do rosto.

Ela se aloja no rosto devido à uma reação inflamatória no nervo facial, que fica inchado e compactado em um canal ósseo apertado atrás da orelha.

De tal forma, o nervo não consegue mais disseminar impulsos nervosos aos músculos do rosto, o que os deixa incapazes, gerando também uma assimetria facial.

Entre as suas particularidades se encontram:

  • Boca torta e dormente.
  • Dificuldade em franzir a testa.
  • Dificuldade em erguer a sobrancelha.
  • Dificuldade para piscar e fechar os olhos.
  • Dificuldade sorrir.

Quais São as Causas da Paralisia de Bell? Existe uma Forma de Prevenção?

Não foi identificada uma única causa que leve uma pessoa a contrair a paralisia facial periférica, o que faz com que não exista uma forma de prevenção.

Entretanto, estudos mostram quadros que podem acarretar a aparição da doença. Confira abaixo:

  • Infecções bacterianas.
  • Vírus que afetam o nervo facial, como herpes simples, herpes zóster, mononucleose, citomegalovírus, adenovírus e da rubéola e gripe.
  • Estresse.
  • Fadiga extrema.
  • Choques térmicos.
  • Imunidade baixa.
  • Tumores e traumas.
  • Transtorno na glândula parótida.
  • Otite média.

Como a Paralisia Passa? Existe um Tratamento Específico?

Usualmente o músculo começa a voltar ao normal com o passar do tempo, conforme o nervo desincha. Portanto, não há necessidade de um tratamento.

Existem algumas formas de reverter a condição, caso o nervo permaneça inchado por muito tempo. Mas ela varia em cada caso.

O tratamento vai depender do estrago que o nervo sofreu, bem como as condições em que o paciente se encontra.

É feito o uso de medicamentos, normalmente anti-inflamatórios, bem como fisioterapia e até fonoaudiologia para poder cuidar da paralisia de Bell.

Esse tratamento é mais eficaz quando ele começa a ser feito assim que os primeiros sintomas aparecem no corpo.

Como o Choque Térmico Pode Deixar a Boca Torta?

O choque término é ocasionado pela troca repentina de temperaturas. Estar em um ambiente quente e ir para um local que está ventando muito, e vice-versa, gera um choque térmico.

Pessoas que sofrem da paralisia de Bell podem ficar com a boca torta quando sofrem um choque térmico uma vez que essa troca de temperatura faz com que os músculos fiquem inertes com o passar do tempo.

Boca Torta e o AVC

O AVC, também chamado derrame, é normalmente ocasionado pela falta de sangue no cérebro devido a uma obstrução arterial.

Contudo, ele também pode ser gerado por uma hemorragia cerebral.

Nos casos em que não leva a morte, o AVC deixa sequelas que podem ser leves e passageiras ou então graves e duradouras.

Os sintomas mais comuns do AVC são:

  • Fraqueza, paralisação ou então sensação de um lado do corpo estar dormente.
  • Dificuldade para falar e entender coisas simples.
  • Dificuldade para engolir.
  • Dificuldade para andar e enxergar.
  • Tontura.
  • Boca torta por ter perdido força nos músculos do rosto.
  • Dor de cabeça forte.
  • Perda da coordenação motora.

Os sintomas podem aparecer junta ou separadamente, mas é aconselhado a ida ao hospital em menos de 4 horas da aparição dos sintomas para poder ser tomada uma ação.

O Que Causa um AVC?

Suas causas podem ser coisas que podem ser controladas ou mudadas no estilo de vida ou com medicamentos, ou não variáveis.

De toda forma, veja abaixo as principais causas do problema:

  • Tabagismo.
  • Altas taxas de colesterol e triglicérides.
  • Sedentarismo.
  • Doenças cardiovasculares.
  • Pressão alta.
  • Diabetes.

Sendo assim, é indicado que pessoas que se enquadram nesses fatores vão à um médico ou então alterem seus hábitos e vícios.

E o que fazer para corrigir a posição da boca após um AVC? Não existe uma forma certa para fazer isso.

Entretanto, é aconselhado que seja feito é um acompanhamento médico após o caso para analisar a necessidade de serem tomadas outras providências para reverter o caso.

O que é Assimetria Facial? Como Tratar?

Assimetria facial é um incômodo estético no qual um dos lados do rosto é maior do que o outro.

Geralmente o problema não é perceptível.

Existem diversos tratamentos que podem ser feitos pelas pessoas que possuem tal incômodo. Confira na lista abaixo:

  • Maquiagem inteligente: Disfarça casos de assimetria leve.
  • Prática da estética facial: Geralmente indicado por fonoaudiólogo, se resume em fazer alguns exercícios diários que fortalecem os músculos do rosto.
  • Cirurgia: Em casos em que a saúde também está comprometida, são indicadas cirurgias plásticas para corrigir assimetrias faciais.
  • Aplicação de Botox: Por se tratar de um procedimento que relaxa o músculo da região aplicada, o Botox pode ser uma alternativa para quem assimetria facial.
  • Fisioterapia orofacial: Um tratamento multidisciplinar que serve para evitar que seja preciso realizar uma cirurgia.

Dentista Pode Ajudar no Tratamento da Assimetria Facial?

Caso passe a sentir algum desconforto facial que pode ser causado por uma assimetria facial, é indicada a ida ao dentista o quão breve possível para ser diagnosticado e poder começar a fazer um tratamento.

Tendo em vista que os dentes são fatores importantes para o equilíbrio facial, até mesmo pequenos detalhes podem acabar influenciando na boca torta. O caso mais famoso é a mordida cruzada.

O papel do dentista para tratar a assimetria facial é crucial pois além de fazer o diagnóstico do paciente, pode ser necessário o uso de um aparelho ortodôntico para corrigir o problema.

Os aparelhos ortodônticos alinham e ajustam o posicionamento dos dentes, bem como os ossos da boca também.

Nos casos em que o problema é leve, os aparelhos ortodônticos fazem a correção da mordida, garantindo que não surjam maiores problemas.

Sendo assim, caso você possua boca torta por assimetria facial, agende uma consulta odontológica e tome as devidas providências para cuidar desse problema.

Silmara Alves Rozo Ducatti

Silmara Alves Rozo Ducatti

Cirurgiã-dentista graduada pela Universidade do Oeste Paulista (UNOESTE) e especialista em Ortodontia pelo Sindicato dos Odontologistas de Mato Grosso do Sul (SIOMS).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sobre a Simpatio

Somos dedicados em criar conteúdo de qualidade e informativo. Nossa missão é informar pacientes, dentistas e clínicas provendo conteúdos altamente relevantes sobre odontologia e saúde bucal gratuitamente.

Agende uma consulta

Precisando de algum tipo de ajuda ou apoio relacionado a sua saúde ou estética bucal? Clique no botão abaixo!

Postagens Recentes

Receba Nossos Conteúdos

Preencha seu e-mail acima e receba conteúdos exclusivos gratuitamente!

© All rights reserved

Simpatio 2020

As informações contidas neste site têm como objetivo único informar. A Simpatio tem o compromisso de estimular, e nunca substituir, as relações entre dentistas e pacientes. Sempre deixamos isso muito claro nos textos e na comunicação com nossos leitores. É fundamental que o paciente, ao notar qualquer alteração em sua saúde bucal, consulte seu dentista de confiança. Cada indivíduo requer um tratamento personalizado.