Verruga na boca é sinal de HPV? Saiba o que pode ser!

Share on facebook
Compartilhe
Share on twitter
Tweet Isso
Share on linkedin
Compartilhe

Verruga na boca pode ser encontrada mais frequentemente nos lábios e língua

É provável que todos já estejam familiarizados com as verrugas, pequenos tumores que aparecem na superfície da pele. Elas podem apresentar diversos tamanhos, cores e texturas. Mas e quando aparece uma verruga na boca?

Os lugares acometidos pela verruga na boca com mais frequência são: borda lateral da língua, lábios e céu da boca. Mas qualquer região oral pode ser afetada. E você sabe qual a causa do aparecimento de verrugas nessa região?

A verruga na boca é um tumor causado pelo vírus do HPV, o Papiloma Vírus Humano, que possui uma taxa de infecção de cerca de 54,6% dentre os jovens de 16 a 25 anos no Brasil, segundo o Ministério da Saúde.

Toda Verruga na Boca é HPV?

Será que toda verruga na boca é causada pelo HPV?

E nos casos das verrugas comuns que aparecem na superfície da pele?

Na verdade, toda e qualquer verruga que surge no corpo, seja na pele ou na mucosa, é causada pelo Papiloma Vírus Humano.

Contudo, é necessário entender que existem mais de 150 subtipos de HPV, sendo que apenas cerca de 40 deles afetam a boca e a área genital, e além disso, 12 desses podem provocar o câncer.

Os demais causam apenas as verrugas. Portanto, apesar de toda verruga significar a presença do vírus, é preciso diferencia-las.

Pessoas com verrugas comuns, isto é, na superfície da pele, não transmitem o HPV pela via sexual e também não correm riscos de desenvolver câncer.

A infecção é restrita apenas àquela região, mas pode ser transmitida “pele a pele” caso haja algum tipo de ferimento ou abertura propícia.

Entretanto, as verrugas orais e genitais, mais conhecidas como condilomas, são sexualmente transmissíveis. Seja por via oral, vaginal ou anal e, nos casos das orais, até mesmo o beijo pode ser um fator de risco.

A avaliação médica e exames preventivos são sempre a melhor opção!

Vale lembrar que nem sempre a infecção pelo HPV é sintomática.

Ou seja, a doença pode permanecer indetectável sem um exame médico. Contudo, é comum que o próprio organismo combata a infecção, levando a sua resolução sem qualquer complicação.

Apesar disso, qualquer sinal de verrugas na boca ou nos órgãos genitais devem ser informados a um médico especializado a fim de iniciar o tratamento mais adequado.

Afinal, o vírus é um fator de risco para o câncer, além de causar diversos desconfortos, como dor, coceira e sangramento.

A avaliação médica também é importante para checar se a lesão trata-se realmente de uma verruga.

É importante lembrar que lesões orais (muito parecidas com aftas) que não desaparecem em até 15 dias podem indicar um câncer de boca, sem relação com o HPV.

O profissional que mais frequentemente diagnostica o câncer oral ou o HPV é o cirurgião-dentista.

Quais São os Tipos de Verruga na Boca Mais Comuns?

Os tipos de verruga que podem surgir na boca são os mais diversos.

A aparência pode se manisfestar esbranquiçada, vermelha-clara, ou ainda possuir a mesma cor da mucosa. É possível confundir, ainda, uma verruga com uma afta.

Elas ainda podem se manifestar nas seguintes regiões:

  • Verruga na língua: normalmente é mais comum em sua parte lateral e é frequentemente confundida com aftas;
  • Verrugas nos lábios: região mais comum, geralmente possuindo uma base mais estreita, sendo longa, firme e de cor clara;
  • Verrugas na garganta: quando ocorre nessa região, é comum observar irritações na faringe e amígdalas, além de dor ao engolir a comida.

Quais São os Fatores de Risco Para o Contágio do Vírus HPV?

O HPV é um vírus de propagação muito alta. Na verdade, segundo o Centro de Controle de Doeças (CDC) dos Estados Unidos, cerca de 80% da população será infectada pelo HPV ao longo da vida.

Mas apenas 5% desenvolverá verrugas e 99% dos infectados estarão livres do vírus por meio do próprio sistema.

Ainda que possua uma alto índice de propagação, é possível observar os fatores de risco da infecção para evitar o contágio, veja quais são eles:

  • Sexo oral – é o principal fator de risco para o contágio do vírus;
  • Vários parceiros – estaticamente, quanto maior for o número de parceiros sexuais, maiores serão os riscos de infecção;
  • Tabagismo – a fumaça aumenta a incidência de lesões na mucosa, possibilitando chances maiores de contrair o HPV;
  • Alcoolismo – a ingestão frequente de álcool também apresenta-se como um fator de risco para o contágio;
  • Idade – por conta do longo período que leva para que o HPV se manifeste, adultos mais velhos costumam ser mais comumente diagnosticados com o vírus;
  • Sexo masculino – os homens apresentam maiores riscos de contágio, de acordo com o Serviço Nacional de Saúde do Reino Unido.

O melhor caminho para evitar a infeção pelo HPV é a prevenção. Esteja atento às possibilidades:

  • Testes – a medicina conta hoje com testes e exames preventivos para as infecções sexualmente transmissíveis (ISTs), realize-os anualmente;
  • Autoexame – é possível realizar um autoexame da cavidade bucal em busca de qualquer anormalidade, como as verrugas;
  • Consultas de rotina ao dentista – o dentista é o especialista indicado para diagnosticar anormalidades na cavidade oral, por isso faça um check up anualmente para cuidar da sua saúde bucal;
  • Vacina – a melhor maneira de evitar o contágio é por meio da vacinação disponível em rede pública e privada;
  • Diálogo – é importante incentivar seus parceiros sexuais a realizar os exames para ISTs, a fim de dificultar o contágio.

Como o Câncer de Orofaringe Está Relacionado ao HPV?

Estima-se que 72% dos tipos de câncer bucal que afetam a orofaringe estão relacionados ao HPV, mais especificamente ao tipo HPV 16.

Contudo, o desenvolvimento do câncer, apesar da infecção pelo HPV, depende muito da resposta imunológica de cada indivíduo, de acordo com a as avaliações da Fundação de Câncer de Boca.

Algumas questões, como um sistema imunológico debilitado pode aumentar a incidência do câncer relacionado ao HPV, como pacientes com HIV/AIDS, e transplantados.

Como nem sempre os os casos de câncer ligados ao HPV apresentam sintomas ou sinais visíveis, como a verruga na boca, é importante que exames visuais e táteis de rotina sejam realizados com frequência.

Ramiro Murad Saad Neto

Ramiro Murad Saad Neto

Cirurgião-dentista graduado em Odontologia pela UNIC. Gestor de clínicas odontológicas e franquias. Residente em Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial Facial no Sindicato dos Odontologistas de São Paulo (SOESP - SP). Habilitação em Harmonização Orofacial e integrante da equipe Bucomaxilofacial Dr. Carlos Eduardo Xavier na Clínica da Villa, em São Paulo. CRO - 118151

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sobre a Simpatio

Somos dedicados em criar conteúdo de qualidade e informativo. Nossa missão é informar pacientes, dentistas e clínicas provendo conteúdos altamente relevantes sobre odontologia e saúde bucal gratuitamente.

Agende uma consulta

Precisando de algum tipo de ajuda ou apoio relacionado a sua saúde ou estética bucal? Clique no botão abaixo!

Postagens Recentes

Receba Nossos Conteúdos

Preencha seu e-mail acima e receba conteúdos exclusivos gratuitamente!

© All rights reserved

Simpatio 2020

As informações contidas neste site têm como objetivo único informar. A Simpatio tem o compromisso de estimular, e nunca substituir, as relações entre dentistas e pacientes. Sempre deixamos isso muito claro nos textos e na comunicação com nossos leitores. É fundamental que o paciente, ao notar qualquer alteração em sua saúde bucal, consulte seu dentista de confiança. Cada indivíduo requer um tratamento personalizado.