Plano de Frankfurt auxilia em procedimentos de reabilitação bucal

Share on facebook
Compartilhe
Share on twitter
Tweet Isso
Share on linkedin
Compartilhe

Você conhece o plano de Frankfurt? Ele é uma medida muito importante na hora de realizar uma reabilitação bucal.

Por se tratar de uma linha imaginária traçada no crânio, o plano de Frankfurt auxilia procedimentos da ortodontia e também de próteses dentárias.

Plano de Frankfurt é a posição central determinada desde o ponto mais baixo do olho ao mais alto do tragus.

De tal forma, essa medida é utilizada para dividir o crânio em dois:

  • Superior: da linha para cima;
  • Inferior: consequentemente, da linha para baixo, local onde os profissionais de odontologia normalmente trabalham.

Sendo assim, ele também possui importância para o uso de um articulador, seja ele semi-ajustável ou totalmente ajustável.

Neste artigo nós vamos falar mais sobre o assunto, bem como qual é a finalidade deste plano e também o motivo que faz os dentistas precisarem conhecê-lo.

Vamos lá?

Mas afinal, para quê serve o plano de Frankfurt?

O plano horizontal de Frankfurt orienta o posicionamento de dentes artificiais usados na construção de próteses totais.

Sendo assim, ele é um procedimento que auxilia o trabalho de colocação das próteses dentárias.

Entretanto, existem outros planos de orientação além dele. Confira abaixo:

  • Plano de orientação superior: Deve estar junto do contorno da base de prova, mas com uma angulação de 75 graus ao plano oclusal;
  • Plano de orientação inferior: É aconselhado que tenha o tamanho conforte o rebordo;
  • Plano oclusal: Deve estar 1 ou 2 milímetros para baixo da linha do lábio quando em repouso, mas pode variar conforme a idade do paciente;
  • Linha do sorriso: curva feita pelo lábio inferior e acompanhada pelos dentes;
  • Linha média: projetada sobre os dentes incisivos, permitindo notar o alinhamento entre eles;
  • Plano de Camper: Uma linha imaginária que vai da narina ao tragus.

Mas quais problemas podem ser corrigidos com o auxílio desses planos?

  1. Recuperação, por meio do contorno do plano de orientação superior, a sustentação do tecido de baixo da face ausente após removidos os dentes inferiores;
  2. Restabelecer o suporte labial reposicionando da maneira correta os músculos orbiculares;
  3. Definir a altura incisal, que nada mais é do que a parte dos dentes que é visível quando os lábios estão em repouso (sendo natural 1,9 milímetros no homem e 3,4 milímetros de exposição incisiva na mulher).

Todavia, é válido fazer uma análise com um dentista para saber se é necessário corrigir qualquer destes problemas que podem afetar a oclusão dental, por exemplo.

Existem planos diferentes na área da prótese total?

Existem entretanto cerca de seis planos na área da prótese total, juntamente com o plano horizontal de Frankfurt e o de Camper, que já foram explicados aqui.

Sendo assim, confira os que ainda não foram citados, e as suas especificidades, abaixo:

  • Curva de compensação: curva feita após a montagem dos dentes artificiais. Normalmente usada para equilibrar uma possível descida da mandíbula;
  • Curva de Spee: linha projetada no sentido ântero-posterior sobre os dentes superiores e inferiores;
  • Curva de Wilson: curva anatômica observada no plano frontal, indo das cúspides vestibulares até os dentes posteriores (do lado direito e esquerdo);
  • Curva de Manson: curva de oclusão onde as cúspides e bordas incisais dos dentes da arcada inferior se tocam.

Cada um desses planos possui suas próprias indicações e usos, sendo assim cabe ao profissional de prótese dentária o conhecimento e o uso de cada um deles quando necessário.

Por que o dentista precisa conhecer essa medida?

Mas a pergunta que fica é: então qual é a importância do plano de Frankfurt para o dentista?

Por se tratar de uma técnica que ajuda na radiologia odontológica, além da aplicação de próteses, é aconselhado que o dentista a conheça e saiba como utilizá-la.

Como citamos antes, existem alguns problemas que podem ser evitados por uma simples avaliação da harmonia facial.

É aí que entra o papel dessa medida por proporcionar um planejamento e um diagnóstico mais efetivo sobre eventuais problemas.

De tal maneira, o profissional de odontologia consegue fazer com que um tratamento seja mais eficaz e até mais rápido com o uso do Plano de Frankfurt.

Ramiro Murad
Ramiro Murad
Ramiro Murad Saad Neto, cirurgião-dentista com registro no Conselho Regional de Odontologia de São Paulo (CRO-SP) nº 118151, é graduado pela UNIC e residente em Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial Facial no Sindicato dos Odontologistas de São Paulo (SOESP - SP). Possui habilitação em Harmonização Orofacial e também é gestor de clínicas e franquias odontológicas. Além disso, é integrante da equipe Bucomaxilofacial da Clínica da Villa, que está na Rua Eça de Queiroz, 467 - Vila Mariana, São Paulo - SP.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sobre a Simpatio
Somos dedicados em criar conteúdo de qualidade e informativo. Nossa missão é informar pacientes, dentistas e clínicas provendo conteúdos altamente relevantes sobre odontologia e saúde bucal gratuitamente.
Agende uma consulta
Precisando de algum tipo de ajuda ou apoio relacionado a sua saúde ou estética bucal? Clique no botão abaixo!

Postagens Recentes

Receba Nossos Conteúdos

Preencha seu e-mail acima e receba conteúdos exclusivos gratuitamente!

Simpatio 2021 © - Todos os Direitos Reservados

As informações contidas neste site têm como objetivo único informar. A Simpatio tem o compromisso de estimular, e nunca substituir, as relações entre dentistas e pacientes. Sempre deixamos isso muito claro nos textos e na comunicação com nossos leitores. É fundamental que o paciente, ao notar qualquer alteração em sua saúde bucal, consulte seu dentista de confiança. Cada indivíduo requer um tratamento personalizado.

Os conteúdos da Simpatio são escritos por jornalistas e possuem a supervisão e a aprovação de dentistas e de profissionais de saúde parceiros.