Paralisia cerebral requer cuidados odontológicos especiais

Share on facebook
Compartilhe
Share on twitter
Tweet Isso
Share on linkedin
Compartilhe

Paciente com paralisia cerebral precisa ser tratado por profissional especializado em odontologia inclusiva

A odontologia inclusiva é a especialidade que cuida de pacientes que apresentem necessidades especiais. Os tipos de deficiência se dividem em visual, auditivo, intelectual, comportamental, físico e múltiplo. E dentro do grupo dos portadores de necessidades intelectuais está a paralisia cerebral.

No entanto, dependendo da gravidade da paralisia cerebral, ela prejudica a atividade de outras partes do corpo. Uma característica muito comum desses pacientes é a espasticidade, que acomete a contração muscular, dificultando a locomoção e os movimentos dos braços.

A paralisia cerebral é uma lesão que acontece geralmente quando falta oxigênio no cérebro do bebê durante a gestação, no parto ou até dois anos depois do nascimento. Ela pode ser causada por traumatismos, envenenamentos ou doenças graves, como o sarampo ou a meningite.

Portanto, a combinação entre paralisia cerebral e tratamento odontológico acaba sendo muito necessária, porque os pacientes possuem dificuldade em realizar sua própria higienização bucal. Eles também apresentam uma maior facilidade em contrair alguns tipos de disfunções na boca.

Problemas odontológicos de portadores da paralisia

Os principais problemas causados pela paralisia

Os principais problemas bucais que esses pacientes apresentam são:

  • Grande acúmulo de placa bacteriana;
  • Cáries;
  • Doenças periodontais;
  • Excesso de salivação;
  • Má oclusões;
  • Mordida cruzada;
  • Apinhamento dentário;
  • Bruxismo.

Dentistas especialistas em paralisia cerebral

Especialização em paralisia central infantil

É importante que o paciente seja encaminhado para dentistas que tenham especialidade no assunto.

Para o profissional que não está familiarizado, os impulsos involuntários da pessoa e a dificuldade na comunicação, podem prejudicar o atendimento, pois o dentista não terá a aptidão necessária para lidar com a situação.

Principalmente tratando-se da paralisia cerebral infantil, o deficiente, nesse caso, apresenta uma fragilidade maior. Então, o especialista precisa ter cuidados redobrados.

Para se inteirar no assunto e ter o total domínio de como atender pacientes com necessidades especiais da maneira correta, o dentista terá de realizar cursos especializados.

Essas formações costumam ter uma duração média de 18 meses, e também é necessário a realização de estágios e leituras com foco na literatura científica da área.

Dicas fundamentais para o atendimento

Dicas para atender pacientes com paralisia

Para atender o paciente com paralisia, é importante seguir os seguintes passos, eles darão uma boa base de como agir.

  • Faça uma anamnese bem detalhada. Conheça as limitações físicas, intelectuais e o histórico de saúde bucal da pessoa;
  • Coloque o paciente na cadeira odontológica de modo a deixá-lo confortável. É possível utilizar algumas almofadas de posicionamento;
  • Deixe-o inclinado. Se estiver deitado, pode acabar engasgando mais facilmente;
  • Como eles normalmente apresentam dificuldade em abrir a boca, o profissional pode utilizar abridores de boca, facilitando;
  • Evite movimentos bruscos. Isso provoca estímulos na pessoa, deixando-a mais agitada;
  • Procure realizar consultas com curto tempo de duração;
  • Tenha um consultório com acessibilidade.

Acessibilidade no consultório

Consultório com acessibilidade facilita a relação entre paralisia cerebral e tratamento odontológico

Acessibilidade é um conjunto de medidas voltadas para garantir que a pessoa com necessidades especiais consiga transitar sem problemas em um determinado local. Ela está atrelada a um ramo da arquitetura e urbanismo.

Essa condição garante a segurança e a integridade física do portador de necessidade especial.

Por isso, é importante que o dentista tenha seu consultório com rampas de acesso, corrimãos, portas automáticas e com medidas especiais, banheiros adaptados e vagas especiais. E você pode conferir aqui como adaptar o local.

Em resumo, o paciente com paralisia cerebral requer cuidados especiais. O dentista deve estar inteirado no assunto para garantir que ele tenha o melhor atendimento possível, possibilitando que tenha uma ótima saúde bucal.

Ramiro Murad Saad Neto

Ramiro Murad Saad Neto

Cirurgião-dentista graduado em Odontologia pela UNIC. Gestor de clínicas odontológicas e franquias. Residente em Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial Facial no Sindicato dos Odontologistas de São Paulo (SOESP - SP). Habilitação em Harmonização Orofacial e integrante da equipe Bucomaxilofacial Dr. Carlos Eduardo Xavier na Clínica da Villa, em São Paulo. CRO - 118151

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sobre a Simpatio

Somos dedicados em criar conteúdo de qualidade e informativo. Nossa missão é informar pacientes, dentistas e clínicas provendo conteúdos altamente relevantes sobre odontologia e saúde bucal gratuitamente.

Agende uma consulta

Precisando de algum tipo de ajuda ou apoio relacionado a sua saúde ou estética bucal? Clique no botão abaixo!

Postagens Recentes

Receba Nossos Conteúdos

Preencha seu e-mail acima e receba conteúdos exclusivos gratuitamente!

© All rights reserved

Simpatio 2020

As informações contidas neste site têm como objetivo único informar. A Simpatio tem o compromisso de estimular, e nunca substituir, as relações entre dentistas e pacientes. Sempre deixamos isso muito claro nos textos e na comunicação com nossos leitores. É fundamental que o paciente, ao notar qualquer alteração em sua saúde bucal, consulte seu dentista de confiança. Cada indivíduo requer um tratamento personalizado.