Importância dos nervos cranianos para a odontologia

Share on facebook
Compartilhe
Share on twitter
Tweet Isso
Share on linkedin
Compartilhe

Dos doze pares de nervo craniano, o nervo do trigêmeo é o que mais está associado à odontologia

Os nervos cranianos são importantíssimos para o funcionamento do nosso corpo, já que são responsáveis por diversas funções.

Ao todo, existem 12 pares de nervos cranianos, que são eles: olfatório, óptico, oculomotor, troclear, trigêmeo, abducente, facial, vestibulococlear, glossofaríngeo, vago, acessório e hipoglosso.

Os nervos cranianos são os que ligam-se com o encéfalo. A maioria deles se conectam ao tronco encefálico, com exceção dos nervos olfatório e óptico, que estão associados ao telencéfalo e ao diencéfalo, respectivamente.

Dos 12 pares cranianos, abordaremos sobre o nervo trigêmeo, que está diretamente relacionado com a odontologia.

Nervo trigêmeo

O nervo trigêmeo é responsável pelo controle dos movimentos de mastigação e pelas percepções sensoriais da face, seios da face e dentes. Então, é um componente tanto motor quanto sensorial.

Por meio do gânglio trigemial, o esse nervo craniano divide-se em três ramos terminais:

  • Nervo oftálmico – o nervo oftálmico surge da fissura orbital superior, que se divide em outros três ramos, o nasociliar, o frontal e o lacrimal.
  • Nervo maxilar – penetra o crânio através da fossa pterigopalatina, usando o forame redondo. Ele divide-se em nervo alveolar superior posterior e nervo intra-orbital.
  • Nervo mandibular – atravessa o forame oval e se divide em diversos ramos. Os dois principais são o nervo lingual e o alveolar inferior.

Nervo alveolar superior posterior

Dotam de fibras nervosas a polpa e o periodonto.

Nervo intra-orbital

O nervo intra-orbital, por sua vez, se fragmenta em:

  • Nervo alveolar superior médio – atribuem fibras nervosas à polpa e ao periodonto dos dentes pré-molares e raiz mesio-vestibular do primeiro molar superior.
  • Nervo alveolar superior anterior- inerva a polpa dentária e o periodonto de caninos e incisivos superiores anteriores.
  • Nervo palatino – causador da sensibilidade da mucosa do palato duro.

Nervo mandibular

O nervo mandibular é um nervo misto, sendo composto por fibras motoras e sensitivas. Ele caba se dividindo em seis ramificações, cada uma delas tendo uma grande importância para a boca e suas funções.

Na parte sensitiva encontram-se o nervo lingual e o nervo alveolar inferior. O nervo lingual permite que a língua tenha sensibilidade nos 2/3 anteriores dela.

Nervo alveolar inferior auxilia na fonética e na mastigação. Adentra o forame da mandíbula e caminha pelo interior do osso pelo canal da mandíbula até o dente incisivo central.

Perto do segundo pré-molar, esse nervo expõe um ramo colateral, que é o nervo mental, que surge pelo forame que carrega o mesmo nome, fornecendo sensibilidade às partes moles do mento, ou seja, o segmento inferior e médio da face, abaixo do lábio inferior.

No interior do canal da mandíbula, o nervo alveolar inferior se reparte. No entanto, seus ramos realizam uma anastomose sem ordem para constituir o plexo dental inferior.

Sobre a parte motora do nervo mandibular, ela inerva os músculos de mastigação, que são o temporal, o masseter e o pterigoideo medial e lateral.

Nervo lingual

O nervo lingual encaminha-se para a língua, fornecendo sensibilidade aos dois terços anteriores dela.

Nervo alveolar inferior

O nervo alveolar pode ser subdividido nos seguintes ramos:

  • Mentoniano: inerva o queixo, o lábio inferior e a gengiva vestibular dos dentes que estão na parte inferior da boca;
  • Incisivo: inerva a gengiva interior e inferior, além dos dentes;
  • Bucal: pele das bochechas e gengiva dos dentes pré-molares e molares;
  • Aurículo temporal: glândula parótida, tímpano, meato interno, pavilhão da orelha e uma parte da ATM;
  • Lingual: musosa da língua, glândula submandibular, glândula sublingual e mucosa do soalho bucal.

Neuralgia do trigêmeo

A neuralgia do trigêmeo é um distúrbio que provoca uma dor insuportável na região do rosto, por onde passa o par de nervo trigêmeo.

O que causa a dor intensa é o contato entre um vaso sanguíneo normal e o nervo. Isso faz com que haja um pressionamento da estrutura do nervo, deixando ele sem funcionar corretamente.

O tratamento desse problema relativo a um dos nervos cranianos é feito com medicamentos anticonvulsivantes, analgésicos e antidepressivos. Em casos mais graves, é necessário a realização de fisioterapias ou até mesmo cirurgias.

Ramiro Murad Saad Neto

Ramiro Murad Saad Neto

Cirurgião-dentista graduado em Odontologia pela UNIC. Gestor de clínicas odontológicas e franquias. Residente em Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial Facial no Sindicato dos Odontologistas de São Paulo (SOESP - SP). Habilitação em Harmonização Orofacial e integrante da equipe Bucomaxilofacial Dr. Carlos Eduardo Xavier na Clínica da Villa, em São Paulo. CRO - 118151

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sobre a Simpatio

Somos dedicados em criar conteúdo de qualidade e informativo. Nossa missão é informar pacientes, dentistas e clínicas provendo conteúdos altamente relevantes sobre odontologia e saúde bucal gratuitamente.

Agende uma consulta

Precisando de algum tipo de ajuda ou apoio relacionado a sua saúde ou estética bucal? Clique no botão abaixo!

Postagens Recentes

Receba Nossos Conteúdos

Preencha seu e-mail acima e receba conteúdos exclusivos gratuitamente!

© All rights reserved

Simpatio 2018

As informações contidas neste site têm como objetivo único informar. A Simpatio tem o compromisso de estimular, e nunca substituir, as relações entre dentistas e pacientes. Sempre deixamos isso muito claro nos textos e na comunicação com nossos leitores. É fundamental que o paciente, ao notar qualquer alteração em sua saúde bucal, consulte seu dentista de confiança. Cada indivíduo requer um tratamento personalizado.