Frutas da Amazônia: como se relacionam com a Odontologia?

Share on facebook
Compartilhe
Share on twitter
Tweet Isso
Share on linkedin
Compartilhe

Apesar do alto teor nutritivo, frutas da amazônia podem afetar materiais odontológicos

Uma alimentação balanceada pode fazer a diferença na saúde bucal. Por isso, já falamos sobre os benefícios de diversos alimentos aqui na Simpatio, e o tema deste artigo será: frutas da Amazônia.

Frutas da Amazônia fazem bem para os dentes? Elas auxiliam na manutenção da saúde bucal? Será que elas podem também prejudicar nosso sorriso? Ao longo do texto evidenciaremos suas vantagens e desvantagens.

Frutas da Amazônia são aquelas encontradas nesta região do Brasil. Ou seja, no norte do país e no meio da floresta amazônica. Elas são conhecidas por se desenvolverem bem durante todo ano e terem alto potencial de comércio.

Além disso, também fazem parte da rotina e das refeições dos nativos da região.

Relação das Frutas da Amazônia com a Odontologia

Alguns estudos revelaram que, por mais que tragam certos benefícios à saúde devido ao seu alto teor nutritivo, alguns desses frutos são um problema para certos materiais odontológicos.

Algumas dessas frutas, como é o caso do cupuaçu, do açaí e da taperebá, possuem substâncias em suas polpas que agridem e danificam o material usado em tratamentos da odontologia.

Os materiais que apresentam maior desgaste são os utilizados nos seguintes procedimentos:

  • Tratamento de restauração dentária
  • Aplicação de prótese dentária
  • Selantes

Isso ocorre pois essas substâncias são ácidas. Embora não sejam tão abrasivas quanto, podem ser comparadas com os componentes dos refrigerantes de cola, que agridem dentes e materiais odontológicos.

Quais São as Frutas da Amazônia Mais Conhecidas?

Como já citamos anteriormente, existem milhares de tipos de frutos amazônicos. Então, iremos falar um pouco mais sobre cada um deles. Vamos lá?

Açaí

Muito apreciado ao redor do mundo todo, virou quase que uma febre para os que gostam de comê-la dos mais variados jeitos.

Ela vem de uma palmeira ornamental, que atinge quase 25 metros de altura. Uma curiosidade é que, esta mesma árvore, oferece também o palmito.

Uma das maneiras mais diferentes que é consumida está na Amazônia, onde são fabricados vinhos de açaí, tomados gelados, com açúcar, ou ainda com farinha de tapioca ou farinha d’água.

Araçá-boi

Esse é um fruto amarelo, com um formato arredondado e que possui muitas sementes, além de estar na categoria dos mais aromáticos.

Ele ainda é da mesma família que a goiaba, embora nasçam em árvores diferentes.

O araçá vem do pé de araçazeiro. Além de ser consumido ao natural, ele é também utilizado como ingrediente para doces, sorvetes e bebidas.

Fora isso, pode-se aproveitar 100% do fruto, uma vez que das suas folhas e brotos, é possível extrair corantes e, suas raízes, funcionam como diuréticas e antidiarreicas. Sua casca não fica de fora e é também utilizada como corante.

Bacaba-açu

Esse fruto da em cachos, porém, diferente das uvas, pode pesar cerca de 6 a 8 quilos. Ele é utilizado no preparo do vinho de bacaba ou no preparo de sorvetes.

Além disso, as amêndoas e todo o restante que sobra da produção do vinho, são utilizados como ração para suínos e aves.

Uma curiosidade é que, alguns dos nativos da região, utilizam de suas folhas como um tipo de cobertura para moradias e seu tronco, como um cabo para ferramentas.

Bacuripari

Essa é uma fruta da região amazônica que está entre as mais apreciadas e consumidas pelos moradores locais. Apesar de seu gosto ácido e cheiro forte reprovado pelos turistas, os nativos adoram.

Consumi-la pura pode não ser a melhor opção, porém, todos costumam gostar muito de seus doces, tortas e refrescos.

Biribá

Chamada também de araticum, a mais popular fruta-do-conde, fruta-da-condessa, condessa, araticum e graviola-brava, tratam-se todas do mesmo fruto.

Com uma polpa branca, bem docinha e muito saborosa, pode chegar a pesar entre 300 gramas e 1,3 kg.

Camu-camu

Muito parecida com a jabuticaba, é arredondada e tem uma coloração avermelhada quando nova e torna-se um roxo mais escuro quando já está madura.

Ela é uma ótima fonte de vitamina C. A fruta é conhecida na região de Boa Vista pelo nome de caçari e é uma ótima fonte de alimento para o homem.

Porém, essa não é sua única utilidade. Serve muito bem como isca para a pesca do peixe tambaqui.

Além disso, é ainda muito utilizada para fazer doces, refrescos, sorvetes, picolés, geleias e licores. Por ter um alto valor econômico, tem sido cada vez mais produzido na região do Vale do Ribeira, em São Paulo.

As condições climáticas e do solo são bem semelhantes às de sua origem e possuem tudo que a planta precisa para gerar bons frutos.

Cupuaçu

Com um alto teor de gordura, uma das principais utilidades que esse fruto mais conhecido tem é, a partir de suas sementes, auxiliar na fabricação de chocolates.

Em alguns casos, é ela quem substitui inclusive, as sementes do cacau. Por esse fator, ficou conhecida também como cacau-do-peru e cacau-de-caracas.

Com um tamanho que mede cerca quinze cm de comprimento por dez de diâmetro, tem casca marrom, lenhosa e enrugada. Também, contém muitas sementes em volta de sua polpa branca.

Assim como alguns outros frutos, também é muito utilizada na produção de refrescos, sorvetes e doces.

Graviola

Um pouco mais conhecida, a graviola tem uma cor esverdeada e sua polpa é branca. Seus principais usos envolvem o preparo de sucos, sorvetes, musses, gelatinas e pudins.

Uma dessas costuma pesar, em média, de 1 a 4 kg. E carrega grande quantidade de proteínas, gorduras, carboidratos, vitaminas C e B, potássio e fósforo.

Pupunha

Originado de uma palmeira que vem da mesma família da carnaúba, babaçu e do açaí, além de fornecer todos esses frutos que já citamos anteriormente, é responsável também por dar o tão famoso palmito.

Esse é um dos alimentos que, juntamente com as azeitonas, picles e alguns outros, está entre os mais utilizados pela indústria de conservas.

Com uma aparência muito diferente da que vemos dentro de um vidro nas prateleiras do supermercado, são pequenos frutos vermelhos, amarelos ou alaranjados. São muito ricos em vitamina A, proteínas e amidos.

Além disso, costumam ser consumidos cozidos em água e sal. Pode ser extraído deles um óleo ou feita farinha.

Deu para perceber que são diversas as frutas da Amazônia que ainda não conhecemos, não é mesmo? Nosso país está cheio de segredos deliciosos por aí.

Ramiro Murad Saad Neto

Ramiro Murad Saad Neto

Cirurgião-dentista graduado em Odontologia pela UNIC. Gestor de clínicas odontológicas e franquias. Residente em Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial Facial no Sindicato dos Odontologistas de São Paulo (SOESP - SP). Habilitação em Harmonização Orofacial e integrante da equipe Bucomaxilofacial Dr. Carlos Eduardo Xavier na Clínica da Villa, em São Paulo. CRO - 118151

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sobre a Simpatio

Somos dedicados em criar conteúdo de qualidade e informativo. Nossa missão é informar pacientes, dentistas e clínicas provendo conteúdos altamente relevantes sobre odontologia e saúde bucal gratuitamente.

Agende uma consulta

Precisando de algum tipo de ajuda ou apoio relacionado a sua saúde ou estética bucal? Clique no botão abaixo!

Postagens Recentes

Receba Nossos Conteúdos

Preencha seu e-mail acima e receba conteúdos exclusivos gratuitamente!

© All rights reserved

Simpatio 2020

As informações contidas neste site têm como objetivo único informar. A Simpatio tem o compromisso de estimular, e nunca substituir, as relações entre dentistas e pacientes. Sempre deixamos isso muito claro nos textos e na comunicação com nossos leitores. É fundamental que o paciente, ao notar qualquer alteração em sua saúde bucal, consulte seu dentista de confiança. Cada indivíduo requer um tratamento personalizado.