Ácido fosfórico é usado em procedimentos restauradores

Share on facebook
Compartilhe
Share on twitter
Tweet Isso
Share on linkedin
Compartilhe

Entenda como a substância é utilizada nos consultórios odontológicos

Uma diversidade enorme de substâncias é utilizada na odontologia para os mais variados fins. Entre eles, podemos citar o ácido fosfórico.

Ele é bastante utilizado por ser considerado fraco e pouco prejudicial ao nosso organismo. Além disso, o ácido fosfórico é apontado como o ácido de fosforo mais importante entre os existentes.

Ácido fosfórico, também conhecido como ácido ortofosfórico, é um composto químico que possui a forma molecular H3PO4.

Sua relevância se dá pois é utilizado em diversas áreas da saúde e da industria, inclusive nos consultórios odontológicos.

O elemento ainda pode dar origem a outros bastante utilizados, como o ácido difosfórico ou pirofosfórico, o ácido metafosfórico e o ácido polifosfórico.

Características do Ácido Fosfórico

Antes de compreendermos qual é a utilização do ácido fosfórico na odontologia, o ideal é conhecer um pouco mais sobre este elemento. Então, vamos acompanhar, resumidamente, suas características.

O ácido H3PO4 é monovalente. Isso indica que os três hidrogênios ácidos podem ser convertidos por substituição gradual a fosfatos primários, secundários e terciários.

Ele ainda é um ácido que varia de fraco a medianamente forte. Por isso, é largamente utilizado em diversas ocasiões, inclusive em áreas da saúde. Ainda é interessante dizer que seus sais são chamados de fosfatos.

O ácido fosfórico é muito solúvel em água e solúvel em etanol. Ele é bastante deliquescente e é geralmente fornecido como uma solução aquosa concentrada a 85%.

O produto é derivado do fósforo mais importante comercialmente. Assim, podemos dizer que ele responde por mais de 90% da rocha fosfática que é extraída em todo o planeta.

O ácido fosfórico ainda origina três séries de sais contendo os íons fosfato cujos ânions são: [(HO)2PO2]-, [(HO)PO3]2- e PO43-.

O interessante é que esses sais apresentam um carácter respectivamente ácido, neutro e alcalino e são muitas vezes utilizados para se obter soluções tampão.

Como o Ácido Fosfórico é Fabricado?

No mercado atual, podemos dizer que o ácido fosfórico é fabricado de 2 maneiras distintas. Trata-se de uma via úmida e outra seca.

Para começar, vamos falar sobre a via úmida. Ela é responsável pela maior parte da produção industrial de ácido fosfórico.

Nesse processo, rochas sedimentares ou magmáticas portadoras do mineral apatita reagem com ácido sulfúrico.

Já na via seca ou térmica, o procedimento consiste na queima de fósforo branco ao ar, com a formação de P4O10 e sua hidrólise subsequente. O ácido fosfórico produzido dessa forma é de grau farmacêutico.

Ácido Fosfórico na Odontologia

Agora está na hora de você descobrir para que serve o ácido fosfórico na odontologia.

Nos consultórios odontológicos, ele é bastante utilizado para permitir a aderência  de materiais restauradores às estruturas dentárias.

Essa técnica é conhecida como condicionamento ácido. Ela é indicada principalmente para pacientes que passaram por uma restauração dentária.

Isso porque a restauração é um procedimento que possibilita a recomposição dentária após a estrutura ter sofrido uma fratura ou até mesmo uma cárie.

Assim, para que o paciente obtenha um resultado satisfatório em sua restauração, pode ser necessária a realização de um condicionamento ácido utilizando o ácido fosfórico.

Como o Condicionamento Ácido é Realizado?

Antes de qualquer coisa, é importante dizer que existem dois tipos de condicionamento: parcial e total. O parcial foi o primeiro procedimento a ser realizado e somente depois de algum tempo que o total foi descoberto.

Entretanto, ambos apresentam resultados bastante satisfatórios e são largamente praticados. Eles se diferenciam em alguns aspectos, como iremos acompanhar agora:

  • Condicionamento ácido parcial: também conhecido como condicionamento ácido do esmalte, é um procedimento realizado apenas no esmalte;
  • Condicionamento ácido total: procedimento realizado no esmalte e na dentina. Cabe ao dentista avaliar se este é necessário, dados os danos existentes ou não na dentina do paciente.

Apesar de os dois tratamentos serem bastante utilizados, a segunda forma do procedimento ainda gera muitas controvérsias e não é recomendada por alguns especialistas.

Esse procedimento gera muitos erros, já que a dentina é histologicamente diferente do esmalte. O paciente pode enfrentar alguns efeitos colaterais indesejados, como por exemplo a hipersensibilidade dentinária.

Assim, o condicionamento parcial acaba sendo o mais realizado.

Então, vamos descobrir como este procedimento é realizado. Acompanhe!

Condicionamento Parcial

No procedimento, os profissionais podem usar os condicionadores ácido em forma de gel ou em solução. O ácido fosfórico 37% é o condicionador mais usado na área odontológica.

Assim, o profissional aplica o condicionador nos dentes restaurados do paciente. Durante o período de aplicação, o condicionador consegue retirar cerca de 10 µm da superfície do esmalte.

Com isso, poros de 5 à 50 µm de profundidade são criados. Tudo ajuda no processo de adesão do material restaurador que será utilizado posteriormente.

Após o período de aplicação adequado, o profissional remove o condicionador. Depois, é preciso fazer uma lavagem de cerca de 15 segundos para que os excessos sejam retirados.

Trata-se de uma parte importante, pois a presença do ácido pode atrapalhar na restauração.

Para finalizar, o profissional realiza a secagem dos dentes que passaram pelo procedimento. Com isso, a adesão do material restaurador no dente é completada.

Ainda é importante dizer que o ácido fosfórico pode ser utilizado previamente ao colamento dos braquetes utilizados em um tratamento ortodôntico.

O procedimento é bastante semelhante, mas nessa situação o dente não se encontra lesionado. Entretanto, eles ficam porosos, facilitando bastante a fixação das estruturas.

Outras Aplicações do Ácido Fosfórico

Além de sua utilização na odontologia, para facilitar restaurações e instalações de aparelhos ortodônticos, o ácido fosfórico ainda possui outras aplicações na indústria. Dentre elas, podemos citar como as principais:

  • Indústria de fertilizantes, indústria de produção de sal mineral para alimentação animal, formulação de detergentes, decapante, refrigerantes;
  • Indústria de bebidas;
  • Recentemente hobbyistas geralmente sem recursos industriais para efetuar soldas de elevada temperatura, estão a utilizá-lo para unir aços inoxidáveis e convencionais em conjunto com ligas de estanho/chumbo (solda de fios de eletricidade). Tais ligas possuem a vantagem de fundirem se a temperaturas inferiores a 200℃ e acabam por se unir ao aço inoxidável com ajuda do ácido fosfórico possibilitando o uso de um simples ferro de solda (conhecido popularmente como estanhador);
  • Usina de chocolate;
  • Indústria farmacêutica.

Agora você já sabe todas as aplicações do ácido fosfórico, tanto no meio odontológico quando nas mais distintas áreas do mercado.

Valdir de Oliveira

Valdir de Oliveira

Cirurgião-dentista graduado em Odontologia pela Universidade de Santo Amaro (UNISA). Pós-graduado em Ortodontia e Ortopedia dos Maxilares pela Sboom. Com especialização e mestrado em Implantodontia, habilitação em Harmonização Orofacial e Anatomia da Face. Professor nas áreas de Cirurgia Bucomaxilo Facial e Harmonização Orofacial. Voluntário há mais de 20 anos na Agência Adventista de Desenvolvimento e Recursos Assistenciais - ADRA Brasil.

Compartilhe sua opinião

Sobre a Simpatio

Somos dedicados em criar conteúdo de qualidade e informativo. Nossa missão é informar pacientes, dentistas e clínicas provendo conteúdos altamente relevantes sobre odontologia e saúde bucal gratuitamente.

Agende uma consulta

Precisando de algum tipo de ajuda ou apoio relacionado a sua saúde ou estética bucal? Clique no botão abaixo!

Postagens Recentes

Receba Nossos Conteúdos

Preencha seu e-mail acima e receba conteúdos exclusivos gratuitamente!