Síndrome de Crouzon exige tratamento multidisciplinar

Share on facebook
Compartilhe
Share on twitter
Tweet Isso
Share on linkedin
Compartilhe

Confira aqui como a síndrome de Crouzon está ligada à área da odontologia

Muitas síndromes traz consequências perigosas para a nossa saúde, inclusive para a saúde da nossa cavidade bucal. A síndrome de Crouzon é um exemplo disso.

Em decorrência das suas características, essa síndrome afeta a audição, visão, elementos dentais e até a respiração. Mas, afinal, o que é a síndrome de Crouzon?

A síndrome de Crouzon é uma doença genética. Ela é caracterizada pelo fechamento precoce das suturas do crânio. Assim, o sistema craniofacial é alterado. E é isso que afeta os outros sistemas do nosso corpo.

Essa síndrome também é conhecida por mais dois nomes: acrocefalossindactilia tipo II e disostose craniofacial.

Nesse artigo iremos tirar todas as suas dúvidas sobre a síndrome de Crouzon. Vamos começar?

Principais sintomas da Síndrome de Crouzon

Os principais sintomas manifestados pelos paciente com essa síndrome são:

  • Olhos saltados e mais afastados;
  • Estrabismo;
  • Nariz largo;
  • Pupilas com tamanhos diferentes;
  • Manchas amarronzadas pelo corpo;
  • Surdez;
  • QI considerado abaixo da média; e
  • Problemas no coração.

Além desses sintomas, a doença também pode causar problemas na cavidade bucal. Assim, a Síndrome de Crouzon na Odontologia se manifesta a partir dos seguintes sintomas:

  • Prognatismo;
  • Hipoplasia do maxilar;
  • Má oclusão dentária;
  • Fenda palatina;
  • Problemas com a mastigação; e
  • Comprometimento da estética dos dentes.

O que causa a síndrome de Crouzon?

Como já vimos, a acrocefalossindactilia tipo II é uma doença genética. Ou seja, essa síndrome é causada por alterações no material genético (DNA).

Assim, os profissionais acreditam que a síndrome está ligada à mutações nos genes FGFR2. Além disso, há pesquisadores que acreditam que a doença também pode estar ligada a mutações nos genes FGFR3.

Importante: filhos com pais que apresentam o distúrbio apresentam uma chance maior de manifestar o mesmo distúrbio.

Além desse fator de risco, encontramos outros. Mesmo que os pais não apresentem o distúrbio, eles podem ter filhos com a síndrome. Isso acontece quando os pais carregam o gene alterado.

Ainda, filhos de pais com idade avançada têm mais chances de desenvolverem a síndrome.

Como é feito o diagnóstico Síndrome de Crouzon?

A disostose craniofacial pode ser diagnosticada logo no nascimento ou na fase infantil. O profissional analisa os sintomas e sinais para o diagnóstico correto.

O médico faz exames clínicos divididos em anamnese e exame físico. Mas, para confirmar o diagnóstico, o profissional faz exames complementares.

O exames mais comuns são:

Com os resultados dos exames, o profissional começa a planejar o tratamentos mais adequado para o quadro clínico do paciente.

Melhores tratamentos para a Síndrome de Crouzon

Apesar da existência de tratamentos, a síndrome não tem cura. Ou seja, os tratamentos são realizados para minimizar os sintomas e evitar complicações mais severas.

O tratamento para a doença é feito de forma multidisciplinar. Assim, muitos profissionais fazem parte do processo de recuperação.

Os oftalmologistas  e otorrinolaringologistas trabalham para tratar os problemas envolvendo os olhos e os ouvidos. Os cirurgiões realizam procedimentos cirúrgicos de correção da estrutura craniofacial.

Na área odontológica, os cirurgiões bucomaxilofaciais realizam os procedimentos de reposição da mandíbula.

Ainda, os profissionais odontológicos realizam o tratamento ortodôntico para corrigir a posição e desalinhamento dos dentes.

Mas, lembre: cada quadro clínico da síndrome de Crouzon pede por um tratamento específico. Por isso sempre marque visitas médicas para você ou para o seu filho.

Ramiro Murad Saad Neto

Ramiro Murad Saad Neto

Cirurgião-dentista graduado em Odontologia pela UNIC. Gestor de clínicas odontológicas e franquias. Residente em Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial Facial no Sindicato dos Odontologistas de São Paulo (SOESP - SP). Habilitação em Harmonização Orofacial e integrante da equipe Bucomaxilofacial Dr. Carlos Eduardo Xavier na Clínica da Villa, em São Paulo. CRO - 118151

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sobre a Simpatio

Somos dedicados em criar conteúdo de qualidade e informativo. Nossa missão é informar pacientes, dentistas e clínicas provendo conteúdos altamente relevantes sobre odontologia e saúde bucal gratuitamente.

Agende uma consulta

Precisando de algum tipo de ajuda ou apoio relacionado a sua saúde ou estética bucal? Clique no botão abaixo!

Postagens Recentes

Receba Nossos Conteúdos

Preencha seu e-mail acima e receba conteúdos exclusivos gratuitamente!

© All rights reserved

Simpatio 2018

As informações contidas neste site têm como objetivo único informar. A Simpatio tem o compromisso de estimular, e nunca substituir, as relações entre dentistas e pacientes. Sempre deixamos isso muito claro nos textos e na comunicação com nossos leitores. É fundamental que o paciente, ao notar qualquer alteração em sua saúde bucal, consulte seu dentista de confiança. Cada indivíduo requer um tratamento personalizado.