Precaução padrão evita proliferação de bactérias no consultório

Share on facebook
Compartilhe
Share on twitter
Tweet Isso
Share on linkedin
Compartilhe

Os equipamentos de proteção individual fazem parte das medidas de precaução

O consultório odontológico é um local extremamente suscetível à contaminação por bactérias. Por isso, existe a precaução padrão.

O profissional que quer tornar seu consultório em um ambiente seguro, precisa seguir as medidas de precaução padrão.

Precaução padrão é um conjunto de medidas que devem ser seguidas pelo profissional da odontologia, visando evitar a proliferação de doenças infecciosas no consultório.

Essas medidas também podem receber o nome de precauções universais e se referem aos processos de manipulação de excreções, secreções ou sangue do paciente, além do contato com mucosas ou a pele.

Quais são as medidas de precaução padrão?

O primeiro passo para o adequado cumprimento da precaução básica é a utilização dos chamados equipamentos de proteção individual.

Nos consultórios odontológicos, estes equipamentos visam proteger o cirurgião-dentista da contaminação por doenças infecciosas.

Isso porque o profissional é constantemente exposto ao contato com sangue ou fluidos corpóreos do pacientes.

Equipamentos de Proteção Individual

Luvas, máscaras, óculos de proteção, toucas, aventais e protetores para os pés são os equipamentos de proteção individual utilizados como precaução padrão em odontologia.

  • Luvas – as luvas em odontologia são fundamentais por evitaram o contato da pele diretamente com o sangue e fluídos corporais. A proteção se estende para o paciente, pois evitam o contato com os produtos químicos. Existem dois tipos de luvas para profissionais da odontologia. Elas são as luvas de procedimento cirúrgico e não cirúrgico. As luvas de procedimentos não cirúrgico são usadas em procedimentos simples, como limpezas e colocações de resina em dentes quebrados. Já as luvas de procedimento cirúrgico são esterilizadas e fazem parte das medidas de biossegurança. São usadas pelos dentistas em tratamentos que envolvem contato com sangue e outros fluídos do corpo.
  • Máscaras – os vírus e bactérias também se encontram no ar e inalá-los é um potencial perigo de contaminação. Desse modo, as máscaras em consultórios odontológicos protegem a boca e o nariz do profissional.
  • Óculos – se as máscaras protegem a boca e o nariz, os olhos também necessitam de proteção. Dessa maneira, óculos de proteção devem ser usados durante o atendimento odontológico. Além disso, os óculos também são uma maneira de evitar e partículas sólidas atinjam os olhos dos profissionais e sejam responsáveis por algum trauma.
  • Touca – esse acessório evitam que o cabelo entre em contato com os procedimentos e também funciona como uma barreira física.
  • Avental ou Jaleco – esse é outro equipamento que atua como barreira física. Desse modo, os aventais impedem o contato do corpo com as diversas fontes de contaminação.
  • Protetor para os pés – o uso de sapatos fechados e protetores para os pés é essencial em um consultório odontológico. Eles atuam prevenindo acidentes decorrentes da queda de instrumentos cortantes, pois podem machucar o pé e, posteriormente, causar contaminação.

Cuidados com as mãos

A boa higiene das mãos do profissional é essencial para evitar contaminações por microorganismos, tanto por parte do médico, quanto por parte do paciente.

Devem-se manter unhas curtas e limpas, proteger lesões das mãos, não usar anéis ou jóias, que dificultará uma higiene correta das mãos.

É necessário ter cuidado com materiais cortantes

A manipulação de objetos cortantes, como agulhas e bisturis, deve ser extremamente atenciosa, assim como seu descarte.

Além disso, a esterilização desses equipamentos também é crucial para impedir a contaminação por bactérias.

Seguindo as medidas de precaução padrão, os riscos que ameaçam a saúde dos dentistas e de seus pacientes são diminuídos.

Ramiro Murad Saad Neto

Ramiro Murad Saad Neto

Cirurgião-dentista graduado em Odontologia pela UNIC. Gestor de clínicas odontológicas e franquias. Residente em Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial Facial no Sindicato dos Odontologistas de São Paulo (SOESP - SP). Habilitação em Harmonização Orofacial e integrante da equipe Bucomaxilofacial Dr. Carlos Eduardo Xavier na Clínica da Villa, em São Paulo. CRO - 118151

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sobre a Simpatio

Somos dedicados em criar conteúdo de qualidade e informativo. Nossa missão é informar pacientes, dentistas e clínicas provendo conteúdos altamente relevantes sobre odontologia e saúde bucal gratuitamente.

Agende uma consulta

Precisando de algum tipo de ajuda ou apoio relacionado a sua saúde ou estética bucal? Clique no botão abaixo!

Postagens Recentes

Receba Nossos Conteúdos

Preencha seu e-mail acima e receba conteúdos exclusivos gratuitamente!

© All rights reserved

Simpatio 2020

As informações contidas neste site têm como objetivo único informar. A Simpatio tem o compromisso de estimular, e nunca substituir, as relações entre dentistas e pacientes. Sempre deixamos isso muito claro nos textos e na comunicação com nossos leitores. É fundamental que o paciente, ao notar qualquer alteração em sua saúde bucal, consulte seu dentista de confiança. Cada indivíduo requer um tratamento personalizado.