Ponte dentária pode substituir dentes ausentes de maneira eficaz

Share on facebook
Compartilhe
Share on twitter
Tweet Isso
Share on linkedin
Compartilhe

Descubra a diferença entre a estrutura fixa e a móvel

Dentes ausentes podem ser um enorme problema para qualquer pessoa, não é mesmo? Por isso, muitos pacientes procuram tratamentos para acabar com esse tipo de incômodo. Entre eles, é possível citar a ponte dentária.

A falta de um dente não prejudica apenas a questão estética do sorriso, mas também influencia a parte funcional, atrapalhando a fala, respiração e mastigação. Assim, diversas pessoas procuram tratamentos com a ponte dentária.

Ponte dentária é uma estrutura bastante utilizada na odontologia para substituir dentes perdidos e criar uma espécie de “ponte”, fazendo a ligação entre os dentes adjacentes ao espaço deixado pela perda do órgão dental.

É importante ressaltar que é fundamental que os dentes de ambos os lados estejam em perfeitas condições para que possam sustentar as pontes colocadas na região. Assim, eles funcionam como uma espécie de pilar para a estrutura.

Tipos de Ponte Dentária

É relevante compreender que existem 2 tipos diferentes de pontes dentárias, sendo a fixa e a móvel. Então, vamos conhecer um pouco mais sobre cada uma delas:

Ponte Dentária Fixa

Esse tipo de prótese geralmente é confeccionado através de uma estrutura metálica coberta por uma camada de porcelana.

Assim, ela recebe o nome de prótese metalo-cerâmica. O legal é que a cerâmica é um material extremamente biocompatível, o que facilita a aceitação pelo organismo do usuário.

Como o próprio nome já diz, o modelo é fixo. Ou seja, não pode ser retirado sem o auxílio de um dentista. Ela é cimentada nos dentes pilares, impossibilitando a remoção pelo paciente.

Existem 3 principais tipos de ponte dentária fixa, sendo eles:

  1. Ponte tradicional – é o tipo mais comum. Ela é feita de cerâmica ou porcelana e metal. Em cada dente pilar é colocada uma coroa e o dente pôntico, no lugar daquele que falta;
  2. Ponte cantilever – é utilizada quando só há dentes que podem servir como pilares de um lado do dente que falta. Logo, o dente a ser reposto permanecerá suspenso com apoio de apenas em um dos lados;
  3. Ponte Adesiva – este tipo de ponte é feito de uma estrutura de metal em que o dente pôntico (dente falso) é anexado ao metal ou porcelana cimentada nos dentes pilares. Este tipo de ponte é uma alternativa clássica à ponte tradicional.

Ponte Dentária Móvel

Assim como o próprio nome já diz, a ponte dentária móvel possibilita que o paciente a coloque ou a retire da boca no momento que achar necessário.

Geralmente, ela é apoiada diretamente sobre a gengiva. Entretanto, em certas ocasiões, também recebe o apoio dos dentes que restaram na boca do paciente.

Assim como o modelo fixo, esse tipo de ponte também pode ser dividido em diversas subclassificações. Elas variam de acordo com o material utilizado em sua confecção, sendo classificadas como:

  • Acrílica: moldada em resina acrílica. Bastante compatível com a gengiva onde é apoiada e os demais tecidos orais. Pode ter ganchos adaptados aos dentes como forma de contribuir para a retenção e para dar mais firmeza;
  • Esquelética: a estrutura de suporte é fabricada em metal e os dentes em acrílico. Essa ponte é apoiada nos dentes existentes. Trata-se de um tipo que ocupa menos espaço na boca, sendo a preferida dos pacientes;
  • Mista: também chamada de híbrida, é uma ponte acrílica e sua parte central é uma barra em metal;
  • Flexível: também chamada de semi-flexível, o nome já diz tudo! Possibilita substituir os ganchos metálicos por elementos de retenção a cor do dente ou da gengiva do paciente. Com isso, favorece bastante a estética. Entretanto, apresentam algumas desvantagens como, por exemplo, mais dificuldade de inserção e remoção da boca, dificuldade no reparo quando quebram, entre outras que acabam despopularizando o modelo.

Qual das duas devo utilizar?

A grande verdade é que tudo depende do histórico do paciente. O dentista deve se basear nele e em um exame clínico para definir qual das duas deve ser utilizada.

Em resumo, é necessário analisar minuciosamente situação e observar as principais necessidades de cada paciente.

Mas qual é a importância das pontes dentárias?

Como já citamos anteriormente, um dente ausente pode influenciar nos processos respiratórios, mastigatórios e até mesmo na fonética do paciente.

Assim, fica bem clara a importância da utilização das pontes dentárias.

Além disso, uma questão bastante importante é que os dentes ausentes podem propiciar problemas de má oclusão, danificando a fisiologia da arcada dentária do paciente.

De maneira geral, a oclusão deficiente ocorre de forma leve. Ou seja, não gera grandes efeitos negativos para a pessoa.

Porém, em casos mais graves, dentes, gengivas, ossos, músculos, ligamentos e articulações da boca são extremamente prejudicados.

A mordida correta evita que sejam feitos esforços excessivos durante o processo de trituração de alimentos. Assim, o ato de morder ou mastigar se torna desconfortável e até doloroso para quem sofre com a má oclusão dentária.

Além destes, outros sintomas que podem ser desencadeados no paciente são:

  • Maior desgaste dos dentes;
  • Dores de cabeça;
  • Dores no pescoço;
  • Dores no maxilar e na mandíbula;
  • Dificuldades de respiração;
  • Alteração na aparência facial;
  • Dificuldades de fala;
  • Limitação da abertura bucal;
  • Aumento no risco de doenças orais, como a cárie;
  • Má postura;
  • Perda precoce de dentes definitivos;

Estudos ainda indicam que a nossa boca tem relação direta com outras partes do corpo, como por exemplo a nossa coluna. Com isso, uma mordida cruzada pode trazer até mesmo alguns problemas de coluna ao paciente.

Ainda é importante ressaltar que caso o paciente negligencie a utilização das pontes dentárias e desenvolva má oclusão dos dentes, a única solução se dá por meio de um tratamento ortodôntico.

Preço e tempo de duração de uma ponte dentária

O custo médio do mecanismo varia de acordo com o número de unidades necessárias para suprir a necessidade de cada paciente.

Entretanto, a maioria dos convênios odontológicos costuma cobrir o preço do procedimento. A sua duração depende dos cuidados do paciente, podendo resistir por muitos anos.

Como é a limpeza?

O ideal é que o paciente realize a higiene oral normalmente utilizando ambos os modelos. A única diferença é que o modelo móvel deve ser removido durante a higienização.

Ele pode ser escovado de forma separada ou até mesmo imerso em líquidos específicos para limpeza. Assim, é possível que você deixe a sua ponte dentária bem limpinha!

Silmara Alves Rozo Ducatti
Silmara Alves Rozo Ducatti
Silmara Alves Rozo Ducatti é cirurgiã-dentista graduada pela Universidade do Oeste Paulista (UNOESTE) e especialista em Ortodontia pelo Sindicato dos Odontologistas de Mato Grosso do Sul (SIOMS). Possui registro no Conselho Regional de Odontologia de São Paulo (CRO-SP) nº 121811 e integra a equipe odontológica da RD Design Oral, que fica na Alameda Grajaú, 98 - sala 1207 - Alphaville, Barueri - SP.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sobre a Simpatio
Somos dedicados em criar conteúdo de qualidade e informativo. Nossa missão é informar pacientes, dentistas e clínicas provendo conteúdos altamente relevantes sobre odontologia e saúde bucal gratuitamente.
Agende uma consulta
Precisando de algum tipo de ajuda ou apoio relacionado a sua saúde ou estética bucal? Clique no botão abaixo!

Postagens Recentes

Receba Nossos Conteúdos

Preencha seu e-mail acima e receba conteúdos exclusivos gratuitamente!

Simpatio 2021 © - Todos os Direitos Reservados

As informações contidas neste site têm como objetivo único informar. A Simpatio tem o compromisso de estimular, e nunca substituir, as relações entre dentistas e pacientes. Sempre deixamos isso muito claro nos textos e na comunicação com nossos leitores. É fundamental que o paciente, ao notar qualquer alteração em sua saúde bucal, consulte seu dentista de confiança. Cada indivíduo requer um tratamento personalizado.

Os conteúdos da Simpatio são escritos por jornalistas e possuem a supervisão e a aprovação de dentistas e de profissionais de saúde parceiros.