Oclusão em prótese total requer bons critérios de escolha

Share on facebook
Compartilhe
Share on twitter
Tweet Isso
Share on linkedin
Compartilhe

Parte do tratamento que devolve a estética do sorriso, tem um sistema de escolhas muito importante

Para todos os pacientes, independente de idade ou gênero, a perda dos dentes causa importantes mudanças no sistema mastigatório. A oclusão em prótese total faz parte do tratamento desse problema.

Saber fazer uma boa escolha de qual método será usado no processo de oclusão em prótese total é essencial. Dessa forma, é sobre isso que falaremos neste artigo!

Oclusão em prótese total é uma das etapas mais importantes no processo que envolve o tratamento de pacientes que, por alguma motivo, sofreram com a perda de dentes e optaram pela instalação de uma prótese.

Existe mais de um tipo dessa oclusão, vamos conhecer alguns deles?

Qual a Importância da Escolha do Tipo de Oclusão em Prótese Total?

Fazer essa escolha do padrão de oclusão em prótese total de uma forma consciente, pensando sempre no bem-estar e melhores resultados para o pacientes, traz diversos benefícios. Por exemplo:

  • Possibilita uma reabilitação oral de pacientes usuários de prótese total de forma eficiente;
  • Melhora a estética do sorriso;
  • Auxilia no processo de mastigação, deglutição e fonação;
  • Diminui a reabsorção do rebordo ósseo alveolar.

Ainda assim, até hoje saber escolher o padrão é um dilema que gera muitas dúvidas nos cirurgiões dentistas. Como em relação a posição, se é estática ou dinâmica, por exemplo.

Confecção da Oclusão em Prótese Total

Como estamos explicando, para a confecção oclusal das próteses totais, existem alguns tipos e métodos a serem escolhidos.

As mais comuns a serem utilizadas são a oclusão dentária balanceada ou a oclusão lingualizada balanceada. Na balanceada, são utilizados os dentes anatômicos.

Ela tem como base a estabilidade das dentaduras que conseguem ser atingida a partir dos contatos bilaterais que ocorrem durante os estados dinâmicos e de estática durante a função.

Já na lingualizada, os dentes escolhidos são os anatômicos que possuem suas cúspides mais baixas na mandíbula. Nesse caso, a cúspide lingual maxilar oclui na fossa central mandibular.

Existem ainda outros padrões de oclusão em prótese dental que também são importantes. Vamos falar mais um pouco sobre eles?

Oclusão Bilateral Balanceada 

Esse padrão consiste principalmente no contato dos dentes do lado do trabalho e também do lado de balanceio, ambos ao mesmo tempo.

Além disso, exerce também um contato simultâneo nos nossos dentes anteriores e posteriores que são considerados em protusão.

No entanto, ao passar do tempo, alguns estudiosos chegaram a conclusão de que esse esquema de oclusão não é fundamental para alcançar bons resultados em uma reabilitação oral.

Oclusão Mutuamente Protegida

Esse é o método em os dentes escolhidos são os posteriores e anteriores. O que ocorre então é que eles protegem uns aos outros de qualquer contato que possa vir a acontecer na posição estática da mandíbula.

Isso pode ocorrer principalmente durante os movimentos excursivos. Dessa forma, eles seguem então os seguintes princípios:

  1. Relação Cêntrica coincidente com a MIH: sabe-se que pequenas diferenças entre RC e
    MIH (contatos prematuros) são tolerados e absorvidos de maneira fisiológica pelo sistema
    estomatognático. Ao contrário, grandes diferenças podem desencadear uma série de
    conseqüências danosas ao sistema;
  2. Oclusão efetiva bilateral dos posteriores em Relação Cêntrica;
  3. Ausência de contato no Lado de Balanceio;
  4. Guia de desoclusão canina ou em grupo no Lado de Trabalho;
  5. Desoclusão dos posteriores durante a protrusão;
  6. Oclusão fossa-cúspide;
  7. Anatomia palatina anterior que permite – durante a protrusão – adequada desoclusão
    posterior.

Uma oclusão em prótese total pode ser um processo complicado. Porém, quando bem executado, alcança os melhores resultados esperados pelo profissional e paciente.

Valdir de Oliveira
Valdir de Oliveira
Valdir de Oliveira é cirurgião-dentista graduado em Odontologia pela Universidade de Santo Amaro (UNISA) e pós-graduado em Ortodontia e Ortopedia dos Maxilares pela Sboom. Possui especialização e mestrado em Implantodontia, habilitação em Harmonização Orofacial e Anatomia da Face. Também é professor nas áreas de Cirurgia Bucomaxilofacial e Harmonização Orofacial e voluntário há mais de 20 anos na Agência Adventista de Desenvolvimento e Recursos Assistenciais (ADRA Brasil). Com o registro no Conselho Regional de Odontologia de São Paulo (CRO-SP) nº 52860, Valdir integra a equipe odontológica do Instituto Bernal e Oliveira, que está localizado na Avenida dos Imarés, 572A - Indianópolis, São Paulo - SP.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sobre a Simpatio
Somos dedicados em criar conteúdo de qualidade e informativo. Nossa missão é informar pacientes, dentistas e clínicas provendo conteúdos altamente relevantes sobre odontologia e saúde bucal gratuitamente.
Agende uma consulta
Precisando de algum tipo de ajuda ou apoio relacionado a sua saúde ou estética bucal? Clique no botão abaixo!

Postagens Recentes

Receba Nossos Conteúdos

Preencha seu e-mail acima e receba conteúdos exclusivos gratuitamente!

Simpatio 2021 © - Todos os Direitos Reservados

As informações contidas neste site têm como objetivo único informar. A Simpatio tem o compromisso de estimular, e nunca substituir, as relações entre dentistas e pacientes. Sempre deixamos isso muito claro nos textos e na comunicação com nossos leitores. É fundamental que o paciente, ao notar qualquer alteração em sua saúde bucal, consulte seu dentista de confiança. Cada indivíduo requer um tratamento personalizado.

Os conteúdos da Simpatio são escritos por jornalistas e possuem a supervisão e a aprovação de dentistas e de profissionais de saúde parceiros.