Mononucleose também é conhecida como doença do beijo

Share on facebook
Compartilhe
Share on twitter
Tweet Isso
Share on linkedin
Compartilhe

A mononucleose é uma doença viral que ataca o corpo e afeta a produção de anticorpos

Muitas doenças que acometem nossa boca podem ser transmitidas oralmente. Um exemplo é a candidíase oral, uma infecção causada pelo acúmulo do fungo Candida albicans. E agindo de forma parecida, temos a mononucleose.

A mononucleose é conhecida popularmente como “doença do beijo”. Mas ao contrário da candidíase, ela é causada por um vírus, o Epstein-Barr, que é da família Herpesviridae.

A mononucleose faz com que as células que revestem o nariz e a garganta sejam invadidas, o que afeta os linfócitos B, que são os glóbulos brancos, responsáveis pela produção de anticorpos.

Contaminação da Mononucleose

O contágio da mononucleose infecciosa é feito pelo contato secreções orais.

Depois de infectado, o paciente fica com o vírus incubado no corpo durante 30 a 45 dias para, posteriormente, apresentar os sintomas. No entanto, se a infecção for em crianças, o período pode ser mais curto.

É importante ressaltar que o período de transmissão excede o tempo dos sintomas. Assim, mesmo que o paciente não tenha mais nenhuma evidencia aparente da doença, ele pode transmiti-la para outra pessoa.

Sintomas da Mononucleose

Os principais sintomas incluem:

  • Fadiga;
  • Sensação de mal-estar;
  • Dor de garganta;
  • Placas brancas na faringe;
  • Mancha vermelha no céu da boca;
  • Inflamação na garganta que não melhora mesmo com o uso de antibióticos;
  • Febre;
  • Inchaço nas glândulas linfáticas do pescoço e axilas;
  • Inchaço na amígdala;
  • Dor de cabeça;
  • Erupção cutânea.

A febre e a dor de garganta costumam sumir após as primeiras semanas, mas a sensação de cansaço e os inchaços tendem a continuar.

Diagnóstico da Doença do Beijo

O diagnóstico da doença do beijo é multidisciplinar. Ele pode ser feito por um infectologista em conjunto com o otorrinolaringologista ou o dentista.

Para confirmar a presença da patologia, pode ser pedido a efetuação dos seguintes exames:

  • Exames sorológicos: ele é realizado para detectar a incidência de anticorpos no sangue;
  • Hemograma completo: é feito para analisar como a saúde do paciente está respondendo.

Tratamento da Mononucleose

Embora a mononucleose não tenha um tratamento específico, ela some após o ciclo viral.

Nosso próprio corpo está apto a eliminar o vírus. Entretanto, é recomendado fazer repouso e ingerir bastante líquido, como água, chás e sucos naturais. Isso ajudará na recuperação e diminuirá os sintomas.

Dependendo da gravidade, o médico pode prescrever alguns remédios que auxiliarão o corpo a combater o problema. Normalmente, são analgésicos, antitérmicos e anti-inflamatórios.

Complicações da Doença do Beijo

A patologia traz algumas complicações aos pacientes que não cuidam bem dos sintomas ou que estão com o sistema imunológico fragilizado.

Por isso, acaba ocorrendo o aumento do baço e uma inflamação do fígado. Dessa forma, é muito provável que a pessoa sinta fortes dores de barriga.

Mononucleose na Odontologia

A situação da mononucleose na odontologia faz com que o dentista tenha de conduzir uma profilaxia para o assunto. A dor na garganta e as placas na faringe podem causar bastante incômodo para o paciente.

Portanto, é possível que ele deixe de realizar a higienização correta da boca, o que ocasionaria na formação de placa bacteriana, cárie, doenças periodontais e mau hálito.

A função do profissional, então, é alertar a pessoa sobre os riscos de uma saúde bucal afetada pela mononucleose e fazer com que ele tenha hábitos saudáveis.

Ramiro Murad
Ramiro Murad
Ramiro Murad Saad Neto, cirurgião-dentista com registro no Conselho Regional de Odontologia de São Paulo (CRO-SP) nº 118151, é graduado pela UNIC e residente em Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial Facial no Sindicato dos Odontologistas de São Paulo (SOESP - SP). Possui habilitação em Harmonização Orofacial e também é gestor de clínicas e franquias odontológicas. Além disso, é integrante da equipe Bucomaxilofacial da Clínica da Villa, que está na Rua Eça de Queiroz, 467 - Vila Mariana, São Paulo - SP.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sobre a Simpatio
Somos dedicados em criar conteúdo de qualidade e informativo. Nossa missão é informar pacientes, dentistas e clínicas provendo conteúdos altamente relevantes sobre odontologia e saúde bucal gratuitamente.
Agende uma consulta
Precisando de algum tipo de ajuda ou apoio relacionado a sua saúde ou estética bucal? Clique no botão abaixo!

Postagens Recentes

Receba Nossos Conteúdos

Preencha seu e-mail acima e receba conteúdos exclusivos gratuitamente!

Simpatio 2021 © - Todos os Direitos Reservados

As informações contidas neste site têm como objetivo único informar. A Simpatio tem o compromisso de estimular, e nunca substituir, as relações entre dentistas e pacientes. Sempre deixamos isso muito claro nos textos e na comunicação com nossos leitores. É fundamental que o paciente, ao notar qualquer alteração em sua saúde bucal, consulte seu dentista de confiança. Cada indivíduo requer um tratamento personalizado.

Os conteúdos da Simpatio são escritos por jornalistas e possuem a supervisão e a aprovação de dentistas e de profissionais de saúde parceiros.