Medo de dentista pode ser superado com meditação

Share on facebook
Compartilhe
Share on twitter
Tweet Isso
Share on linkedin
Compartilhe

O receio e até o medo de ir ao dentista existe em cerca de 50% da população mundial, sendo mais comum do que imaginamos. No entanto, esse sentimento e, em alguns casos, essa fobia de ir ao dentista pode ser algo bastante prejudicial à saúde bucal, já que consultas regulares ao dentistas são muito importantes para manutenção da saúde bucal. Umas das alternativas encontradas para auxiliar pessoas com esse tipo de fobia é a meditação.

Além de ser uma ótima estratégia de relaxamento, segundo estudos divulgados pela Universidade de Manchester, no Reino Unido, a meditação também pode ser uma grande aliada na resistência da dor. Isso porque o cérebro dos que possuem a prática da meditação é capaz de antecipar sensações as quais serão submetidos.

De origem incerta e, certamente, uma prática muito antiga, a meditação corresponde à aplicação de técnicas que possuem o objetivo final de atingir altos níveis de concentração. Tais técnicas meditativas podem possuir formas diferentes de aplicação e execução, a depender da cultura e dos objetivos do praticante.

Apesar da prática estar diretamente ligada a monges budistas orientais, a meditação tem se tornado cada vez mais comum em todas as partes do mundo. Seus benefícios são comprovados, inclusive pela ciência e principalmente no que se diz respeito ao raciocínio da dor e do comportamento.

De acordo com os estudos que envolvem o tema, a meditação pode ser eficaz no alívio de dores crônicas, de ansiedade e de depressão.

Isso porque a prática ajuda as pessoas a mudarem o foco e, em vez de ampliar, conseguem reagir melhor à dor, provocando a sensação de uma dor menor. Logo, se o meditante não a sente, é como se ela não existisse.

Como praticar a meditação

Ansiedade e estresse podem aumentar a sensação de dor, por isso a meditação revela-se como uma boa saída para contornar sentimentos e sensações.

O conceito de meditação pode ser amplo e suas técnicas podem variar. Porém, a chave para uma boa meditação é a respiração. O objetivo é esvaziar a mente, concentrar o foco em si mesmo e se livrar da influência e da preocupação relacionadas ao ambiente externo.

Observar em silêncio o movimento da respiração, tanto ao inspirar quanto ao expirar, consiste num passo importante na meditação. Além disso, você deve encontrar uma posição em que se sinta mais confortável, podendo ser posicionamento do modelo lótus (pés e mãos voltados para cima e perna cruzada) ou até mesmo sentado em uma cadeira ou em pé.

A escolha do lugar é de suma importância, especialmente para os iniciantes. Opte por lugares silenciosos e calmos, de forma que ele proporcione tranquilidade suficiente para que você consiga se concentrar na prática da meditação.

A escolha de um mantra também pode ser importante e costuma ser comum entre os praticantes. O mantra “OM”, por exemplo, é reconhecido pelo benefício existente na vibração de sua pronúncia, além de regular a respiração.

Quais são os benefícios da meditação?

Além de ser eficaz no controle da dor, da ansiedade e da depressão, a meditação também é conhecida por:

  • Diminuir o estresse;
  • Melhorar a cognição;
  • Ajudar em atividades multitarefa;
  • Promover bem-estar psicológico;
  • Melhorar a qualidade do sono;
  • Redução da violência;
  • Melhorar o poder de concentração e ajudar na memória de trabalho;
  • Promover emoções positivas;
  • Reduzir os sintomas do ataque de pânico;
  • Aumentar a capacidade de memorização;
  • Diminuir a raiva e a fadiga;
  • Melhorar a cognição.

Meditação e odontologia

As práticas de meditação podem ser grandemente benéficas na odontologia, tanto para pacientes quanto para profissionais.

Tratamentos de canal e extração dentária, por exemplo, são frequentemente associados a dor, dessa forma pacientes podem desenvolver medo e ansiedade quanto a esses e outros tipos de tratamentos odontológico. Esse medo pode ser associado até mesmo ao barulho do equipamento do dentista.

A prática da meditação pode ajudar pacientes que possuem medo de dentista a se manterem relaxados e concentrados.

Se ela fizer parte do dia a dia do paciente, controlar o medo pode ser relativamente mais fácil. Porém, meditar no dentista pode ser uma solução igualmente eficaz.

Assim, esvaziar a mente e se concentrar em uma respiração lenta e profunda poderá reduzir a tensão muscular, relaxar o sistema nervoso central e levar a redução do desconforto.

A meditação pode ser realizada momentos antes ou até mesmo durante a consulta odontológica, se o paciente tiver concentração suficiente.

Essa prática pode ser, inclusive, benéfica para o profissional da odontologia, que pode encontrar mais concentração e tranquilidade no dia a dia do consultório.

Gostou de saber como os benefícios da meditação podem te ajudar a superar ou pelo menos a lidar melhor com o medo de ir ao dentista? Então, é hora de colocar as técnicas em prática.

Ramiro Murad Saad Neto

Ramiro Murad Saad Neto

Cirurgião-dentista graduado em Odontologia pela UNIC. Gestor de clínicas odontológicas e franquias. Residente em Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial Facial no Sindicato dos Odontologistas de São Paulo (SOESP - SP). Habilitação em Harmonização Orofacial e integrante da equipe Bucomaxilofacial Dr. Carlos Eduardo Xavier na Clínica da Villa, em São Paulo. CRO - 118151

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sobre a Simpatio

Somos dedicados em criar conteúdo de qualidade e informativo. Nossa missão é informar pacientes, dentistas e clínicas provendo conteúdos altamente relevantes sobre odontologia e saúde bucal gratuitamente.

Agende uma consulta

Precisando de algum tipo de ajuda ou apoio relacionado a sua saúde ou estética bucal? Clique no botão abaixo!

Postagens Recentes

Receba Nossos Conteúdos

Preencha seu e-mail acima e receba conteúdos exclusivos gratuitamente!

© All rights reserved

Simpatio 2020

As informações contidas neste site têm como objetivo único informar. A Simpatio tem o compromisso de estimular, e nunca substituir, as relações entre dentistas e pacientes. Sempre deixamos isso muito claro nos textos e na comunicação com nossos leitores. É fundamental que o paciente, ao notar qualquer alteração em sua saúde bucal, consulte seu dentista de confiança. Cada indivíduo requer um tratamento personalizado.