Manobra de Valsalva também é usada por dentistas

Share on facebook
Compartilhe
Share on twitter
Tweet Isso
Share on linkedin
Compartilhe

Técnica simples é realizada após cirurgias de extração dentária

Algumas técnicas simples têm grande relevância para a medicina, como é o caso da manobra de Valsalva. Este teste diagnóstico é amplamente difundido e conhecido por profissionais que atuam na área da saúde.

Contudo, você conhece o uso da Manobra de Valsalva na odontologia?

Manobra de Valsalva é realizada ao se exalar com força o ar contra os lábios fechados e nariz tapado. Esse movimento empurra e força o ar em direção ao ouvido médio se a tuba auditiva estiver aberta.

Como é feita a manobra de Valsalva?

O teste de Valsalva consiste em exalar o ar de forma forçada, com o nariz tapado e os lábios fechados. Desse modo, o ar é direcionado ao ouvido médio.

Assim, a manobra possibilita características como:

  • O aumento da pressão intratorácica;
  • A diminuição do retorno venoso ao coração;
  • O aumento a pressão arterial.

Manobra de Valsalva na odontologia

A manobra de Valsalva na odontologia é utilizada para confirmar a existência de uma comunicação buco-sinusal. Em geral, isso ocorre após procedimentos cirúrgicos na parte superior da arcada dentária.

O que é comunicação buco-sinusal?

A chamada comunicação buco-sinusal é uma complicação consequência de uma cirurgia oral.

Comumente, esses procedimentos estão associados à extrações dentárias na arcada superior, podendo envolver os dentes molares, pré-molares ou os dentes do siso.

Essa comunicação consiste em uma abertura indesejada que liga a boca e o seio maxilar.

Seio maxilar é um espaço oco localizado no interior do osso maxilar, presente tanto em seu lado direito, quanto em seu lado esquerdo.

Dessa maneira, o aparecimento dessa abertura é mais comum em pessoas que apresentam a raiz dos dentes muito próximas à região onde está localizado o seio maxilar.

Diagnóstico da comunicação buco-sinusal

O primeiro teste feito para confirmar a existência do problema é a manobra Valsalva. Contudo, nesse caso, o paciente não deve estar com os lábios fechados, mantendo apenas o nariz tapado ao expirar forçadamente.

Assim, a confirmação ocorre caso saia ar do alvéolo onde estava o dente extraído. Além disso, a comunicação também pode ser confirmada e visualizada através de exames radiográficos.

Sintomas da comunicação buco-sinusal

Entre os principais sintomas de um caso de comunicação buco-sinusal, podemos citar sinusites, mau hálito, alterações na voz e no paladar e dores, tanto na região da face, quanto na região da cabeça.

Ainda podem ocorrer:

• Dificuldades para ingerir líquidos e alimentos;
• Coriza;
• Nariz trancado somente de um lado;
• Tosse noturna.

Qual o tratamento da comunicação buco-sinusal?

O tratamento da comunicação buco-sinusal, que também pode receber o nome de comunicação oroantral, está diretamente relacionado com o tamanho da abertura.

  • Comunicação pequena – é considerada uma comunicação oroantral pequena aquelas que contam com 2 ou menos milímetros de diâmetros. Nesses casos, não existe necessidade de novos procedimentos cirúrgicos. O paciente é orientado a tomar certos cuidados respiratórios. Esses cuidados envolvem evitar assoar o nariz ou espirrar de forma agressiva, evitar beber utilizando canudos e evitar fazer o uso de cigarros. Dessa maneira, as medidas têm como objetivo impedir que o coágulo formado no interior do alvéolo se desloque.
  • Comunicação moderada – é considerada uma comunicação buco-sinusal moderada aquela que conta com 2 a 6 milímetros de diâmetro. Nesses casos, o profissional da odontologia irá realizar uma sutura no alvéolo. Além disso, o paciente necessita realizar os cuidados respiratórios indicados e fazer uso de antibióticos e descongestionantes nasais.
  • Comunicação grande – é considerada uma comunicação oroantral grande aquela que conta com 7 milímetros de diâmetro ou mais. Nesses casos, o médico dentista irá realizar o fechamento da abertura com um retalho de tecido, em geral, utilizando o tecido mole vestibular. Posteriormente ao procedimento, o acompanhamento do paciente prossegue por algumas semanas. Em casos mais graves, a abertura não fecha da maneira correta. Desse modo, o paciente pode ser direcionado para tratamento com um cirurgião bucomaxilofacial.

Além da odontologia, a manobra de valsava também é utilizada nas áreas da fonoaudiologia, da ginecologia e até mesmo como uma forma de testar a função cardíaca e o controle nervoso autônomo do coração.

Valdir de Oliveira

Valdir de Oliveira

Cirurgião-dentista graduado em Odontologia pela Universidade de Santo Amaro (UNISA). Pós-graduado em Ortodontia e Ortopedia dos Maxilares pela Sboom. Com especialização e mestrado em Implantodontia, habilitação em Harmonização Orofacial e Anatomia da Face. Professor nas áreas de Cirurgia Bucomaxilo Facial e Harmonização Orofacial. Voluntário há mais de 20 anos na Agência Adventista de Desenvolvimento e Recursos Assistenciais - ADRA Brasil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sobre a Simpatio

Somos dedicados em criar conteúdo de qualidade e informativo. Nossa missão é informar pacientes, dentistas e clínicas provendo conteúdos altamente relevantes sobre odontologia e saúde bucal gratuitamente.

Agende uma consulta

Precisando de algum tipo de ajuda ou apoio relacionado a sua saúde ou estética bucal? Clique no botão abaixo!

Postagens Recentes

Receba Nossos Conteúdos

Preencha seu e-mail acima e receba conteúdos exclusivos gratuitamente!

© All rights reserved

Simpatio 2018

As informações contidas neste site têm como objetivo único informar. A Simpatio tem o compromisso de estimular, e nunca substituir, as relações entre dentistas e pacientes. Sempre deixamos isso muito claro nos textos e na comunicação com nossos leitores. É fundamental que o paciente, ao notar qualquer alteração em sua saúde bucal, consulte seu dentista de confiança. Cada indivíduo requer um tratamento personalizado.