Manchas de Koplik podem causar complicações graves

Share on facebook
Compartilhe
Share on twitter
Tweet Isso
Share on linkedin
Compartilhe

Entenda como a anomalia se manifesta em nosso organismo e qual a importância da vacinação

As manchas de Koplik são uma anomalia extremamente perigosa. Não é à toa que é responsável por grande parcela da mortalidade infantil em países subdesenvolvidos.

É uma doença bastante nociva, uma vez que é transmitido pela saliva, através da tosse e espirro. Mas afinal, o que são as manchas de Koplik?

Manchas de Koplik é uma doença infectocontagiosa causada por um organismo chamado Morbilivirus. Geralmente, se manifesta em conjunto com febre e manchas corporais.

Apesar de ser mais comum e perigosa em crianças e jovens, a doença pode ser contraída por qualquer pessoa. Ela também é conhecida popularmente como sarampo.

Mas agora que você já foi introduzido ao assunto, que tal entendermos um pouco mais sobre o sinal de Koplik e sua relação com a odontologia? Acompanhe!

Quais são os principais sintomas das manchas de Koplik?

Como já citado anteriormente, o sarampo se manifesta através de pequenas erupções avermelhadas na pele acompanhadas de forte febre.

Além disso, a pessoa pode apresentar inflamação das vias respiratórias, inclusive da cavidade oral, implicando em inflamações na mucosa bucal com presença de catarro.

O paciente contaminado ainda pode apresentar dor de cabeça e mal-estar. Além disso, é normal que pessoas com manchas de Koplik desenvolvam:

  • Conjuntivite;
  • Coriza;
  • Perda do apetite;
  • Manchas brancas na parte interna das bochechas (exantema de Koplik);
  • Otite;
  • Pneumonia;
  • Encefalite.

O interessante é que o paciente contaminado demora entre oito e treze dias para apresentar os sinais da anomalia. Mas por acaso você sabe como ocorre a contaminação?

Como é a transmissão e contaminação?

Altamente contagiosa, a doença é transmitida através de secreções da mucosa oral dos pacientes já contaminados para pacientes sadios.

Assim, podemos dizer que tudo começa pela boca. Tanto a transmissão quanto a contaminação. Ela ainda pode ocorrer por meio de secreções do nariz.

Geralmente, ocorre quando algum paciente infectado tosse, respira ou até mesmo fala. Ainda, em algumas ocasiões pode ser transmitida através do beijo.

Existem tipos de sarampo?

Muitas pessoas podem até pensar que existem tipos diferentes de sarampo, que podem afetar as pessoas de maneira diversas, apresentando uma série de sintomas.

Entretanto, a grande verdade é que não existem “tipos” de sarampo e sim diferentes fases de apresentação e complicações relacionadas à doença.

Assim, podemos dizer que com o desenvolvimento da patologia e a negligência do tratamento, os sintomas podem ser mais severos, dando a impressão da doença ser um tipo diferente de manchas de Koplik.

Como é o diagnóstico para manchas de Koplik?

Normalmente é fácil diagnosticar um paciente com manchas de koplik. Isso porque as protuberâncias que surgem na pele de pacientes contaminados são bastante características.

Porém, para confirmar pode ser que o médico reivindique a realização de um exame clínico e, caso necessário, um exame de sangue.

Qual é o tratamento para as manchas de Koplik?

O sarampo é uma doença autolimitada. Ou seja, possui um período limitado e determinado de manifestação no organismo do paciente.

Desse modo, o tratamento visa aliviar os sintomas provocados por ela. Em alguns casos específicos pode ser que haja necessidade de um tratamento para o aumento da imunidade do paciente.

Além disso, ainda é fundamental que o indivíduo siga uma série de dicas para melhorar a sua condição, sendo elas:

  • Repousar bastante;
  • Se hidratar constantemente;
  • Ingerir alimentos leves;
  • Higienizar os olhos com água morna;
  • Realizar bochechos com água morna;
  • Em caso de febre muito alta e que cause mal-estar, tomar antitérmicos.

Como prevenir o sarampo?

Existe uma maneira bastante simples de ficar bem longe da doença. Basta tomar a vacina, que é eficaz em 97% dos casos.

O ideal é que ela seja tomada em duas doses. A primeira durante a partir do décimo segundo mês de vida da criança e a segunda entre os 16 e 24 meses de vida.

Exceção feita às mulheres grávidas e aos indivíduos imunodeprimidos. Adultos que não foram vacinados e não tiveram a doença na infância também devem tomar a vacina o quanto antes possível.

A vacinação é o meio mais conveniente de prevenção e está disponível na grande maioria dos postos de saúde. Portanto, não deixe de se vacinar.

Entretanto, existem casos onde não é recomendado que o paciente receba a vacina contra o sarampo, como por exemplo:

  • Casos suspeitos de sarampo;
  • Gestantes – elas devem esperar para serem vacinadas após o parto. Caso esteja planejando engravidar, assegure-se que você já está protegida. O ideal é realizar um exame de sangue. Ele pode dizer se você já está imune à doença. Caso não esteja, deve ser vacinada um mês, antes da gravidez. Espere pelo menos quatro semanas antes de engravidar;
  • Menores de 6 meses de idade;
  • Imunocomprometidos.

As manchas de Koplik podem trazer sequelas ao paciente?

As manchas de Koplik podem sim trazer sequelas aos pacientes. Entre elas, podemos citar a surdez e a cegueira.

Além disso, o paciente pode sofrer com retardo do crescimento (implicando em malformação de algumas regiões do corpo) e retardo mental.

O mais complicado ocorre quando existe uma negligência total do tratamento da doença, podendo resultar inclusive em uma morte precoce da pessoa.

Portanto, nunca deixe de consultar um profissional da saúde. Faça isso o mais cedo possível para não enfrentar maiores complicações. O objetivo dos médicos é sempre te ajudar da melhor maneira possível.

Tome a vacina antes de viajar para outros países!

Ao viajar para o exterior, é importante estar com a situação vacinal em dia, conforme orientação do Ministério da Saúde.

Para quem for se vacinar contra o sarampo antes de viajar, a recomendação é procurar um posto de saúde pelo menos 15 dias antes da viagem.

Caso você não tenha certeza se já é vacinado ou não, o ideal é realizar um exame de sangue para obter a informação.

Entretanto, estudos apontam que não há problema em tomar a vacina novamente, caso você já tenha tomado. Portanto, vacine-se!

Agora você já conhece as manchas de Koplik, suas causas, transmissão, tratamento e prevenção. Lembre-se, ao notar qualquer um dos sintomas do sarampo, consulte um profissional da saúde de sua confiança.

Ramiro Murad
Ramiro Murad
Ramiro Murad Saad Neto, cirurgião-dentista com registro no Conselho Regional de Odontologia de São Paulo (CRO-SP) nº 118151, é graduado pela UNIC e residente em Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial Facial no Sindicato dos Odontologistas de São Paulo (SOESP - SP). Possui habilitação em Harmonização Orofacial e também é gestor de clínicas e franquias odontológicas. Além disso, é integrante da equipe Bucomaxilofacial da Clínica da Villa, que está na Rua Eça de Queiroz, 467 - Vila Mariana, São Paulo - SP.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sobre a Simpatio
Somos dedicados em criar conteúdo de qualidade e informativo. Nossa missão é informar pacientes, dentistas e clínicas provendo conteúdos altamente relevantes sobre odontologia e saúde bucal gratuitamente.
Agende uma consulta
Precisando de algum tipo de ajuda ou apoio relacionado a sua saúde ou estética bucal? Clique no botão abaixo!

Postagens Recentes

Receba Nossos Conteúdos

Preencha seu e-mail acima e receba conteúdos exclusivos gratuitamente!

Simpatio 2021 © - Todos os Direitos Reservados

As informações contidas neste site têm como objetivo único informar. A Simpatio tem o compromisso de estimular, e nunca substituir, as relações entre dentistas e pacientes. Sempre deixamos isso muito claro nos textos e na comunicação com nossos leitores. É fundamental que o paciente, ao notar qualquer alteração em sua saúde bucal, consulte seu dentista de confiança. Cada indivíduo requer um tratamento personalizado.

Os conteúdos da Simpatio são escritos por jornalistas e possuem a supervisão e a aprovação de dentistas e de profissionais de saúde parceiros.