Saiba tudo sobre a lesão de furca e seus tratamentos

Share on facebook
Compartilhe
Share on twitter
Tweet Isso
Share on linkedin
Compartilhe

Descubra também quais são as principais causas desse tipo de lesão

Visitar o seu dentista regularmente pode ajudar a identificar e prevenir os mais diversos problemas de saúde bucal. Entre eles, podemos citar as cáries, gengivites, reabsorções ósseas e até mesmo uma lesão de furca.

Mas por acaso você já ouviu falar sobre lesão de furca? Você sabe o que é esse problema?

Uma lesão de furca é a destruição do suporte de dentes multirradiculares, caracterizada pela reabsorção óssea e perda de inserção no espaço inter-radicular, ou seja, entre a raiz do dente e a gengiva.

O que pode levar a uma lesão de furca?

As lesões de furca podem ter diversas causas. Aqui você conhecerá as principais delas:

  • Ela pode ser consequência de um problema morfológico natural do paciente afetado;
  • desencadeada por algum defeito ósseo;
  • consequência do posicionamento dentário ao longo da vida do paciente. A posição dos dentes tende a se alterar no decorrer dos anos;
  • pode se desenvolver a partir de outros problemas dentários não tratados, como uma cárie ou periodontite por exemplo.

Classificações desse tipo de lesão

A classificação da lesão de furca mais utilizada é a de Hamp. Ela é baseada na quantidade de destruição periodontal na direção horizontal presente na área inter-radicular. Vamos conferir:

  1.  Classe I- caracterizada pela perda horizontal do tecido de suporte menor que 3mm;
  2. Classe II- caracterizada pela perda horizontal do tecido de suporte maior ou igual a 3mm;
  3. Classe III- caracterizada pela perda horizontal dos tecidos de um lado a outro da furca.

Diagnóstico da Lesão de Furca

O diagnóstico é realizado, principalmente, através de uma sondagem da área comprometida realizado com uma sonda Nabers.

Esse procedimento deve ser complementado por exames de imagem.

Ele irá avaliar a quantidade de osso presente, cristas ósseas alveolares, quantidade de perda óssea, espessura do ligamento periodontal e integridade da lâmina dura.

Como é o tratamento da lesão?

O tratamento da lesão de furca possui dois principais objetivos, que são:

  1. A eliminação do biofilme das superfícies expostas do complexo radicular;
  2. O estabelecimento de uma anatomia das superfícies afetadas que facilite o adequado autocontrole do biofilme pelo paciente.

Mas quais procedimentos são realizados? Bom, o tratamento pode ser realizado de 3 formas diferentes. Isso depende do grau que a lesão se encontra:

  1. Classe 1- aqui é comum que o dentista não realize procedimentos muito invasivos, tentando conter a lesão através de métodos clínicos. Normalmente, nesses casos, é realizada a raspagem e alisamento radicular.
  2. Classe 2- quando a lesão já está mais desenvolvida, o profissional pode optar por técnicas de odontoplastia e osteoplastia, realizando pequenas intervenções na perda identificada.
  3. Classe 3- nessa situação o dentista deve utilizar técnicas mais invasivas para alcançar o resultado desejado. Pode ser necessária uma ressecção radicular, regeneração tecidual guiada ou, em último caso, o órgão dental deve ser removido.

O sucesso dessas terapias depende bastante do grau de agressividade da lesão e da velocidade do diagnóstico.

Outro fator de fundamental importância é a capacidade de resposta do organismo de cada paciente durante todo o tratamento.

Geralmente, tratamentos conservadores têm uma taxa de sucesso bastante satisfatória para pacientes com lesões prematuras, que variam com o tipo de dente que foi acometido com a doença.

Tratamentos de lesão de furca com graus mais elevados também são bastante efetivos, principalmente quando o paciente realiza as consultas de manutenção regularmente com o seu dentista.

Juliana Peres

Juliana Peres

Graduada em Odontologia pela Universidade Cidade de São Paulo. Pós-graduada em Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial pelo programa de residência profissional do Complexo Hospitalar Padre Bento de Guarulhos. Conhecimento na área de cirurgia oral menor e maior. Residente em cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial no Complexo Hospitalar Padre Bento durante 3 anos e responsável pelo atendimento de pacientes na área de clínico geral, cirurgias orais e harmonização orofacial em diferentes clínicas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sobre a Simpatio

Somos dedicados em criar conteúdo de qualidade e informativo. Nossa missão é informar pacientes, dentistas e clínicas provendo conteúdos altamente relevantes sobre odontologia e saúde bucal gratuitamente.

Agende uma consulta

Precisando de algum tipo de ajuda ou apoio relacionado a sua saúde ou estética bucal? Clique no botão abaixo!

Postagens Recentes

Receba Nossos Conteúdos

Preencha seu e-mail acima e receba conteúdos exclusivos gratuitamente!

© All rights reserved

Simpatio 2020

As informações contidas neste site têm como objetivo único informar. A Simpatio tem o compromisso de estimular, e nunca substituir, as relações entre dentistas e pacientes. Sempre deixamos isso muito claro nos textos e na comunicação com nossos leitores. É fundamental que o paciente, ao notar qualquer alteração em sua saúde bucal, consulte seu dentista de confiança. Cada indivíduo requer um tratamento personalizado.