Hipoplasia maxilar afeta a estética do seio da face

Share on facebook
Compartilhe
Share on twitter
Tweet Isso
Share on linkedin
Compartilhe

A hipoplasia maxilar é corrigida por meio de cirurgia. Caberá ao profissional verificar qual o melhor procedimento para o caso

O maxilar é um osso pneumático, plano e irregular. Ele está associado ao seio da face, com cavidade nasal, parte do palato e órbita ocular. E um problema que pode acometê-lo é a hipoplasia maxilar.

A hipoplasia maxilar deixa o paciente com uma aparência facial mais retilínea e achatada, sem a protuberância do seio da face.

Hipoplasia maxilar é a falta de desenvolvimento dos ossos do maxilar. Por isso, já que estão mais retraídos, deixam a mandíbula saliente. A principal preocupação dessa situação é com a estética do paciente. No entanto, é possível que a pessoa apresente distúrbios na oclusão.

Causas da hipoplasia maxilar

As causas da hipoplasia do seio maxilar variam. Elas podem ser resultado de:

  • Disfunção durante o desenvolvimento;
  • Perda de dentes da arcada dentária superior;
  • Fissura palatina;
  • Trauma na face;
  • Doenças sistêmicas;
  • Neoplasias.

Diagnóstico da hipoplasia maxilar

É importantíssimo que o profissional identifique corretamente a causa da disfunção e como está se manifestando. Caso contrário, o paciente pode ser submetido a tratamentos desnecessários e sem êxito.

Assim, será requisitado dois exames básicos para dar mais propriedade ao diagnóstico:

  • Radiografias na face;
  • Tomografia computadorizada.

Tratamento da hipoplasia maxilar

O tratamento da hipoplasia do maxilar superior visa reabilitar a estética da face e as funções da boca.

Dessa forma, há a possibilidade de efetuar dois procedimentos cirúrgicos: o levantamento do seio maxilar e a cirurgia ortognática. A predileção será feita com base na gravidade do problema e no que o motivou.

Levantamento do Seio Maxilar em casos de hipoplasia

O levantamento do seio maxilar é um procedimento de aumento ósseo realizado com o objetivo de solucionar o problema de maxilas atrésicas, ou seja, mais estreitas que o normal.

Essa técnica promove a restauração da atividade da arcada dentária. Quando existe a perda de um dente, por exemplo, e o espaço fica vago, o osso alveolar passa a se adulterar.

Então, o seio maxilar começa a perder amplitude. Em outras palavras, é como se ele abaixasse, perdendo altura e largura ao mesmo tempo.

Por consequência, o assoalho do osso fica menor, fazendo com que tenha uma perda de volume. E para restabelecer a estética, o dentista realizará o enxerto do seio maxilar. Desse modo, a hipoplasia sumirá.

A cirurgia é realizada a partir de um corte na região dos pré-molares e molares. Em seguida, o dentista levanta o tecido gengival para expor o osso.

Depois, o especialista abre uma pequena cavidade oval no osso, visualizando a membrana que o protege. Essa membrana é deslocada para cima, e o seio é preenchido com o enxerto ósseo.

Por fim, a gengiva é posta em seu lugar de origem, e o dentista realizar a sutura. O pós-operatório geralmente não ocasiona em grandes contratempos.

É comum o paciente ficar com a região inchada e ter um leve sangramento na boca e no nariz.

Cirurgia ortognática para casos de hipoplasia maxilar

O objetivo da cirurgia ortognática é reposicionar os maxilares. Ela inibe problemas futuros como artrose, desgaste e retração de elementos da cavidade bucal.

Sua duração é de 2 a 4 horas, dependendo do quadro clínico. O profissional indicado para fazê-la é o especialista em cirurgia e traumatologia bucomaxilofacial.

A recuperação total da cirurgia leva 1 ano, pois demora para o paciente retomar totalmente suas atividades regulares. Até o décimo dia a pessoa terá dificuldades na fala.

Alimentos mais rígidos só poderão ser consumidos depois de 3 meses. É fundamental que o paciente continue visitando o dentista periodicamente para ver como anda a recuperação da hipoplasia maxilar.

Ramiro Murad Saad Neto

Ramiro Murad Saad Neto

Cirurgião-dentista graduado em Odontologia pela UNIC. Gestor de clínicas odontológicas e franquias. Residente em Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial Facial no Sindicato dos Odontologistas de São Paulo (SOESP - SP). Habilitação em Harmonização Orofacial e integrante da equipe Bucomaxilofacial Dr. Carlos Eduardo Xavier na Clínica da Villa, em São Paulo. CRO - 118151

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sobre a Simpatio

Somos dedicados em criar conteúdo de qualidade e informativo. Nossa missão é informar pacientes, dentistas e clínicas provendo conteúdos altamente relevantes sobre odontologia e saúde bucal gratuitamente.

Agende uma consulta

Precisando de algum tipo de ajuda ou apoio relacionado a sua saúde ou estética bucal? Clique no botão abaixo!

Postagens Recentes

Receba Nossos Conteúdos

Preencha seu e-mail acima e receba conteúdos exclusivos gratuitamente!

© All rights reserved

Simpatio 2018

As informações contidas neste site têm como objetivo único informar. A Simpatio tem o compromisso de estimular, e nunca substituir, as relações entre dentistas e pacientes. Sempre deixamos isso muito claro nos textos e na comunicação com nossos leitores. É fundamental que o paciente, ao notar qualquer alteração em sua saúde bucal, consulte seu dentista de confiança. Cada indivíduo requer um tratamento personalizado.