Erva doce apresenta benefícios para a saúde bucal?

Share on facebook
Compartilhe
Share on twitter
Tweet Isso
Share on linkedin
Compartilhe

Incluí-la em seu dia a dia pode fazer uma diferença maior do que você imagina para a saúde

Quem nunca procurou por alternativas naturais que trouxessem benefícios à saúde? A erva doce é uma dessas opções disponível e de fácil acesso.

Dessa forma, encontrar maneiras de colocar a erva doce em sua rotina de alimentação é importante. É exatamente isso que explicaremos ao decorrer deste artigo!

Erva doce, com seu nome científico Pimpinela Anisum, é uma planta medicinal muito aromática e de classificação melífera. Ou seja, que atraia muitas abelhas.

Conhecida por boa parte da população pelo seu nome popular, Anis, é utilizada para tratar a azia, má digestão, gases e dor de barriga.

Erva Doce e a Saúde Bucal

mau halito

Você já se pegou incomodado com o mau hálito e cansou de procurar alternativas para combatê-lo? Pois bem, se ainda não sabia, a erva doce é mais uma opção para você testar.

Isso se deve ao fato dessa erva ter diversas propriedades que são antimicrobianas e também capazes de eliminar as bactérias do mau hálito.

Você deve estar se perguntando como é que isso funciona, não é mesmo? Não se preocupe, o procedimento é mais simples do que você imagina.

O mais comum é que a ingestão seja feita principalmente por meio de um chá de erva doce. Dessa forma, se essa for a opção escolhida, este deve ser tomado de duas a três vezes ao dia para fazer efeito.

Nesse caso citado, a receita deve se basear mais ou menos em duas colheres da erva para uma xícara de água fervendo.

Ainda assim, é possível mastigar uma colher de erva ainda pela manhã logo ao acordar. Entretanto, os restos de sementes que ficarem na boca não devem ser engolidos.

Principais Características da Erva Doce

Beneficios da erva doce

Presente na família das Apiaceae, está na mesma classificação de outras plantas que também são comumente utilizadas, como por exemplo:

  • Endro (Anethum graveolens)
  • Cerefólio (Anthriscus cerefolium)
  • Aipo (Apium graveolens)
  • Coentro (Coriandrum sativum)
  • Cominho (Cuminum cyminum)
  • Cenoura (Daucus carota)
  • Funcho (Foeniculum vulgare)
  • Salsinha (Petroselinum crispum)

Como pode-se notar, a maioria das plantas que foram citadas acima, são, principalmente, utilizadas na área de culinária.

Entre elas, as diferenças que são possíveis de notar em cada uma estão localizadas nos bulbos e nas folhas. As flores do funcho, da erva-doce e da cicuta, por exemplo, são idênticas. Por isso, é fácil de confundi-las.

Principais Propriedades Nutricionais da Erva Doce

principais propriedades da erva doce

Como já citamos anteriormente, essa é uma planta muito rica em vitaminas e com diversos nutrientes bons para a nossa saúde. Entre os principais estão:

  • Vitamina C
  • Potássio
  • Manganês
  • Ferro
  • Ácido fólico
  • Fibras

Além disso, é também muito rica em fito-nutrientes e óleos aromáticos, além de ter algumas propriedades farmacológicas, como:

  • Ações carminativa
  • Antiespasmódica
  • Anti-inflamatória
  • Antimicrobiana
  • Expectorante
  • Diurética
  • Emenagoga
  • Depurativa
  • Antioxidante
  • Antifúngica
  • Antiviral

Uma curiosidade é que, ao ser associada ao uso de outras substâncias, apresenta então resultados em diferentes doenças. Além é claro, de estar muito presente na indústria dos cosméticos, aromatizando perfumes e hidratantes.

Um exemplo muito comum é a labirintite. Uma combinação de erva doce com cravo da índia e alecrim pode diminuir os sintomas.

Na culinária, por exemplo, costuma ser bastante utilizada em saladas, pães e, até mesmo, em temperos para carnes, legumes e caldos. Entretanto, o sucesso está nos bolos, devido ao sabor específico que traz nesse prato.

Quais São os Benefícios?

Halitose

Devido às suas boas propriedades e aos diversos nutrientes em sua composição, essa é uma erva que possui muitos benefícios. Entre os mais observados temos:

  1. Redução dos gases – a infusão da folha ou semente é usada para indigestão e flatulência. Isso porque o anetol presente na erva doce aumenta a competência digestória, diminuindo assim os gases.
  2. Diminui problemas estomacais – a erva doce conta com o ácido málico, que melhora as funções digestivas do estômago através do fornecimento de hidrogênio suficiente para a acidificação do estômago. Uma baixa produção de ácido clorídrico (ácido gástrico) é uma condição muito comum e potencialmente grave, chamada hipocloridria, que pode resultar em inúmeras condições de saúde e deficiências de nutrientes. Vários nutrientes minerais são dependentes de quantidades adequadas de ácido do estômago, incluindo o cálcio, magnésio, zinco, sódio, cromo, cobre e manganês.
  3. Diminui cólicas – por apresentar um efeito calmante, a erva doce ajuda a reduzir as cólicas intestinais.
  4. Reduz o inchaço – a erva doce conta com um efeito diurético e por isso ajuda a diminuir o inchaço.

Além disso, a erva doce também apresenta propriedades antioxidante, anti-inflamatória, antimicrobiana, antibacteriana e antifúngica.

Mais do que influenciar somente na saúde do organismo, é indicada também, por exemplo, para a lavagem do globo ocular. Os resultados em pessoas que tem histórico de vista seca costumam ser muito bons.

Benefícios que Ainda Estão Sendo Estudados

Além de todo o auxilio que o consumo dela traz para o nosso organismo, sua eficácia ainda está sendo estudada para outros objetivos.  Por exemplo, será que a erva doce é indicada para casos de gripe?

O que ocorre nesse caso, é que a erva doce pode ser usada para fazer gargarejos para dores de garganta. E ainda, tem propriedades comuns aos antissépticos bucais.

Mas não cura a gripe, apenas alivia alguns de seus sintomas.

Outra de suas propriedades que está sendo estudada, é o uso para auxiliar no sistema respiratório. Isso se deve ao fato de que a erva doce ajuda a reduzir a quantidade de muco.

E assim, consegue melhorar a respiração de pacientes que sofrem com gripo e outros problemas respiratórios.

Já foi analisado também que, no tratamento de câncer, as sementes podem trazer um certo tipo de ajuda para os pacientes. Porém, ainda não há confirmação nesse caso.

O que ocorre é que algumas de suas propriedades conseguem ter um efeito calmante no corpo da pessoa, aliviando tensões e possíveis dores.

Todos sabem que os pacientes com câncer normalmente passam por processos de quimioterapia e outros tipos de radiação que impedem o desenvolvimento das células cancerígenas.

Os efeitos colaterais destes tratamentos são intensos, e a erva doce seria recomendada para acalmar o corpo após cada uma das sessões. No entanto, sempre consulte seu médico antes de ingerir qualquer medicação.

Ramiro Murad Saad Neto

Ramiro Murad Saad Neto

Cirurgião-dentista graduado em Odontologia pela UNIC. Gestor de clínicas odontológicas e franquias. Residente em Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial Facial no Sindicato dos Odontologistas de São Paulo (SOESP - SP). Habilitação em Harmonização Orofacial e integrante da equipe Bucomaxilofacial Dr. Carlos Eduardo Xavier na Clínica da Villa, em São Paulo. CRO - 118151

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sobre a Simpatio

Somos dedicados em criar conteúdo de qualidade e informativo. Nossa missão é informar pacientes, dentistas e clínicas provendo conteúdos altamente relevantes sobre odontologia e saúde bucal gratuitamente.

Agende uma consulta

Precisando de algum tipo de ajuda ou apoio relacionado a sua saúde ou estética bucal? Clique no botão abaixo!

Postagens Recentes

Receba Nossos Conteúdos

Preencha seu e-mail acima e receba conteúdos exclusivos gratuitamente!

© All rights reserved

Simpatio 2020

As informações contidas neste site têm como objetivo único informar. A Simpatio tem o compromisso de estimular, e nunca substituir, as relações entre dentistas e pacientes. Sempre deixamos isso muito claro nos textos e na comunicação com nossos leitores. É fundamental que o paciente, ao notar qualquer alteração em sua saúde bucal, consulte seu dentista de confiança. Cada indivíduo requer um tratamento personalizado.